Publicidade

Posts com a Tag Governo do Estado de São Paulo

sexta-feira, 14 de março de 2014 Governo | 15:31

Alckmin recorre a Churchill para elogiar ‘sinergia’ entre Prefeitura de SP e governo

Compartilhe: Twitter
Alckmin e Haddad entre os secretários estadual e municipal de Transporte (foto: Julianna Granjeia)

Alckmin e Haddad entre os secretários estadual e municipal de Transporte (foto: Julianna Granjeia)

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), fez questão de demonstrar mais uma vez que trabalha em parceria com o governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Durante assinatura de convênio para a implantação das linhas 15-Prata e 17-Ouro do Metrô, com a presença do governador, Haddad afirmou que tentou fazer um levantamento de quantas vezes já estiveram juntos para anunciar parcerias, mas que perdeu as contas.

“É difícil uma área de atuação do poder público que nós não tenhamos uma atuação  conjugada, articulada, entre o governo municipal e estadual”, disse o prefeito.

Leia também: Ordem no PSDB é colar Alexandre Padilha em Haddad

Já Alckmin recorreu ao ex-primeiro-ministro inglês Winston Churchill ao ser questionado se as parcerias seriam uma respostas aos partidos, que sempre estão em lados opositores.

“O Brasil é uma república federativa (…) a federação funciona bem quando se tem uma sinergia, então é um grande desafio a gente deixar de lado as paixões partidárias e trabalharmos juntos. Tenho repetido que a postura do prefeito Fernando Haddad é correta nesse sentido. Essa questão da luta política é geral. Contam que o Winston Churchill (…) foi ao parlamento prestar contas e a líder da oposição era a lady Astor e aí no auge do debate acalorado, lady disse ao Churchill:’ se eu fosse sua mulher, eu colocaria veneno no seu chá’. E Churchill responde: ‘se eu fosse seu marido, eu beberia'”, contou Alckmin tirando risos dos convidados.

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013 Eleições | 07:00

Em campanha, Alckmin terá agenda cheia até na manhã do dia 24

Compartilhe: Twitter

Em campanha para reeleição, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), vai trabalhar até a véspera do Natal. No dia 24 de manhã, Alckmin fará entregas de casas da CDHU em uma cidade do interior que ainda está sendo definida.

Governador Geraldo Alckmin (PSDB)

Governador Geraldo Alckmin (PSDB)

A pausa natalina vai durar apenas dois dias: no dia 27, o governador já retoma suas atividades. A intenção é cumprir a meta de entregar todas as casas e ambulâncias prometidas antes do ano acabar.
Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 Eleições | 13:00

Vereador do PV diz que vai ‘mostrar face limpa da política’

Compartilhe: Twitter

O mote da campanha do candidato ao PV ao governo do Estado de São Paulo, vereador Gilberto Natalini (SP), será contra a corrupção, além de se mostrar como uma terceira via no embate entre PT x PSDB.

Presidente do PV nacional, Eduardo Jorge, e o vereador de SP Gilberto Natalini (foto: divulgação)

Presidente do PV nacional, Eduardo Jorge, e o vereador de SP Gilberto Natalini (foto: divulgação)

“Queremos sair dessa discussão de que meu corrupto é melhor do que o seu. Quero mostrar a face limpa da política, eu tenho um currículo limpo. Quase todos os partidos têm problemas, mas estamos fora dessa discussão, vamos mostrar que é possível fazer política com moralidade e ética”, afirmou Natalini.

O PV-SP iniciou a discussão estratégica para as eleições de 2014 na semana passada. A campanha de Natalini terá o apoio dos oito deputados estaduais da Assembleia Legislativa de São Paulo, que vota com a base do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Nacionalmente, o partido ainda estuda se lança o presidente da sigla, Eduardo Jorge, como candidato à Presidência.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013 Política | 19:00

Governo de SP vai se reunir com MP para pedir continuidade dos contratos do Metrô

Compartilhe: Twitter

O secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, a diretoria do Metrô e o Ministério Público se reúnem na semana que vem para discutir a suspensão dos contratos ainda em execução da companhia com o governo de São Paulo, pedido oficialmente pelo MP.

