Publicidade

Posts com a Tag Geraldo Alckmin

terça-feira, 8 de dezembro de 2015 Política | 19:43

Após se reunir com Dilma, Alckmin diz que “impeachment não é golpe”.

Compartilhe: Twitter

Ao comentar a vitória da oposição na Câmara em relação ao controle da comissão especial que analisará o impeachment, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse que isso reflete um sentimento importante da Câmara e que “impeachment não é golpe”.

O governador tucano preferiu não comentar a carta de Temer para a presidente. “Quem tem que falar sobre o assunto são ambos. Quem escreveu e quem recebeu a carta”, disse o governador depois de participar de reunião com a presidente Dilma Rousseff para discutir medidas de combate à microcefalia.

Autor: Tags: ,

terça-feira, 9 de junho de 2015 Brasil, Congresso, Eleições, Governo, Justiça, Partidos, Política | 13:57

Cardozo e Alckmin se reúnem para construir alternativa à redução da maioridade penal

Compartilhe: Twitter
O governador Geraldo Alckmin e a presidenta Dilma Rousseff (Foto: Epitácio Pessoa/AE)

O governador Geraldo Alckmin e a presidenta Dilma Rousseff (Foto: Epitácio Pessoa/AE)

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo (PT-SP) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), se reúnem nesta tarde (9) para discutir uma alternativa à proposta de redução da maioridade penal, atualmente, em discussão na Câmara dos Deputados.

A proposta a ser feita por Cardozo ao tucano, a pedido da presidente Dilma Rousseff, será de integrar duas ideias. O governo encamparia a defesa do projeto do tucano,  que aumenta o prazo máximo de internação de menores infratores de três para oito anos e Alckmin encorporaria à proposta a ideia do Planalto de aumentar penas para adultos que exploram crianças e adolescentes para a prática criminosa.

O governo avalia que a proposta de Alckmin tem grande poder de aglutinar interesses, já que até o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que quer colocar a proposta de redução da maioridade penal em votação ainda neste mês, já sinalizou recuo. Já entre os tucanos, a discussão do assunto é um bom motivo para isolar o senador Aécio Neves (MG). Em vez de Aécio, que hoje presidente do partido, o governador paulista é que ganhará o protagonismo na discussão do assunto.

Entre os tucanos, a avaliação é de que o tema tem grande poder de mobilização nacional, o suficiente para ajudar a lançar luz sobre as intenções de Alckmin de se lançar candidato à Presidência da República em 2018.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 13 de maio de 2015 Estados | 15:03

‘Risco de desabastecimento de água é cada vez menor’, diz secretário de Alckmin

Compartilhe: Twitter
O deputado federal Duarte Nogueira (PSDB-SP).

O deputado federal Duarte Nogueira (PSDB-SP).

Embora não descarte totalmente o risco de desabastecimento, o governo do tucano Geraldo Alckmin afirma que esta possibilidade está cada mais distante, mesmo com a chegada do período de estiagem.

“O problema de abastecimento foi bem gerido e estamos confiantes de que a produção de água vai aumentar em ritmo equivalente ao consumo. Com todo a cautela que deve ter quem é parte da gestão, eu diria que a chance de desabastecimento é cada vez menor”, diz presidente do PSDB paulista e secretário de Transporte do tucano, Duarte Nogueira.

 

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 7 de maio de 2015 Estados | 06:00

Governo Alckmin prepara-se para novo pico na crise hídrica

Compartilhe: Twitter
Governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP). Foto: Divulgação

Governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP). Foto: Divulgação

O governo paulista avalia que passará por um novo pico na crise hídrica nos próximos meses, em decorrência do início do período de estiagem. Ainda assim, Alckmin tem se empenhado em acalmar a equipe. Nas últimas conversas que manteve com secretários, o tucano disse avaliar que o impacto na imagem do governo será bem menor do que no fim do ano passado.

Pelo menos dois fatores, segundo auxiliares, contribuem para aliviar o peso de uma eventual falta de água. Primeiro, o governo avalia que foi bem sucedido em mostrar à população que está fazendo o possível para responder à crise. Segundo, a equipe de Alckmin entende que a rapidez no contingenciamento de recursos realizado nos últimos meses deixa uma margem maior de manobra em caso de uma situação emergencial.

