Publicidade

terça-feira, 3 de setembro de 2013 Governo | 19:52

Ministério do Trabalho exonera assessor preso pela PF com R$ 30 mil

Compartilhe: Twitter

Na nota que pretende divulgar ainda hoje sobre a Operação Pronto Emprego da Polícia Federal, o ministro do Trabalho, Manoel Dias, vai anunciar a decisão de exonerar o assessor preso nesta terça-feira pela Polícia Federal. Segundo informações obtidas pelo Poder Online, trata-se de Gleide Santos Costa, assessor da Secretaria de Trabalho e Emprego do ministério.

O assessor trabalhava na pasta havia 15 anos e foi preso com R$ 30 mil supostamente referentes ao pagamento de propina, num hotel em São Paulo.

Saiba mais: Assessor do Ministério do Trabalho é preso em operação da Polícia Federal

Na nota, Dias afirma que o ministério está cooperando integralmente com as investigações e já encaminhou ofício à Polícia Federal solicitando informações adicionais sobre o caso. A pasta também determinou a imediata suspensão dos repasses à ONG acusada de receber repasses irregulares. Todos os convênios em questão, segundo o ministério, também serão tema de auditoria.

Confira a nota que será divulgada pelo ministro:

Diante das informações relacionadas à Operação Pronto Emprego, da Polícia Federal, realizada  em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, o Ministério do Trabalho e Emprego esclarece:

1 – Está cooperando com todas as investigações da Polícia Federal que dizem respeito ao órgão; 

2 – Como o processo tramita em segredo de Justiça, o Ministério encaminhou ofício ao Diretor Geral da Polícia Federal solicitando informações acerca da investigação que culminou na operação;

3 – Tomou a decisão de exonerar o ocupante do cargo em comissão citado pela investigação e abertura de Procedimento Administrativo Disciplinar;

4- Determinou a suspensão de repasses de recursos financeiros  à entidade  investigada; e a abertura de auditoria nos convênios;

 

 

 

Autor: Tags: , , ,