Secretário Jurandir Fernandes (foto: divulgação/Alesp)

Secretário Jurandir Fernandes (foto: divulgação/Alesp)

Leia também: Promotor vê indício de cartel e pede suspensão de contratos do Metrô de SP

Fernandes vai defender a continuidade dos contratos. Ele afirma que a reforma de 98 trens foi mais vantajosa do que a compra de trens novos. Nos cálculos da Promotoria, orçada originalmente a um custo de R$ 1,622 bilhão, a reforma acabou custando aos cofres do governo de São Paulo cerca de R$ 2,5 bilhões, um acréscimo de R$ 875 milhões ao montante original.

Na Assembleia Legislativa de São Paulo, para participar da reunião da Frente Parlamentar em Defesa da Malha Ferroviária Paulista, o secretário afirmou que “talvez o mundo tenha que aprender conosco”, ao defender a reforma citada pelo MP.

 

Saiba mais: Ex-diretor da Siemens envolve seis políticos com cartel

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 23 de outubro de 2013 Política | 07:00

Com orçamento reduzido, Conservatório de Tatuí se mobiliza para pedir emenda on-line

Compartilhe: Twitter

Funcionários, professores e alunos do Conservatório Dramático e Musical de Tautí, órgão da Secretaria de Cultura do estado localizado no interior paulista, estão se mobilizando para tentar reverter o corte de R$ 400 mil previsto no orçamento do ano que vem.

Um texto com explicações sobre como propor emendas ao orçamento por meio do site da Assembleia Legislativa de São Paulo está sendo distribuído com um pedido de ajuda. A intenção é sensibilizar os deputado para que a verba de 2014 passe de R$ 24.296, conforme previsto no projeto de lei, para R$ 28 mil.

“Em Minha justificativa para a Proposta de Emenda, temas sobre os quais você deve discorrer (texto a ser desenvolvido por cada um, de sua maneira): 4 anos sem reajuste no orçamento; quebra inevitável de todos os projetos e outros cortes no ano em que se comemora 60 de criação do Conservatório; sacrifício de entidades de longa história, como o Conservatório, em função de aumentos em projetos não institucionais e mesmo que não necessitam de alto volume de dinheiro encaminhado”, diz o texto.

A direção do Conservatório estima que cortes drásticos terão que ser feito com a redução do orçamento.

Leia também: Paulistas poderão apresentar emendas ao Orçamento 2014 pela internet

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 1 de outubro de 2013 Política | 17:28

Paulistas poderão apresentar emendas ao Orçamento 2014 pela internet

Compartilhe: Twitter

Após o Orçamento do Estado de São Paulo para 2014 ser publicado no Diário Oficial – o que deve ocorrer ainda nesta semana-, o site da Assembleia Legislativa de São Paulo vai disponibilizar um link para que a população elabore suas propostas da mesma maneira que fazem os deputados.

O interessado fará um cadastro e escolherá um parlamentar para encaminhar a sua emenda. A Casa disponibilizará um tutorial que explicará como preencher os formulários e as exigências legais para remanejamento de recursos e como é elaborado o Orçamento.

Além do novo canal pela internet, as audiências públicas para discutir o projeto de lei também serão realizadas. A primeira acontecerá na próxima quinta-feira (3) na Câmara Municipal de Assis (interior de SP). Serão 21 reuniões realizadas em sedes e cidades de regiões administrativas, metropolitanas, de governo e aglomerações urbanas.

A receita total do orçamento fiscal e da seguridade social para o próximo exercício -enviada pelo governo à Assembleia na segunda-feira (30)- é de R$ 188.874.746.752. O projeto tem que ser votado até o final deste ano.

Autor: Tags: , ,

domingo, 8 de setembro de 2013 Política | 08:00

‘Não pretendo fazer oposição a ninguém’, diz Paulo Skaf

Compartilhe: Twitter

Presidente da Fiesp desde 2004, Paulo Skaf, 58 anos, se diz firme nos planos de se lançar pela segunda vez ao governo do Estado de São Paulo no ano que vem, desta vez pelo PMDB. Em 2010, Skaf disputou a eleição para governador pelo PSB.

