Publicidade

Arquivo da Categoria Governo

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015 Congresso, Economia, Governo | 17:51

Lindbergh comemora saída de Levy

Compartilhe: Twitter
Lindbergh Farias (Foto: José Cruz/ABr)

Lindbergh Farias (Foto: José Cruz/ABr)

O senador Lindbergh Farias, (PT-RJ), um dos mais aguerridos críticos da política econômica e do ajuste fiscal implantado no primeiro ano do segundo mandato de Dilma disse ter esperanças na condução do novo ministro Nelson Barbosa

“Eu tenho muita esperança que o novo ministro Nelson Barbosa mude a política econômica. A grande questão no Brasil, hoje, não é fazer ou deixar de fazer um ajuste fiscal. É colocar o Brasil para crescer, proteger os empregos. Eu sempre fui muito crítico ao ministro Joaquim Levy porque eu sabia que esses ajustes fiscais, feitos dessa forma, levavam à recessão econômica”, disse o senador.
“O pior é que, aqui no Brasil, fizemos ajuste e ao mesmo tempo aumentamos a taxa de juros. Era um caminho que não tinha como dar certo.Espero que, com Nelson Barbosa, a gente corrija a política econômica, coloque o Brasil para crescer, proteja os empregos”, disse o senador.
O anúncio sobre a troca será feito por meio de nota a ser divulgada ainda nesta sexta-feira pelo Palácio do Planalto.

 

Autor: Tags: , ,

Economia, Governo | 17:26

Dilma tenta agradar movimentos sociais e empresários ao nomear Barbosa para a Fazenda

Compartilhe: Twitter

O governo deverá anunciar daqui a pouco, por meio de nota, a troca na condução da política econômica.

Na Fazenda, sai o ministro Joaquim Levy e entra o atual ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, que deverá ser substituído na pasta pelo atual ministro da Controladoria Geral da União (CGU), Valdir Simão.

Nelson Barbosa é, por excelência um formulador de políticas públicas sua ida para a Fazenda é um claro sinal de que Dilma decidiu afrouxar um pouco as medidas de ajuste fiscal, marca na gestão de Levy.

Barbosa é também reconhecido por sua habilidade em solucionar problemas nesta área, devido as suas ponderações na relação entre a necessidade de corte e de gastos no campo social.

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015 Brasil, Governo, Partidos, Política | 13:40

Adiamento de decisão sobre Cunha eleva clima de suspense no Planalto

Compartilhe: Twitter

dilma-rousseff1-620x450A decisão do ministro Teori Zavascki de deixar para fevereiro a análise do pedido de afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) trouxe um clima de suspense ao governo, que tem todas as atenções voltadas nesta quinta-feira (17) sobre a continuidade do julgamento do rito do impeachment, no Supremo Tribunal Federal (STF).

No Planalto espera-se com ansiedade o voto dos demais ministros, na torcida para que eles revertam o entendimento apresentado pelo relator do processo, ministro Luiz Edson Fachin, que confirmou os procedimentos adotados por Cunha na eleição dos membros que vão compor a comissão especial destinada a analisar a admissibilidade do pedido de impeachment da presidente Dilma.

Caso a tese do relator seja vitoriosa, o governo já avalia que toda articulação para reconduzir seu maior aliado no PMDB, o deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), ao cargo de líder da bancada no partido, pode ter sido trabalho perdido no sentido de garantir votos imediatos contra o impeachment na Câmara.

O governo espera uma nova votação para eleição dos membros da comissão e isso depende do STF. Picciani, como líder, teria a tarefa de novamente indicar nomes governistas do PMDB para a comissão.

O temor do governo é também de que o processo contra Dilma continue correndo, enquanto o de Cunha fica em suspenso. Isso daria aos oposicionistas pelo menos dois meses de articulações com o objetivo de derrubar a presidente, com uma forte articulação de Cunha para isso.

Cunha é alvo de investigação no Supremo por suposta ligação com o esquema de corrupção da Petrobras e acusado de usar o cargo indevidamente. O pedido de afastamento, feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi entregue no fim da tarde desta quarta (16). Como o Judiciário entra em recesso a partir da próxima semana, Teori avaliou que não teria tempo hábil para analisar as questões técnicas apresentadas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, até esta sexta.

