Publicidade

Posts com a Tag Cândido Vaccarezza

sexta-feira, 30 de março de 2012 Congresso | 13:01

Vaccarezza esfria a cabeça em Londres

Compartilhe: Twitter

O ex-líder do governo na Câmara Cândido Vaccarezza (PT-SP) tirou um dias para esfriar a cabeça pela Inglaterra.

O deputado passará a próxima semana e o feriado de Páscoa em Londres.

Na volta, Vaccarezza tem encontro marcado com o ex-presidente Lula. Entre os assuntos, o parlamentar deve expor ao ex-presidente o ressentimento pela forma como foi demitido da liderança do governo na Câmara.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 16 de março de 2012 Governo | 06:01

Dilma substituiu Vaccarezza à revelia de Lula

Compartilhe: Twitter

Há algumas semanas a presidenta Dilma Rousseff confidenciou ao ex-presidente Lula que pretendia afastar do cargo o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP).

Lula convenceu a sucessora a não tomar tal atitude.

Mas isso foi antes da derrota na votação de Bernardo Figueiredo para presidente da ANTT, em meio a uma rebelião do PMDB do Senado.

Após a derrota, Dilma telefonou para Lula e disse-lhe que, agora, teria que substituir o líder do governo no Senado, o peemedebista Romero Jucá (RR).

E que iria aproveitar para fazer o tal “rodízio nas lideranças”.

Lula viu que a presidenta estava decidida a afastar Vaccarezza. Então lavou as mãos.

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 14 de março de 2012 Governo | 07:37

Vaccarezza atribui queda a Ideli Salvatti

Compartilhe: Twitter

No Senado, não no horizonte uma votação tão importante quanto aquela em que o governo foi derrotado, na indicação do presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres.

Na Câmara, o novo líder, Arlindo Chinaglia (PT-SP), passará por uma prova de fogo: a votação do novo Código Florestal — que era para ocorrer esta semana, mas deverá ser adiada.

No gabinete de Cândido Vaccarezza (PT-SP) diz-se é que se ele não tivesse sido destituído agora o seria na votação do Código.

Por que?

Porque a avaliação generalizada na Câmara é de que o Código só passa se o governo permitir alterações no projeto aprovado pelo Senado.

Mas a ministra-chefe das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, com quem Vaccarezza não se dava, cortou toda margem de negociação sobre o Código, e isso tornaria inevitável um choque do líder do governo com o Planalto, ou a sua derrota em plenário.

Qualquer das duas situações colocariam a sua cabeça a prêmio.

Não se sabe se Ideli colocou Vaccarezza em xeque apenas para fritá-lo. Mas, na última reunião de líderes, a ministra disse claramente que era tudo ou nada: o Palácio só aceitaria a aprovação do texto exatamente como veio do Senado.

Deixou a todos de queixo caído.

Agora é ver se, com Arlindo Chinaglia como líder, Ideli cederá.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 13 de março de 2012 Congresso | 13:12

Vaccarezza: Dilma mexeu em time que estava ganhando

Compartilhe: Twitter

O deputado Cândido Vaccarezza disse que enquanto ocupou a liderança do Governo na Câmara ganhou todas as votações para o Planalto na Casa. Ainda assim, o parlamentar afirmou que apóia a decisão da presidenta Dilma Rousseff de tirá-lo do cargo.
Confira no vídeo:

Autor: Tags: ,

Governo | 06:01

Vaccarezza acerta hoje com Dilma a saída. Ele desconfia de esvaziamento das lideranças do PMDB

Compartilhe: Twitter

Cândido Vaccarezza (Foto: José Cruz/ABr)

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), não soube por ninguém do Palácio do Planalto que deixará o cargo. Foi informado pelo líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL).

Renan esteve ontem no Planalto e obteve a informação de viva voz da presidenta Dilma Rousseff, que explicou sua decisão como “um rodízio” nas lideranças.

Vaccarezza foi ao Palácio obter mais dados. Não conseguiu. O máximo que recebeu foi um convite para conversar hoje com Dilma e o aceno para esperar no cargo até amanhã.

Ele não pretende ficar. Assim que a presidenta lhe contar que quer substituí-lo, planeja passar o cargo a um vice-líder e retornar à planície.

A amigos disse ter entendido o movimento de Dilma no Senado: nomeou Eduardo Braga (PMDB-AM) para fortalecer o grupo dissidente do partido e acenar que é contrária a candidatura de Renan para presidente da Casa.

Na Câmara, Vaccarezza disse não saber ainda as intenções de Dilma.

Mas desconfia de que também seja para esvaziar a candidatura do líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), a presidente da Casa.