Ao Poder Online, ao som de música clássica na sua sala no prédio da Fiesp, Skaf diz que entrou na política com o objetivo de ser “propositivo” e que não tem a intenção de se contrapor a um ou outro campo. “Não pretendo fazer oposição a ninguém. Não entrei na política para me opor a ninguém”, diz ele. Confira a entrevista:

Paulo Skaf (Foto: Vanessa Carvalho/News Free/AE)

Paulo Skaf (Foto: Vanessa Carvalho/News Free/AE)

O senhor já está participando de encontros do PMDB pelo interior do Estado. Como tem sido?
Eu estive em São José dos Campos, São Caetano, Indaiatuba e Cedral. Foram todos muito bons, senti uma recepção muito boa, forte. A base do partido, além da vontade da direção nacional, do presidente (em exercício do partido, senador Valdir) Raupp, deputados estaduais e federais, vereadores, prefeitos, enfim, há realmente uma empolgação muito grande para que, depois de 20 anos, o PMDB tenha no ano que vem realmente uma candidatura a governador. É um voto de confiança. Lógico que eu repito que as coisas têm o seu momento – e neste momento, estamos aqui trabalhando – , mas continuo na presidência das entidades.

Quais devem ser suas bandeiras políticas? Alguns assuntos devem coincidir com o que o senhor defende como presidente da Fiesp e o que será seu discurso como candidato?
Como no caso não sou político de carreira, em 2009 foi a primeira vez que me filiei na vida, eu me apresentei como novidade em 2010. Novamente, nesse momento, me apresento dessa forma. Eu não tive cargo, carreira, mandato de deputado, minha vida esteve ligada mais a questões empresariais e  institucionais, de entidades como Sesi, Fiesp, Senai, Ciesp. Nós temos uma cultura de resultado, o grande diferencial, sinto, que a gente pode oferecer é esse compromisso com resultado. E ter compromisso com resultado é ter compromisso com as pessoas e ter respeito pelas pessoas. Por exemplo, não adianta você inaugurar uma escola, isso não resolve o problema. Você tem que inaugurar uma escola em que os alunos aprendam, que os professores estejam estimulados, que a alimentação seja boa, que esportes sejam praticados e que tudo caminhe bem. Isso é compromisso com resultado. Você só inaugurar uma escola não quer dizer que ela atinja seu objetivo, que é os alunos aprenderem. Não adianta ter hospitais, unidades de saúde, se o atendimento não tem qualidade, se uma pessoa tem que esperar oito meses para fazer uma ressonância. Você tem que ter resultado, tem que fazer com que a pessoa tenha o atendimento e com eficiência, que saia satisfeita. Por exemplo, São Paulo gasta 1,3% do PIB com segurança pública, a Alemanha gasta 1,2%. Proporcionalmente, São Paulo gasta um pouco a mais do que a Alemanha. No entanto, enquanto a Alemanha tem um índice de homicídio de 0,8% a cada 100 mil habitantes, São Paulo tem próximo a 12 homicídios a cada 100 mil habitantes. Ou seja, você tem uma eficiência 12, 13 vezes menos. Precisamos incentivar transporte coletivo, mas fazer num ritmo de 2 km por ano de metrô. O  Metrô tem 35 anos e tem 70 e poucos km. Então, na verdade, São Paulo precisa de outro ritmo. O mesmo em relação ao Rodoanel, Ferroanel, que é uma missão federal, mas que já deveria estar sendo feito, e tantos outros projetos que estamos discutindo até hoje e que são de 1980, 1990, que deveriam ter virado realidade em três, quatro anos. Um projeto ele é bom ou ruim, se é bom, ele tem que acontecer. O que eu penso disso tudo é que o grande diferencial é não falar só em fazer ou não fazer só por fazer, é falar menos e fazer mais, e fazer coisas que realmente funcionem, de resultado.

A sua experiência como empresário, então, na sua opinião, pode agilizar os trâmites burocráticos do Estado?
Não é só agilizar, para que fazer com que as coisas aconteçam, tem coisas aí há 20, 30 anos. O Sesi/Senai também tem licitação, tem Tribunal de Contas, essas coisas têm mesmo. Mas o importante é diagnosticar as dificuldades, definir o que precisa ser feito, resolver as questões e perseguir até ficar pronto e com qualidade, de forma com que as pessoas tenham resultado.

