Publicidade

Posts com a Tag Fiesp

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 Sem categoria | 11:00

Tucanos tentam usar estatuto da Fiesp para tirar Skaf de cena

Compartilhe: Twitter

O PSDB procurou até no estatuto da Fiesp algo que lhe permita tentar tirar Paulo Skaf de cena. O presidente da entidade, que planeja disputar o Palácio dos Bandeirantes, é tido como um problema de primeira hora para o governador Geraldo Alckmin. A preocupação não vem de seu desempenho nas pesquisas, mas sim do fato de dividir os votos e contribuir para forçar um segundo turno.

O artigo 46 do estatuto da Fiesp diz que é preciso “abster-se-á de qualquer propaganda de ideias incompatíveis com os objetivos definidos nestes Estatutos e de candidaturas a cargos eletivos estranhos aos seus quadros administrativos”.

Para o presidente do diretório municipal do PSDB-SP, Milton Flávio, o fato do Ministério Público Eleitoral ter aceitado a representação anterior do partido, de propaganda eleitoral antecipada utilizando recursos da Fiesp, configura que o artigo 46 foi infringido.

Com isso, também caberia a perda de mandato de Skaf à frente da presidência da instituição, segundo o tucano. O artigo 27 do estatuto prevê a punição que em caso de “malversação ou dilapidação do patrimônio social”.

Leia também: Skaf tentou, mas PCdoB diz não querer conversa

Autor: Tags:

domingo, 8 de setembro de 2013 Sem categoria | 08:00

‘Não pretendo fazer oposição a ninguém’, diz Paulo Skaf

Compartilhe: Twitter

Presidente da Fiesp desde 2004, Paulo Skaf, 58 anos, se diz firme nos planos de se lançar pela segunda vez ao governo do Estado de São Paulo no ano que vem, desta vez pelo PMDB. Em 2010, Skaf disputou a eleição para governador pelo PSB.

Ao Poder Online, ao som de música clássica na sua sala no prédio da Fiesp, Skaf diz que entrou na política com o objetivo de ser “propositivo” e que não tem a intenção de se contrapor a um ou outro campo. “Não pretendo fazer oposição a ninguém. Não entrei na política para me opor a ninguém”, diz ele. Confira a entrevista:

Paulo Skaf (Foto: Vanessa Carvalho/News Free/AE)

Paulo Skaf (Foto: Vanessa Carvalho/News Free/AE)

O senhor já está participando de encontros do PMDB pelo interior do Estado. Como tem sido?
Eu estive em São José dos Campos, São Caetano, Indaiatuba e Cedral. Foram todos muito bons, senti uma recepção muito boa, forte. A base do partido, além da vontade da direção nacional, do presidente (em exercício do partido, senador Valdir) Raupp, deputados estaduais e federais, vereadores, prefeitos, enfim, há realmente uma empolgação muito grande para que, depois de 20 anos, o PMDB tenha no ano que vem realmente uma candidatura a governador. É um voto de confiança. Lógico que eu repito que as coisas têm o seu momento – e neste momento, estamos aqui trabalhando – , mas continuo na presidência das entidades.

Quais devem ser suas bandeiras políticas? Alguns assuntos devem coincidir com o que o senhor defende como presidente da Fiesp e o que será seu discurso como candidato?
Como no caso não sou político de carreira, em 2009 foi a primeira vez que me filiei na vida, eu me apresentei como novidade em 2010. Novamente, nesse momento, me apresento dessa forma. Eu não tive cargo, carreira, mandato de deputado, minha vida esteve ligada mais a questões empresariais e  institucionais, de entidades como Sesi, Fiesp, Senai, Ciesp. Nós temos uma cultura de resultado, o grande diferencial, sinto, que a gente pode oferecer é esse compromisso com resultado. E ter compromisso com resultado é ter compromisso com as pessoas e ter respeito pelas pessoas. Por exemplo, não adianta você inaugurar uma escola, isso não resolve o problema. Você tem que inaugurar uma escola em que os alunos aprendam, que os professores estejam estimulados, que a alimentação seja boa, que esportes sejam praticados e que tudo caminhe bem. Isso é compromisso com resultado. Você só inaugurar uma escola não quer dizer que ela atinja seu objetivo, que é os alunos aprenderem. Não adianta ter hospitais, unidades de saúde, se o atendimento não tem qualidade, se uma pessoa tem que esperar oito meses para fazer uma ressonância. Você tem que ter resultado, tem que fazer com que a pessoa tenha o atendimento e com eficiência, que saia satisfeita. Por exemplo, São Paulo gasta 1,3% do PIB com segurança pública, a Alemanha gasta 1,2%. Proporcionalmente, São Paulo gasta um pouco a mais do que a Alemanha. No entanto, enquanto a Alemanha tem um índice de homicídio de 0,8% a cada 100 mil habitantes, São Paulo tem próximo a 12 homicídios a cada 100 mil habitantes. Ou seja, você tem uma eficiência 12, 13 vezes menos. Precisamos incentivar transporte coletivo, mas fazer num ritmo de 2 km por ano de metrô. O  Metrô tem 35 anos e tem 70 e poucos km. Então, na verdade, São Paulo precisa de outro ritmo. O mesmo em relação ao Rodoanel, Ferroanel, que é uma missão federal, mas que já deveria estar sendo feito, e tantos outros projetos que estamos discutindo até hoje e que são de 1980, 1990, que deveriam ter virado realidade em três, quatro anos. Um projeto ele é bom ou ruim, se é bom, ele tem que acontecer. O que eu penso disso tudo é que o grande diferencial é não falar só em fazer ou não fazer só por fazer, é falar menos e fazer mais, e fazer coisas que realmente funcionem, de resultado.

