Publicidade

Posts com a Tag Ibope

terça-feira, 7 de outubro de 2014 Eleições | 15:00

‘Nós do PSDB não temos nenhuma confiança nas pesquisas do Ibope’, diz tucano

Compartilhe: Twitter

Responsável pela estruturação do PSDB paulista, César Gontijo não esconde sua insatisfação com as pesquisas divulgadas pelo Ibope.

“O Ibope não tem a menor credibilidade”, diz o tucano, que foi o responsável pela implantação no diretório paulista do PSDB de um dos mais abrangentes softwares de gestão partidária e análise conjuntural.

Segundo Gontijo, o Ibope foi incapaz de observar o crescimento de Aécio na reta final do primeiro turno. “Estávamos crescendo em todas as regiões do país e o Ibope não mostrava isso”, critica ele. “Até na boca de urna eles erraram”, acrescenta Gontijo.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 26 de agosto de 2014 Eleições | 18:12

Tendência de queda de Dilma é maior preocupação de petistas

Compartilhe: Twitter
Presidente Dilma Rousseff. (Foto: Agência Brasil)

Presidente Dilma Rousseff. (Foto: Agência Brasil)

Os dados da pesquisa Ibope encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo apontam justamente na direção da maior preocupação de petistas próximos a Dima Rousseff: uma possível queda das intenções de voto na presidente.

Aliados de Dilma diziam, até o início desta tarde, que se a ex-senadora Marina Silva crescesse especificamente sobre o tucano Aécio Neves, o quadro seria menos preocupante. Mas, embora a variação esteja dentro da margem de erro da pesquisa – de dois pontos para mais ou para menos – petistas já enxergam motivo de sobra para acender o sinal vermelho. Nas palavras de um petista, “o risco agora é real”.

Dilma passou de 38% pontos na pesquisa anterior, para 34% no novo levantamento. Com 29% das intenções de voto – ante 9% registrados na pesquisa anterior por Eduardo Campos -, Marina também ficou acima do que esperavam petistas e tucanos. Até hoje à tarde, a equipe da presidente e o time do tucano Aécio Neves falavam em um desempenho de Marina na faixa de 27%. Já Aécio variou de 23% para 19%.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 22 de maio de 2014 Governo | 19:00

Ordem é evitar que Dilma volte a ‘sangrar’

Compartilhe: Twitter
A presidente Dilma Rousseff  (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

A presidente Dilma Rousseff (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

Diante dos resultados da nova pesquisa Ibope, segundo a qual a presidente Dilma Rousseff voltou a crescer nas intenções de voto, o governo estabeleceu como prioridade absoluta evitar que a petista volte a “sangrar”.

O governo e o PT já tinham identificado em pesquisas internas que a presidente havia parado de cair nas intenções de voto. Mas a alta de 37% para 40% na preferência do eleitor ajudou a melhorar os ânimos além do que previa o Palácio do Planalto.

A ordem continua sendo manter atenção especial a manifestações, em especial durante a Copa, e alardear realizações do governo.

 

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 25 de outubro de 2013 Eleições | 07:30

PMDB negocia com Ibope pacote de pesquisas pelos estados

Compartilhe: Twitter

O presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), esteve nesta semana na sede do Ibope, em São Paulo.

Raupp está negociando com o instituto a contratação de pesquisas para testar a viabilidade e potencialidade das candidaturas do partido nos 20 estados em que o PMDB pretende lançar nome próprio.

O partido deverá dedicar especial atenção aos estados que considera atualmente como problemáticos: Bahia, Ceará, Maranhão e Rio de Janeiro

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 8 de maio de 2012 Eleições | 14:30

PT não espera grande performance de Haddad em pesquisa IBOPE

Compartilhe: Twitter

O comando da campanha de Fernando Haddad (PT) não espera um crescimento grande das intenções de voto no ex-ministro da Educação na pesquisa que deve ser divulgada amanhã pelo IBOPE.

Os petistas argumentam que o questionário aplicado pelo instituto não identifica ao lado dos nomes dos candidatos o partido ao qual eles pertencem.

