Publicidade

Posts com a Tag governo Lula

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011 Partidos | 08:04

Presidencialismo de coalizão é fábrica de legendas

Compartilhe: Twitter

O presidencialismo de coalizão, desde 2003, produziu um feito inédito nos anos de governos Dilma/Lula: dos 23 partidos com representação na Câmara, cinco surgiram depois de 2003.

Apenas um é declaradamente – e na prática – de oposição: o PSOL, registrado em 2004. PSD se diz independente. E PR (2006), PP (2003), PRB (2005) estão na base de apoio ao Palácio do Planalto.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 26 de outubro de 2011 Governo | 18:13

Intelectuais: depois do silêncio, barulho por nada

Compartilhe: Twitter

Vinte e quatro horas depois de receber o apoio de 123 intelectuais brasileiros, o ministro do Esporte, Orlando Silva, foi demitido do cargo.

No governo Lula, os intelectuais foram criticados pelo silêncio. No governo Dilma, andam fazendo muito barulho por nada.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 19 de setembro de 2011 Economia | 16:54

Serra: “estilo clientelista do petismo” prejudica política industrial

Compartilhe: Twitter

O não-candidato José Serra postou hoje em seu blog o primeiro comentário sobre a decisão do governo federal de aumentar o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de carros importados.

Segundo Serra, “a herança maldita” do governo Lula de um câmbio hipervalorizado deixou Dilma Rousseff sem opção para frear a invasão de produtos importados. E conclui:

– Não vai ser fácil administrar o esquema de incentivo tributário segundo índices mínimos de nacionalização da produção automobilística (que inclui todo o setor de autopeças), até em razão da fraqueza do ministério do Desenvolvimento e do estilo clientelista do petismo governamental.

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 24 de novembro de 2010 Brasil | 12:02

Governo Lula X governo FHC

Compartilhe: Twitter

Está sendo redigido o mais completo estudo comparativo do governo FHC com o governo Lula. O livro sai no ano que vem e levará em conta as realizações dos dois governos – com base nos principais índices socioeconômicos – e, principalmente, e o contexto mundial em que cada presidente assumiu o país.

O autor do trabalho é o ex-deputado Xico Graziano.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 4 de outubro de 2010 Eleições | 18:01

Só um ex-ministro de Lula é eleito governador

Compartilhe: Twitter

Memória: o primeiro ministério de Lula

Conforme as previsões, apenas um ex-ministro do governo Lula, dos cinco que disputaram os governos de estados, foi eleito: Tarso Genro (PT), no Rio Grande do Sul.

Em Minas Gerais, a “onda Aécio” derrubou a banda larga e o Bolsa Família, dois projetos sociais comandados por Hélio Costa (PMDB) e Patrus Ananias (PT), candidato a vice-governador na coligação PMDB-PT.

Na Bahia, Geddel Vieira Lima (PMDB), e no Amazonas, Alfredo Nascimento (PR) também perderam. No saldo de derrotas ainda pode ser incluído, o líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), que disputou o governo paulista, e Matilde Ribeiro, ex-secretária de Igualdade Social, suplente de Netinho na corrida ao Senado pelo PCdoB-SP.

Os ex-ministros tiveram mais sucesso na disputa ao Legislativo. Carlos Minc, do Meio Ambiente, foi eleito deputado estadual no Rio, Marta Suplicy, ex-ministra do Turismo, será senadora por São Paulo, e Reinhold Stephanes (PR), ex-Agricultura, e Edson Santos (PT), substituto de Matilde depois do escândalos dos cartões corporativos, se elegeram à Câmara. E Edison Lobão (ex-Minas e Energia) e José Pimentel (ex-Previdência) se elegeram para o Senado, no Maranhão e no Ceará, respectivamente.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 1 de outubro de 2010 Eleições | 11:06

No governo Lula, só o PMDB ganhou força na Câmara

Compartilhe: Twitter

No infográfico produzido pelo departamento de arte do iG sobre a evolução das legendas a cada eleição, desde 1994, dá para constatar facilmente que o PMDB foi o único partido que ganhou força na Câmara no governo Lula.

Em 1994, o PMDB elegeu 107 deputados. Em 1998, mesmo apoiando o governo Fernando Henrique, encolheu para 83 eleitos. Em 2002, chegou a 76. Mas em 2006, inchou para 89.

Enquanto isso o PT, nas mesmas eleições, obviamente, elegeu 50, 59, 91 e caiu para 83 há quatro anos.

