Publicidade

quarta-feira, 4 de junho de 2014 Governo | 18:00

Secretária nacional de Segurança Pública ataca de árbitra e critica lance em amistoso

Compartilhe: Twitter
A secretária de Segurança Pública, Regina Miki (Foto: Agência Brasil)

A secretária de Segurança Pública, Regina Miki (Foto: Agência Brasil)

Se dependesse da secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, o confuso lance de “mão na bola” aos 39 minutos do amistoso Brasil e Panamá, seria marcado como pênalti.

Única mulher no grupo de executivos de segurança do governo que acompanha cada chegada de seleção ao país, ela contou com a desconfiança dos colegas da Defesa e da Inteligência, que fazem parte do grupo, ao comentar a “bola na mão” do jogador Gómez, em meio ao ataque do Brasil. “Bola na mão, na área, é pênalti”, sentenciou a secretária. “A regra é clara”, enfatizou.

Para provar aos colegas do grupo que entende de futebol, a secretaria sacou seu tablet e exibiu aos incrédulos fotos de sua atuação como árbitra, apitando um jogo entre Santos e Diadema, em São Paulo.

De tão confuso, o lance gerou duas decisões contraditória do boliviano Raúl Orosco, que apitava o amistoso. Primeiro, ele marcou pênalti e expulsou o jogador panamenho. Orosco, no entanto, desistiu da marcação e definiu pelo impedimento do ataque brasileiro.

Autor: Tags: ,