Publicidade

sexta-feira, 30 de agosto de 2013 Política | 13:05

‘Se não gosta de polícia, por que liga para polícia?’, diz tucano que tenta homenagem à Rota

Compartilhe: Twitter

Rumo à quarta tentativa de aprovar uma homenagem à ROTA na Câmara Municipal de São Paulo, na próxima terça (3), o vereador Coronel Telhada (PSDB) reclama da postura de alguns colegas de voto contrário. Entre as reclamações, o tucano, que é ex-comandante da ROTA, diz que “todos falam, mas na hora do aperto, ligam para a polícia”.

Leia também: Homenagem à Rota cai pela terceira vez enquanto vereador participava de programa na TV

Um dos 14 vereadores que se posicionam contra a Salva de Prata proposta pelo tucano, Gilberto Natalini (PV) admite ter ligado para Telhada quando foi assaltado há cerca de dois meses em frente à igreja de Cangaíba, na zona Leste da capital. “Telefonei para ele como amigo, não como político”, diz Natalini.

O vereador do PV afirmou que se a homenagem fosse para a Polícia Militar “no geral”, não iria se opor, mas que não é coerente para o presidente da Comissão da Verdade da Câmara se posicionar a favor da ROTA, que é “muito truculenta”. “O meu voto é político, de consciência. E sempre que ele precisar de mim, como profissional, como médico, estou à disposição.”

Telhada disse que assim que recebeu o telefonema acionou uma viatura para ajudar o vereador. “É a minha obrigação.” E dispara: “Mas se não gosta de polícia, por que liga para polícia?”

Leia também: Após polêmica, Telhada altera justificativa de homenagem à Rota

Com Natália Peixoto, do iG São Paulo

Autor: Tags: , , , , ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.