 

Autor: Tags:

terça-feira, 8 de dezembro de 2015 Governo | 17:33

Governadores de 16 estados divulgarão carta de apoio a Dilma

Compartilhe: Twitter
Fernando Pimentel (Foto: Divulgação)

Fernando Pimentel (Foto: Divulgação)

A presidente Dilma Rousseff recebeu apoio de 16 governadores nesta terça-feira (8), dos nove estados do Nordeste, além de outros estados como o Distrito Federal, Rio de Janeiro, Roraima, Amapá, Acre e Santa Catarina.

Antes de se reunirem com a presidente, eles almoçaram o o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner e há uma expectativa de divulgação de uma carta de apoio ao final do dia.

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, ex-ministro e aliado de primeira hora da presidente, não compareceu ao encontro mas justificou a ausência, devido ao nascimento de sua filha, hoje, em Belo Horizonte.

Pimentel foi representado pelo vice, Antônio Andrade, ex-ministro da Agricultura do primeiro mandato de Dilma. Outros dois estados foram representados pelos vices. Piauí e Acre.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 25 de novembro de 2015 Governo | 11:07

Substituição na AGU gera disputa entre servidores de carreira e advogados de Dilma

Compartilhe: Twitter
Luís Inácio Adams (Foto: ABr)

Luís Inácio Adams (Foto: ABr)

A sucessão do ministro Luís Adams, na Advocacia Geral da União, tem gerado uma bolsa de apostas entre nomes de carreira da AGU, ou nomes de advogados de confiança da presidente Dilma Rousseff. A escolha da presidente será feita entre essas duas categorias.

Entre os servidores de carreira, Dilma já conta com três opções. Um deles é o atual procurador-geral do Banco Central, Isaac Sidney, que foi chefe de gabinete do ex-diretor do banco Henrique Meirelles.

Outro é o do atual subchefe de Assuntos Jurídicos (SAJ) da Casa Civil, Jorge Messias, que conta com o lobby do atual ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

Além deles, na carreira de advogados públicos, um dos principais conselheiros de Adams, Marcelo Siqueira, está entre os cotado.

Se Dilma optar por advogados de sua confiança e fora da carreira de advogados públicos, o nome mais cotado é o de Beto Vasconcelos, atual secretário nacional de Justiça do Ministério da Justiça. Ela ainda tem como segunda opção o advogado Flávio Caetano, que foi coordenador jurídico da campanha da presidente à reeleição e hoje é secretário nacional da Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça.

Embora ainda não se tenha uma data definida, Adams já avisou á Dilma sua intenção de sair do cargo logo após a conclusão da defesa das contas do governo de 2014, consideradas irregulares pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Para ter validade, este parecer ainda precisa ser apreciado pelo Congresso.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 19 de novembro de 2015 Governo | 15:47

Berzoini chama petistas para reforçar articulação

Compartilhe: Twitter
Deputada Federal Iriny Lopes (PT-ES). Foto: Agência Câmara

Iriny Lopes (PT-ES). Foto: Agência Câmara

Após ter conseguido recuperar minimamente a base no Congresso, o que garantiu ao governo vitórias apertadas e ainda consideradas frágeis, o ministro de Governo, Ricardo Berzoini, deverá consolidar nos próximos dias um grupo de articuladores para intensificar as conversas com deputados e senadores.

O tamanho do grupo ainda não está decidido. A ideia inicial era de que pelo menos quatro a cinco pessoas, consideradas hábeis na costura política, integrassem a articulação.

Dois petista já foram convidados a tarefa e devem ser nomeados nos próximos dias: a ex-ministra de Mulheres e ex-deputada federal, Iriny Lopes (ES), e o ex-deputado federal, Geraldo Magela (DF).

 

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 6 de novembro de 2015 Economia, Governo | 08:57

Príncipe herdeiro da Noruega demonstra disposição em investir no Brasil

Compartilhe: Twitter

Apesar dos recentes rebaixamentos da nota do Brasil e da Petrobras por agências de rating internacionais, o príncipe herdeiro da Noruega, Haakon Magno, desembarca no Brasil no próximo dia 16 com disposição de ampliar os negócios. Em Brasília, tem encontro marcado com o vice-presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto.

