Publicidade

quarta-feira, 29 de abril de 2015 Política | 15:19

Gastão Vieira troca PMDB pelo PROS para disputar prefeitura de São Luís

Compartilhe: Twitter

O ex-ministro do Turismo, Gastão Vieira, candidato peemedebista derrotado ao Senado nas últimas eleições, está de saída do PMDB. Vieira passará a integrar oficialmente o PROS. Ele já comanda sua comissão provisória no Maranhão.

Vieira pretende se lançar candidato à prefeitura de São Luís, onde certamente terá um adversário do clã Sarney, possivelmente a ex-governadora Roseana Sarney.

O ex-ministro tem evitado falar sobre possíveis mágoas com o PMDB nacional, mas não esconde sua insatisfação com Sarney e com o PMDB do Maranhão.

“Meu problema é de espaço”, disse o ex-ministro. “É uma decisão muito dolorosa para mim porque há 30 anos sou parte do PMDB, desde quando era ainda o MDB. Dói, dói muito, mas não saio com mágoa do PMDB nacional”, disse o ex-ministro, que pretende anunciar oficialmente sua saída no início da próxima semana.

Peemedebistas contaram que ele estava em busca de uma indicação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para uma vaga no segundo ou no terceiro escalão do governo, fatura por ter trabalhado com afinco para a eleição de Cunha.

Em meio à busca, Vieira precisou dar explicações ao vice-presidente, Michel Temer, que cuida da articulação política e das negociações para a distribuição de cargos, sobre sua filiação partidária.

Isso porque, ao saber da movimentação de Vieira, o ex-senador José Sarney (PMDB-MA) tratou de informar a Temer que Vieira, no Maranhão, havia assumido a presidência do PROS.

Vieira, por sua vez, tratou de desqualificar a “denúncia” feita por Sarney, informando ao vice-presidente que realmente havia assumido o comando do PROS no estado, mas por se tratar de uma comissão provisória, não deixou o PMDB.

“Fiquei com a comissão provisória do PROS e isso não exigia de mim a desfiliação do PMDB”, disse.

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 28 de abril de 2015 Congresso | 17:00

Relator da Reforma Política escancara diferenças entre PT e PMDB sobre o tema

Compartilhe: Twitter

Apesar de manifestar otimismo quanto à chance de votação de uma reforma política, o relator do projeto na comissão especial, deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), escancarou o quanto o consenso ainda está longe.

Após palestra do líder do PT na Câmara, Sibá Machado (AC), que falou em nome do presidente do partido, Rui Falcão, Castro fez uma comparação com o que havia dito pela manhã o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB).

“É só inverter os sinais”, disse em tom jocoso. “Pegar o que o Michel (Temer) disse, o contrário foi o que o Sibá disse aqui”, afirmou o relator.

Após mostrar as contradições entre o que defende PT e PMDB, Castro defendeu a tese de que talvez não seja possível fazer a reforma no Congresso, mas sim numa Constituinte exclusiva. “Se não fizermos agora não temos chance de fazer nunca”, disse Castro.

Assista:

Autor: Tags: , , ,

Governo | 16:07

Renan volta à rota de colisão com Dilma. Assista

Compartilhe: Twitter

Dilma Rousseff que se cuide.

O presidente do Senado, Renan Calheiros, tem voltado a reclamar da presidente da República em suas conversas tanto públicas como privadas.

Não foi gratuita sua declaração de hoje pela manhã, segundo a qual, se continuar assim, Dilma terá cada vez maios dificuldades para fazer pronunciamentos públicos sob o risco de se submeter a panelaços (veja vídeo abaixo).

Renan mandou foi um recado à presidente de que está irritado.

Primeiro, porque Dilma havia lhe dito que não ia demitir o seu apadrinhado no Ministério do Turismo, Vinicius Lages, mas demitiu.

Depois, porque atribui ao Palácio do Planalto a origem de informações de que está fazendo outras indicações para o segundo escalão do governo.

Autor: Tags: , , ,

Congresso | 07:00

‘É factoide’, diz petista sobre tentativa do PSDB de expulsar cubanos do Mais Médicos

Compartilhe: Twitter

O deputado federal e idealizador do programa Mais Médicos Odorico Monteiro (PT-CE) reagiu diante da tentativa dos senadores tucanos Cássio Cunha Lima (PB) e Aloysio Nunes (SP) de cancelarem o convênio que permitiu a vinda de cerca de 11,4 mil médicos cubanos para trabalharem no Brasil, por meio do programa do governo federal.

“O programa Mais Médicos hoje é uma realidade, 90% da população brasileira aprovam esses médicos. Os médicos brasileiros que estavam resistindo hoje já percebem que há a perfeita integração entre os médicos cubanos e os médicos brasileiros”, afirmou Monteiro. “Não tem praticamente uma queixa nos conselhos regionais de medicina sobre qualquer tipo de prática desses médicos. Então, isso se trata de uma perseguição política, de criar um factoide político aqui no Congresso, pra fazer oposição”, completou.

Caso aprovado, o projeto de decreto legislativo 33/2015 invalidará o termo de cooperação firmado entre o governo brasileiro e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), levando à expulsão dos médicos cubanos do programa. O projeto está em tramitação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado.