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 12 de março de 2012 Governo | 18:10

Dilma substitui Jucá por Eduardo Braga, no Senado, e ameaça também líder do governo na Câmara

Compartilhe: Twitter

Novo líder do Governo no Senado, Eduardo Braga (Foto de Moreira Mariz - Agência Senado)

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), será substituido no cargo pelo senador Eduardo Braga (PMDB-AM).

Jucá é a primeira mudança decidida pela presidenta Dilma Rousseff na sua estrutura de coordenação política depois da revolta peemedebista que resultou na derrota do governo, quarta-feira, durante a votação de Bernardo Figueiredo para presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres.

Dilma escolheu Braga para contemplar o chamadao “Grupo dos Oito” do PMDB, composto de senadores que declararam não se submeter à liderança de Jucá, do próprio líder do partido, Renan Calheiros (AL), e do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

Ela cobrou do novo líder, ao convidá-lo, que reunifique o partido em torno do governo.

O anúncio  oficial deverá ser feito até amanhã.

A expectativa é de que também haja mudanças na Câmara, envolvendo o líder do governo na Casa, Cândido Vaccarezza (PT-SP).

No dia da derrota, Jucá foi o primeiro a reconhecer problemas na base governista:

Veja também: Romero Jucá se agarra ao cargo

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 8 de março de 2012 Congresso | 15:45

Na Câmara, Vaccarezza sofre com pressão

Compartilhe: Twitter

O líder do governo na Câmara Cândido Vaccarezza (PT-SP), anda sofrendo literalmente com a pressão.

Hoje, o parlamentar foi barrado por médicos para fazer doação de sangue porque estava com a pressão sanguínea muito alta.

No campo político, o governo vem sendo pressionados pelos partidos da base aliada que estão insatisfeitos com o tratamento dado pelo Palácio do Planalto.

Por conta da tensão envolvendo as negociações da aprovação do novo código florestal, o governo decidiu adiar a votação da matéria para a semana que vem.

Para piorar a situação, há o risco de de um novo adiamento.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 6 de março de 2012 Congresso | 12:33

MP dos Deslizamentos de Terra vira dor de cabeça para o governo

Compartilhe: Twitter

O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), pretende iniciar hoje um esforço de plenário para votar nesta semana seis medidas provisórias prestes a vencer que estão trancando a pauta de votações.

A primeira da lista é a MP 547, que permite ao governo federal criar um cadastro nacional com informações sobre áreas sujeitas a deslizamentos de grande impacto e outros acidentes geológicos graves, como desmoronamentos de rochas.

O problema é que o relator, Glauber Braga (PSB-RJ), elaborou um detalhado projeto de lei de conversão completamente à revelia do governo.

Ele propõe um novo Estatuto da Defesa Civil, com a revogação da atual Lei de Defesa Civil; um Plano Nacional de Proteção Civil; e a criação de um fundo para prevenção de acidentes composto de recursos dos royalties do pré-sal.

Ou seja, mudou quase toda a medida provisória, para desespero do líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP).

O relator tem cruzado os corredores do Congresso sem dar nem bom dia a Vaccarezza, que promete derrubar ponto por ponto de sua proposta em plenário, se ela for mesmo a voto.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 1 de março de 2012 Congresso | 15:06

Vaccarezza pediu socorro a Cabral para votar Fundo dos Servidores

Compartilhe: Twitter

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), precisou pedir socorro ao governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), para conseguir votar o fundo que cria previdência complementar para os servidores públicos federais.

A medida foi necessária diante da ameaça da bancada do Rio de Janeiro, com o apoio dos capixabas, de obstruírem qualquer votação que entrasse na pauta da Câmara.

A ameaça foi feita depois que os estados não produtores articularam a inclusão na pauta da semana que vem a votação do projeto que define a redistribuição dos royalties de petróleo.

Cabral atendeu aos apelos do líder governista e acalmou a bancada fluminense.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012 Congresso | 08:01

Para Vaccarezza, apoio do PSDB foi bem vindo

Compartilhe: Twitter

Apesar de ter tido problemas com partidos da base aliada para aprovar o projeto que cria o fundo previdenciário para servidores públicos, o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), comemorou que o PSDB tenha votado com o governo.

O nível de satisfação foi tamanho que Vaccarezza recorreu a filosofia do líder partidário chinês do tempo da Guerra Fria Deng Xiaoping para descrever o apoio:

– Não importa a cor do gato, o importante é comer os ratos.

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 5
  3. 6
  4. 7
  5. 8
  6. 9
  7. 10
  8. Última