Publicidade

Arquivo da Categoria Congresso

terça-feira, 22 de setembro de 2015 Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 15:11

Picciani tem dificuldades em entregar a Dilma PMDB apaziguado

Compartilhe: Twitter
Leonardo Picciani (foto: divulgação)

Leonardo Picciani (foto: divulgação)

Integrantes da bancada do PMDB na Câmara, rebeldes ao governo, tem reclamado que, no último mês, desde que o líder, deputado Leonardo Picciani (RJ), deu início a um diálogo mais próximo com a presidente, ele não tem realizado a tradicional reunião semanal da bancada das terças-feiras.

Na semana passada, Picciani chegou a chamar os deputados para o costumeiro encontro, mas, diante do atraso de uma hora e meia, muitos parlamentares decidiram não esperar, irritados.

Picciani marcou reunião para esta terça-feira, quando terá que apaziguar os ânimos da bancada, enfurecida com o veto da presidente Dilma Rousseff ao nome do deputado e ex-ministro Saraiva Felipe, para comandar o Ministério da Saúde.

Felipe esteve a frente da pasta no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no entanto, gestão marcada por seu envolvimento com a chamada Máfia das Sanguessugas. Ele teria nomeado como sua assessora uma ex-funcionária da empresa Planam, Maria da Penha Lino. A Planam era o centro da investigação do esquema que envolvia emendas parlamentares e fraudes em licitações.

A sugestão foi levada a Dilma pelo líder como sugestão para a reforma ministerial que deverá ser anunciada nesta quarta-feira.

Perante a bancada, o líder tem passado a ideia de fragilidade ao não conseguir emplacar o indicado. Já o governo teme que a articulação com Picciani acabe azedando ainda mais a relação com a Câmara e, principalmente com o PMDB. Isso porque, integrante do Planalto já enxergam que a Picciani exerce uma liderança “outorgada” pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (RJ).

Agora, como interlocutor privilegiado do Planalto, teme que ele não tenha a ascendência necessária para entregar o que Dilma espera: uma bancada menos rebelde.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 18 de setembro de 2015 Congresso, Governo, Partidos, Política | 15:02

Governo conta com Cunha para barrar impeachment, mas teme articulação da oposição

Compartilhe: Twitter
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff. (Foto: Divulgação)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff. (Foto: Divulgação)

As devoluções, arquivamentos e postergações de decisão sobre os pedidos de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, por parte do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), são visto pelos auxiliares mais próximos da presidente como sinais de que ele não dará prosseguimento ao processo de impeachment, de forma monocrática, competência garantida ao presidente da Câmara, pela Constituição Federal.

No entanto, o governo teme que, diante de uma provável negação de Cunha, deputados de oposição, e até mesmo de partidos da base rebeldes ao governo, consigam aprovar recurso, dando início, em Plenário, à tramitação.

O assunto foi objeto de conversa da presidente Dilma com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na quinta-feira, no Palácio da Alvorada. Os dois se encontraram com o objetivo de traçar estratégia para enfrentar a deterioração do cenário político das últimas semanas, inclusive a eminência de um processo de impeachment a ser deflagrado na Câmara.

Na semana passada, a oposição levantou uma questão de ordem tratando deste assunto, que deve ser respondida por Cunha na próxima segunda-feira (21). Ao receber o principal pedido até agora, assinado pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior, Cunha disse que primeiro responderia a questão de ordem, depois decidiria sobre ele sem, no entanto, falar de prazos. Enquanto isso, a ordem no governo é negociação intensa no Congresso, principalmente na Câmara.

Dilma escalou seus ministros mais habilidosos para a função, entre eles o de Comunicação, Ricardo Berzoine, que também finaliza o novo desenho da Esplanada a ser anunciado na próxima quarta-feira (23); da Defesa, Jaques Wagner; além do chefe do Gabinete Pessoal da presidente, Giles Azevedo, que tem conseguido resultados importantes na negociação com a ala do PMDB mais rebelde da Câmara.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 17 de setembro de 2015 Congresso, Justiça | 19:42

Para defazer suspeitas de censura, Cleber Verde garante espaço ao PSOL na TV Câmara

Compartilhe: Twitter

Net_Deputado_Cleber_VerdeO secretário de comunicação da Câmara, deputado Cleber Verde (PRB-MA), tratou de desfazer o desconforto gerado pelas suspeitas de “veto” nos veículos da Câmara, a deputados do PSOL e outros parlamentares críticos à atuação do presidente da Câmara Eduardo Cunha.

Para compensar a não transmissão pela TV Câmara, da sessão solene, que comemorou os 10 anos do PSOL, na última terça-feira, Verde garantiu aos deputados do PSOL que a sessão será exibida no sábado, na programação da TV.

Além disso, a produção também tratou de gravar com o líder do PSOL, Chico Alencar (RJ), o programa Palavra Aberta. A gravação ocorreu nesta quinta-feira (17) e o programa, que falará da história do partido, será exibido na próxima segunda-feira (21).

