Publicidade

terça-feira, 4 de novembro de 2014 Partidos | 09:00

Freire: ‘Reclamam que tem muito partido, mas criam empecilhos aos que querem se aglutinar’

Compartilhe: Twitter
Presidente nacional do PPS, Roberto Freire. Foto: Divulgação

Presidente nacional do PPS, Roberto Freire. Foto: Divulgação

Em busca de um partido que se interesse numa fusão com o PPS, o deputado Roberto Freire (PPS-SP) joga nas regras mais rígidas para a criação de novas legendas a culpa por custar para tirar um acordo do papel.

Ele, que já tentou sem sucesso se unir ao PMN e agora namora o PSB, reclama da norma que impede que os deputados que migrarem para novas siglas levem consigo o tempo de televisão e os repasses do fundo partidário.

“Reclamam tanto que tem muito partido no Brasil, mas criam empecilhos quando duas legendas querem se aglutinar. Vai contra o sentimento que existe na sociedade em favor dessa aglutinação”, diz Freire. “Esse TSE, viu? Vou te contar.”

O PPS deve se reunir hoje, em Brasília, e deve tratar desse assunto. A expectativa de Freire é que a executiva da legenda tire uma posição favorável à união com outro partido. As conversas chegaram a ser abertas com o PSB, mas esfriaram nos últimos meses. Segundo o deputado, o plano é retomar as negociações.

Freire, que não conseguiu renovar seu mandato de deputado, pretende ficar em Brasília mesmo, onde seguirá presidindo o PPS.

Autor: Tags: , , , , ,