Publicidade

Posts com a Tag César Maia

terça-feira, 9 de setembro de 2014 Eleições | 15:58

Ministro que suspendeu condenação de Cesar Maia é relator de Arruda no STJ

Compartilhe: Twitter
Ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça. (Crédito: STJ)

Ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça. (Crédito: STJ)

Autor da liminar que suspendeu a condenação do candidato a senador Cesar Maia (DEM-RJ) pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça, também relatará o recurso que pode anular a condenação do candidato a governador José Roberto Arruda (PR-DF).

Em ambos os casos, uma decisão favorável do STJ aos candidatos, condenados por improbidade administrativa, poderia reverter a impugnação imposta pela Justiça Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 29 de novembro de 2012 Brasil | 13:30

Para Cesar Maia, desemprego é de 22,1%

Compartilhe: Twitter

Em comentário publicado hoje em seu ‘ex-blog’, o vereador eleito Cesar Maia (DEM), ex-prefeito do Rio, questiona o índice de desemprego – 5,3% – divulgado pelo IBGE.

Economista, diz que a taxa não leva em consideração o que chama de “emprego precário”. Segundo ele, “em qualquer lugar do mundo” os subempregados são somados aos desempregados.

Para ele, o IBGE deveria divulgar duas taxas: “a de desemprego por sua metodologia” (pessoas que procuram emprego, critério hoje utilizado); e a de “desemprego total, agregando o emprego precário, como se faz na Europa”.

Segundo Maia, 4,318 milhões de pessoas exerciam empregos precários em outubro, 17,8% da PEA, População Economicamente Ativa.

A soma do desemprego oficial com os empregados de forma precária chegaria, portanto, a 22,1%, um “número espanhol, um número grego”, ressalta o ex-prefeito.

Para chegar ao total, ele utilizou números do próprio IBGE. Somou quatro categorias: as pessoas “marginalmente ligadas a PEA (População Economicamente Ativa)”, as “desalentadas”, as “subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas” e as que obtiveram renda por hora menor que o salário mínimo por hora.

No texto, ele dá o link para a tabela do IBGE de onde retirou os números.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 19 de novembro de 2012 Brasil, Cidades | 11:01

Monstro entre o mar e a lagoa nasce sem pai

Compartilhe: Twitter

Briga das boas no Rio. Em meio ao embrulha e manda de projetos supostamente relacionados às Olimpíadas, o vereador eleito e ex-prefeito Cesar Maia (DEM) acusa Eduardo Paes (PMDB) de ter mentido ao falar sobre a licença de construção, pela rede Hyatt, de um complexo residencial e hoteleiro na Barra da Tijuca.

Ontem, o atual prefeito disse que a autorização foi concedida em 2005 – antes do início de seu mandato. A obra seria feita num dos trechos mais bonitos do litoral carioca, uma estreita faixa de areia entre o mar e a lagoa que integraria uma Área de Proteção Ambiental.

Em 2005, Maia era o prefeito da cidade. Hoje, em seu comunicado diário – o “ex-blog” -, ele nega ser o responsável pelo monstro e joga a responsabilidade no colo de seu sucessor.

O ex-prefeito diz ter vetado o projeto que, segundo ele, nasceu na Câmara Municipal. Afirma que Paes viabilizou a proposta ao deixar correr solta uma briga judicial.

No sábado, uma manifestação de moradores contra a obra foi reprimida com spray de pimenta pela polícia.

Em seu Twitter, Maia divulgou o folder da área residencial do empreendimento, que, se ninguém impedir, será construído pela Brookfield.

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 7 de outubro de 2012 Eleições | 09:21

Anthony Garotinho: “Campanha do Rodrigo Maia errou porque se fixou no eleitorado do pai”

Compartilhe: Twitter

Ex-governador do Rio de Janeiro, o deputado federal Anthony Garotinho (PR) juntou-se ao ex-prefeito Cesar Maia (DEM) e formaram uma chapa para a Prefeitura com seus filhos: Rodrigo Maia, para prefeito, e Clarissa Garotinho, para vice.

