Publicidade

Posts com a Tag Cândido Vaccarezza

terça-feira, 17 de maio de 2011 Congresso | 20:19

Reguffe: governo ou oposição

Compartilhe: Twitter

Não é à toa que o deputado Antônio Reguffe (PDT-DF) já recebeu convite do PSOL e da oposição para mudar de partido.

Apesar de ser da base aliada, Reguffe se posicionou contra o governo na votação do salário mínimo, do novo Código Florestal e agora contra o projeto que flexibiliza as licitações para obras da Copa do Mundo de 2014.

Ao Poder Online, o deputado criticou as “artimanhas do governo” de incluir a flexibilização das licitações na MP 517 — que trata desde usinas nucleares até banda larga — para tentar aprovar a matéria na Câmara:

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 3 de maio de 2011 Partidos | 17:08

Humberto Costa é atingido por “efeito Vaccarezza”

Compartilhe: Twitter

Cândido Vaccarezza (Foto: AE)

Depois que Humberto Costa (PT-PE) deixou escapar a chance de assumir a presidência do PT, alguns petistas avaliam que o senador foi atingido pelo “efeito Vaccarezza”.

Assim como aconteceu com o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, Costa tinha o apoio da pela presidenta Dilma Rousseff e pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas saiu derrotado. Certo de que seu caminho estava traçado, o senador não se empenhou em conquistar apoio.

Enquanto isso, Rui Falcão fez um trabalho de formiguinha. Procurou toda a base do PT para ser escolhido por unanimidade novo presidente do partido. Aprendeu a lição com o Marco Maia, que derrotou o preferido do Planalto, conquistando a indicação do partido e a presidência da Câmara dos Deputados.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 8 de abril de 2011 Congresso | 15:57

Nos 100 primeiros dias de governo, fidelidade da base aliada na Câmara foi de 92,7%

Compartilhe: Twitter

A liderança do governo na Câmara fez um levantamento do índice de fidelidade dos partidos da base aliada nos 100 primeiros dias de governo Dilma Rousseff. A média foi de 92,7%.

Veja o nível de fidelidade de cada partido:

PT – 99,27%
PSB – 98,9%
PMDB – 91,12%
PDT – 75,72%
PCdoB – 98,85%
PP – 90,86%
PR – 96,34%
PSC – 84,69%
PHS – 84,62%
PMN – 85,71%
PRB – 96,28%
PTB – 95,4%
PTC – 100%
PTdoB – 100%
Autor: Tags: , , , , ,

Estados | 14:02

PSDB e PT de São Paulo cortejam Chalita e o PMDB para a vaga de vice na disputa pela Prefeitura

Compartilhe: Twitter

Vice-presidente da República e presidente licenciado do PMDB, Michel Temer (SP) já dá como certa a filiação do deputado Gabriel Chalita (PSB) a seu partido.

Temer aposta na candidatura de Chalita a prefeito de São Paulo em 2012. Tem conversado sobre alianças tanto com com o PT como com o PSDB.

No PSDB, o governador Geraldo Alckmin vê a proposta com bons olhos. Mas José Serra e seus aliados no tucanato paulista dizem que não dá para a legenda abrir mão da cabeça de chapa.

No PT, Temer falou sobre o assunto com o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (SP), e com a senadora Marta Suplicy (SP). Ouviu o seguinte: os petistas terão candidato próprio a prefeito e, como diz o ex-deputado José Dirceu, não dá para ser peso pena.

Resultado da brincadeira: PT e PSDB reconhecem que Chalita e o PMDB são fortes, e os cortejam. Mas petistas e tucanos querem o futuro peemedebista na vaga de vice da chapa para a Prefeitura.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 1 de abril de 2011 Congresso | 16:48

José Guimarães e Aldo Rebelo serão novos vices-lideres do governo na Câmara

Compartilhe: Twitter

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), fechou os dois primeiros nomes para vaga de vice-líder do governo na Casa: o deputado José Nobre Guimarães (PT-CE) e o ex-presidente Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

Vaccarezza enviará as duas indicações para aprovação da presidente Dilma Rousseff na próxima semana.

Até o momento, as outras seis vagas continuam indefinidas.

Autor: Tags: , , , , , ,

sábado, 5 de março de 2011 Governo | 06:01

Vaccarezza: Se José Serra for candidato a prefeito, governistas se juntam contra ele em São Paulo

Compartilhe: Twitter

(Foto: José Cruz/ABr)

Há quem diga que no Brasil tudo funciona depois do Carnaval. Então vale fazer com o governo o balanço do período anterior aos festejos de Momo.

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), diz, em entrevista ao Poder Online, que a presidenta Dilma Rousseff surpreendeu seu adversários ao mostrar que, “além de gestora, também é uma política hábil, que montou o ministério que queria e aprovou tudo no Congresso”.

Vaccarezza afirma que não haverá retaliações contra o PDT por conta da votação do salário mínimo, mas, segundo ele, o ex-líder do partido Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força Sindical, “está a caminho da oposição”.

Quanto às eleições para prefeito de São Paulo, em 2012, Vaccarezza jura que o governo federal não se meterá. Mas, se o ex-governador José Serra, for candidato… Aí “ficará mais fácil unificar” os partidos da base governista em torno de um único candidato.

Poder Online: Qual o balanço deste período anterior ao Carnaval?

Cândido Vaccarezza: Podemos quase que fazer um balanço do primeiro trimestre. Ainda estão para sair as pesquisas de opinião sobre a popularidade da presidenta. Mas creio que o balanço é extremamente positivo para ela.

Poder Online:  Por quê?

