Publicidade

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014 Eleições | 06:00

‘Esta decisão não pode ser baseada em exigências’, diz Freire, sobre aliança PSB-PSDB em SP

Compartilhe: Twitter

Sem disfarçar o incômodo com a notícia de que o PSB pode retirar o apoio à reeleição do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o presidente nacional do PPS, Roberto Freire (SP), queixa-se da forma como os socialistas abriram a discussão sobre a aliança regional.

O deputado Roberto Freire (PPS-SP)

O deputado Roberto Freire (PPS-SP)

Freire, que já declarou a intenção de apoiar a candidatura presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, disse que ainda é cedo para falar em recuo. Mas afirmou que não aceita discutir o tema apenas com base em “exigências” que teriam sido feitas pela ex-senadora Marina Silva.

A ex-verde defende a candidatura própria do PSB no estado e teria condicionado a essa premissa a disposição em se lançar como vice de Eduardo Campos na corrida presidencial.

“Isso é um processo. Não pode simplesmente ser antecipado desta forma, é uma decisão que não pode ocorrer com base em exigências”, reagiu Freire. “Eu me nego a tomar uma decisão como esta com base somente nisso”, emendou.

Freire, que planeja procurar Campos para discutir o assunto, disse considerar que ainda não há elementos suficientes para medir até que ponto a ruptura da aliança em São Paulo seria o melhor caminho para Eduardo Campos.

Embora evite seguir a mesma linha, ele disse compreender as declarações feitas pelo presidente do diretório estadual do PPS, Davi Zaia, que levantou a possibilidade de o PPS retirar o apoio ao socialista. ‘Se as condições mudam, a decisão pode mudar também”, disse Zaia, ao Poder Online.

Autor: Tags: , , , , , ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.