Tudo indicava que a união de duas famílias campeãs de votos, no mínimo, daria muito trabalho aos adversários. Mas nada…

Segundo as pesquisas, a chapa Maia-Garotinho não deve passar de um dígito no computo geral dos votos da cidade do Rio de janeiro.

A coluna conseguiu falar com Anthony Garotinho por telefone, nesta manhã, no momento em que ele ia depositar seu voto na urna.

Poder Online – O que deu errado?

Anthony Garotinho – Erraram na campanha. Quiseram resgatar o eleitor do César Maia, que é o eleitor da Zona Sul, propenso aos temas da classe média e alta. Mas esse eleitor guia-se por modismos. Um eleitor que, depois do período do César Maia, foi para os temas do PV e votou no Fernando Gabeira, nas últimas eleições para prefeito.  O Gabeira acabou derrotado pelo atual prefeito, o Eduardo Paes (PMDB). Agora, esse eleitor da Zona Sul, guiado pelos artistas, partiu  em direção ao Marcelo Freixo, do PSol.

Poder Online – E a Zona Sul é minoria no Rio…

Anthony Garotinho – Pois é. Este foi o maior erro. Desde o início eu avisei a eles que o Rio de Janeiro tem dois eleitores clássicos. O da Zona Sul, ou seja, aquele do Túnel Rebouças para a praia. Que é o eleitor lacerdista (relativo ao ex-governador Carlos Lacerda, que dominou a política carioca nos anos 60). Trata-se de, no máximo, 25% do eleitorado da cidade.

Poder Online – E os outros 75%?

Anthony Garotinho – Esses 75% — ou seja a grande maioria — estão do Túnel Rebouças para cima. Trata-se do eleitor da Zona Norte e da Zona Oeste da cidade, dos corredores de trens da Central do Brasil e da linha da Leopoldina. É um eleitor predominantemente trabalhista, mais afeito a temas como melhoria dos transportes, do emprego, das condições de trabalho. Mas a campanha abandonou esse eleitor.

Poder Online – O senhor disse que avisou. Não lhe deram ouvidos?

Anthony Garotinho – Falei uma, duas, três vezes. Depois parei. Não queria ser taxado de inconveniente. Tirei meu time de campo. Não participei de nenhuma caminhada. Fui cuidar da minha vida e da eleição de aliados em outras cidades, onde acho que estou me saindo muito bem.

Poder Online – Mas essa linha de campanha deve ajudar na eleição do Cesar Maia, que é candidato a vereador.

Anthony Garotinho – Vamos ver… Como ex-prefeito da cidade, ele terá se saído bem se tiver no mínimo 150 mil votos. Para deputado federal, eu tive 700 mil votos, sendo 177 mil só no Rio de Janeiro. Vamos falar do futuro só depois da contagem dos votos.

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 3 de outubro de 2012 Eleições | 13:30

Cesar Maia: pode haver segundo turno em Belo Horizonte

Compartilhe: Twitter

O ex-prefeito do Rio de Janeiro Cesar Maia (DEM) é candidato a vereador e pai de um dos candidatos a prefeito, Rodrigo Maia. Portanto, uma figura diretamente interessada nas eleições e que o mais das vezes embaralha seus interesses e divergências políticas com as análises que faz.

Mas de qualquer maneira é uma figura muito inteligente e especializado em análises de pesquisas eleitorais. Não pode ser ignorado.

É curiosa sua sua análise de hoje na newsletter eletrônica “O ex-Blog do Cesar Maia”:

IBOPE COMEÇA A MOSTRAR EFEITOS DA POLARIZAÇÃO COM CONFRONTO!

1. Em S. Paulo e Belo Horizonte os efeitos das polarizações com confronto começam a desequilibrar o quadro eleitoral anterior. Em S. Paulo, Serra e Haddad duelam e ficam parados. O que Russomanno perde (tendência antecipada pelo Twitter deste Ex-Blog), quem absorve é Chalita.

