Publicidade

Posts com a Tag Davi Zaia

terça-feira, 6 de maio de 2014 Política | 22:07

Em SP, PT evoca Mario Covas na CPI dos Pedágios e deputado pede sessão de umbanda

Compartilhe: Twitter

Durante a eleição do presidente da CPI dos Pedágios na Assembleia Legislativa de São Paulo, os deputados petistas Gerson Bittencourt e Antonio Mentor evocaram o ex-governador Mario Covas na tentativa de persuadir o deputado Bruno Covas (PSDB-SP) a não assumir a presidência da comissão.

Os petistas alegaram que o modelo responsável pelas elevadas tarifas de pedágios foi criado por Covas, avô do deputado, e que financia a perpetuação de um mesmo partido no poder.

Leia também: PT vai reivindicar presidência da CPI dos Pedágios

Coube ao deputado Campos Machado (PTB-SP) sair em defesa da família tucana. “Mário Covas não foi apenas um político, foi um estadista, um homem profundamente honesto, honrado, franciscano, correto, preparado, sério e de caráter, que não pode se defender, a não ser que nós façamos aqui uma sessão de umbanda, uma sessão espírita”, afirmou.

A vice-presidência da CPI ficou com Mentor e Covas indicou o também ex-secretário do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) deputado Davi Zaia (PPS-SP) para a relatoria.

Com a chamada “tropa de choque” do governador na comissão, a oposição considera que a CPI já nasceu morta.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014 Eleições | 07:00

‘Se as condições mudam, a decisão pode mudar’, diz PPS sobre apoio a Campos

Compartilhe: Twitter

Diante da perspectiva de uma ruptura na aliança entre o PSB e o PSDB em São Paulo, o PPS avisa que pode sim rever o apoio à candidatura presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos. O partido do deputado Roberto Freire deixou claro desde o início que enxergava como condição o apoio à reeleição do governador Geraldo Alckmin.

“Se as condições mudam, a decisão pode mudar também. Algumas condições estavam claras naquele momento, a negociação do PSDB com o PSB estava avançada. Nossa decisão de apoio ao Alckmin está definida e não vai mudar. Se o PSB mudar, nós teremos que avaliar esse novo quadro”, afirma o presidente do PPS-SP, Davi Zaia, secretário de Gestão Pública do governo de São Paulo.

Leia também: Campos e Marina se reúnem com membros da Rede em SP

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 18 de abril de 2013 Estados | 14:57

Depois de fusão, Mobilização Democrática põe em dúvida apoio a Alckmin em 2014

Compartilhe: Twitter

Geraldo Alckmin (PSDB) terá de gastar mais energia com um aliado natural em São Paulo. É que depois da fusão com o PMN, o PPS já fala em tom de incerteza sobre o apoio ao tucano em 2014.

O secretário estadual de Gestão de São Paulo, Davi Zaia, que também é presidente do PPS paulista, diz que a tendência é continuar com Alckmin, mas com possibilidades abertas.

“A expectativa é continuar com Alckmin em 2014, mas isso não é 100%”, disse Zaia.

Às 16h10, após a publicação da nota, o secretário Davi Zaia procurou o Poder Online e disse que falava sobre o contexto de Alckmin ainda não ter anunciado sua candidatura à reeleição ao governo paulista e que assim que o tucano o fizesse o partido estará “100%” junto.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 16 de abril de 2013 Estados | 14:30

Ex-presidente da SPTrans é convidado a assumir comando da Fundap

Compartilhe: Twitter

Ulrich Hoffmann deixou na semana passada a chefia de gabinete do secretário estadual de Gestão Pública de São Paulo, Davi Zaia (PPS). Ele foi convidado para assumir a Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap), órgão ligado ao governo paulista.

Hoffmann, que foi presidente da SPTrans, foi companheiro de José Serra (PSDB) nos tempos de exílio no Chile.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 9 de outubro de 2012 Eleições | 18:57

Soninha sinaliza apoio a Serra mesmo que PPS decida por neutralidade

Compartilhe: Twitter

A cúpula do PPS se reúne às 20h para discutir o rumo que a legenda deverá tomar na eleição paulistana.

