Publicidade

Posts com a Tag Banco do Brasil

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015 Governo | 13:05

Dilma cogita manter presidentes do Banco Brasil e do BNDES

Compartilhe: Twitter
A presidente Dilma Rousseff. (Foto: Alan Sampaio / iG Brasília)

A presidente Dilma Rousseff. (Foto: Alan Sampaio / iG Brasília)

A presidente Dilma Rousseff deve bater o martelo em breve sobre as indicações que restam para os bancos estatais. Por enquanto, Dilma comentou com auxiliares que está propensa a manter no posto os atuais presidentes do Banco do Brasil, Ademir Bendine, e do BNDES, Luciano Coutinho.

Dilma já definiu recentemente a indicação de Miriam Belchior para a Caixa Econômica Federal.

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 23 de outubro de 2014 Eleições | 17:10

Audiência na Itália vai discutir destino de Henrique Pizzolato

Compartilhe: Twitter

Passada a eleição presidencial, o governo voltará a discutir um assunto delicado: o destino de Henrique Pizzolato, condenado no julgamento do mensalão pelos crimes de lavagem, quadrilha e peculato.

Uma audiência foi marcada para a próxima terça-feira, dia 28, na Itália, para analisar o caso do ex-diretor do Banco do Brasil, que fugiu do Brasil no ano passado e foi preso em Maranello, em fevereiro.

A Advocacia-Geral da União vai enviar um representante para a audiência, que defenderá a extradição do ex-diretor do BB. A expectativa, entretanto, é de que uma decisão final sobre o caso ainda demore a sair.

 

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 18 de julho de 2014 Eleições | 16:31

Justiça manda Banco do Brasil retirar logo do governo de propaganda

Compartilhe: Twitter
A ministra do TSE Maria Thereza de Assis Moura. (Foto: TSE)

A ministra do TSE Maria Thereza de Assis Moura. (Foto: TSE)

De acordo com a decisão da ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Maria Thereza de Assis Moura, a logomarca do governo federal deverá ser retirada das propagandas virtuais  “Torcida Brasil” e” Por que Bom para Todos?” do Banco do Brasil.

“Inquestionavelmente a partir de 5 de julho, não há lugar, como regra, para a realização de propaganda institucional típica por meio do uso de logomarca do governo federal”, explicou a ministra.

A decisão foi tomada com base em uma ação do PSDB, que questionava da presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente Michel Temer, o secretario de Comunicação Social, Thomas Traumann, e o presidente do Banco do Brasil Aldemir Bendine, por prática de conduta vedada.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 26 de março de 2014 Congresso | 16:35

Petista cobra divulgação de gastos públicos no agronegócio

Compartilhe: Twitter
Deputado Valmir Assunção (PT-BA) - (Foto: divulgação)

Deputado Valmir Assunção (PT-BA) – (Foto: divulgação)

O deputado Valmir Assunção (PT-BA) apresentou à Mesa Diretora Câmara dos Deputados um requerimento no qual solicita a divulgação de todos os recursos públicos gastos com setores do agronegócio, por meio de patrocínios, convênios e financiamentos do Banco do Brasil, Ministério da Agricultura e Ministério do Desenvolvimento Agrário, entre outros.

A iniciativa é uma resposta do partido à polêmica criada em torno do financiamento de uma feira de produtos agroecológicos promovida pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), por parte do governo federal.

De acordo com o deputado, atualmente não são divulgados os valores dos repasses, mas apenas as entidades que recebem os recursos. Caso seja aprovado o requerimento, a Câmara solicitará aos órgãos a divulgação das informações em questão.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014 Brasil | 09:46

Banco Central lança moedas comemorativas da Copa do Mundo

Compartilhe: Twitter

Moeda-comemorativa-copa-do-mundoO Banco Central especificou em comunicado divulgado nesta quarta-feira a criação de três modelos de moedas comemorativas da Copa do Mundo de futebol.

Serão cunhadas moedas em ouro, prata e cuproníquel.

As moedas de ouro terão o valor de face de R$ 10, diâmetro de 16 milímetros e pesarão 4,4 gramas. Ela exibirá em um dos lados o Troféu da Copa do Mundo com a inscrição “Copa do Mundo da FIFA 2014”. Do outro lado, o desenho de uma bola estufando as redes de um gol com as cinco estrelas do Cruzeiro do Sul.

As moedas de prata terão valor de face de R$ 5, diâmetro de 40 milímetros e pesarão 27 gramas. Haverá dois tipos dessa moeda.  Num deles, o mascote da Copa ilustrará um dos lados juntamente com a inscrição “Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014”. Do outro lado deste modelo, a figura de um jogador dando uma bicicleta junto com a inscrição “5 reais”. O outro modelo, um globo terrestre que aparece sobre a imagem de um estádio de futebol. Do outro lado desta moeda, a inscrição “cinco reais” sobre um mapa do Brasil. Nas bordas dessa moeda, ícones representarão as 12 sedes do evento.

As moedas de cuproníquel terão valor de face de R$ 2, diâmetro de 30 milímetros e pesarão 10, 17 gramas. As moedas desse tipo serão fabricadas em seis tipos diferentes e cada uma delas trará o desenho de uma jogada do futebol.