2. Chalita passou o primeiro mês de TV com 5% das intenções de voto e já chega a 10%. A diferença de Serra e Haddad para Russomanno de 8 e 9 pontos é a mesma da Chalita para Serra e Haddad. Mas com uma diferença: Serra e Haddad estão parados e Chalita cresce.

3. A probabilidade de Serra e Haddad alcançarem Russomanno é menor que a de Chalita alcançar Serra e Haddad. Por isso, a imprensa deveria incluir Chalita no quadro eleitoral que destaca. O vetor de crescimento de Chalita foi percebido por ele que em seu programa, em que chama a atenção para o confronto PT-PSDB e convoca  o eleitor para um voto útil, numa terceira via de harmonia. Vem dando certo.

4. Em Belo Horizonte, a polarização com confronto entre Lacerda e Patrus aproximou a ambos, mas para uma diferença que não será alcançada por Patrus. Mas essa diferença de 9 pontos abre a possibilidade, que não existia antes, de um segundo turno. Os demais candidatos (somando intenção de voto com números fracionários) já somam 5 pontos.

5. Isso ocorre pelo voto –nem um nem outro- que no caso de Belo Horizonte, infla os nanicos. Desta forma, há dois movimentos convergentes: crescimento de Patrus e crescimento dos nanicos. A diferença então passa a ser de 4 pontos para se chegar ao segundo turno, gerando uma possibilidade que não existia duas semanas atrás.

6. As duas demais pesquisas no Rio e em Curitiba ratificam a situação anterior. O crescimento dos líderes é apenas o efeito do voto –se vai ganhar marco ele- que sempre se dilui perto das urnas.

7. O cancelamento do debate em S. Paulo deve ter sido um alívio para a TV Globo, pelo risco do debate desempatar Serra e Haddad e a “culpa” ser da emissora.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 23 de agosto de 2012 Eleições | 11:11

Uma lição do Boni sobre marketing político na TV

Compartilhe: Twitter

Vai aí uma lição de marketing político em televisão que o ex-prefeito do Rio de Janeiro Cesar Maia recebeu de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, quando este era o todo-poderoso da TV Globo, em 1998.

Quem conta é o próprio Cesar Maia em sua news letter eletrônica, “O Ex-Blog”:

Na campanha de 1998, o prefeito Cesar Maia, que havia elegido seu sucessor e deixado o governo com aprovação recorde em todos os tempos, mostrava na TV as suas realizações e projetava um presente e um futuro iluminados. Era um Rio perfeito. Um dia, ele recebeu um telefonema do Boni, que pediu que ele enviasse 3 vídeos de seus programas e que fosse ao escritório dele. Assim foi feito.

Boni passou os vídeos e fazia pausas seguidas: Cesar, esse hospital brilhando não tem nem em corredor de hotel de cinco estrelas na Suíça. Esses funcionários parecem que são manequins Armani, desfilando seus uniformes. Esses testemunhais populares parecem ter saído de uma aula de português machadiano. Parece que essa casa foi dada a uma secretária bilíngue. E as mães elogiando devem ter gravado em teleprompter. E esse clima de euforia…, nem com o Brasil campeão do mundo.

Cesar, caia na real e mostre as coisas como são, a vida como ela é. O que você consegue é frustrar a grande maioria das pessoas, que em casa, na frente da TV, diz uma de duas coisas: “Mas que mentirada…!” ou “É, esse cara só pensa em outros bairros, o nosso está abandonado. Vê lá se o posto de saúde aqui é assim”.

Cesar, essa cidade que você estra mostrando, ninguém que está assistindo vive nela. E quem está vendo seu programa é quem assiste à novela das 8. Esse seu programa será derrota eleitoral certa. Mostre o que você fez, mas dentro da realidade das pessoas.

