Publicidade

Posts com a Tag Gleisi Hoffmann

terça-feira, 13 de maio de 2014 Congresso | 07:30

Arquitetos reclamam de Gleisi Hoffmann

Compartilhe: Twitter
Haroldo Pinheiro, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil. (Foto: Agência Brasil)

Haroldo Pinheiro, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil. (Foto: Agência Brasil)

De acordo com o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil, Haroldo Pinheiro, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) cometeu “diversos equívocos” e revelou a “fragilidade de sua assessoria” na discussão da MP 630/2013, que trata do  Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC) .

Leia também: Após bate-boca em comissão, petista critica Lei de Licitações

“Entre outras impropriedades, a senadora se contradiz ao dizer que ‘não é verdade que o Estado abre mão da qualidade do projeto’, para em seguida reconhecer que ‘quem vai ficar responsável pela obra é quem vai executá-la'”, afirma Pinheiro, em nota oficial.

O presidente do CAU/BR também questiona a afirmação da senadora, de que o RDC permite uma economia de tempo e de recursos. “A realidade dos atrasos e aditivos das obras dos aeroportos e de mobilidade urbana previstas para a Copa do Mundo, em significativa parte contratadas com o uso do RDC, a desmente”, completa Pinheiro.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 13 de março de 2014 Congresso | 08:38

Vital do Rêgo promete colocar Lei de Drogas em pauta ainda este mês

Compartilhe: Twitter

Vital do Rêgo (Foto: Geraldo Magela - Agência Senado)O senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, prometeu ao colega Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) colocar o PLC 37/2013 – que altera a Lei de Drogas – na pauta da comissão ainda este mês.

A data prometida ao relator do projeto foi o dia 26.

Valadares tinha marcado para ontem uma reunião com algumas organizações críticas ao projeto, como o Conselho Federal de Psicologia e o Conselho Federal de Serviço Social, mas acabou cancelando a conversa.

Além dele, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) também tem bastante interesse na matéria, sobretudo pelo tema das comunidades terapêuticas, que acompanha de perto desde a época de ministra-chefe da Casa Civil.

Autor: Tags: , , , , , , ,

sexta-feira, 7 de março de 2014 Eleições | 16:01

“Ninguém no PMDB trabalha por isso”, diz dirigente do Paraná sobre aliança com o PT

Compartilhe: Twitter
Osmar Serraglio (divulgação)

Osmar Serraglio (divulgação)

Se o PMDB tinha quatro correntes bem definidas sobre as eleições no Paraná, esse número foi reduzido pela metade, já que duas correntes perderam fôlego. Uma delas a que pretendia apoiar a candidatura de Orlando Pessuti.

O PT também caiu em desogosto. Segundo o presidente do diretório paranaense do PMDB, deputado federal Osmar Serraglio, o grupo que flertava com a possibilidade de apoiar Gleisi Hoffmann desistiu dessa possibilidade.

“Não tem ninguém no PMDB trabalhando por isso (aliança com o PT), só o PT”, resumiu o dirigente. Perguntado se a situação é reflexo dos conflitos nacionais, Serraglio disse que não há relação entre as duas coisas.

Ele argumenta que a bancada do PMDB na Assembleia Legislativa do estado é da base do governador Beto Richa (PSDB), o que a coloca em rota de colisão com os petistas.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014 Eleições | 08:00

No PMDB do Paraná, brigas dificultam até reuniões do diretório

Compartilhe: Twitter
Osmar Serraglio (divulgação)

Osmar Serraglio (divulgação)

O deputado Osmar Serraglio, presidente do diretório paranaense do PMDB, desistiu de promover reuniões formais do partido no estado com o objetivo de buscar uma solução para o impasse local acerca da candidatura local.

O partido está longe de uma definição enquanto quatro correntes tentam prevalecer: os apoiadores da candidatura de Roberto Requião, os que preferem lançar Orlando Pessuti, o grupo que defende o apoio ao governador Beto Richa (PSDB) e os que flertam com uma aliança com o PT de Gleisi Hoffmann.

Serraglio trocou as reuniões oficiais por uma abordagem mais informal. O giro pelo estado será feito, mas o presidente pretende ter conversas isoladas e até diálogos telefônicos em busca do consenso.

“Se eu convocar uma reunião pública do PMDB, vai ter briga. Por que vou provocar isso agora? São embates com consequências. Para quê eu vou proporcionar palco de rinha no qual alguém possa sair magoado?”, diz o deputado, dando uma dimensão do impasse local.

Autor: Tags: , , , , , , ,

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014 Eleições | 11:00

Gleisi dará a largada na campanha em ato no dia 22

Compartilhe: Twitter
Gleisi Hoffmann (Foto: Celso Junior/AE)

Gleisi Hoffmann (Foto: Celso Junior/AE)

Enquanto o PT do Paraná trabalha para selar alianças, já tem data marcada a largada da pré-campanha de Gleisi Hoffmann ao governo do estado.

Leia também: Reforma ministerial deixa Esplanada mais masculina

O partido prepara um grande ato de largada, no dia 22 de fevereiro em Curitiba, e quer reunir o maior número possível de aliados.

O PT tem mostrado disposição em oferecer aos aliados tudo o que o governador Beto Richa (PSDB) oferecer, no melhor estilo cobrimos qualquer oferta, o que inclui espaços na chapa e coligações proporcionais.

