Publicidade

Arquivo da Categoria Brasil

quinta-feira, 20 de agosto de 2015 Brasil, Congresso, Estados, Política | 14:51

Deputados querem acompanhar investigações sobre chacina de Osasco

Compartilhe: Twitter
Deputados querem acompanhar investigações sobre chacina em Osasco (Reprodução)

Deputados querem acompanhar investigações sobre chacina em Osasco (Reprodução)

Os deputados Valmir Prascidelli (PT-SP) e Reginaldo Lopes (PT- MG) querem que a criação de uma Comissão Externa para acompanhar as investigações sobre as mortes ocorridas em Osasco, no último dia 13 de agosto. Os dois parlamentares apresentaram o pedido à Mesa Diretora da Câmara.

Também devem integrar o grupo os parlamentares Erika Kokay (PT-DF), Orlando Silva (PCdoB-SP) e Rosângela Gomes (PRB-RJ), que foi relatora da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o extermínio de Jovens Negros, que funcionou na Câmara durante o primeiro semestre.

“A segurança pública é responsabilidade do Governo Estadual, mas nós não podemos deixar que as investigações não cheguem aos responsáveis. Vamos acompanhar tudo de perto”, disse Prascidelli.

A suspeita é de que as mortes teriam ocorrido por ação de agentes do próprio Estado, daí a preocupação com a isenção das investigações. A justificativa para a criação da comissão indica que as execuções seguiram um padrão e que uma das linhas de apuração aponta para crime de vingança por parte de policiais, devido a morte de um colega.

“A gravidade dos fatos e a necessidade de apurar as reais motivações e descobrir os autores trazem a necessidade do acompanhamento de parlamentares federais para que as investigações e suas conclusões tenham um desfecho isento e transparente”, justificou Reginaldo Lopes.

 

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 19 de agosto de 2015 Brasil, Congresso, Justiça, Política | 22:02

Janot deve oferecer denúncia nesta quinta contra Cunha e Collor

Compartilhe: Twitter

Os parlamentares indiciados na investigação sobre o esquema de propina na Petrobras, entre eles o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e os senadores Ciro Nogueira (PP-PI) e Fernando Color de Melo (PTB-AL) vão precisar ficar mais uma noite na expectativa já que a previsão de apresentação de denúncia por parte do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, passou para quinta-feira.

E expectativa permeou as conversas e determinou o clima de tensão durante toda quarta-feira. De um lado, deputados se reuniram para pedir o afastamento de Cunha. Do outo, o presidente da Câmara passou toda tarde trancado em seu gabinete com seus principais interlocutores habituais, deputados já conhecidos como a “tropa de choque” de Cunha.

Passaram pelo gabinete da Presidência da Câmara os deputados Paulo pereira da Silva, o Paulinho da Força (SD-SP), o líder do PSC na Câmara, André Moura (SE) e o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Pìcciani (RJ).

Autor: Tags: , , ,

Brasil, Congresso, Política | 20:47

Cunha ignora possibilidade de denúncia e leva mulher para evento na Câmara

Compartilhe: Twitter
Cláudia Cruz

Mulher de Cunha, Cláudia Cruz participa de coquetel do Parlatino, na Câmara dos Deputados (Foto; Luciana Lima)

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decidiu ignorar a expectativa de ser denunciado nas próximas horas e levou sua mulher, a jornalista Cláudia Cruz, para um coquetel de encerramento da reunião do Parlamento Latino-americano (Parlatino), nesta quarta-feira (19), no Salão Nobre da Câmara dos Deputados.

Em clima de tensão, a primeira dama da Câmara nada falou. Ela apenas se posicionou ao lado do marido durante o breve discurso de boas vindas aos convidados.

Autor: Tags: , ,

Brasil, Congresso, Justiça, Partidos, Política | 20:12

Deputados esperam informações sobre contas de Cunha no exterior

Compartilhe: Twitter

A expectativa do grupo de deputados críticos ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é de que a denúncia que deverá ser apresentada nas próximas horas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, traga mais elementos, além das acusações de recebimento de propina no esquema investigado pela Operação Lava Jato.