O partido deve apoiar José Serra (PSDB), mas quer buscar na reunião desta noite definir alguns pontos fundamentais para o PPS, como a forma de atuação na campanha e o futuro da legenda a partir desse apoio.

Soninha dá sinais de que caso o PPS decida ficar neutro na disputa, ela se sentiria a vontade para apoiar Serra individualmente, mas prefere construir um consenso nesse sentido dentro do partido.

Participam do encontro o secretário estadual de Gestão Paública, Davi Zaia, que é presidente estadual do PPS, Carlos Fernandes, que preside o diretório municipal, Soninha Francine, Claudio Fonseca, Ricardo Young e Ari Friedenbach.

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 25 de maio de 2012 Eleições | 13:00

Dirigente do PPS reafirma candidatura de Soninha, mas admite dificuldade em conseguir apoio

Compartilhe: Twitter

Presidente estadual do PPS e secretário de Gestão Pública de São Paulo, Davi Zaia negou que tucanos o estejam assediando para fechar uma coligação no primeiro turno da eleições em São Paulo.

Zaia confirmou algumas conversas, mas reafirmou a disposição do partido em lançar a candidatura de Soninha Francine.

José Serra (PSDB) orientou seus emissários a tentar o apoio do PPS, mas sem forçar a barra.

O dirigente do PPS sinalizou também achar difícil a conquista da aliança de outros partidos para Soninha.

Assista:

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 6 de fevereiro de 2011 Estados | 06:04

Soninha: “Se eu temesse críticas, não faria porcaria nenhuma”

Compartilhe: Twitter

Soninha Francine (Foto: Genésio/Futura Press)

A ex-vereadora Soninha Francine (PPS-SP) assumiu na última quarta-feira a Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades (Sutaco), um cargo da Secretaria Estadual do Emprego e Relações de Trabalho do governo paulista. Ela comandará as ações do Estado de São Paulo em prol dos mais de 70 mil artesões. Mas a chefia da Sutaco tem dia e hora para acabar. Soninha quer ser candidata a prefeita de São Paulo em 2012. Nesta entrevista, por email, ao Poder Online, ela diz que não teme as críticas de que só assume cargos pensando na campanha eleitoral e que não se arrepende de ter aceitado ser coordenadora da campanha na internet de José Serra à Presidência.

Como surgiu o convite para assumir a Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades (Sutaco)?

O Davi Zaia, secretário Estadual do Emprego e Relações de Trabalho, imaginou que eu gostaria de trabalhar na Superintendência e, naturalmente, que eu sou capaz de fazer um bom trabalho aqui.

Quando as conversas começaram? O ex-governador José Serra interferiu?

Começaram há pouco tempo, na metade de janeiro, à medida que ele foi tomando pé da Secretaria. O Serra teve zero participação nisso.

Você foi coordenadora de internet da campanha de José Serra à Presidência, área que teve problemas e foi criticada durante as eleições. Você não teme as críticas de que aceita cargos para viabilizar sua candidatura como prefeita? Como encara essas críticas?

Qualquer coisa que se faça na vida pública será alvo de palpites e críticas, razoáveis ou absurdas. E na política, como no futebol ou nos sites de fofoca, há um prazer especial em falar mal, ou botar um veneninho – normal. É humano. Se eu temesse críticas (ou venenos), não faria porcaria nenhuma nessa vida. Não seria política, não trabalharia na administração pública, muito menos tentaria ser prefeita. E em cada trabalho ligado à política ou à administração pública, eu aprendo muito. Pode ser “ruim” do ponto de vista eleitoral porque vira alvo fácil, mas é uma baita experiência. E não tem só pau, não. Muita gente gosta bastante do meu trabalho (risos).

Em algum momento, sentiu que ter aceitado a coordenação da internet da campanha de Serra foi ruim?

