Publicidade

Posts com a Tag Força Sindical

segunda-feira, 15 de junho de 2015 Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 18:45

Turma que fez “bundalelê” no Congresso organiza protesto em frente ao Planalto

Compartilhe: Twitter

Os sindicalistas que estiveram reunidos com o governo nesta segunda-feira (15) já contam com a “turma do Paulinho” para “fazer barulho” na frente do Palácio do Planalto. O objetivo é de reivindicar que a presidente Dilma Rousseff não vete a regra que acaba com o fator previdenciário.

A reunião para definir como será o protesto já está marcada com os deputados Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (SD-SP) e Arnaldo Faria de Sá para terça-feira (16), pela manhã.

“Vamos fazer um barulho lá”, disse o deputado Ademir Camilo (PROS-MG), que participou da reunião. Segundo ele, se Dilma vetar, as centrais não aceitarão participar do fórum criado pela presidente para discutir as regras da Previdência.

“Se ela vetar, nós não teremos motivo algum para sentar com ela novamente e conversar”, disse o deputado, que é vice-presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT).

A “turma do Paulinho” foi responsável pelo “bundalelê” no plenário da Câmara após a aprovação da MP 664, que altera as regras de pensão por morte, entre outros pontos.

Manifestantes fazem bundalelê no Plenário após aprovação da MP 664

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 6 de maio de 2015 Congresso | 18:49

Durante votação do ajuste fiscal, manifestantes jogam dinheiro falso no Plenário

Compartilhe: Twitter

Um grupo de manifestantes com uniformes da Força Sindical, central sindical ligada ao deputado Paulinho da Força (SDD-SP), jogou dinheiro falso no Plenário da Câmara.

Após o gesto, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ordenou o esvaziamento das galerias.

Os manifestantes fizeram o protesto após discurso inflamado do líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (PSDB-SP), que criticava a Medida Provisória 665/14, que faz mudanças no Seguro Desemprego e no Abono Salarial e são parte do ajuste fiscal do Planalto.

Além de jogar o dinheiro falso no Plenário, o grupo usou palavras de baixo calão para se referir à presidente Dilma Rousseff e ao PT.

Assista:

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 12 de abril de 2015 Congresso | 08:00

Sob crítica por causa da terceirização, Paulinho dispara contra o PT: ‘Mentem para a população’

Compartilhe: Twitter

O deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força Sindical, anda penando nas redes sociais para explicar o apoio ao projeto que regulamenta a terceirização, cujo texto-base foi aprovado nesta semana no Congresso. O sindicalista minimiza as críticas. Diz que há “um ou outro desinformado”. E todo o resto é “gente do PT e da CUT”.

“E o PT e a CUT estão mentindo para a população”, diz Paulinho. Segundo ele, o projeto garante direitos aos trabalhadores terceirizados, que hoje “estão abandonados”. Confira a entrevista:

O senhor passou a ser duramente atacado nas redes sociais, por conta da posição favorável ao projeto da terceirização. Como líder sindical, como o senhor se sente no alvo dos ataques? 
Minha participação em toda a negociação relacionada a esse projeto foi de acordo com a posição adotada pelas centrais sindicais. Das seis centrais sindicais, quatro concordaram que eu apresentasse emendas ao projeto, de forma a garantir que sejam corrigidos os erros e respeitados os direitos dos trabalhadores. E, uma vez incluídas essas emendas, eu, naturalmente, passei a apoiar a proposta. Ter qualquer posição diferente não faria sentido.

Paulinho da Força Sindical (Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara)

Paulinho da Força Sindical (Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara)

Que erros essas emendas corrigiram?
Este é um projeto com 23 artigos, dos quais 19 tratam de direitos dos trabalhadores. Trouxemos 12,7 milhões de trabalhadores que não tinham proteção alguma para uma estrutura com proteção. Agora, eles têm direitos. Também garantimos direitos aos trabalhadores que forem fruto de terceirizações futuras. Minhas emendas dão garantia, por exemplo, de que os trabalhadores terceirizados terão a mesma convenção coletiva da categoria a que pertenciam. Também reafirmam que a empresa tem que estar previamente registrada na categoria certa. E – uma que ainda não foi votada – torna a empresa solidária. Ou seja, a empresa que contrata tem que garantir o cumprimento dos direitos dos trabalhadores, sob pena de pagar a conta duas vezes. Ainda garantimos que, em até 10 dias após a terceirização, a tomadora do serviço informe ao sindicato a operação. Isso repassa ao sindicato a tarefa de fiscalizar.

