Publicidade

terça-feira, 8 de janeiro de 2013 Política | 20:56

Mandato a condenados divide PT

Compartilhe: Twitter

A declaração do ex-ministro das Cidades e ex-governador do Rio Grande do Sul, Olívio Dutra, sugerindo que o deputado José Genoino renuncie ao mandato não é uma posição isolada no PT.

“Nós achamos que depois do julgamento eles (os petistas condenados) deveriam se recolher a uma militância de base, sem esse holofote permanente”, diz o deputado gaúcho Raul Pont, presidente regional do PT.

Pont acha que o mensalão virou uma novela sem fim, que o partido foi solidário com os militantes condenados, mas já pagou o preço e deve mudar a pauta.

Sem saber que Genoino também participaria de entrevista ao vivo na Rádio Guaíba, na segunda-feira, Olívio Dutra defendeu a renúncia.

Quando o deputado entrou no ar se defendendo, o ex-governador reafirmou: “Não foi a melhor escolha para a tua própria trajetória e para o sentimento partidário”.

O PT está dividido entre os que defendem a solidariedade incondicional e os que acham que, para evitar desgaste ainda maior, Genoino e João Paulo Cunha deveriam renunciar.

Raul Pont acha que o PT deve trocar de pauta, focando sua atuação nem 2013 na aprovação da reforma política, na dicussão de novos critérios de governabilidade e nas alianças para 2014.

Ele diz que Lula deveria se envolver, como prometera, numa mobilização pela reforma política, reeditando as caravanas de cidadania

Autor: Tags: , , ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.