Publicidade

Posts com a Tag APO

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 Governo | 15:02

Márcio Fortes diz não pensar em assumir Ministério das Cidades

Compartilhe: Twitter

Do presidente da Autoridade Pública Olímpica (APO), Márcio Fortes, ao Poder Online, a propósito da nota Planalto se irrita com Márcio Fortes:

– Não tenho nenhum interesse em sair da APO para qualquer ministério. Estou muito satisfeito por aqui, onde tenho mandato de quatro anos prorrogáveis por mais três.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 8 de julho de 2011 Governo | 17:08

CCBB de Brasília abriga os sem gabinetes

Compartilhe: Twitter

Aos poucos, o governo está ocupando as belas, mas até então pouco produtivas, instalações do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) em Brasília.

Nos primeiros seis meses de governo Dilma Rousseff chegaram ao CCBB a Secretaria Nacional da Juventude e a nova Secretaria de Aviação Civil.

E outras salas já estão prontas para receber dois novos órgãos deste governo: a Câmara de Políticas de Gestão e a Autoridade Pública Olímpica (APO).

Durante 18 meses a cúpula do Executivo esteve no pavilhão de Niemeyer com vista para o Lago Paranoá, mas voltou ao Palácio do Planalto em agosto de 2010, ao fim de uma reforma.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 21 de junho de 2011 Governo | 19:32

Marcio Fortes será o presidente da APO

Compartilhe: Twitter

O ex-ministro das Cidades Marcio Fortes será anunciado daqui a pouco pela presidenta Dilna Rousseff como novo presidente da Autoridade Publica Olímpica (APO).

O cargo foi oferecido ao ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, que recusou mas ficou como presidente do Conselho do órgão.

Marcio Fortes entrou para o governo Lula graças ao apoio do senador Francisco Dornelles (PP-RJ).

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 2 de março de 2011 Governo | 06:02

Meirelles mira São Paulo e volta a comandar Viva o Centro

Compartilhe: Twitter

Henrique Meirelles (Foto: Agência Brasil)

Em almoço ontem na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), em São Paulo, Henrique Meirelles anunciou que retorna ao exercício do cargo de presidente do conselho da Associação Viva o Centro – ONG fundada por ele na década de 1990, quando era presidente do BankBoston.

À espera do comando da Autoridade Pública Olímpica (APO), o ex-presidente do Banco Central cria alternativa própria em São Paulo já há quem diga que ele pode se lançar candidato a prefeito em 2012.

Meirelles prepara uma grande solenidade de posse depois do carnaval.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011 Governo | 12:53

Autoridade Olímpica: a medida provisória 171

Compartilhe: Twitter

Na reunião de ontem no Palácio em que foram enxugada a estrutura da Autoridade Pública Olímpica (APO), conforme Poder Online antecipou, o ministro-chefe da Casa Civil, Antônio Palocci e o relator da medida provisória sobre o novo órgão, deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA),  foram contando um a um os cargos que sobraram e os cortados.

Surpreenderam-se com o número final, 171.

— Esse número não é bom, precisamos mudar — brincou Palocci, referindo-se ao artigo 171 do Código Penal, que tipifica o crime de estelionato.

Até hoje pela manhã o número de cargos ainda não havia sido mudado.

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011 Governo | 20:45

Nova medida provisória enxuga órgão olímpico e divide poderes de Henrique Meirelles

Compartilhe: Twitter

Henrique Meirelles (Foto: Dida Sampaio/AE)

Terminada a reunião no Palácio do Planalto entre o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, e o relator da medida provisória da Autoridade Pública Olímpica (APO), Daniel Almeida (PCdoB-BA). E o novo texto da MP já foi enviado ao Congresso. Deverá ser votado amanhã mesmo.

Convidado para assumir o comando do órgão, o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles venceu uma batalha contra o governador do Rio, Sérgio Cabral, e o prefeito Eduardo Paes: ele passa a ser diretamente subordinado ao Conselho Público Olímpico, composto por três membros apenas, representantes da União, dos Estados e dos municípios onde ocorrerão os Jogos no Brasil, e não mais ao Conselho de Governança, que tinha mais de 11 membros e, no novo texto, fica com nove.

Mas Meirelles perdeu no tamanho da APO. O texto da MP previa a criação de mais de 480 cargos comissionados sob sua subordinação. Agora ficaram apenas 171.

O ex-presidente do BC também terá que entregar a estados e municípios as licitações para obras das Olimpíadas, que antes seriam geridas pela APO direto com a empresa Rio-2016.

Autor: Tags: , , , , ,

Congresso | 18:38

Crise em órgão Olímpico: Meirelles não aceita propostas de Paes e Cabral

Compartilhe: Twitter

O Deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA), relator da medida provisória que criou a Autoridade Pública Olímpica (APO), foi chamado ao Palácio do Planalto.

Está neste momento reunido com o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, para tentarem resolver uma crise com o texto da MP.

É que o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, que chefiará o órgão, simplesmente não aceita modificaçōes limitando seus poderes propostas pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e pelo prefeito Eduardo Paes.

Autor: Tags: , ,

Congresso | 08:06

Líder do PSDB: “O governo só tem recurso para criar cargos?”

Compartilhe: Twitter

O governo venceu o embate do salário mínimo na Câmara – e deve repetir a dose no Senado depois de amanhã. Mas a estratégia da oposição é prolongar ao máximo o desgaste nas votações futuras.

O PSDB vai bater na tecla de que o governo fez economia com o chapéu de quem passará a ganhar os R$ 545,00. Um dos alvos será a votação da MP da Autoridade Pública Olímpica (APO):

– Vamos cobrar coerência. Como é que o governo usa como argumento o equilíbrio fiscal para não chegar a um salário de R$ 600 e vai criar quase 500 cargos para a APO. O governo só tem recursos para criar cargos? – questiona o líder do PSDB, Duarte Nogueira (SP).

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011 Governo | 13:02

Senador do PCdoB cobra Autoridade Olímpica de governo

Compartilhe: Twitter

O senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) criticou a provável nomeação de Henrique Meirelles para o posto de Autoridade Pública Olímpica, que vai comandar as ações dos Jogos de 2016.

— O compromisso do governo era indicar um nome do PCdoB. Se isso não ocorrer, esse compromisso será quebrado.

Inácio fala publicamente o que, reservadamente, é opinião generalizada em seu partido.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011 Governo | 09:12

Prefeito do Rio discute com Dilma criação da Autoridade Pública Olímpica

Compartilhe: Twitter

Eduardo Paes (Foto: Maurício Bazílio/AE)

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, ligou ontem para o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves, para pedir que a Medida Provisória que cria a APO (Autoridade Pública Olímpica) seja retirada da pauta de votações.

Acontece que Paes quer acertar os detalhes da criação e funcionamento da APO com a presidente Dilma Rousseff e com o governador do Rio, Sérgio Cabral, antes de a medida ser votada no Congresso.

Nos cálculos de Paes, a APO vai gerar ônus de cerca de R$ 4 milhões por mês para a prefeitura do Rio.

A audiência com Dilma e Cabral deve acontecer até o final desta semana. 

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última