O líder não perdeu tempo durante a gravação de 11 minutos e acabou fazendo um trocadilho. Avisou que a sessão solene seria “prisada”, em vez de reprisada, já que não foi exibida ao vivo, como é de costume nas atividades do Plenário.

 

 

Autor: Tags: , , , ,

Congresso | 17:57

Molon chama Cunha de “majestade” que quer “calar” divergências na Câmara

Compartilhe: Twitter

Um dos “vetados” na programação da TV Câmara, o deputado Alessandro Molon (PT-RJ) criticou a condução das votações por parte do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Cunha havia colocado em votação um requerimento de urgência para a proposta que confere ao presidente da sessão, o poder de dar, ou não, a palavra aos vice-líderes. Ao perceber que o requerimento não seria aprovado, pediu ao líder dos Democratas, Mendonça Filho, que retirasse a proposta, manobra não prevista no regimento interno.

Molon, que é vice-líder do PT, reclamou. “Vossa excelência quer calar este plenário, tirar a palavra dos vice-líderes, para que, só possa falar os vice-líderes que vossa excelência, ou talvez, vossa majestade, desejar permitir que use a palavra”.

Além de Molon, mais dois “vetados” nas programações dos veículos de comunicação da Câmara são vice-líderes, entre eles o deputado Silvio Costa (PTB-PE), que é vice-líder do governo, e Glauber Braga (PSB-RJ) que é vice líder de seu partido. Além deles, os deputados do PSOL também reclamam de censura por parte do presidente da Câmara

Com dedo em riste, Molon criticou a postura de Cunha que, segundo ele, “retira de pauta” quando sente que vai perder, ou “refaz a votação”, quando perde. “Isto é impor a vontade de vossa excelência. Respeite este Parlamento. Respeite a Democracia. Abaixo a sua ditadura deputado Eduardo Cunha”, disse o deputado.

Leia também: Deputados críticos a Eduardo Cunha são vetados na TV Câmara

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 16 de setembro de 2015 Congresso | 16:42

Deputados do PSOL cobram explicação de Cleber Verde sobre veto na TV Câmara

Compartilhe: Twitter
O líder do PSOL na Câmara, Ivan Valente. (Foto: Divulgação)

O líder do PSOL na Câmara, Ivan Valente. (Foto: Divulgação)

Os deputados do PSOL marcaram uma reunião na tarde desta quarta-feira (16) para cobrar explicações do secretário de Comunicação da Câmara, deputado Cleber Verde (PRB-MA), sobre as suspeitas de veto a parlamentares do partido e outros deputados críticos ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), nos veículos de comunicação da Câmara.

Os parlamentares pretendem, no encontro, entregar um documento formal de repúdio à censura que teria sido praticada durante a sessão solene de comemoração dos 10 anos do partido, na última terça-feira.

Contrariando a regra até então adotada pela TV Câmara, a sessão não foi transmitida, dando lugar a uma programação gravada de uma das comissões da Casa.

O encontro está marcado para as 17h30.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 15 de setembro de 2015 Congresso, Justiça | 19:40

Funcionários da TV Câmara aplaudem discurso de Chico Alencar contra censura

Compartilhe: Twitter
Deputado Federal Chico Alencar (PSOL-RJ)

Deputado Federal Chico Alencar (PSOL-RJ)

O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), que seria um dos “vetados” pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ,) nos veículos de comunicação da Câmara, subiu a tribuna, às 18h25 de terça-feira (14), para repudiar a decisão de não transmissão da sessão solene de comemoração dos 10 anos do partido.

Na redação, servidores da TV Câmara aplaudiram o discurso no momento em que o parlamentar disse que os funcionários da TV Câmara estão se sentindo “obrigados a praticar censura com a qual não concordam” e que o veículo deveria ser, acima de tudo, “suprapartidário”.

O PSOL acusa Cunha de ter censurado a exibição da sessão, ocorrida pela manhã. A sessão seria transmitida pela TV Câmara e acabou  substituída por uma reprise de uma das reuniões de comissões da Casa.
Autor: Tags: , , ,

Congresso, Governo, Partidos, Política | 12:28

Defesa de Dilma por líder do PMDB é fruto de articulação de Giles

Compartilhe: Twitter
Assessor pessoal da presidente Dilma Rousseff, Giles Azevedo costurou apoio de peemedebistas rebeldes

Assessor pessoal da presidente Dilma Rousseff, Giles Azevedo costurou apoio de peemedebistas rebeldes (foto: PR)

Apesar de ter sido um dos motivos do desconforto do vice-presidente Michel Temer com a presidente Dilma Rousseff, há cerca de um mês, as articulações do assessor especial da presidente, Giles Azevedo, tem começado a dar resultados, de acordo com interlocutores do governo.