Skaf, junto com a cúpula do PMDB, no momento de sua filiação ao partido

Skaf, junto com a cúpula do PMDB, no momento de sua filiação ao partido

Como o senhor tem lidado com o assédio de outros partidos, como o PSDB?
Eu não tenho assedio nenhum, comigo nenhum. Eu não tenho plano B, o partido PMDB tomou uma decisão, vai ter candidatura majoritária. Eu repito, nós não temos nenhuma candidatura agora, não existe nada em 2013, neste momento, estou na plenitude em meu trabalho. Eleição, candidatura, só em 2014. A realidade é que o PMDB tomou a decisão de ter candidatura própria e me colocou como pré-candidato. E a figura de pré-candidato é abstrata, o que vale é a candidatura. Mas a política é conversa e isso não significa assédio. O governador eu conheço há anos, converso sempre com ele, é normal a gente conversar e isso não significa nenhum assédio.

Como vai fazer esse possível enfrentamento no ano que vem? O senhor pretende fazer oposição ao governo atual?

Eu não pretendo a fazer oposição a ninguém, eu não entrei na política para me opor a ninguém. Eu quero dar propostas pró-ativas e quero dar uma contribuição, minha linha não será de oposição. É ser propositivo, ideias novas, propostas. Na vida, a gente aprende uma coisa, quando o resultado não é bom, você precisa mudar o jeito de fazer. O estado de São Paulo é um estado rico, deveria ser referência. Eu não tenho nenhuma razão de fazer oposição ao governo mas uma coisa é real, o grupo do atual governador está há 20 anos governando São Paulo, depois de 20 anos, com a melhor intenção que se possa ter, o jeito deles fazerem está aí, e certamente coisas boas foram feitas também. Se queremos resultados diferentes onde existem problemas, e problemas existem muitos, na saúde pública, educação, segurança, infra, transporte pública, logística, é preciso fazer diferente, inovadora, outro estilo, que possa dar contribuição boa, e para isso não precisa se opor a ninguém. A decisão será do povo de São Paulo que é bastante inteligente, sabe entender as coisas.

 Leia também: PMDB paulista intensifica agenda de Paulo Skaf no interior 

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 28 de novembro de 2012 Estados | 09:30

Governo paulista espera arrecadar R$ 1,7 bilhão com programa de parcelamento

Compartilhe: Twitter

O governo de São Paulo lançará para 2013 o Programa Especial de Parcelamento, que abrirá a possibildade para que devedores parcelem suas dívidas com o estado.

Segundo o secretário estadual da Fazenda, Andrea Sandro Calabi,a previsão de arrecadação do PEP em 2013 é de R$ 1,7 bilhão.

A equipe técnica do governo está nos últimos passos para publicação dos decretos necessários para implementar o programa.

O PEP deverá contemplar mesmo aqueles cujos débitos já tenham sido inscritos na dívida ativa.

O prazo máximo para o parcelamento será de 120 meses, com descontos de até 75% em multas e de até 60% nos juros.

A estimativa de Calabi é que o PEP abra a partir de fevereiro de 2013 inscrições para devedores que queiram aderir e deve receber interessados até agosto do mesmo ano.

Assista:

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 19 de novembro de 2012 Estados | 14:30

Estado não deverá aumentar investimento no Metrô em 2013

Compartilhe: Twitter

Nem a proximidade da Copa do Mundo de 2014 parece estimular o governo paulista a aumentar os investimentos no Metrô.

Se neste ano a previsão de investimentos para o Metrô chega a exatos R$ 4.901.602.812, esse montante não será maior em 2013.

A proposta orçamentária encaminhada pelo governo do estado prevê até um valor ligeiramente menor para o Metrô em 2013, R$ 4.843.189.536, pouco mais de R$ 58 milhões a menos do que o que foi previsto para 2012.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 4 de outubro de 2010 Eleições | 11:02

O recorde de Alckmin

Compartilhe: Twitter

Geraldo Alckmin (Foto: AE)

Se cumprir todo o seu mandato, o governador eleito Geraldo Alckmin (PSDB),  58 anos, baterá um recorde: será o político que chefiou o executivo paulista por mais tempo.

Alckmin já governou São Paulo por cinco anos, de março de 2001 a março de 2006, primeiro substituindo Mário Covas e depois reeleito.

Autor: Tags: , , ,