Publicidade

Posts com a Tag Henrique Eduardo Alves

quinta-feira, 4 de novembro de 2010 Congresso | 13:01

Eduardo Cunha diz que presidência da Câmara vai ser decidida no consenso

Compartilhe: Twitter

O deputado reeleito Eduardo Cunha (PMDB-RJ) afirmou que não acontecerá qualquer disputa entre PMDB e PT pela presidência da Câmara. Segundo ele, assim como o revezamento já foi negociado, a ordem de quem ocupa primeiro também vai ser resolvida na base da conversa.

— O DEM se precipitou ao declarar que deve apoiar o PT, até porque não vai ter qualquer disputa. Vamos decidir por meio do consenso. Acho até que o DEM pode ter ajudado a fechar esse acordo, porque ninguém quer o apoio da oposição, mas sim dos vitoriosos.

Autor: Tags: , , , , ,

Congresso | 12:28

Vitória do PT melou acordo de Vaccarezza com PMDB

Compartilhe: Twitter

Cândido Vaccarezza (Foto: AE)

Até agora são quatro os pré-candidatos do PT à Presidência da Câmara:

  • O líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT);
  • o ex-presidente da Câmara Arlindo Chinaglia (PT);
  • outro ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (SP);
  • e o atual vice-presidente da Câmara Marco Maia (RS).

Os mais fortes no momento são Cândido Vaccarezza, que tem o apoio da cúpula partidária, e Arlindo Chinaglia, que trabalha há mais tempo o nome na bancada.

Além da cúpula partidária, Vaccarezza tinha outro trunfo: o poderoso deputado peemedebista Eduardo Cunha,  que havia intermediado um acordo com o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves, segundo o qual caberia ao partido aliado presidir a Câmara nos dois primeiros anos do governo Dilma, ficando o PT com os dois últimos.

O problema deste acordo é que, ao contrário do que se esperava, o PT elegeu mais deputados do que o PMDB. E agora será difícil convencer a bancada a ceder a vez para os aliados comandarem Câmara e Congresso ao mesmo tempo, logo no início do governo.

Se Vaccarezza insistir, pode  acabar não sendo escolhido candidato a presidente da Câmara entre os deputados de seu próprio partido.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 2 de novembro de 2010 Eleições | 06:01

PMDB do Senado não abre mão do comando da Casa para beneficiar PMDB da Câmara

Compartilhe: Twitter

A cúpula do PMDB joga toda força na tentativa de conquistar a presidência da Câmara no governo Dilma Rousseff para o líder do partido, deputado Henrique Eduardo Alves (RN). Mas o PT elegeu uma bancada maior de deputados e reivindica o posto.

Uma hipótese que é discutida nos bastidores da negociação entre os dois partidos seria o PMDB abrir mão da Presidência do Senado para o PT, que elegeu a segunda bancada na Casa, em troca da Presidência da Câmara.

Mas aí os deputados peemedebistas vão esbarrar em outro problema: os senadores do partido não abrem mão.

Recém-eleito para o Senado pelo PMDB, Eunício Oliveira (CE), por exemplo, não admite que está candidato à Presidência da Casa. Mas se apressa em deixar claro que regimentalmente, entre a presidência da Câmara e a do Senado, cabe ao partido esta última.

Veja o que ele disse ao Poder Online:

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 1 de novembro de 2010 Sem categoria | 06:03

Começam as conversas formais para definir novo presidente da Câmara. PMDB e PT aceitam revezamento, mas cada um insiste em ser o primeiro

Compartilhe: Twitter

Líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN) revelou ao Poder Online ontem, em meio à festa pela vitória de Dilma Rousseff na eleição presidencial, que começa agora mesmo a procurar os partidos aliados e de oposição para  chegar a “um nome de consenso” à Presidência da Casa.

Esse nome Henrique Eduardo Alves ainda não revela. Mas seria ele mesmo.

PMDB e PT estão praticamente acertados num acordo de revezamento entre os dois partidos: dois anos para um, dois anos para outro. Mas Henriqre Eduardo Alves vai tentar convencer os petistas de que o PMDB deve ser o primeiro a comandar a Casa.