Temer estará em exercício como presidente da República, devido a viagem da presidente Dilma Rousseff à Turquia, para participar da reunião da Cúpula do G-20. O vice, no entanto, já prepara uma conversa e uma declaração conjunta na qual o príncipe deve enfatizar que a Noruega quer investir no país nas áreas de petróleo e gás, além de firmar acordos de cooperação na área ambiental.

Estão previstos ainda, a assinatura de um acordo marítimo, um encontro com alunos brasileiros do programa Ciência Sem Fronteira, na Embaixada da Noruega, além de mesas redondas com empresários dos dois países a serem realizadas na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília.

No Rio de Janeiro, o príncipe será recebido pelo governador, Luiz Fernando Pezão e pelo prefeito da capital, Eduardo Paes. Ele também repetirá o encontro com empresários e visitará o estaleiro Vord, em Niterói. Haakon Magno pretende ainda inaugurar uma fábrica de tintas para o setor Naval no município de Itaboraí, que deverá empregar cerca de 100 pessoas.

O príncipe encerrará sua agenda por Belém, onde será recebido pelo governador do Pará, Simão Jatene, e verificar todo sistema de monitoramento da Floresta Amazônica desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

 

 

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 5 de novembro de 2015 Governo | 17:56

Dilma recebe príncipe e princesa do Japão em visita de cortesia

Compartilhe: Twitter

A presidente Dilma Rousseff receberá nesta sexta-feira (6), no Palácio do Planalto, o príncipe e a princesa Akishino, do Japão, para uma visita de cortesia.

Ele é filho do imperador do Japão, Akihito. Depois do encontro com a presidente, marcado para 11h, o casal será recebido pelo ministro de Relações Exteriores, Mauro Vieira, para um almoço no Itamaraty.

A visita ocorre devido as comemorações dos 12o anos de relações de amizade entre o Brasil e o Japão, comemorados nesta quinta-feira.

Autor: Tags: ,

Governo | 16:11

Pela primeira vez, militar passa a ocupar cargo executivo no Ministério da Defesa

Compartilhe: Twitter

Pela primeira vez, desde a criação do Ministério da Defesa, um general militar foi nomeado para comandar a Secretaria Geral do Ministério da Defesa, cargo de confiança do ministro Aldo Rebelo. O novo secretário-geral da pasta é o general Joaquim Silva e Luna.

O Ministério da Defesa foi criado em 1999 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, com o objetivo de articular políticas de defesa e submeter as três forças militares a um comando Civil.

Com a nomeação de Lula para o cargo, a presidente Dilma Rousseff acaba fazendo um afago à setores da tropa que não ficaram satisfeitos com a saída do general José Elito, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), órgão que perdeu o status de ministério na reforma feita pela presidente há mais de um mês.

Autor: Tags: , , ,

Brasil, Governo, Partidos | 11:05

Ordem no Planalto é monitorar, sem alarde, protestos de caminhoneiros

Compartilhe: Twitter

A preocupação com uma possível aproximação entre caminhoneiros em greve e os movimentos que pedem o impeachment da presidente Dilma Rousseff exite, no entanto, as primeiras conversas de representantes de sindicatos que representam as categorias apontaram uma resistência dos líderes em aceitar uma “contaminação” do movimento pela pauta pró-impeachment.

Nesta semana, este foi um sinal considerado positivo pelo governo.

Diante disso, a ordem no Planalto é observar atentamente os protestos, convocados para a próxima segunda-feira (9), pelo Comando Nacional do Transporte, que se declara independente de sindicatos e flertam com o Movimento Brasil Livre, o Vem Pra Rua e o Revoltados Online.

Os caminhoneiros querem a redução no preço do diesel, subsídio de crédito, além da anulação de multas referentes à paralisação feita em fevereiro deste ano.

Dilma escalou seus principais auxiliares para tratar do assunto, entre eles, os ministro de Governo, Ricardo Berzoini,^e do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto.

 

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. 20
  9. 30
  10. Última