Publicidade

terça-feira, 14 de abril de 2015 Partidos | 11:41

Petistas já falam em ‘sacrifício’ para salvar projeto Lula em 2018

Compartilhe: Twitter

Com um discurso cada vez mais pessimista em relação ao governo Dilma, alguns líderes petistas já falam internamente em “sacrificar” onde for necessário, para tentar salvar o projeto de trazer Lula de volta como candidato à Presidência em 2018. Diante do desgaste de imagem que atinge o governo, o partido admite que Lula já não tem mais o mesmo potencial para “salvar a pátria” que teve no passado. E, se a situação se agravar ainda mais, vai preferir ficar fora da disputa a se lançar numa corrida com pouca chance de vitória.

Saiba mais: PT se prepara para abrir mão de doações privadas e fala em estender cobrança do dízimo

A presidente Dilma Rousseff, ao lado do ex-presidente Lula

A presidente Dilma Rousseff, ao lado do ex-presidente Lula

Dados divulgados nesta terça-feira pelo Datafolha reforçam o sentimento que já roda a algum tempo dentro do partido. Em novembro de 2010, o instituto apontava que 71% dos entrevistados consideravam Lula o melhor presidente que o Brasil já teve. Agora, são 50%, segundo noticiou o jornal Folha de S. Paulo.

Segundo um petista, a avaliação que se faz internamente é que a situação ainda é “reversível”, mas a janela fica menor mês a mês. Fala-se no partido em pelo menos dois anos de ajustes duros. E, em geral, as declarações são acompanhadas de frases como “temos que dar o braço agora, para salvar o que ainda pode ser salvo lá na frente” ou ainda “se não sacrificarmos Dilma agora, não tem Lula em 2018”.

O PT entende que precisa, antes de tudo, amenizar seu próprio desgaste. Por isso, o partido tem se concentrado principalmente em fazer a defesa de seu “projeto para o país”, mais do que do governo Dilma especificamente.  Parte das apostas nesse sentido estão apoiadas na realização do Congresso do PT, marcado para junho, em Salvador. A esperança é de que um “evento histórico” ajude a reconectar o partido com sua base e criar as condições para que seja de fato competitivo numa corrida presidencial.

Leia também: Dilma põe Michel Temer na dianteira da resposta às manifestações

Autor: Tags: , , , ,