Publicidade

sexta-feira, 30 de novembro de 2012 Congresso | 14:30

Rebelião das togas

Compartilhe: Twitter

Embora ainda não tenham definido que tática usar, os 1.600 juízes federais do país ensaiam uma rebelião contra o governo por causa do baixo índice de reajuste salarial concedido pela Comissão de Finanças e Tributação da Câmara na quarta-feira.

Há três anos sem reajuste, os juízes consideram os 5% autorizados pelo Palácio do Planalto um patamar pífio perto dos 28,5% que a categoria reivindica. Segundo a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, o reajuste concedido causa impacto de R$ 160 milhões no orçamento do governo.

Os magistrados vão discutir o tema na semana que vem em assembléia geral marcada para ocorrer no Rio de Janeiro.

O debate com o governo está sendo travado pela Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) que tem em seu quadro de associados, entre outros magistrados de peso, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal.

A palavra greve, no entanto, foi proibida na categoria. Uma paralisação para marcar posição e reabrir negociações, talvez.

O juízes federais de primeira instância serão os primeiros executores da ofensiva contra a corrupção no Brasil, inaugurada com a jurisprudência que entra em vigor a partir do trânsito em julgado das sentenças do mensalão.

Autor: Tags: , , ,