 Veja o vídeo:

Já o Líder do Governo na Câmara, o petista Cândido Vaccarezza, que também é candidato a presidir a Casa no governo Dilma Rousseff, tem uma visão diferente.

Vaccarezza diz que, no caso de revezamento com o PMDB, cabe a seu partido o comando da Câmara nos primeiros dois anos da próxima legislatura. O PMDB ficaria com os dois últimos anos. Veja:

 

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 31 de outubro de 2010 Eleições | 20:39

Temer diz que pode ajudar no diálogo com a oposição: “Tenho bons contatos”

Compartilhe: Twitter

Eleito vice-presidente da República, Michel Temer, afirmou agora há pouco que vai trabalhar para manter o PMDB na presidência da Câmara dos Deputados. Temer garantiu também que pode ajudar no diálogo com a oposição devido aos “bons contatos” que teria no Congresso.

Até o momento, o líder do PMDB Henrique Eduardo Alves (RN) é o mais cotado dentro do partido para a presidência da Casa.

Em tempo: Temer anunciou que não vai tirar férias após as eleições e promete presidir a sessão na Câmara já nesta quarta-feira.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 27 de outubro de 2010 Congresso | 18:43

Presidência do Senado: Sarney e Renan se irritam com o PT

Compartilhe: Twitter

José Sarney e Renan Calheiros

O PMDB no Senado – leia-se José Sarney e Renan Calheiros – detectou, e ficou bastante incomodado, com uma movimentação que atribui ao PT para fortalecer pretensões de peemedebistas em primeiro mandato.

A estratégia petista, na interpretação dos senadores,  seria uma resposta à decisão do grupo de Michel Temer de impor a candidatura de Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) à presidência da Câmara contra a de Cândido Vaccarezza (PT-SP).

Depois da entrevista de Dilma Rousseff ao Jornal Nacional, como revelou o Poder Online, os deputados haviam decidido trilhar este caminho para se fortalecer na disputa de espaço com o PT no caso de vitória.

Sarney e Renan perceberam que o PT passou a estimular senadores como Marcelo Miranda (TO) e Eduardo Braga (AM) a disputarem a presidência do Senado.

Com o discurso de um Senado novo, sem escândalos, a necessidade de cara limpa e nova, o PT empurraria o apoio do eventual governo para a eleição de Miranda ou Braga.

O PT, claro, sabe que esta é uma hipótese difícil. Mas, com toda a certeza, criaria uma crise e tanto para o PMDB administrar logo no início da legislatura aposta que, assim, forçaria o partido a reconsiderar a candidatura de Alves.

A tática petista inclui ainda a liderança da bancada do PMDB no Senado em 2011. Para abrir mão da disputa da presidência, Braga ou Miranda teriam que garantir a liderança da bancada do PMDB no Senado, sempre ocupada por nome abençoado pelo atual presidente da Casa.

A irritação de Sarney e Renan com a movimentação do PT explica-se porque, até agora, eles tiveram total domínio da bancada e o mapa dos 16 novos senadores (sobretudo com a saída de 3 suplentes) lhes é desfavorável.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

sexta-feira, 22 de outubro de 2010 Congresso | 06:04

Presidência da Câmara: bancadas médias alteram as forças

Compartilhe: Twitter

O novo mapa da Câmara dos Deputados altera significativamente a relação de forças para a eleição do novo presidente no ano que vem. Ao contrário de 2002 e 2006, desta vez o maior crescimento em número de parlamentares foi verificado nas bancadas médias.

Os dois maiores partidos da Casa, PT e PMDB, ficaram distantes de alcançar 100 cadeiras como sonharam antes da eleição. O PT parou em 88 e o PMDB em 79.

Neste mapa, segundo um deputado experiente, os blocos ganharam poder. No entanto, o bloco do PT e do PRB soma o mesmo número de deputados do bloco do PMDB como PSC: 96 para cada um.

Há outros três blocos na Casa e a posição deles é que definirá o resultado a favor de Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) ou Cândido Vaccarezza (PT-SP).

O bloco PSDB, DEM e PPS soma 108 deputados. O PTB, PR e PP têm 103 deputados. E o bloco PSB, PDT e PCdoB chega a 77 cadeiras.

