Publicidade

segunda-feira, 10 de setembro de 2012 Congresso | 05:01

Líder do governo diz que ruralistas radicais prejudicam os produtores agrícolas

Compartilhe: Twitter

O presidente da Câmara, Marco Maia (PT), está acertando com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), a coincidência do esforço concentrado das duas Casas para se votar a medida provisória do Código Florestal.

A MP tem até o dia 8 de outubro para ser aprovada, caso contrário, perde a validade.

Na semana passada, a bancada ruralista obstruiu a votação até que o governo se comprometa que não haverá vetos ao texto aprovado pelos parlamentares.

Mas o líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), informa que isso não será aceito:

— É inimaginável cercear-se assim a autoridade da presidenta da República. Não quero dizer que haverá vetos. Mas essa estratégia da radicalização joga contra eles próprios. Se a MP caducar, 96% dos produtores rurais ficam desprotegidos. A culpa será dos radicais.

Autor: Tags:

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.