Publicidade

sexta-feira, 12 de julho de 2013 Partidos | 18:00

José Serra flerta com o PSD de Gilberto Kassab

Compartilhe: Twitter

Na esteira das incertezas sobre a fusão entre PPS e PMN para criar o Mobilização Democrática, o ex-governador José Serra tem deixado correr solta no seu círculo mais próximo a informação de que não desistiu de manter uma porta aberta para um futuro político fora do PSDB. A bola da vez é o PSD do ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab.

Leia também: Serra está com um pé no barco de Aécio e outro fora

Gilberto Kassab e José Serra (Foto: Werther Santana/AE)

Gilberto Kassab e José Serra (Foto: Werther Santana/AE)

Na semana retrasada, Serra teve uma conversa com Kassab em que abordou suas opções para o futuro, alimentando assim as especulações de que teria no partido criado por seu ex-vice uma espécie de plano B para a eleição do ano que vem. O argumento colocado por aliados de Serra é o de que, se porventura ele conseguisse viabilizar uma candidatura presidencial pelo PSD,  teria um tempo de televisão semelhante ao de Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato tucano ao Palácio do Planalto.

Serra vinha se apoiando no MD do deputado Roberto Freire (PPS-SP), outro aliado tradicional, para difundir a tese de que possui outras opções políticas fora de seu partido. As especulações sobre a saída do ex-governador do PSDB jogaram a seu  favor, por exemplo, nas negociações para a composição da direção partidária.

A movimentação de Serra e Kassab já chegou aos ouvidos da direção petista e acendeu o sinal entre aliados da presidente Dilma Rousseff.  Os petistas avaliam que, diante da queda de popularidade do governo, Kassab pode balançar nas conversas para uma aliança em 2014. Embora não tenha aderido formalmente ao governo, Kassab indicou o correligionário Guilherme Afif Domingos para comandar a Secretaria da Micro e Pequena Empresas e tem dito, nas conversas sobre a eleição, que até segunda ordem caminhará com Dilma.

Serristas, por sua vez, investem no argumento de que qualquer acordo entre Kassab e o PT só será mantido se não envolver Serra na equação. Afinal, dizem, o ex-prefeito sempre se mostrou leal ao ex-governador.

Autor: Tags: ,