Publicidade

segunda-feira, 14 de julho de 2014 Congresso | 07:30

Deputados propõem adiar recesso para concluir casos Vargas e Argôlo

Compartilhe: Twitter
Deputado federal Ricardo Izar (PSD-SP) - Foto: Divulgação

Deputado federal Ricardo Izar (PSD-SP) – Foto: Divulgação

O presidente do Conselho de Ética da Câmara, Ricardo Izar (PSD-SP), e os relatores Júlio Delgado (PSB-MG) e Marcos Rogério (PDT-RO) sugeriram adiar a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias demorar mais algumas semanas. Desta forma, o recesso parlamentar também seria adiado, aumentando o prazo antes das eleições para se concluir os processos contra André Vargas, recentemente desfiliado do PT, e Luiz Argôlo (SDD-BA).

A estratégia faz parte de uma tentativa de driblar os advogados dos dois investigados pelo Conselho de Ética, que têm repetidamente adiado os depoimentos das testemunhas sobre o envolvimento dos parlamentares com o doleiro Alberto Yousseff.

Os deputados já conversaram com os líderes de seus partidos para adiar a votação da LDO. Ainda assim, é baixa a expectativa de se conseguir votar até outubro os dois relatórios – que poderão determinar a cassação dos mandatos de Vargas e Argôlo -, no Conselho de Ética e no Plenário da Casa.

Autor: Tags: , , , , , ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.