Serão feitas 5 mil das moedas de ouro que serão vendidas no Brasil e no exterior pelo valor de R$ 1.180

A tiragem inicial das moedas de prata será de 12 mil, 5 mil delas serão vendidas no Brasil por R$ 190 cada.

As moedas de cuproníquel serão cunhadas num total de 7.400 e serão vendidas no Brasil e no exterior pelo equivalente a R$ 30.

Essas moedas serão vendidas nas agências do Banco do Brasil e pela internet, no site do banco. Na página do banco, as vendas começam hoje.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 30 de novembro de 2012 Copa 2014 | 09:00

Executivos do BB e o gol contra de Felipão

Compartilhe: Twitter

Um até então animado grupo de executivos que assistia a entrevista de Felipão, ontem, em Brasília, no restaurante do Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília, fechou a cara assim que o novo técnico da seleção deu sua primeira derrapada.

Todos são funcionários de carreira do BB, chegaram aos postos por critérios técnicos e se queixam da estressante rotina de trabalho.

Quando Felipão pronunciou a frase “se não tiver pressão, vai trabalhar no Banco do Brasil, senta no escritório e não faz nada”, alguns dos senhores de terno bem cortado chacoalharam a cabeça em reprovação e outros se retiraram.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 9 de abril de 2012 Economia | 07:56

Depois de bater de frente com sua base política, Dilma agora encara os bancos privados

Compartilhe: Twitter

A Caixa Econômica Federal vai anunciar hoje um corte radical nas taxas de juros cobradas de seus clientes.

A CEF deverá ser mais agressiva ainda do que o Banco do Brasil, que  anunciou na semana passada, entre outras reduções nas taxas de juros, uma queda para 3% ao mês no rotativo do cartão de crédito e no cheque especial.

É grande a expectativa no Palácio do Planalto com o resultado desse movimento nos bancos públicos.

Aposta é que isso forçará os bancos privados a, enfim, diminuírem seus spreads (o lucro sobre os juros cobrados na praça), considerados muito acima do nível explicável.

A ordem da presidenta Dilma Rousseff à sua equipe econômica é de resistir a pressões dos bancos privados.

Se eles não baixarem os spreads, virão mais medidas por aí.

Depois de brigar com sua própria base política e ver a popularidade subir, Dilma acredita que chegou a hora de encarar o sistema financeiro.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012 Governo | 13:28

Marco Maia diz que não foi cobrado por Dilma sobre Funpresp

Compartilhe: Twitter

O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), afirmou que não foi cobrado pela presidenta Dilma Rousseff por encerrar sessão, na semana passada, sem votar o Funpresp, projeto considerado prioritário pelo Planalto.

– Desde então já encontrei três vezes com a presidenta Dilma e em nenhuma fui cobrado por ela – disse Maia ao Poder Online.

Nos bastidores, comenta-se que o petista teria discutido pelo telefone com a coordenadora política do governo, ministra Ideli Salvatti, porque o Planalto não aceitou uma indicação sua para cargo de diretoria do Banco do Brasil.

Mas logo em seguida Maia fez questão de desmentir a briga, e disse à coluna que Ideli é sua “brother”.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012 Governo | 06:01

Marco Maia: “Ideli é minha brother”

Compartilhe: Twitter

Como se sabe, na quarta-feira o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), encerrou uma sessão do plenário logo depois de ter discutido pelo telefone com a coordenadora política do Palácio do Planalto, ministra Ideli Salvatti.

Segundo foi noticiado, a briga teria ocorrido porque o Palácio não aceitou uma indicação de Maia para a diretoria do Banco do Brasil.

Mas ontem, mais calmo, Marco Maia negou que tenha suspendido a votação por causa do tal cargo.

Quanto a Ideli Salvatti, digamos que o presidente da Câmara define seu relacionamento com a ministra de uma maneira pouco ortodoxa.

Veja o que ele disse ao Poder Online:

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012 Congresso | 15:21

De Chico Alencar sobre o protesto de Marco Maia: “Uma das vezes em que a política brasileira mais se rebaixou”

Compartilhe: Twitter

O deputado Chico Alencar (PSol-RJ) estava no plenário ontem no momento em que o presidente da Câmara, Marco Maia, se retirou da sessão e acabou não colocando em votação o projeto do Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos da União (Funpresp), que tanto interessava ao governo.

Ele relata:

— Só hoje li nos jornais que o Marco Maia teria se retirado porque não foi atendido na indicação de um apadrinhado para o Banco do Brasil. Sinceramente, torço para que isto não seja verdade. Na hora achei que era um gesto de independência, de grandeza do presidente da Câmara. Mas se for por causa de um carguinho, terá sido uma das vezes em que a política brasileira mais se rebaixou. Um presidente da Câmara não pode dirigir a Casa em função do toma-lá-dá-cá do interesse pessoal por cargos.

Em tempo:

Marco Maia convocou hoje entrevista coletiva para negar que tenha suspendido a sesão por causa do tal cargo. Segundo afirma, a sessão foi suspensa simplesmente porque ele concluiu que a matéria precisa ser discutida por mais tempo.

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última