Por causa disso, o PT paulistano crê que para um candidato que ainda sofre com a falta de conhecimento por parte do eleitorado, perder a identificação partidária seria um golpe duro para o desempenho.

Muitos eleitores do partido pouco engajados, acredita o comando eleitoral petista, ainda têm dificuldade de associar Haddad à legenda e até ao ex-presidente Lula.

Na reta final da disputa, aposta o PT, esses eleitores votarão em Haddad.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 10 de agosto de 2011 Governo | 16:34

Sérgio Guerra: “Lula tem uma garganta poderosa”

Compartilhe: Twitter

Do presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, sobre a última pesquisa do Ibope que apontou queda em seis pontos percentuais da popularidade da presidenta Dilma Rousseff:

— O Lula tinha uma garganta poderosa, conseguia enganar muita gente. A Dilma não tem essa garganta — comparou.

Autor: Tags: , , , , , ,

domingo, 3 de julho de 2011 Eleições | 10:52

Ibope mostra como Kassab deixou de ser ‘página em branco’

Compartilhe: Twitter

O prefeito Gilberto Kassab (Foto: Vanessa Carvalho/AE)

Como os programas eleitorais contribuíram para que o afilhado político do ex-governador José Serra, o até então democrata Gilberto Kassab, fosse eleito prefeito de São Paulo em 2008? O Ibope responde esta e outras perguntas no estudo Os programas eleitorais importam?, que será divulgado nos próximos dias.

A analista de pesquisas do instituto Fernanda Rosa acompanhou 57 programas da campanha à prefeitura de São Paulo de 2008. Ela se debruçou sobre as inserções do 1º turno de Kassab, Geraldo Alckmin (PSDB) e Marta Suplicy (PT). É a primeira vez que o Ibope faz esse tipo de estudo.

Segundo Fernanda, em três meses de programas, a desvantagem de Kassab, que “era uma página em branco”, por não ser tão conhecido da população, foi convertida.

Como? “Os três candidatos tinham as mesmas propostas, mas o Kassab conseguiu se sobressair porque soube usar aspectos de sedução, de carisma e de ataque. Ele era uma página em branco e construiu sua imagem com os programas de televisão”, explicou ela ao Poder Online.

Poder Online – Podemos afirmar que o prefeito Gilberto Kassab, que começou a disputa em 3º lugar, foi eleito com 61% dos votos, no segundo turno, por causa dos programas eleitorais?

Fernanda Rosa – Não podemos afirmar que foi por causa dos programas eleitorais que o Kassab ganhou as eleições. Como só estudei os programas eleitorais, não tenho como dizer que os outros elementos da campanha eleitoral não contribuíram para ele ganhar. É claro que é muito visível que ele começa a crescer nas pesquisas quando começam os programas. Mas ele também estava nas ruas, no rádio. Existem outros elementos que também contribuíram para a vitória. O ideal é falar como o programa eleitoral contribuiu para que ele ganhasse.

Poder Online – E como contribuíram?

Fernanda Rosa – Foi uma conjunção de fatores. O Kassab usou mais aspectos emocionais na campanha do que o Geraldo Alckmin e a Marta Suplicy. Tinham, por exemplo, médicas chorando, pessoas agradecendo pelos CEUs, pelas AMAs. Ele usou mais carisma. Muito mais do que os outros. Para passar a imagem de que era amado, bem quisto. Ele também fez mais ataques e se comparou mais com os adversários.

Poder Online – Ele tinha elementos para isso? Já que não era tão conhecido e estava à frente da prefeitura só há dois anos, desde que o ex-governador José Serra havia deixado o cargo para disputar as eleições de 2006.

Fernanda Rosa – O Kassab era uma página em branco. A Marta era ex-prefeita com grande apoio na periferia, mas com uma rejeição muito forte nas classes mais altas. O Alckmin era um ex-governador com renome, que era lembrado. O Kassab não tinha muitos problemas porque não era conhecido. E ele se apropriou de tudo que Marta tinha feito. Usando um discurso de que “bom prefeito é aquele que dá continuidade a coisas boas”, ele começou a divulgar as ações da Marta. E ela ficou sem discurso porque era o Kassab quem falava do CEU, do Bilhete Único e de todas as coisas que ela tinha feito.