Cândido Vaccarezza: Ela venceu as eleições, mas uma parte da opinião pública temia que ela fosse apenas uma técnica, uma gestora. E a presidenta Dilma mostrou que também tem domínio da política. Montou o ministério que quis, administrando todas as forças. E teve uma grande vitória no Congresso na questão do salário mínimo. Além de outros fatores, como ter feito com que as eleições para presidente da Câmara e do Senado transcorressem sem sequelas (Vaccarezza foi pré-candidato a presidente da Câmara).

Poder Online: Mas ela vai continuar vencendo assim no Congresso?

Cândido Vaccarezza: Veja o caso da medida provisória da Autoridade Pública Olímpica (APO). A oposição estava cheia de restrições, mas o texto foi aprovado com folga. E num momento difícil, em que o governo tinha anunciado o corte de R$ 50 bilhões no Orçamento da União, incluindo parte das emendas dos parlamentares.

Poder Online: Qual a projeção que o senhor faz para 2011?

Cândido Vaccarezza: Vai ser um período economicamente difícil. Mas chegaremos no final do ano com um crescimento razoável, de 4,5% do PIB.

Poder Online: Difícil também por conta da gastança eleitoral de 2010?

Cândido Vaccarezza: Não houve gastança eleitoral. O que houve foi uma crise mundial na economia em 2008 e 2009 que obrigou o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a investir e a promover renúncias fiscais em 2009 e 2010, de forma a manter o ciclo de crescimento do país. Não fizemos isso por motivação eleitoral, mas porque era a fórmula adequada para enfrentar a crise.

Poder Online: E a questão do PDT na votação do salário múinimo? Foi o senhor que não convidou o líder do partido, Giovanni Queiroz (PA), para a última reunião da bancada.

Cândido Vaccarezza: Ele próprio declarou ao iG que seria um constrangimento estar lá, logo depois de ter sido o partido governista que teve mais votos contra a proposta do governo. Não digo que foi combinado, mas houve um entendimento tácito, entre nós dois, de que não era adequada a sua presença. Mas nas próximas reuniões o Giovanni será convidado.

Poder Online: E ficou tudo certo com o ex-líder do PDT Paulinho da Força Sindical?

Cândido Vaccarezza: Aí existe realmente um desconforto, na medida em que ele atuou de forma quase desequilibrada na votação do mínimo, com xingamentos contra o PT. Eu diria que, no momento, o Paulinho está caminhando para a oposição. Ele precisa se decidir se é governo ou oposição.

Poder Online: Quais as prioridades do governo daqui para a frente?

Cândido Vaccarezza: Votar as medidas provisórias que paralisam a pauta do Congresso, e as políticas centrais do governo. Especialmente as matérias relativas à educação e às urgências sociais, como segurança e saúde.

Poder Online: Em termos de projetos…

Cândido Vaccarezza: Temos ideia, por exemplo, de colocar em pauta a desoneração das folhas de pagamentos das empresas. Mas temos que esperar o momento adequado, na medida em que também é prioridade segurar a inflação.

Poder Online: E a reforma política?

Cândido Vaccarezza: Essa é mais uma prioridade dos partidos do que do governo. Não está claro, para o governo, o resultado das comissões especiais sobre reforma política criadas na Câmara e no Senado.

Poder Online: Quanto à eleição para prefeito de São Paulo, como o governo vai se comportar?

Cândido Vaccarezza: Olha, 2012 ainda está longe. Mas eu, particularmente, tenho a impressão de que haverá uma pulverização de candidaturas. Tanto na base governista quanto na oposição. O governo poderá trabalhar pela unificação, mas será difícil. Creio num número grande de candidatos.

Poder Online: O governo nada fará, mesmo se o José Serra for candidato?

Cândido Vaccarezza: Aí fica mais fácil unificar os partidos que apóiam o governo.

Autor: Tags:

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011 Congresso | 16:20

Governo pede urgência na votação do Tratado de Itaipu

Compartilhe: Twitter

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), apresentou na terça-feira um requerimento de urgência ao projeto que altera o Tratado de Itaipu.

O requerimento precisa ser aprovado pelo plenário para que possa ser incluído na pauta das próximas sessões, que acontecem às terças e quartas-feiras.

O projeto de revisão do Tratado de Itaipu, já aprovado no Parlamento do Mercosul, fará com que o Brasil triplique de US$ 120 milhões para US$ 360 milhões os pagamentos anuais a Assunção pela compra da energia excedente da hidrelétrica de Itaipu.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 Governo | 21:10

Dilma acompanha votação do mínimo passo a passo

Compartilhe: Twitter

A presidente Dilma Rousseff assiste do Palácio do Planalto neste momento a transmissão ao vivo da votação do salário mínimo na Câmara.

Dilma está de olho principalmente no PDT e PMDB.

Ela ligou para o líder do governo na Casa, Cândido Vaccarezza (PT-SP), agora há pouco e pediu o levantamento das expectativas de voto.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011 Congresso | 15:33

Para Vaccarezza, janela continua fechada

Compartilhe: Twitter

Vaccarezza: contra a janela (Foto: AE)

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), tem garantido por aí que a tal da janela – que permitiria aos políticos migrarem de partido sem perder o mandato e que se tornou bandeira do vice-presidente Michel Temer – vai continuar fechada.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 Congresso | 20:48

Vaccarezza e Paulinho da Força são flagrados em plena negociação

Compartilhe: Twitter

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), e o deputado Paulinho da Força Sindical (PDT-SP) foram surpreendidos aos cochichos agora há pouco no Salão Verde da Câmara.

Apesar de terem posado sorridentes ao Poder Online, deixaram claro que ainda não há qualquer acordo entre governo e centrais sindicais sobre o aumento do salário mínimo.

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 10
  3. 11
  4. 12
  5. 13
  6. 14
  7. Última