O PSDB foi de 63 com o Plano Real depois para 99, caiu a 70 deputados eleitos e encolheu para 66 em 2006.

O DEM fez 89, depois 105, 84 e apenas 60 na última eleição.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 20 de setembro de 2010 Eleições | 10:06

Para PT, governo é governo, campanha é campanha

Compartilhe: Twitter

Erenice Guerra (Foto: AE)

Apesar de a semana começar, ao que tudo indica, com uma nova demissão causada pelo escândalo Erenice Guerra – desta vez a saída coronel Eduardo Artur Rodrigues Silva que promete sair hoje da diretoria de Operações dos Correios -, a estratégia da campanha petista será manter o discurso de que tudo isso é coisa do governo e não da campanha.

Se questionados, petistas ou a candidata a presidente, Dilma Rousseff, responderão que o governo está apurando tudo e o caso das prisões ocorridas no Amapá servirão, inclusive, de “prova” de que a administração Lula está apurando as denúncias e, a despeito da eleição, mandando prender os corruptos.

– Não há acobertamento. O governo poderia esperar mas, como é assunto de governo, está agindo – afirma o líder Cândido Vaccarezza (PT-SP).

Ou seja, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 17 de agosto de 2010 Eleições | 07:02

As previdências de Michel Temer

Compartilhe: Twitter

Quando foi relator da reforma da Previdência Social no governo Fernando Henrique Cardoso, o candidato a vice-presidente na chapa do PT, Michel Temer (PMDB), defendeu pontos como a adoção da idade mínima e alterações para aproximar o sistema de um regime único (servidores públicos e empregados da iniciativa privada).

O argumento era sempre o déficit da previdência e a insustentabilidade do sistema no futuro, diante do aumento da expectativa de vida do brasileiro.

Em 2003, o governo Lula promoveu uma reforma ainda mais tímida do que a de FHC – mais centrada no setor público – e muito do que se “aprovou” foi letra morta pela dependência de lei complementar para entrar realmente em vigor. No governo, por exemplo, o ministro Carlos Gabas e quase todos de sua equipe detestam ouvir falar em idade mínima.

Pois bem, de 1996  para cá, o déficit da previdência só aumentou – com destaque para o crescimento mais acelerado do INSS do que do setor público, embora o buraco deste ainda seja maior (R$ 42,6 bi contra R$ 47 bi, no ano passado). 

Poder Online perguntou a Temer se ele havia mudado sua concepção de previdência durante o governo do PT:

– Eu sempre defendi um sistema novo que valeria para aqueles que estão ingressando.

Não garantiu, no entanto, que essa seja a proposta do PMDB ou que, num suposto governo Dilma, esta mudança seja implementada. Talvez isso seja apenas um detalhe.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 4 de agosto de 2010 Governo | 14:46

Joseph Safra evita críticas à relação de Lula com Ahmadinejad

Compartilhe: Twitter

Joseph Safra

A comunidade judaica estava reunida, agora há pouco, em São Paulo, para a inauguração da unidade Perdizes-Higienópolis do Hospital Albert Einstein, na zona oeste da capital paulista.

Além dos elogios às instalações, que atenderão 40 mil pessoas por ano e só perdem para o prédio do Morumbi, o assunto nas rodas de muitos convidados era o apoio do governo brasileiro ao presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad.

Em seu discurso, o presidente do HAE, Cláudio Luiz Lottenberg, ao lado do governador Alberto Goldman, criticou “aqueles que negam o holocausto” e lembrou que o prédio começou a ser construído na gestão de José Serra.

Goldman foi ao evento acompanhado de quase todo o seu secretariado.

Cercado de seguranças, como sempre, em uma roda de amigos, estava o banqueiro Joseph Safra. Na saída, Poder Online perguntou a Safra qual sua opinião sobre a relação do governo Lula com Ahmadinehjad. Ele deu uma risadinha, mas logo ficou sério e respondeu:

–  Não vou entrar nessa questão.

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 1 de junho de 2010 Eleições | 05:21

Por outro lado…

Compartilhe: Twitter

Por outro lado, Luiz Carlos Mendonça de Barros faz as contas. Outro dia, calculou quantos salários mínimos eram necessários para pagar a prestação de um carro popular novo em 2000 e em 2010.

Resultado: 13 contra 4, respectivamente.

Conclusão: ponto para o governo Lula.

Autor: Tags: , , ,