Publicidade

sexta-feira, 21 de novembro de 2014 Economia | 12:23

Escolha de Dilma para Fazenda indicará se mudança será maior ou menor

Compartilhe: Twitter

A avaliação feita neste momento pelo governo é de que a escolha da presidente Dilma Rousseff sobre quem será o novo ministro da Fazenda deixará claro se ela pretende ou não atender de maneira mais efetiva ao desejo de mudança do mercado em relação à política econômica. Diante da recusa do presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, os principais nomes colocados neste momento são o do ex-secretário-executivo da pasta Nelson Barbosa e do ex-secretário do Tesouro Joaquim Levy.

A presidente Dilma Rousseff. (Foto: Alan Sampaio / iG Brasília)

A presidente Dilma Rousseff. (Foto: Alan Sampaio / iG Brasília)

Barbosa, avaliam interlocutores de Dilma, seria a alternativa mais “conhecida” pela presidente. Ele figura entre os grandes favoritos da petista para a vaga desde o começo. Participou ativamente das decisões da pasta no passado, mas saiu justamente por discordar da linha adotada pelo atual ministro Guido Mantega. Na avaliação de líderes petistas, seria a escolha de Dilma para uma mudança mais “controlada”, na qual a presidente possa manter mais influência sobre os rumos da política econômica.

Levy, por sua vez, surgiria como uma opção mais “autônoma”. Por isso mesmo, entendem interlocutores do governo, poderia agradar mais ao mercado. Mas há no governo quem avalie que ele não é exatamente a menina dos olhos de Dilma.

Fontes palacianas ainda deixam em aberto a possibilidade de a presidente surpreender e indicar outro nome. O anúncio deve ocorrer ainda nesta sexta-feira, provavelmente no fim do dia.

Leia também: Vai-vém na definição da equipe econômica recoloca atenções em Nelson Barbosa

Autor: Tags: , ,