Publicidade

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 Congresso | 16:00

PMDB aceita adiar votação da PEC da Bengala

Compartilhe: Twitter
O deputado federal Leonardo Picciani (PMDB-RJ). Foto: Agência Câmara

O deputado federal Leonardo Picciani (PMDB-RJ). Foto: Agência Câmara

Em reunião com os líderes da base aliada, o governo federal conseguiu mais alguns dias para costurar melhor a votação da chamada PEC da Bengala. A proposta aumenta de 70 para 75 anos a aposentadoria compulsória de magistrados de tribunais superiores e tiraria da presidente Dilma Rousseff a prerrogativa de indicar cinco novos ministros para o STF, até 2018.

Costurado com o apoio do líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (RJ), o acordo dá ao Planalto um prazo de duas semanas para que a PEC entre na pauta da Casa. O tema, entretanto, ainda será discutido em jantar realizado na noite de hoje com os líderes das demais siglas, a convite do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Saiba mais: Governo dá início a ofensiva para vencer resistência no Congresso

Autor: Tags: , , , , ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.