A sua experiência como empresário, então, na sua opinião, pode agilizar os trâmites burocráticos do Estado?
Não é só agilizar, para que fazer com que as coisas aconteçam, tem coisas aí há 20, 30 anos. O Sesi/Senai também tem licitação, tem Tribunal de Contas, essas coisas têm mesmo. Mas o importante é diagnosticar as dificuldades, definir o que precisa ser feito, resolver as questões e perseguir até ficar pronto e com qualidade, de forma com que as pessoas tenham resultado.

Skaf, junto com a cúpula do PMDB, no momento de sua filiação ao partido

Skaf, junto com a cúpula do PMDB, no momento de sua filiação ao partido

Como o senhor tem lidado com o assédio de outros partidos, como o PSDB?
Eu não tenho assedio nenhum, comigo nenhum. Eu não tenho plano B, o partido PMDB tomou uma decisão, vai ter candidatura majoritária. Eu repito, nós não temos nenhuma candidatura agora, não existe nada em 2013, neste momento, estou na plenitude em meu trabalho. Eleição, candidatura, só em 2014. A realidade é que o PMDB tomou a decisão de ter candidatura própria e me colocou como pré-candidato. E a figura de pré-candidato é abstrata, o que vale é a candidatura. Mas a política é conversa e isso não significa assédio. O governador eu conheço há anos, converso sempre com ele, é normal a gente conversar e isso não significa nenhum assédio.

Como vai fazer esse possível enfrentamento no ano que vem? O senhor pretende fazer oposição ao governo atual?

Eu não pretendo a fazer oposição a ninguém, eu não entrei na política para me opor a ninguém. Eu quero dar propostas pró-ativas e quero dar uma contribuição, minha linha não será de oposição. É ser propositivo, ideias novas, propostas. Na vida, a gente aprende uma coisa, quando o resultado não é bom, você precisa mudar o jeito de fazer. O estado de São Paulo é um estado rico, deveria ser referência. Eu não tenho nenhuma razão de fazer oposição ao governo mas uma coisa é real, o grupo do atual governador está há 20 anos governando São Paulo, depois de 20 anos, com a melhor intenção que se possa ter, o jeito deles fazerem está aí, e certamente coisas boas foram feitas também. Se queremos resultados diferentes onde existem problemas, e problemas existem muitos, na saúde pública, educação, segurança, infra, transporte pública, logística, é preciso fazer diferente, inovadora, outro estilo, que possa dar contribuição boa, e para isso não precisa se opor a ninguém. A decisão será do povo de São Paulo que é bastante inteligente, sabe entender as coisas.

 Leia também: PMDB paulista intensifica agenda de Paulo Skaf no interior 

Autor: Tags:

segunda-feira, 11 de março de 2013 Sem categoria | 18:57

Irlanda do Norte foca no Brasil para diversificar relações comerciais

Compartilhe: Twitter

Para preparar o terreno para uma rodada de negócios entre empresários do Brasil e da Irlanda do Norte que deverá acontecer em maio, a Fiesp recebe nesta terça-feira os dois primeiros-ministros do país europeu.

Peter D. Robinson e Martin McGuinness estarão na sede da Fiesp em São Paulo para discutir com a diretoria da federação o crescimento econômico do Brasil e estreitar laços com empresários brasileiros.

A Irlanda do Norte quer abrir o leque de parcerias comerciais, em que a maioria atualmente é composta de países europeus, região que sofre com a crise e estagnação econômica.

Autor: Tags:

segunda-feira, 29 de outubro de 2012 Sem categoria | 11:00

Fiesp se antecipa ao governo e edita cartilha

Compartilhe: Twitter

A poderosa Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) saiu na frente do Ministério do Meio Ambiente e mandou publicar 1 milhão e 500 mil exemplares da cartilha que vai orientar grandes produtores sobre as regras do novo Código Florestal.