Sobram ainda 33 votos, sendo 15 do PV.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 20 de outubro de 2010 Eleições | 13:03

Depois de gafe de Dilma no JN, PMDB reavalia relação com PT

Compartilhe: Twitter

Henrique Eduardo Alves

A candidatura do deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) à presidência da Câmara ganhou força depois do deslize de Dilma Rousseff no Jornal Nacional. A ex-ministra irritou o PMDB por deixar o partido sem defesa quando William Bonner lembrou a frase de Ciro Gomes que define a legenda como um “ajuntamento de assaltantes”.

Os peemedebistas pressionaram o presidente do partido, Michel Temer (PMDB-SP), e ele cobrou diretamente de Dilma, que ontem fez uma espécie de desagravo em entrevista em Goiás. Mas já era tarde.

O episódio foi a gota d´água para o PMDB decidir adotar outra atitude em sua relação com o PT. O descontentamento do partido já vinha do primeiro turno. Para os peemedebistas, o comando do PT mudou completamente a relação com os aliados logo que a vitória em primeiro turno parecia líquida e certa. Ali ficou claro para os peemedebistas como seriam tratados num suposto governo Dilma.

Um dos fatos mais lembrados é o desprezo à disposição do ex-deputado Moreira Franco em colaborar com a campanha. Apesar de “nomeado” um dos coordenadores, Moreira nunca foi chamado para uma reunião de estratégia, apenas discutiu programa de governo.

O segundo turno provocou, porém, outra mudança. Na visão dos peemedebistas, o PMDB voltou a ser “parceiro”. No entanto, agora com total ceticismo.

Com a atitude de Dilma no JN, o PMDB decidiu colocar o bode na sala. Pretende atuar, por intermédio de sua bancada, para disputar posições com o PT. O primeiro round já começou e é justamente pelo terceiro cargo na hierarquia da República – cuja principal atribuição é a pauta do que será votado na Câmara.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 7 de outubro de 2010 Congresso | 07:03

Marco Maia (PT-RS) lança-se candidato a presidente da Câmara

Compartilhe: Twitter

Marco Maia (Foto: AE)

O primeiro vice-presidente da Câmara, Marco Maia, afirmou que vai entrar com tudo na disputa pela presidência da Casa em um eventual governo da petista Dilma Rousseff.

Para ele, a força que o PMDB ganhou com o segundo turno das eleições não vai ser suficiente para garantir o cargo ao partido.

— O PT tem a maior bancada na Câmara, e a segunda maior no Senado, onde estávamos em quarto lugar nessa legislatura. Mesmo com o fortalecimento do PMDB, tudo vai ser negociado. O PMDB pode até ficar com a presidência das duas casas, contanto que nos últimos dois anos o PT assuma as duas casas também. E eu já coloquei meu nome à disponibilidade do partido.

Em tempo: Marco Maia está comprando briga em duas frentes:

1) Contra o PMDB, porque o líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves, está de olho no comando da Casa;

2) Contra o líder do PT na Câmara, Cândido Vaccarezza (SP), que também já se colocou como candidato.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 9 de setembro de 2010 Eleições | 13:01

Henrique Eduardo Alves é contrário à formação do Blocão governista

Compartilhe: Twitter

Procurado pelo Poder Online para explicar como está a disputa pela Presidência da Câmara (cargo para o qual está cotado) num eventual governo da petista Dilma Rousseff, o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), foge do assunto com um discurso diplomático:

— Não é o momento de tratar disso. Primeiro tenho que cuidar da minha própria reeleição como candidato e da eleição de nossa chapa presidencial, ou seja, da ministra Dilma e do vice, Michel Temer. Só depois de asseguramos a vitória e o  fortalecimento da aliança PT-PMDB é que devemos discutir este assunto.

Mas e essa proposta de formalizar um grande bloco governista?

— Não creio que seja o caminho. Depois das eleições, devemos tratar de pacificar os ânimos. Nada de bloco de governo, ou de bloco de oposição. Podemos tratar, sim, do fortalecimento da Câmara como instituição.

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 10
  3. 20
  4. 21
  5. 22
  6. 23
  7. 24
  8. Última