Publicidade

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015 Partidos | 10:30

‘PSD não deixará de existir’, diz vice-presidente da sigla

Compartilhe: Twitter
Deputado Guilherme Campos (Foto: Agência Câmara)

O presidente nacional do PSD, Guilherme Campos (SP).(Foto: Agência Câmara)

De acordo com o vice-presidente nacional do PSD, Guilherme Campos (SP), embora boa parte da sigla esteja contribuindo para a recriação do Partido Liberal ao lado do ministro Gilberto Kassab (PSD-SP), ainda não existe acordo para uma fusão automática de todo o PSD à futura sigla.

“O PSD não deixará de existir”, diz o ex-líder do PSD na Câmara, que ocupa interinamente a presidência do partido desde que Kassab assumiu o Ministério das Cidades. “Não há nenhuma decisão no sentido de nos fundirmos automaticamente ao Partido Liberal. Nós estamos ajudando na coleta de assinaturas por uma questão de reciprocidade, para retribuir a ajuda que tivemos na criação do PSD”, completa Campos ao citar especificamente o nome de Cleovan Siqueira (PSD-GO), um dos idealizadores do novo PL.

A postura tem o respaldo do novo líder da bancada na Câmara, Rogério Rosso (PSD-DF). “Não podemos esquecer que o PSD é um partido histórico, de relevância nacional. Quando Juscelino Kubitschek inaugurou Brasília, a que partido ele pertencia? Ao PSD! Este é o nosso partido”, relembra o ex-governador do DF, em referência à sigla que existiu de 1945 a 1965, quando foi dissolvida pela ditadura militar. O partido só voltaria a existir em 1987, até ser incorporado ao PTB em 2003. Já em 2011, por iniciativa de Kassab, foi refundado mais uma vez.

Leia também: Kassab ganha fama de ministro badalado graças ao novo PL

Autor: Tags: , , , , , ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.