Assista:

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 27 de abril de 2015 Política | 15:51

Em guerra com Renan, Cunha articula convocar Sérgio Machado na CPI da Petrobras

Compartilhe: Twitter

Os atritos públicos entre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), têm sido vistos com preocupação por peemedebistas da cúpula do partido. No jogo de forças, integrantes do partido já apontam a articulação de Cunha para convocar o ex-diretor da Transpetro, Sérgio Machado, para depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, que funciona na Câmara, sob o controle de presidente da Casa.

Apadrinhado por Renan, Machado deixou o cargo no ano passado após ser citado na investigação que apura o esquema de corrupção instalado na estatal, investigado pela Operação Lava Jato.

Cunha já anunciou publicamente que vai embarreirar na Câmara a tramitação de matérias vindas do Senado, após Renan ter criticado a “pressa” da Câmara na aprovação da proposta que regulamenta a terceirização.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 24 de abril de 2015 Governo | 13:22

Rodrigo de Almeida deixa o iG para comandar Comunicação da Fazenda

Compartilhe: Twitter

O  jornalista Rodrigo de Almeida deixa hoje o cargo de diretor de Jornalismo do iG para assumir, como assessor especial do ministro Joaquim Levy, a coordenação da Comunicação Social do Ministério da Fazenda.

Rodrigo de Almeida, 39 anos, é doutor em Ciência Política pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da UERJ. Foi pesquisador do Núcleo do Estudos do Empresariado, Instituições e Capitalismo (NEIC), teve passagem acadêmica pela The New School for Social Research (Nova York) e foi diretor executivo da Casa do Saber Rio.  Tem vários livros publicados, entre eles, a biografia do economista Eugênio Gudin. Ele deve assumir suas funções no Ministério na primeira semana de maio.

A Diretoria de Jornalismo do iG passa a ser ocupada pela jornalista Bia Sant’Anna, que até então atuava como editora-executiva da Home. 

Autor: Tags: , , ,

Justiça | 07:55

Fux foge da vaquinha

Compartilhe: Twitter

Os moradores do conjunto 2 da QL 28 do Lago Sul  resolveram colocar câmeras em alguns postes para melhorar a segurança na Quadra.

Mas não conseguiram ainda convencer um vizinho, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, a participar da “vaquinha”com míseros R$ 200.

 

Autor: Tags:

quinta-feira, 23 de abril de 2015 Governo | 18:03

Para petistas, Padilha é o ‘ministro das duas pastas’

Compartilhe: Twitter
O ministro Eliseu Padilha. (Foto: Agência Brasil)

O ministro Eliseu Padilha. (Foto: Agência Brasil)

Com a viagem do vice-presidente, Michel Temer (PMDB-SP), para Portugal e Espanha, nesta semana, o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha, acabou assumindo informalmente as funções de articulador do governo.

Padilha, que integra a coordenação política do governo e que rejeitou o convite da assumir a extinta pasta de Relações Institucionais, acabou se mudando para o gabinete da Vice Presidência, onde recebeu parlamentares e cuidou das relações com o Congresso.

Na “gestão” de Padilha, no entanto, o governo experimentou duas derrotas impostas pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ): a aprovação da proposta que cria regras para a terceirização e a admissibilidade da proposta que limita em 20 o número de ministérios.

Ainda irritados com o fato de a presidente ter entregado a articulação ao PMDB, alguns petistas apelidaram o ministro nos bastidores. Só se referem a ele como “o ministro das duas pastas”.

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 22 de abril de 2015 Congresso | 18:00

Defensores da lei da terceirização preparam ato na Câmara

Compartilhe: Twitter
Plenário da Câmara (Foto: Mel Bleil Gallo / iG Brasília)

Plenário da Câmara (Foto: Mel Bleil Gallo / iG Brasília)

Após verem as críticas ao Projeto de Lei 4330/2004 ganharem força em meio à opinião pública e, consequentemente, entre os parlamentares, setores empresariais decidiram reforçar o lobby no Congresso Nacional.

Nesta quarta-feira, além de procurarem os deputados, um grupo de defensores do projeto preparou um ato silencioso, na galeria da Câmara dos Deputados. A ideia é aguardar o momento da votação no local e, então, vestir camisas verdes e amarelas, como forma de dizer que a nova lei seria um avanço para o Brasil.

Blog do Kennedy: Dilma deve vetar pontos da lei da terceirização

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 21 de abril de 2015 Governo | 07:00

‘MEC tem que se desprender do lobby dos reitores das universidades públicas’, diz peemedebista

Compartilhe: Twitter

Professor do ensino médio e deputado federal pelo PMDB do Rio de Janeiro, Celso Pansera diz ainda ter dúvidas quanto à capacidade do novo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, de promover avanços frente à área.

“O maior desafio dele é conseguir romper com o cerco dos reitores das universidades públicas. Há uma pressão e uma articulação muito grande do conjunto das instituições que envolvem serviços das universidades públicas federais”, diz Pansera. “Eles têm uma capacidade de lobby, de organização e pressão sobre o MEC muito grande. MEC tem que se desprender disso e ter um foco extremamente maior na questão do ensino básico.”

Membro da Comissão de Educação da Câmara, o deputado diz ainda que pretende apresentar, ao longo de seu mandato, um projeto que transferiria a responsabilidade sobre o ensino superior do MEC para o Ministério da Ciência e Tecnologia.

Assista:

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 10
  3. 20
  4. 26
  5. 27
  6. 28
  7. 29
  8. 30
  9. 40
  10. 50
  11. 60
  12. Última