Mas isso, na sua visão, dá mais proteção que a CLT? 
Com isso, o trabalhador terceirizado terá a mesma proteção que trabalhadores normais. Hoje, o que os trabalhadores têm para fiscalizar é só o Ministério do Trabalho, que está em frangalhos.

Mas, no seu Facebook, por exemplo, é uma enxurrada de críticas. 
Ali é gente do PT e da CUT. Eles querem atacar os adversários. Eu conto ali: de 10, 9 são do PT. Só um ou outro é algum desinformado. Mas eu não me guio pelo Facebook. Me guio pela rua. Cheguei no aeroporto outro dia e quase perdi o voo porque as pessoas queriam tirar foto comigo, falar sobre o projeto.

As pessoas na rua elogiaram o projeto para o senhor? 
Claro. A verdade é que hoje dois de três trabalhadores são terceirizados e estão absolutamente abandonados. E o PT e a CUT estão mentindo para a população. Vamos fazer reuniões com sindicatos, vamos explicar exatamente do que se trata.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 7 de abril de 2015 Política | 18:06

Solidariedade prepara mais um ato contra Dilma

Compartilhe: Twitter

Além de reforçar os protestos do próximo dia 12, contra a presidente Dilma Rousseff, o Solidariedade de Paulinho da Força (SDD-SP) está articulando mais uma manifestação em oposição à petista, no próximo dia 25.

O plano é levar o protesto para a periferia. O local escolhido é a zona leste de São Paulo.

Autor: Tags:

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015 Governo | 09:00

‘Governo tá negociando na base da enrolação’, diz Paulinho da Força

Compartilhe: Twitter
Paulinho da Força Sindical (Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara)

Paulinho da Força Sindical (Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara)

De acordo com o deputado federal e presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força (SP), a expectativa das centrais sindicais de alcançarem um acordo com o governo federal sobre o pacote de ajustes fiscais é praticamente zero.

“Essa negociação tá tendendo ao fracasso. O governo tá negociando na base da enrolação. As centrais já não tão nem dando importância pra essas conversas”, diz Paulinho, que apelidou as Medidas Provisórias 664 e 665 de “pacote de maldades”.

Agora, o sindicalista diz que a aposta é tentar derrubar no Congresso as mudanças em direitos trabalhistas e previdenciários como seguro-desemprego, abono salarial e pensão por morte, anunciadas pela presidente Dilma Rousseff em dezembro do ano passado.

Leia também: Cunha reúne centrais sindicais para tentar barrar ajuste fiscal no Congresso

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 Congresso | 17:39

Cunha reúne centrais sindicais para tentar barrar ajuste fiscal no Congresso

Compartilhe: Twitter
O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). (foto: divulgação)

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). (foto: divulgação)

Enquanto o governo federal tenta convencer os deputados da base aliada a defenderem o pacote de medidas que mexem nos benefícios previdenciários e trabalhistas, o presidente de Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se reunirá com centrais sindicais para traçar a melhor estratégia pra derrubar as medidas provisórias 664 e 665.

Num café da manhã realizado na próxima quarta-feira, Cunha receberá dirigentes da CTB, UGT, NCST e Força Sindical para discutir o assunto. Tradicionalmente aliada ao PT, a CUT não foi convidada para a reunião, embora tenha se posicionado contra o pacote fiscal. Além das centrais, também participarão do encontro deputados de partidos como PMDB, Solidariedade, PP, PTB, PSC, PHS, PEN, DEM e PSDB.

No mesmo horário, os ministros Pepe Vargas (Relações Institucionais), Manoel Dias (Trabalho), Nelson Barbosa (Planejamento), Carlos Gabas (Previdência) e Miguel Rossetto (Secretaria-Geral da Presidência) farão um café da manhã com líderes da base aliada para tentar costurar uma estratégia favorável à aprovação das medidas. Na sequência, os ministros receberão as centrais para uma nova rodada de negociações.