E, como não há mais uma eleição em andamento, não será preciso esperar para comunicar o problema à população, antecipando a ação nas residências para minimizar o desperdício.

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 16 de abril de 2015 Partidos | 09:00

Desgaste do PT põe Alckmin, Aécio e Serra no páreo para 2018

Compartilhe: Twitter

Com o desgaste sofrido pela presidente Dilma Rousseff e o PT, agora acentuado pela prisão do tesoureiro João Vaccari Neto, o PSDB vê a chance de reciclar um de seus três últimos candidatos ao Planalto. Em tese, o que se diz no partido é que não há mais jogo de cartas marcadas. Hoje, Geraldo Alckmin, Aécio Neves e José Serra estão todos no páreo para a corrida presidencial, cada um com um estilo e estratégia próprios.

Leia também: PMDB forte alimenta esperanças do PSDB serrista para 2018

Aécio, segundo interlocutores, trabalha para se transformar numa espécie de voz dos movimentos de rua contrários ao governo do PT. Aceitou encampar o discurso do impeachment da presidente Dilma Rousseff, fala abertamente sobre o apoio às manifestações e aproveita o cargo de presidente do partido para se manter em evidência. Tem como principal ponto negativo o fato de ter perdido em casa na última eleição presidencial. Aécio foi derrotado em Minas Gerais, tanto como candidato à Presidência quanto como patrocinador da candidatura de Pimenta da Veiga na corrida estadual.

Como São Paulo assegurou um bom desempenho para o senador mineiro no placar geral, o coro no PSDB de São Paulo é pela escolha de um nome paulista para a vaga. Alckmin, por enquanto, tem optado por uma abordagem “não política”, dizem os colegas de partido. Mantém-se mais concentrado em amenizar problemas da administração estadual que possam virar uma fatura a ser paga lá na frente, como a crise hídrica. E tem optado por evitar ataques diretos à presidente Dilma e ao PT.

Serra, por sua vez, seria a alternativa mais “política” das três, diz um aliado. Há quem aposte que ele teria mais chances, por exemplo, de atrair o PMDB para uma aliança eleitoral, tanto pelo fato de ter origem na legenda, quanto pela boa relação que mantém com alguns caciques da sigla. O senador paulista investe pesado no discurso econômico e, por isso, poderia levar a melhor no contraponto direto ao governo Dilma, avalia o interlocutor.

Parte da disputa que começa a tomar forma entre os três tucanos passa pela eleição municipal do ano que vem. Principalmente no que se refere a Alckmin e Serra.

No PSDB paulista, a tese é que uma eventual candidatura de Aloysio Nunes Ferreira fortalece o nome do senador, de quem é aliado fiel. O efeito seria ainda mais forte no caso de uma vitória do tucano sobre o petista Fernando Haddad. Já Alckmin se beneficiaria de um bom desempenho de Marta Suplicy na corrida. Isso porque a petista prestes a ingressar no PSB será lançada com aval do governador paulista, que poderia, assim, amarrar um apoio do PSB para uma eventual candidatura presidencial.

No PSDB, alckmistas, serristas e aecistas concordam que qualquer diagnóstico, neste momento, é impreciso em função da distância da corrida presidencial. Ainda assim, é consenso também que a tendência é um acirramento progressivo da disputa já nos próximos meses. Que tende a aumentar principalmente se a crise de Dilma e do PT se agravar.

Saiba mais: Por 2016, PSDB trabalha para unir Serra e Alckmin

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 5 de abril de 2015 Política | 07:00

Alckmin vai passar bem longe das manifestações anti-Dilma

Compartilhe: Twitter

Embora o PSDB discuta nos bastidores a possibilidade de ampliar seu envolvimento nos protestos anti-Dilma, o governador Geraldo Alckmin já avisou que vai continuar evitando o envolvimento direto nas manifestações.

Geraldo Alckmin (foto: divulgação)

Geraldo Alckmin (foto: divulgação)

Parte do partido defende que, diferentemente do que ocorreu em 15 de março, os tucanos participem ativamente e tomem a linha de frente nos atos convocados para o próximo dia 15.  Há, por exemplo, propostas para que o senador tucano Aécio Neves, presidente nacional do PSDB e candidato derrotado à Presidência, vá para  a rua.