A aposta dos deputados é de que Janot detalhe a acusação de lavagem de dinheiro relatando as supostas operações de Cunha em contas no exterior usando nomes de pessoas próximas.

A reunião desta quarta-feira, chamada pelo PSOL da Câmara, contou com a presença de cerca de 15 deputados de vários partidos, como PPS, PT, PSDB, PSB e do PSC.

A ideia é esperar a acusação formal e oferecer imediatamente um pedido de afastamento de Cunha da presidência da Casa.

O deputado Júlio Delgado (PSB-MG), que disputou a presidência da Casa com Cunha participou da reunião e conversou com a coluna. Acompanhe:

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 13 de agosto de 2015 Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 20:07

Senadores sugerem que Dilma não fique a reboque de Renan na relação com Congresso

Compartilhe: Twitter
Randolfe Rodrigues (Foto: Divulgação)

Randolfe Rodrigues (Foto: Divulgação)

Ao se reunir com um grupo de senadores na noite desta quinta-feira (13), a presidente Dilma Rousseff aceitou a sugestão dada pelo grupo de ir ao Congresso falar sobre a situação de crise pela qual passa o país e o seu governo. Dilma se referiu ao Senado como um “poder moderador” nestes tempos de crise e se mostrou aberta ao diálogo.

“Encontramos uma presidente que não esperávamos encontrar. Primeiro, ela não transparecia preocupação ou tensão com o momento político pelo qual estamos passando. Além disso, ao contrário de falar, ela mais ouviu”, relatou o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), que integra o grupo autodenominado “independente”.

Como forma de reverter a crise política, os senadores sugeriram que Dilma não fique a reboque do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e que apresente uma nova agenda de propostas que seja complementar à Agenda Brasil, apresentada por Renan. “Algo que tenha sido pensado pelo governo”, sugeriu Randolfe.

“Ela chegou a questionar se a agenda do PMDB não contemplava. Respondemos: Não contempla. A senhora precisa construir outra, ouvindo os movimentos sociais, a oposição e outras forças políticas”, disse o senador.

Autor: Tags: , , , , ,

Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 19:27

Senadores “independentes” se apresentam a Dilma como alternativa no Senado

Compartilhe: Twitter
Senador Cristovam Buarque (PDT-DF), vai ao Planalto com grupo de senadores "independentes"

Senador Cristovam Buarque (PDT-DF), vai ao Planalto com grupo de senadores “independentes”

O grupo de senadores que se autodenomina “independente” está reunido neste momento com a presidente Dilma Rousseff para se apresentar como “alternativa” de diálogo diante das dificuldades que o governo vem enfrentando no Congresso.

Fazem parte do encontro os senadores Acir Gurgaz, líder do PDT no Senado, Cristóvam Buarque (PDT-DF), Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), João Cabiberibe (PSB-AP), Lasier Martins (PDT-RS), Lídice da Mata (PSB-BA) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

O encontro havia sido pedido ao vice-presidente Michel Temer, responsável pela articulação política, em carta enviada no início da semana.

Temer não respondeu e na quarta-feira (12) a assessoria da presidente retornou marcando o encontro que é considerado estratégico para reforçar o contraponto que o governo vem construindo no Senado, à oposição declarada pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Ao Planalto, o diálogo ainda servirá para minimizar os efeitos das dissidências da base anunciadas pelo PDT e pelo PTB da Câmara, sob a influência de Cunha.

Tal como fez o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que sugeriu a chamada “Agenda Brasil”, os independentes chegaram ao Planalto com outra agenda que deverá servir de ponto de partida para a aproximação.

Entre as propostas estão as que tratam da reforma política e ainda as que envolvem o compromisso de que o ajuste fiscal não atingirá conquistas sociais e investimentos em infraestrutura.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 12 de agosto de 2015 Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 16:59

Almoço de Temer é visto como aval para nomeção de Filippelli na SRI

Compartilhe: Twitter
Foto: Brizza Cavalcante - Agência Câmara

Tadeu Filippelli (foto: Brizza Cavalcante – Ag.Câmara)

Integrantes da bancada do PMDB da Câmara saíram do almoço, chamado pelo vice-presidente Michel Temer, nesta quarta-feira (12), com a impressão de que o encontro serviu muito  mais para cacifar o anfitrião, deputado Tadeu Filippelli (PMDB-DF), como um possível futuro ministro das Relações Institucionais do governo, do que para apaziguar a bancada da Câmara, seguidora do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), opositor declarado do governo.