Leia também: ‘É pra fechar contas, não para o trabalhador’, diz dirigente da CUT sobre mudança previdenciária

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015 Partidos | 15:00

‘Manifestações ainda estão muito mornas’, diz presidente do PSOL

Compartilhe: Twitter
O presidente do PSOL, Luiz Araújo. (Foto: Divulgação / Facebook)

O presidente do PSOL, Luiz Araújo. (Foto: Divulgação / Facebook)

Na opinião do presidente nacional do PSOL, Luiz Araújo, ainda falta fôlego às primeiras reações dos movimentos sociais ao pacote de ajustes nas regras de acesso a benefícios trabalhistas e previdenciários anunciado pelo governo da presidente Dilma Rousseff, em dezembro.

“A reação às medidas impopulares do governo estão tímidas. As manifestações ainda estão muito mornas”, disse Araújo. “Se fosse em outros tempos, a reação seria mais rápida”, completa o dirigente, numa comparação entre a relação dos sindicatos com os governos petistas e com o do ex-presidente tucano, Fernando Henrique Cardoso.

Ao longo desta quarta-feira, serão realizados diversos atos pelo país, convocados pelas principais centrais sindicais no que foi definido como o Dia Nacional de Lutas contra as Medidas Provisórias 664 e 665. Editadas pelo governo federal no dia 30 de dezembro, as medidas mudam as regras de acesso ao seguro-desemprego, pensão por morte, auxílio-doença e ao abono salarial.

Leia também: Movimento sindical pode dificultar vida de Dilma na largada do 2º governo

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015 Política | 06:00

‘Vamos fazer muito barulho’, avisa Paulinho da Força

Compartilhe: Twitter
Paulinho: de saída da Força Sindical

Paulinho da Força Sindical

O deputado Paulo Pereira da Silva (SDD-SP), o Paulinho da Força Sindical, promete retornar do recesso parlamentar envolvido até o pescoço em preparativos de manifestações. Segundo ele, o fato de o governo ter tomado as primeiras medidas do pacote fiscal justamente na virada do ano dificultaram a mobilização das centrais, mas haverá uma resposta mais adiante.

“A partir deste mês, vamos começar a reunir as centrais e discutir uma estratégia. Vamos fazer muito barulho”, diz o sindicalista.

 

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 29 de julho de 2014 Eleições | 17:55

Paulinho da Força acerta agenda sindical para Aécio

Compartilhe: Twitter
Paulinho da Força Sindical (Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara)

Paulinho da Força Sindical (Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara)

O presidente do Solidariedade, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (SDD-SP), definiu uma agenda para ajudar na aproximação do tucano Aécio Neves com sindicalistas.

Leia também: Paulinho da Força manda imprimir 20 mil adesivos contra Dilma

De acordo com Paulinho, três atividades já estão programadas para o mês de agosto. Primeiro, Aécio deverá acompanhar o deputado a um encontro do movimento sindical em São Paulo. Em seguida, os dois pretendem fazer campanha na porta de uma fábrica metalúrgica, onde Paulinho tem mais presença.

Por fim, também está prevista uma viagem para Sertãozinho ou alguma outra cidade do setor sucroalcooleiro.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 30 de abril de 2014 Política | 15:00

Eduardo Cunha será uma das ‘estrelas’ do 1º de maio da Força

Compartilhe: Twitter
Eduardo Cunha (foto: divulgação)

Eduardo Cunha (foto: divulgação)

A Força Sindical faz nesta quarta-feira um balanço de quem serão as personalidades no palanque de sua festa de 1º de maio, em São Paulo. Dirigentes comemoraram as confirmações dos presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB).

Mas outro que entrou na lista de “estrelas” da festa é, nada menos, do que Eduardo Cunha, líder do PMDB na Câmara, que anda dando canseira na articulação política do governo Dilma.

“Nada mais natural, afinal, seremos um palanque de oposição”, brinca o deputado Paulo Pereira da Silva (SDD-SP), o Paulinho da Força Sindical. 

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última