Publicidade

Arquivo da Categoria Eleições

domingo, 22 de março de 2015 Eleições | 09:00

‘Fora do PT, Marta perde parte da rejeição e pode ir ao segundo turno’, diz Márcio França

Compartilhe: Twitter

O presidente do PSB paulista e vice-governador de São Paulo, Márcio França, não disfarça o entusiasmo com os planos de lançar Marta Suplicy como candidata a prefeita de São Paulo em 2016. Só se falava no assunto nas rodas formadas durante a festa de aniversário da petista, na última sexta-feira. Ali, a ministra admitiu ao jornal O Estado de S. Paulo que está de saída do PT, mas na festa, segundo França, ela optou pela discrição.

França diz que, ao migrar para a oposição ao governo Dilma, Marta tende a crescer no eleitorado paulista. “Fora do PT, ela perde parte da rejeição que tem e isso pode levá-la ao segundo turno”, disse o vice-governador, ao Poder Online. Confira a entrevista:

Márcio França. (Foto: Divulgação)

Márcio França. (Foto: Divulgação)

O senhor esteve na sexta-feira na festa da senadora Marta Suplicy. Ela anunciou sua ida para o PSB?
Ela não falou nada ali. Mas estamos caminhando nesse sentido. Ela mesma traçou este caminho. É uma opção importante, uma opção diferente daquela que guiou sua carreira até agora. Estamos certos de que ela vai fazer muita diferença na próxima eleição. Ela tem entrada na periferia, mas tem mais do que isso. Tem um recall como prefeita de São Paulo, com uma boa avaliação em vários setores. Fora do PT ela perde parte da rejeição que tem e isso pode levá-la ao segundo turno.

Mas será uma eleição bastante disputada. 
Sim, é uma eleição em que a maioria dos nomes já está colocada. Teremos Marta, Celso Russomanno, o prefeito Haddad, e provavelmente um candidato do PSDB, cujo nome ainda não está claro. Ao se deslocar para outro campo, Marta vai atrair esse eleitor que gosta do jeito do Geraldo Alckmin de fazer as coisas.

Quando o senhor fala em se deslocar para outro campo o senhor quer dizer ir para a oposição ao PT?
Sim. Marta tem a mesma ideia de ter uma visão crítica em relação ao governo Dilma que o PSB tem. É uma oposição, mas sem radicalismos. Ela tem feito uma crítica dura à presidente Dilma. Mas não precisa discordar de tudo do governo petista.

Quando Marta começou a ensaiar sua saída do PT,  circulou a ideia de que ela tentaria repetir Marina Silva, que deixou o PT e disputou a Presidência. É mais ou menos a mesma coisa?
Acho que tem a ver, mas é diferente. Marina é uma pessoa que, eu acredito, ainda pode conversar conosco. Estou certo de que vamos conversar. Talvez esta hora já tenha chegado. Talvez não tenha mais muito sentido essa ideia de criar a Rede. Acho que a Marina é uma mulher avançada para o seu tempo. As coisas funcionam diferente na prática. Ela é algo como o Itamar foi.

Como o Lula?
Também. Mas acho que se ela apoiasse a Marta seria sem dúvida muito importante.

Com a morte do governador Eduardo Campos, a vinda de Marta e outros políticos para o PSB é um jeito de tentar dar uma nova identidade ao partido?
Essa coisa de nos colocarmos como críticos ao governo sem radicalismo está atraindo muita gente. Depois da tragédia que o partido viveu, passamos por um período difícil. Mas muita gente achava que estávamos enterrados quando, na verdade, somos uma semente. Podemos agora construir um campo maior. Estamos negociando uma fusão com o PPS. No Senado, esperamos fazer 10 nomes.

Marina tem chance de ser candidata a presidente de novo se ficar no partido? 
Acho que ela mesma sabe que hoje seria muito difícil aprovar no diretório um projeto como esse. Mas tem espaço para muitas outras coisas. Ela tem a opção de fazer uma luta política fora do sistema partidário. Mas se optar por fazer dentro, pode disputar cargos ou não disputar.

 

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 20 de março de 2015 Eleições | 07:00

PT faz consultas sobre possibilidade de pedir o mandato de Marta Suplicy

Compartilhe: Twitter

O PT ainda tomou a decisão, mas já iniciou consultas a advogados especializados em Direito Eleitoral sobre a possibilidade de pedir na Justiça o mandato da senadora Marta Suplicy, que deve deixar o partido para disputar a prefeitura de São Paulo pelo PSB.

Marta Suplicy (Foto: Agência Senado)

Marta Suplicy (Foto: Agência Senado)

O comando partidário ouviu de advogados que são boas as chances de vitória, mas que não há nenhuma garantia. É que o cargo de senadora é majoritário e, em tese, não se enquadraria na regra da fidelidade partidária. Mas, ainda de acordo com o jurídico do PT, a jurisprudência aponta no sentido de rever esse entendimento.