O governo está organizando um mutirão envolvendo órgãos públicos, movimentos sociais, sindicatos e mesmo as ONGs que criticaram as medidas para cadastrar e regularizar em dois anos as cerca de 5 milhões e 200 mil propriedades rurais existentes no país.

Atualmente, menos de 10% delas têm Áreas de Preservação Permanente (APPs) às margens de rios. O agronegócio controla 75% das terras agricultáveis.

Autor: Tags:

quarta-feira, 30 de maio de 2012 Sem categoria | 11:01

Lula terá escritório na Rio+20 para receber autoridades

Compartilhe: Twitter

A Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) está montada uma exposição no Forte de Copacabana chamada Humanidade 2012. Ela irá funcionar durante a Conferência Rio+20, em junho.

No espaço, a Fiesp irá separar uma sala para que o ex-presidente Lula possa receber autoridades internacionais que vierem para a conferência. O escritório ficará disponível para Lula por dois dias.

Autor: Tags:

terça-feira, 24 de abril de 2012 Sem categoria | 11:58

Fiesp vai monitorar empréstimos bancários para verificar se juros estão caindo

Compartilhe: Twitter

A Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) vai usar mecanismos de acompanhamento do mercado para monitorar semanalmente as taxas de empréstimos bancários.

Ela quer verificar se os bancos estão repassando para os consumidores a queda nas taxas de juros buscada pelo governo da presidenta Dilma Rousseff.

A iniciativa faz parte de uma postura mais “light” que o presidente da federação, Paulo Skaf, resolveu adotar daqui para frente.

Autor: Tags:

segunda-feira, 2 de abril de 2012 Sem categoria | 19:53

Apesar de medidas do governo federal, Força e Fiesp reforçarão críticas à política econômica em ato nesta quarta-feira

Compartilhe: Twitter

Se a presidenta Dilma pretende lançar medidas de apoio à indústria nesta terça-feira, ainda não conveceu parte dos segmentos interessados, empresários e sindicalistas.

Pré-candidato a prefeito de São Paulo, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força Sindical, promete levar milhares de pessoas à Assembléia Legislativa na manhã desta quarta-feira para uma manifestação contra os juros altos e câmbio sobrevalorizado.

Ele afirma que o socorro emergencial do governo é “muito tímido” e pouco abrangente para o tamanho do problema e que as demissões começaram.

Empresários também criticam a falta de competitividade da indústria nacional e devem reforçar o evento da Força Sindical, com um grupo partindo da sede da Fiesp, na Avenida Paulista, rumo à Assembléia Legislativa.

Autor: Tags:

segunda-feira, 26 de março de 2012 Sem categoria | 09:03

Depois de queixas dos empresários, Mantega vai a Fiesp discutir benefícios para a indústria

Compartilhe: Twitter

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, se reúne hoje na Fiesp com representantes da indústria paulista.

O encontro foi solicitado pelo presidente da Federação, Paulo Skaf, depois da reunião com a presidenta Dilma Rousseff com empresários na semana passada.

Na ocasião, Skaf se queixou das dificuldades que a indústria da transformação vem enfrentando nos últimos meses.

A presidenta determinou que Mantega ouvisse as queixas com detalhes e discutisse com os empresários mecanismos para reduzir o custo da produção no país.

Autor: Tags:

sexta-feira, 9 de março de 2012 Sem categoria | 16:15

Fiesp já prepara ação no Supremo caso o governo renove concessões de energia

Compartilhe: Twitter

A Federação das Indústrias de São Paulo se prepara para ingressar no Supremo Tribunal Federal caso o governo decida renovar as concessões das exploradoras de energia elétricas.

O governo já tomou a decisão, mas o anúncio de renovar as concessões deve ser feito nos próximos dias. A única condição para as renovações é a obrigatoriedade de reduzir as tarifas. Já a Fiesp pressiona pela realização de novos leilões para definir as novas concessionárias do setor.

Autor: Tags:

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 Sem categoria | 08:06

Empresários vão ao Senado cobrar agilidade na tramitação da Resolução 72

Compartilhe: Twitter

Um grupo de empresários liderados pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf, vai ao Senado hoje cobrar mais celeridade na tramitação da Resolução 72.

O projeto, que altera o momento da tributação do ICMS para mercadorias importadas do estado de origem para o destino final das importações, encontra-se parado em duas comissões do Senado.

A iniciativa visa reduzir a entrada de produtos importados no Brasil e por fim a “guerra dos portos”, que é uma alusão aos estados que dão incentivos fiscais para a importação.

Autor: Tags:

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. Última