Hoje, Alckmin e Aécio são os dois nomes que aparecem no topo da lista de possíveis candidatos do PSDB à Presidência em 2018. De um lado, avaliam interlocutores dos dois tucanos, a participação nos protestos poderia render uma vitrine e tornar mais direta a associação do partido e de seus principais líderes ao “sentimento anti-PT”.

Do outro, há quem defenda que a jogada é arriscada demais. Primeiro, o risco de aproximação com grupos que defendem o impeachment poderia render aos tucanos a fama de “golpistas”.

Por via das dúvidas, Alckmin achou melhor ficar de fora. O que pode acontecer é alguns de seus secretários comparecem aos protestos, com o discurso de que apoiam democraticamente as manifestações.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 3 de abril de 2015 Estados | 07:00

Governo de São Paulo já contingenciou R$ 1,7 bilhões

Compartilhe: Twitter
Governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP). Foto: Divulgação

Governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP). Foto: Divulgação

A faca que o governador Geraldo Alckmin começou a passar nos gastos do governo paulista já resultou num corte de R$ 1,7 bilhão. Segundo auxiliares do tucano, a redução se concentra em gastos de custeio da máquina. Por enquanto, foram preservadas as áreas de saúde, educação e segurança.

Mas a redução ainda está muito aquém da meta do governo paulista para enfrentar o que descreve como “período muito difícil na economia”. O plano é cortar R$ 6 bilhões até o meio do ano.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 2 de abril de 2015 Brasil | 22:31

Alckmin tomou conhecimento da morte do filho durante giro pelo interior paulista

Compartilhe: Twitter

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, fazia um giro pelo interior de São Paulo na tarde desta quinta-feira, quando foi informado sobre a morte de seu filho Thomaz, de 31 anos. A notícia da queda do helicóptero em que ele estava na região de Carapicuiba chegou ao tucano no momento em que ele chegava ao município de Catanduva, depois de percorrer várias cidades da região.

Neste momento, segundo amigos e auxiliares de Alckmin, o corpo de Thomaz continua no Instituto Médico Legal. A família, por enquanto, ainda não decidiu quais serão os trâmites para o velório e o enterro. Mas a expectativa é de que devam ocorrer entre amanhã e sábado.

Muito da comoção entre os mais próximos do governador dizia respeito ao fato de Thomaz ser pai de duas filhas pequenas – uma de 10 anos e outra de apenas um mês. “É uma grande tragédia, difícil de aceitar”, disse o secretário de Transportes do governo paulista, Duarte Nogueira, um dos tucanos que integram o círculo próximo ao governador e um dos que o acompanhavam no giro pelo interior.

Autor: Tags: , ,

Estados | 16:58

Governo Alckmin começa a montar novo escritório em Brasília

Compartilhe: Twitter
Geraldo Alckmin (Foto: Cris Castello Branco)

Geraldo Alckmin (Foto: Cris Castello Branco)

Integrantes da equipe do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, desembarcam na próxima terça-feira em Brasília.

Eles têm a tarefa de começar a fazer andar a montagem de um novo escritório para a administração paulista na capital federal.

O primeiro passo é a visita de imóveis que possam abrigar a nova estrutura.

 

Autor: Tags: , , ,

Eleições | 12:02

Por 2016, PSDB trabalha para unir Serra e Alckmin

Compartilhe: Twitter
José Serra e Geraldo Alckmin

José Serra e Geraldo Alckmin

Na esperança de aproveitar o desgaste do PT em São Paulo, o PSDB está fazendo de tudo para afastar o risco de a tradicional briga interna entre serristas e alckmistas dominar os preparativos da eleição municipal.

Há cerca de um mês, o partido decidiu iniciar formalmente as conversas sobre a corrida. A direção partidária teve o cuidado de só entrar oficialmente no assunto com todos sentados à mesa: o governador Geraldo Alckmin, os senadores José Serra e Aloysio Nunes Ferreira, o vice-presidente do partido Alberto Goldman e o presidente do diretório estadual Duarte Nogueira.

Para começar as discussões, o grupo achou melhor não tratar especificamente da capital paulista. As primeiras conversas trataram das 50 maiores cidades do Estado de São Paulo.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. 20
  9. 30
  10. Última