A questão é que o PT acha que Marta Suplicy quer mesmo é ser expulsa. Assim, avalia o partido, ela poderia justificar a troca de legenda para seu eleitorado e reforçar o discurso de que não teve espaço na legenda para expor suas opiniões.

Por isso a ordem é trabalhar de todas as formas possíveis para evitar que a expulsão se faça necessária. Todos os dirigentes foram orientados a não embarcar em provocações da senadora, como as críticas públicas que tem feito ao prefeito Fernando Haddad.  A expectativa, dizem líderes da legenda, é de que a senadora se torne a cada dia mais agressiva.

Mas, pelo menos na noite desta sexta-feira, o clima deve ser animado para a senadora. Marta recebe os convidados para sua festa de 70 anos. Na lista, a cúpula do PSB. Fora dela, a do PT.

 

 

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 12 de março de 2015 Eleições | 13:58

Time de Alckmin quer Marta na disputa, mas teme fortalecimento do PSB

Compartilhe: Twitter
O governador Geraldo Alckmin e a senadora Marta Suplicy (Foto: Elisabete Alves/Divulgação)

O governador Geraldo Alckmin e a senadora Marta Suplicy (Foto: Elisabete Alves/Divulgação)

Embora tenha avalizado nos bastidores a operação do PSB para atrair Marta Suplicy, o time do governador Geraldo Alckmin pretende monitorar com cuidado o partido aliado.

O tucano entende que a entrada de Marta na corrida pela prefeitura paulistana em 2016 pode enfraquecer o petista Fernando Haddad e abrir caminho para um tucano na disputa. Mas também vê com cuidado o fortalecimento que isso pode trazer aos socialistas.

Prefere não encher demais a bola do vice Márcio França (PSB-SP).

Leia também: ‘Operação Marta’ passou pelo crivo de Geraldo Alckmin

Autor: Tags:

segunda-feira, 9 de março de 2015 Eleições | 09:00

Desgaste de Dilma eleva pressão por renovação no PSDB de São Paulo

Compartilhe: Twitter

O desgaste vivido pela presidente Dilma Rousseff no maior colégio eleitoral do país, ilustrado ontem pelos panelaços que ocorreram durante o pronunciamento que ela fez à nação, tem ajudado a alimentar no PSDB as pressões por uma renovação nas candidaturas majoritárias. O PSDB paulistano avalia que, se tivesse aberto espaço para novos nomes nas últimas eleições, teria grandes chances de recuperar a prefeitura paulistana na próxima eleição.

Setores do partido em São Paulo prometem defender junto ao comando nacional do partido que insista na apresentação de um novo nome para a corrida de 2016. Parte dessa pressão vem da avaliação de que o senador José Serra (PSDB-SP), embora diga abertamente que não tem interesse na vaga, possa vir a se apresentar internamente para a corrida.

A ideia de novidade não necessariamente significa apresentar um nome jovem para a disputa. Um dos principais cotados é o senador Aloysio Nunes Ferreira, um dos homens de confiança de Serra e que caiu nas graças do senador Aécio Neves (PSDB-MG) durante a corrida presidencial. Fala-se ainda nos nomes de Andrea Matarazzo e Bruno Covas, embora alguns tucanos avaliem que falta a ambos força interna para emplacar uma candidatura.

A ala tucana que defende a renovação fala em antecipar a apresentação do nome para este ano, para que haja tempo suficiente de construir sua imagem junto ao eleitorado.

Leia também: PSDB ainda vê interesse de Serra na Prefeitura de São Paulo

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 6 de março de 2015 Eleições | 13:11

Já tem petista prometendo fazer campanha para Marta Suplicy

Compartilhe: Twitter
Marta em caravana do PT (Foto: Divulgação/Elisabete Alves)

Marta em caravana do PT (Foto: Divulgação/Elisabete Alves)

Já tem petista dizendo que vai fazer campanha para Marta Suplicy em 2016, quando a senadora deve sair candidata à Prefeitura de São Paulo pelo PSB. Quem segue essa linha justifica que Marta desbanca Fernando Haddad na administração paulistana.

Anteontem, o Poder Online adiantou que o PT já dá como certa a saída de Marta. O que enterrou as esperanças do partido em segurar a senadora foi uma conversa ocorrida entre o ex-ministro Fernando Bezerra e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na qual o socialista disse que está tudo acertado para Marta trocar de legenda e disputar a eleição.

Mesmo depois de muitas investidas, o comando partidário não conseguiu sequer se sentar para uma conversa com Marta. A senadora recusou todas as abordagens para negociar sua permanência no partido.

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 4 de março de 2015 Eleições | 07:30

PT dá como certa saída de Marta e faz diagnóstico desanimador em SP

Compartilhe: Twitter

Depois de ficar absolutamente sem resposta nas tentativas de diálogo que fez com a senadora Marta Suplicy, o PT jogou a toalha e já dá como certa a saída da ex-ministra do Turismo. A informação que circulava ontem à tarde no comando partidário era a de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já foi avisado formalmente do acerto entre a senadora e o PSB, para a disputa pela prefeitura paulistana em 2016.