Peemedebistas, que há duas semanas cobravam de Temer que ele entregasse a função de articulador do Planalto, durante o almoço disseram ao vice que, caso ele queira se livrar da função, terá o apoio da bancada.

Temer tem como auxiliar na articulação com o Congresso, o atual ministro da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha (PMDB-RS), que também teria confidenciado a intenção de sair da função.

No almoço, Temer lembrou a frase polêmica dita há uma semana e se disse mal interpretado ao defender a  necessidade de “alguém” para unir o país. O vice chegou a se auto elogiou diante da bancada, dizendo que foi o primeiro do governo ao reconhecer e a falar abertamente sobre a existência de uma crise. O vice chegou a ler sua frase completa para tentar convencer os presentes que não foi infeliz na declaração que suscitou desconfiança entre petistas.

 

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 11 de agosto de 2015 Brasil, Congresso, Economia, Partidos, Política | 20:03

Renan bota para votar proposta sobre repatriação de recursos

Compartilhe: Twitter

Com a adoção da chamada “Agenda Brasil”, por parte do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a proposta que permite a repatriação de recursos ou patrimônio mantidos por brasileiros no exterior e não declarados à Receita Federal, ganhou prioridade na pauta do Senado e deverá ser votada nesta quarta-feira (12) no plenário.

A decisão de pautar o assunto foi tomada na reunião de líderes desta terça-feira.

O projeto é de autoria do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e conta com apoio do governo, que estima arrecadar cerca de 150 bilhões em impostos ao ano, considerando que os brasileiros tenham hoje cerca de 500 bilhões no exterior.

O projeto indica uma base de tributação de 35% sobre os recursos depositados fora do país. Caso seja aprovada, a proposta seguirá para sanção da presidente Dilma Rousseff.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 6 de agosto de 2015 Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 18:35

Em crise com a Câmara, Dilma chama presidente do Senado ao Palácio

Compartilhe: Twitter
Renan Calheiros (foto: Clarissa Oliveira)

Renan Calheiros (foto: Clarissa Oliveira)

 

Em meio a crise política que ronda o governo, a presidente Dilma Rousseff chamou o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para uma conversa no início da noite desta quinta-feira (6), no Palácio do Planalto.

A reunião não está prevista na agenda oficial da presidente.

O apoio do senador é considerado um contraponto importante às movimentações do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que durante o recesso parlamentar, se declarou oposição ao governo.

Autor: Tags: , ,

Brasil, Congresso, Política | 15:59

“Eu não acho nada”, diz Cunha sobre eleição de Janot

Compartilhe: Twitter
O presidente de Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Foto: Alan Sampaio / iG Brasília

O presidente de Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Foto: Alan Sampaio / iG Brasília

O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se esquivou de comentar a vitória do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na eleição da lista tríplice do Ministério Público Federal (MPF).

Internamente, a vitória, com 81% dos votos, foi considerada uma aprovação em relação a forma que o procurador tem conduzido as investigações da Operação Lava Jato.

Janot ficou em primeiro lugar, com 799 votos, e deverá ser indicado pela presidente Dilma Rousseff para permanecer no cargo. A recondução, no entanto, terá também que passar pelo aval do Senado.

“Eu não acho nada”, respondeu Cunha, irritado diante do questionamento.

Cunha é um dos políticos investigados pela Lava Jato e acusa o procurador de ter com ele uma “querela”.

O presidente da Câmara ainda insinuou que Janot teria obrigado o delator Júlio Camargo a mentir em seu depoimento com o objetivo de constranger o Legislativo.

Na lava Jato, Cunha é investigado devido a suspeita de ter achacado empresas em contratos com a Petrobras. De acordo com o depoimento de Júlio Camargo, prestado dentro do acordo de delação premiada, o presidente da Câmara teria levado US 5 milhões em propina.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 3
  3. 4
  4. 5
  5. 6
  6. 7
  7. 10
  8. 20
  9. 30
  10. Última