Publicidade

terça-feira, 5 de agosto de 2014 Congresso | 19:24

Presidente do Conselho de Ética reage e diz que advogado de André Vargas age de ‘má-fé’

Compartilhe: Twitter

O presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados, Ricardo Izar (PSD-SP), divulgou nota em que critica as acusações do advogado do deputado André Vargas (sem partido-PR), Michel Saliba, de que ele o relator do caso, deputado Júlio Delgado (PSB-MG), estariam agindo de má-fé na condução do processo.

O deputado federal Ricardo Izar (PSD-SP). Foto: Agência Câmara

O deputado federal Ricardo Izar (PSD-SP). Foto: Agência Câmara

Vargas é alvo de representação para apurar suposta quebra de decoro parlamentar por causa de suas relações com o doleiro Alberto Youssef, preso pela PF no âmbito da Operação Lava Jato.

“Estamos trabalhando com toda a transparência  possível para que o processo transcorra de acordo com as normas estabelecidas pelo Código de Ética e pelo Regimento Interno desta Casa. Além disso, sempre estivemos, juntamente com a Secretaria do Conselho, à disposição dos advogados do deputado André Vargas para contribuir com o perfeito andamento do processo”, diz a nota.

Izar devolve ao defensor de Vargas a acusação de má-fé por causa de mandado de segurança impetrado no STF. “Má-fé é afirmar no STF que não recebeu cópia integral do Inquérito 3596, sendo que temos o recibo da entrega do documento ao nobre advogado. Posso enumerar outras inverdades contidas no mandado de segurança, mas prefiro elencá-las diretamente na resposta que enviaremos ao STF”, afirma o documento.

Autor: Tags: , , , ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.