Poder Online – O estudo também mostra que o Kassab conseguiu se sobressair porque soube usar a sedução e o carisma.

Fernanda Rosa – Os três candidatos tinham as mesmas propostas, mas o Kassab conseguiu se sobressair porque soube usar aspectos de sedução, de carisma e de ataque. Como não tinha nada que o depreciasse a priori, ele foi construindo uma imagem a partir de uma apropriação das políticas que já tinham sido feitas e usando o discurso de continuidade e de aperfeiçoamento dessas políticas. A quantidade de ameaças que ele fazia também contribuiu bastante. O discurso que embalou a campanha de Kassab foi “está bom, então por que mudar? Alguém que fez tudo isso em dois anos fará muito mais em quatro”. Nesse aspecto, com certeza o programa de televisão construiu a imagem dele.

Poder Online – Como surgiu a ideia de analisar os programas eleitorais?

Fernanda Rosa – Durante as eleições, a principal ferramenta para nós que trabalhamos em institutos de pesquisas são as pesquisas de opinião. São elas que nos fazem entender o contexto eleitoral. Com esse estudo, a ideia é mostrar que é possível entender melhor esse contexto. E também mostrar que é possível fazer esse tipo de estudo durante as eleições – as análises, normalmente, são feitas no período pós-eleição. Vendo e codificando os programas eleitorais de televisão, é possível fazer uma análise do que está acontecendo. É mais uma ferramenta à disposição para entendimento do contexto eleitoral, que hoje está sendo usada no meio acadêmico, mas que institutos de pesquisas não costumam fazer.

Poder Online – Essa nova ferramenta pode ser adotada pelo Ibope a partir das próximas eleições?

Fernanda Rosa – Ainda não temos nada programado. Ela pode ser usada, mas não posso afirmar que será usada porque demanda mais tempo e também uma estrutura própria para isso. Mas continuar analisando os programas de televisão é super importante porque, apesar de parecer que todas as pessoas têm acesso à internet, isso não é verdade. Grande parte da população ainda continua usando os programas eleitorais para decidir qual será o seu candidato.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 5 de abril de 2011 Brasil | 12:32

Bolsonaro e a audiência do ‘CQC’

Compartilhe: Twitter

A participação do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) no CQC, da Band, não alterou a audiência do programa.

Nas duas noites em que Bolsonaro esteve na atração comandada por Marcelo Tas, foram registrados cinco pontos de média na Grande São Paulo, segundo dados do Ibope.

Na semana anterior ao “caso Bolsonaro”, o CQC teve média de seis pontos.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 4 de abril de 2011 Eleições | 08:02

Ibope tem dificuldade em fazer pesquisa para prefeito de São Paulo

Compartilhe: Twitter

O Ibope até agora ainda não saiu a campo para verificar a opção do eleitor na eleição de 2012 para prefeito de São Paulo. Há uma certa dificuldade de montar o cardápio, sobretudo quanto ao pretendente do PSDB – se José Serra é um candidato pouco provável, afinal quem será o candidato do partido?

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 18 de novembro de 2010 Eleições | 17:02

Em debate, as pesquisas nas eleições 2010

Compartilhe: Twitter

A diretora-executiva do Ibope, Márcia Cavallari, o diretor do Datafolha, Mauro Paulino, e o diretor-executivo do Vox Populi, João Francisco Meira, participam daqui a pouco, em São Paulo, do debate Pesquisas nas Eleições 2010 – Desafios e Perspectivas.

O evento, que começa às 19h30, quer colocar em discussão o papel da pesquisa nas eleições e a perspectiva de aperfeiçoar o processo de desenvolvimento das pesquisas de intenção de voto .

O debate é promovido pela Associação Brasileira de Pesquisadores de Mercado, Opinião e Mídia, em parceria com a ABEP – Associação Brasileira das Empresas de Pesquisa.

Autor: Tags: , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última