Cesar Maia, é claro, mudou o programa. E elegeu-se.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 20 de agosto de 2012 Eleições | 11:03

A derrota da derrota para Cesar Maia e Garotinho

Compartilhe: Twitter

O ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PR) e o ex-prefeito Cesar Maia (DEM), quando formaram uma chapa com seus filhos Rodrigo Maia, para prefeito, e Clarissa Garotinho, para vice,  já contavam com uma provável vitória do atual prefeito Eduardo Paes (PMDB).

Apostavam quem um bom desempenho de seus filhos os ressuscitaria na política do estado.

O que eles não contavam era com uma derrota até para o candidato do PSol, Marcelo Freixo.

Caso se concretize o segundo lugar de Freixo, como vêm apontando as pesquisas —  ou até um segundo turno entre ele e Paes –, será o pior dos cenários para Garotinho e Maia.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 17 de agosto de 2012 Diplomacia | 16:46

Bolívia cobra salvo-conduto da Inglaterra, mas não concede ao Brasil

Compartilhe: Twitter

Do ex-prefeito do Rio Cesar Maia em sua newsletter eletrônica “O Ex-Blog”:

Na maior cara de pau, o governo da Bolívia se solidariza como do Equador no caso do asilo diplomático para Assange (wikileaks),em que o Reino Unido não dá salvo-conduto. O governoboliviano não tem autoridade para isso. Roger Pinto Molina – senador boliviano de oposição — está abrigado na Embaixada do Brasil em La Paz desde 28 de maio deste ano. No iníciode junho ele recebeu asilo político do Brasil, mas ainda aguarda salvo-conduto das autoridades bolivianas para poder deixar a Bolívia.

É verdade…

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 23 de julho de 2012 Internacional | 10:34

DEM estreita os laços com o Paraguai após destituição de Lugo

Compartilhe: Twitter

Como se sabe o Partido Democratas (DEM) foi contrário às manifestações do governo brasileiro condenando a destituição, pelo Congresso, do ex-presidente do Paraguai Fernando Lugo.

Assessor de Relações Internacionais do DEM, o ex-prefeito do Rio de Janeiro Cesar Maia chega hoje a Assunção, a convite dos partidos majoritários, “para contatos em nível presidencial” amanhã com o governo e parlamento paraguaio.

Maia acompanha o senador chileno Jovino Novoa,  presidente da União de Partidos Latino-americanos (Upla).

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 5 de junho de 2012 Eleições | 10:06

Cacique do DEM sugere que pesquisas em SP ainda estão distorcidas em favor de Serra

Compartilhe: Twitter

Do ex-prefeito do Rio Cesar Maia, um estudioso de pesquisas eleitorais, em sua news letter eletrônica “O Ex-Blog”:

LULA COM HADDAD NA TV!

1. O PSDB vai acionar o TRE-SP pela presença de Lula com Haddad, seu candidato a prefeito de SP a tiracolo, no programa do Ratinho. Deveria deixar isso para lá. Afinal, quanto mais cedo o PSDB souber do potencial de crescimento de Haddad, melhor.

2. As pesquisas que comparam candidatos com visibilidade e conhecimento muito diferentes, como o caso de Serra x Haddad e Chalita, distorcem a projeção de competitividade eleitoral. Aparecer na TV? Melhor assim, ampliando o conhecimento do eleitor de quem é quem, de forma a se ter um quadro eleitoral realista e ninguém ser surpreendido em agosto.

3. E o que dizer dos prefeitos atuais candidatos à reeleição que aparecem todos os dias na imprensa e ainda tem direito a fazer publicidade? Nesses casos a distorção “visibilidade e conhecimento” é muito maior e a surpresa em agosto pode deprimir a campanha do “favorito por exposição”.

4. Melhor que o jogo comece logo e que a interpretação dos TREs e TSE seja mais flexível em relação a uma lei que só ajuda quem está no poder ou quem é mais conhecido, distorcendo a pré-campanha.

5. As eleições primárias nos EUA são exemplo de máxima visibilidade pré-eleitoral, permitindo uma adequada avaliação dos potenciais de voto.

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última