Publicidade

Posts com a Tag Controladoria-Geral da União

quinta-feira, 17 de setembro de 2015 Governo, Sem categoria | 20:47

Adams deixará AGU após julgamento no TCU e Beto Vasconcelos deve assumir o cargo

Compartilhe: Twitter
Luís Inácio Adams (Foto: ABr)

Luís Inácio Adams (Foto: ABr)

O chefe da Advocacia Geral da União (AGU), Luís Inácio Adams, deverá deixar o governo tão logo termine a defesa das contas da presidente Dilma Rousseff, no Tribunal de Contas da União (TCU), no processo que trata das chamadas “pedaladas fiscais”.

Adams já comunicou ao Planalto que está cansado e sua intenção de sair.

Caso as contas do governo em 2014 sejam reprovadas pelo órgão, o governo pretende recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF). No entanto, o recurso já deverá ser apresentado pelo substituto de Adams na função.

O nome pensado pela presidente é o de Beto Vasconcelos, atual chefe da Secretaria Nacional de Justiça, do Ministério da Justiça.

Adams ocupa a AGU desde 2009 e chegou a esperar uma indicação da presidente para um vaga no Supremo, o que não ocorreu. Vasconcelos também chegou a ser cotado para ser indicado por Dilma para a vaga, atualmente ocupada pelo ministro Luís Roberto Barroso.

Além disso, a AGU deverá perder os status de ministério na reforma que a presidente deverá anunciar na próxima semana. O governo estuda fazer o mesmo com outros órgãos de assessoramento como a Controladoria Geral da União (CGU), hoje comandada pelo ministro Valdir Simão, e o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), dirigido pelo general José Elito.

 

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 23 de abril de 2014 Congresso | 20:00

Deputados pressionam governo pela contratação de concursados da CGU

Compartilhe: Twitter
O deputado federal Amauri Teixeira, em reunião com o MPOG. (Foto: Divulgação)

O deputado federal Amauri Teixeira, em reunião com o MPOG. (Foto: Divulgação)

A Câmara dos Deputados enviou, neste mês, uma sugestão à presidente Dilma Rousseff para “nomeação de todos os aprovados fora do número de vagas de Analista de Finanças e Controle da Controladoria-Geral da União”, de autoria do deputado Amauri Teixeira (PT-BA).

A recomendação não para por aí: alguns deputados têm se reunido pessoalmente com assessores do Ministério do Planejamento e da Casa Civil, para garantir a convocação dos concursados.

O objetivo, segundo Teixeira, é aumentar o poder de fiscalização da CGU, para inibir a corrupção – especialmente quando o tema tem aparecido como uma das principais preocupações do brasileiro para as eleições.

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 Governo | 16:24

Governo gasta R$ 50 milhões no combate à corrupção em 2011

Compartilhe: Twitter

No ano passado, o governo federal gastou R$ 50.510.528,41 com o programa de Controle Interno, Prevenção e Combate à Corrupção, de responsabilidade da Controladoria-Geral da União (CGU). Os maiores gastos foram com a gestão e a administração, R$ 35.637.837,70. Os números são do Portal da Transparência.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 8 de abril de 2011 Congresso | 07:02

Projeto de quarentena mais rigorosa está parado no Congresso há quatro anos

Compartilhe: Twitter

Esplanada dos Ministérios: 47 autoridades estão em quarentena

De janeiro a março, o governo gastou R$ 686.282,82 com os salários de 47 autoridades – entre os quais ministros – que estão no período de quarentena. No fim do mês, o total chegará a R$ 950.043,76.

Estabelecida em 2001, a quarentena é o período em que, após a exoneração, os titulares de cargos comissionados nos ministérios, secretarias, fundações e autarquias ligadas ao Executivo e do grupo mais bem recompensado de Direção e Assessoramento Superior, o chamado DAS-6, ficam impedidos de exercer atividades ou prestar serviços no setor de sua atuação.

Considerando as atuais regras ultrapassadas, a Controladoria-Geral da União elaborou um projeto de lei para tornar mais rigorosos os critérios da quarentena.

O governo Lula enviou o projeto ao Congresso em 2006, mas desde 2008 ele está parado na Mesa Diretora da Câmara.

As novas regras ampliarão o rol de cargos abrangidos e modificarão as penalidades e a política de remuneração para os  ex-integrantes do governo. Se aprovadas, o período de quarentena passa de quatro meses para um ano e o pagamento fica condicionados à prova de que as autoridades não possam trabalhar em suas respectivas áreas.

Autor: Tags: , , , , ,