Marta Suplicy (Foto: Agência Senado)

Marta Suplicy (Foto: Agência Senado)

O interlocutor foi o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho, que na semana passada se reuniu com o comando do PSB em São Paulo para discutir o que descreveu como “Operação Marta”. A petista não deu nenhum sinal de vida ao partido, de acordo com dirigentes.

Como informou na época o Poder Online, a negociação entre Marta e o PSB teve o aval do governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) na virada do ano. Alckmin entende que a candidatura da ex-prefeita enfraqueceria significativamente o prefeito Fernando Haddad (PT), abrindo terreno para a construção de um novo nome do PSDB para a corrida municipal. Em troca do endosso, o tucano indicou que não quer nenhum tipo de interferência da senadora em seus planos de disputar a Presidência em 2018.

A avaliação do PT parece não ser lá muito diferente. Há no partido quem diga que Marta tem inclusive boas chances de ir para o segundo turno. Como ninguém duvida que Celso Russomanno dará muito trabalho a petistas e tucanos na eleição do ano que vem, nem colegas de Haddad parecem descartar o risco de o prefeito ficar fora da segunda etapa de votação.

 

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 3 de março de 2015 Eleições | 09:00

No PSDB de São Paulo, atenção é total em Celso Russomanno

Compartilhe: Twitter
Celso Russomanno (PRB-SP). Foto: Divulgação

Celso Russomanno (PRB-SP). Foto: Divulgação

O PSDB de São Paulo já considera que seu maior adversário na disputa pela prefeitura paulistana em 2016 é mesmo Celso Russomanno.

O partido também considera irreversível a entrada de Marta Suplicy na disputa pela cadeira do petista Fernando Haddad, como candidata pelo PSB.

Mas ninguém se entende sobre a escolha do nome para encabeçar a chapa tucana. Aí são “outros quinhentos e muito ego para conciliar”, diz um líder da legenda na capital.

 

Autor: Tags: ,

terça-feira, 13 de janeiro de 2015 Eleições | 09:00

Alckmin ainda custa para encontrar uma alternativa para 2016

Compartilhe: Twitter
Alckmin e Haddad

Alckmin e Haddad

O governador paulista Geraldo Alckmin pretende manter firme o controle sobre o processo eleitoral de 2016, mas até agora não conseguiu encontrar um nome a ser trabalhado para a disputa com o prefeito petista Fernando Haddad.

O que se sabe é que Alckmin quer um candidato para chamar de seu. Gostaria de encontrar alguém dentro do seu grupo político, empurrando para a margem alternativas como Aloysio Nunes e Andrea Matarazzo.

Meses atrás, Alckmin ensaiou bancar o nome de Saulo de Castro, mas desanimou no meio do caminho. Agora, ele o tem na fila para a sucessão estadual de 2018. Diante do desempenho em disputas anteriores, a alternativa Bruno Covas também custa a empolgar o governador. Mario Covas Neto também apresentou o nome.

Um nome que passou a circular com mais frequência nas conversas do Palácio dos Bandeirantes é o do chefe da Casa Civil, Edson Aparecido. Mas ate agora, dizem interlocutores, nada de o governador bater o martelo.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015 Eleições | 06:00

Solidariedade vai insistir em convite a Marta Suplicy

Compartilhe: Twitter

O Solidariedade ficou sem resposta até agora, mas não desistiu de filiar a ex-ministra Marta Suplicy e lançá-la candidata à prefeitura paulistana em 2016. O plano do partido é procurar a petista para uma nova conversa até o fim deste mês.

Marta seria candidata com apoio de todos os partidos do bloco formado na Câmara por Solidariedade, PSB, PV e PPS.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

terça-feira, 6 de janeiro de 2015 Eleições | 09:00

Colegas ainda enxergam Marta com pé fora do PT

Compartilhe: Twitter
Marta em caravana do PT (Foto: Divulgação/Elisabete Alves)

Marta em caravana do PT (Foto: Divulgação/Elisabete Alves)

As conversas com o PMDB esfriaram bastante, mas colegas da senadora Marta Suplicy (PT-SP) ainda alimentam a tese de que ela está sim com um pé fora do partido.

Pessoas próximas à ex-prefeita de São Paulo alegam que as críticas públicas feitas por ela ao seu sucessor na Cultura, Juca Ferreira, e ao colega Alexandre Padilha, candidato derrotado ao governo paulista pelo PT, são bons exemplos do que Marta prepara por aí.

Quem conhece bem a ex-ministra aposta que ela vai endurecer progressivamente o tom das críticas a outros colegas de legenda, em especial a Fernando Haddad, nos próximos meses.

E acreditam que, enquanto isso, ela vai engatar conversas com outros partidos que se interessem em tê-la candidata à prefeitura paulistana em 2016. O PSB, por exemplo, também andou namorando a ex-prefeita.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. 20
  9. 30
  10. Última