Autor: Tags: , , ,

sábado, 1 de fevereiro de 2014 Sem categoria | 07:00

Reforma ministerial deixa Esplanada mais masculina

Compartilhe: Twitter
Gleisi Hoffmann deixa ministério rumo a disputa eleitoral no Paraná (Foto: Felipe Bryan Sampaio/ iG)

Gleisi Hoffmann deixa ministério rumo a disputa eleitoral no Paraná (Foto: Felipe Bryan Sampaio/ iG)

O começo da reforma ministerial mostra que em seu último ano de mandato a presidente Dilma Rousseff (PT) deve deixar o primeiro escalão mais masculino.

Leia também: Pressão do PT contribuiu para saída de Helena Chagas do governo

Dos atuais 39 ministérios, 10 são chefiados por mulheres, número que na segunda-feira cairá para oito, justamente no núcleo mais próximo da Presidência, com as saídas de Gleisi Hoffmann da Casa Civil e Helena Chagas da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Ambas substituídas por homens.

Por enquanto, permanecem Maria do Rosário Nunes (Secretaria de Direitos Humanos), Luiza Helena de Bairros (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial), Eleonora Menicucci (Secretaria de Políticas para as Mulheres), Ideli Salvatti (Secretaria de Relações Institucionais), Izabella Teixeira (Ministério do Meio Ambiente), Miriam Belchior (Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão), Tereza Campello (Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome) e Marta Suplicy (Ministério da Cultura).

Ainda não há certeza sobre o futuro de Ideli, que poderia também ser substituída nas Relações Institucionais, o que significaria mais um desfalque no time feminino da Esplanada dos Ministério. Por hora, as mulheres perderam 20% da representatividade no primeiro escalão de Dilma.

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 28 de janeiro de 2014 Eleições | 17:36

Serraglio promoverá reuniões pelo interior em busca de definição no Paraná

Compartilhe: Twitter
Osmar Serraglio (divulgação)

Osmar Serraglio (divulgação)

O presidente do diretório paranaense do PMDB, deputado Osmar Serraglio, pretende fazer uma série de reuniões pelo estado para tentar buscar uma solução para o impasse local.

O PMDB está divido no Paraná em quatro correntes quando o assunto é a eleição no estado. Um grupo, composto pelos deputados estaduais do PMDB paranaense, trabalha em defesa de uma aliança com o governador Beto Richa (PSDB). Existem ainda os defensores da candidatura própria, grupo que subdivide-se entre os apoiadores de Roberto Requião e os que preferem Orlando Pessuti. E um, apontado como minoritário, que gostaria de uma aliança com Gleisi Hoffmann (PT).

Serraglio, que está em viagem com a família, deve começar a organizar os encontros e fechar as datas na próxima semana, quando retorna da folga.

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014 Eleições | 18:30

Suplente diz que chance de apoio do PMDB a Gleisi é mínima

Compartilhe: Twitter
Sergio de Souza (divulgação)

Sergio de Souza (divulgação)

O senador Sérgio de Souza (PMDB-PR), que é suplente da ministra Gleisi Hoffmann (PT), afirma que das quatro tendências existentes hoje no seu partido no Paraná, a mais fraca seria aquela que defende uma coligação com a petista.

“É o menos provável”, resume o senador ao ser perguntado sobre a possibilidade de apoio do PMDB a Gleisi.

As outras três correntes dividem-se entre os que querem o apoio ao governador Beto Richa (PSDB), e os que defendem que o PMDB lance uma candidatura própria, grupo que subdivide-se entre os apoiadores de Roberto Requião e os que preferem Orlando Pessuti.

Pessoalmente, Souza diz defender a candidatura própria na figura de Pessuti.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014 Política | 12:00

Após acalmar PMDB, Dilma põe Mercadante à frente da reforma ministerial

Compartilhe: Twitter
Aloizio Mercadante (Foto: AE)

Aloizio Mercadante (Foto: AE)

Embora ainda não tenha sido empossado como ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante (Educação) já toca informalmente alguns temas relacionados à pasta de Gleisi Hoffmann, que retorna de férias no final de janeiro para deixar o cargo.

Além disso, o ministro também recebeu como atribuição nesta semana cuidar do diálogo com os caciques do PROS e do PTB, sobre eventuais espaços que os partidos podem vir a ocupar na Esplanada dos Ministérios.

As conversas começaram depois que a presidente Dilma Rousseff acalmou os ânimos do PMDB, sinalizando que o principal aliado da base não encolherá em número de ministérios.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014 Congresso | 07:30

PSD fica sem emendas e ameaça votar com a oposição no Congresso

Compartilhe: Twitter

O PSD deixou de lado a esportiva com o governo após  contabilizar as emendas de sua bancada na Câmara dos Deputados, que não foram sequer empenhadas no Orçamento.

Deputados do partido agendaram uma reunião para a primeira semana de fevereiro, na volta do recesso, para definir qual posição tomarão em relação às votações de interesse do Planalto.

Alheio a essa deliberação, um grupo promete retaliação imediata e ameaça abrir o ano legislativo votando contra o governo.

Esse grupo mais impaciente alega que, integrante da base, o PSD não tem cargo algum no governo e que as emendas são o mínimo que se pode esperar de contrapartida. Ou seja, cobram que o Planalto entregue mais, ou que esqueça do apoio do PSD.

Para se ter uma ideia do clima, o líder do partido, Eduardo Sciarra (PR), tem dito a aliados que não tratará mais o tema com a ministra Ideli Salvati (PT). De agora em diante só falará com a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT).

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última