Não. Eu sempre soube que a campanha de 2010 ia ser quase insuportável – com o governo federal abusando absurdamente de seus recursos, mentindo e atropelando e se apresentando como um pobre coitado lutando contra os malvados poderosos – mas, por mais que fosse desagradável passar o dia todo mergulhada em desgosto, sempre prefiro fazer parte do que ficar em casa assistindo. Ser vereadora foi o melhor treino do mundo para isso.

Você é candidata a prefeita de São Paulo em 2012?

Quero ser. E em 2016, se precisar, tentar de novo.

Como o PPS pretende viabilizar a coligação?

Vixe, ainda não tratamos disso. Temos nossos desejos e aspirações, claro, mas se não houver interessados em coligar conosco, saímos sozinhos outra vez…

Qual é a função da Sutaco? E qual será o seu papel?

O objetivo da Sutaco é “promoção, o desenvolvimento, a divulgação e a comercialização do artesanato produzido no estado, bem como a valorização do artesão”. Artesanato é expressão cultural e forma de registro da história e identidade de um lugar; é fonte de renda, receita e divisas; é terapia ocupacional ou simplesmente lazer.  Há muito que fazer, portanto. Meu papel é estabelecer as diretrizes da Superintendência – por exemplo, se vamos investir mais em capacitação, divulgação ou comercialização – chefiar a equipe (que é bem enxuta), buscar parcerias no setor público e privado, aperfeiçoar os procedimentos, melhorar as condições de trabalho. O “básico” de uma chefia.

Qual a sua ligação com o artesanato?

ADORO. Faço um pouco, compro muito e já passei pela fase em que eu vendia. Quando viajo, tenho tanto interesse pelo artesanato local quanto pela culinária, paisagens naturais e construções históricas. Mas isso só significa que meu trabalho será especialmente prazeroso, ao viver mergulhada em artesanato e em permanente contato com artesãos. Não é exigência do cargo – há uma equipe qualificada para avaliar, cadastrar e estabelecer relações comerciais com os artesãos. Minha função é outra.  E artesanato tem muito a ver com várias coisas que também me interessam muito: cultura, memória, identidade, geração de renda, lazer, turismo. Do ponto de vista de política e administração pública, lidamos muitas vezes com questões ligadas ao artesanato na Câmara Municipal – alguns projetos tramitam há anos, tentando disciplinar o uso de espaço público para venda de produtos desse tipo. Comissões de artesãos sempre procuram os vereadores, e eu me interessei. Já na Subprefeitura, lidei diretamente com a certificação da atividade e a organização de feiras e eventos, e sonhei com a possibilidade de revitalizar áreas públicas degradadas com oficinas e bancas de artesanato. Mas não deu tempo.

Você continua atuando como jornalista?

No fim do ano passado, eu saí da ESPN-Brasil. Já não tenho mais o mesmo tesão e interesse por futebol que é preciso ter para trabalhar como comentarista em um canal de esporte. Fui me afastando cada vez mais, me envolvendo cada vez menos. E hoje em dia sou bem capaz de trocar um jogo ao vivo por um debate sobre política urbana. Só mantenho a minha coluna na Vida Simples, ao menos por enquanto. E blog, twitter, mas isso é tudo amador.

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 Estados | 07:04

Soninha será superintendente do artesanato

Compartilhe: Twitter

Soninha Francine (AE)

Coordenadora de internet da campanha de José Serra à Presidência, a ex-vereadora Soninha Francine (PPS) deve assumir nos próximos dias a Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades (SUTACO) do Estado de São Paulo.

O órgão é subordinado à Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho, que é comandada por Davi Zaia, presidente do PPS paulista.

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010 Estados | 10:49

A maior mudança de Alckmin

Compartilhe: Twitter

A nomeação do deputado estadual Davi Zaia (PPS) para a secretaria de Emprego e Relações do Trabalho está sendo considerada por alguns tucanos como a maior alteração de diretriz do governador eleito Geraldo Alckmin em relação a José Serra.

Serra manteve no cargo um empresário, Afif Domingos, e Alckmin optou por um sindicalista de centro-esquerda saído da União Geral dos Trabalhadores (UGT).

Autor: Tags: , , ,