Se há sinceridade na postura recente de Picciani, o governo terá que esperar para conferir. Um sinal observado por auxiliares de Dilma foi a fala do líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani, em apoio à permanência de Dilma no cargo em ato de apoio a Dilma nesta terça-feira.

“Eu tenho a percepção, que é a percepção corrente no PMDB, que a eleição se disputa até o fim do dia do pleito. Depois disso, tem que respeitar o resultado das urnas”, disse o peemedebista, que lidera a bancada da Câmara, rebelde à aliança com o Planalto.

O deputado é aliado de primeira hora do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que anunciou rompimento com Dilma em julho, durante o recesso.

O pai do deputado, Jorge Picciani, que preside o PMDB do Rio de Janeiro, foram recebidos no Planalto em uma articulação que contou, além de Giles, com a contribuição do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, movimentação que teria deixado Temer enciumado.

Pai e filho tinham sido responsáveis, na eleição, pela montagem do palanque do senador Aécio Neves (PSDB-MG), no Rio.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 9 de setembro de 2015 Brasil, Congresso, Justiça | 17:52

Cristovam Buarque pede a Renan prioridade para propostas sugeridas pela Lava Jato

Compartilhe: Twitter
Senador Cristovam Buarque (PDT-DF) adotou duas propostas de combate a corrupção sugeridas pelos procuradores da Operação Lava Jato

Senador Cristovam Buarque (PDT-DF) adotou duas propostas de combate a corrupção sugeridas pelos procuradores da Operação Lava Jato

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) apresentou nesta quarta-feira (9) dois projetos de lei sugeridos pelos procuradores da Operação Lava Jato, com o objetivo de combater a corrupção.

Buarque quer que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), inclua as propostas na chamada Agenda Brasil, conjunto de prioridades elencadas pelo peemedebista para as votações do senado até o final deste ano.

Uma das propostas apresentadas estabelece multa para instituições financeiras que dificultarem o acesso a dados de clientes investigados e que tiveram seus sigilos constitucionais quebrados pela Justiça.

Outra modifica o Código de Processo Penal, para que se possa utilizar o instrumento da prisão preventiva com o objetivo de evitar a dissipação de dinheiro desviado enquanto a investigação acontece.

“São medidas indispensáveis para blindar o desenvolvimento econômico e social que o Brasil busca e merece. O objetivo é integrar esses projetos à Agenda Brasil”, sugeriu o senador, ao justificar a proposta.

Renan é um dos investigados pela operação.

As duas propostas fazem parte do pacote de 19 anteprojetos de Lei apresentados aos senadores pelo grupo do Ministério Público Federal liderado pelo procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato.

Autor: Tags: , , , ,

Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política, Sem categoria | 16:45

Oposição lança movimento pelo impeachment de Dilma

Compartilhe: Twitter

A oposição na Câmara prepara para esta quinta-feira (10) um ato para lançar um movimento suprapartidário pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff. O grupo de deputados pretende basear seus argumentos no pedido de impeachment apresentado, na semana passada, pelo jurista Hélio Bicudo, um dos fundadores do PT.

O ato está marcado para 11 horas, na Câmara e reúne deputados do PSDB, DEM, PPS e SD, entre outros partidos. Os tucanos enfatizam que não lideram o movimento.

Além do ato, o grupo de deputados dará início à coleta de assinaturas pela internet pedindo a saída da presidente.

A ideia inicial era de formar uma frente parlamentar, no entanto, o grupo decidiu por uma ação menos formal, ou seja, um movimento, capaz de abarcar outras formas de apoio além da política.

Inicialmente, surgiu a ideia de também assinarem o pedido apresentado por Bicudo, no entanto prevaleceu a tese, defendida pelos tucanos, de que o pedido deveria seguir puro, sem assinaturas da oposição, e com a carga simbólica de ter sido apresentado por um fundador do partido da presidente.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 26 de agosto de 2015 Congresso | 14:07

Confusão de vozes arranca gargalhadas em sabatina de Janot

Compartilhe: Twitter
Randolfe Rodrigues (Foto: Divulgação)

Randolfe Rodrigues (Foto: Divulgação)

Ao confundir a voz aguda do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) com a da senadora Vanessa Grazziotin, (PCdoB-PA), o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, José Maranhão (PMDB-PB), foi responsável por um raro momento de descontração na sabatina do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, nesta quarta-feira (26).

Randolfe pediu para falar logo após a longa fala do senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL). Prontamente, Maranhão concendeu a palavra: “Com a palavra a senadora Vanessa Grazziontin”.

“Não, presidente, sou eu”, corrigiu Randolfe, arrancando gargalhadas entre os presentes.

 

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). Foto: Agência Senado

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). Foto: Agência Senado

O amapaense teve jogo de cintura e esbanjou gentileza, ao receber o pedido de desculpas do presidente da comissão.

“Presidente, não me insulta a confusão com a senadora Vanessa até porque, meu timbre de voz é muito parecido com o da senadora”, disse Randolfe.

 

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. 20
  9. 30
  10. Última