Publicidade

Posts com a Tag Indio da Costa

domingo, 5 de janeiro de 2014 Eleições | 08:00

‘Nossa lógica será fortalecer o 2º turno’, diz Indio da Costa, sobre Aécio e Campos

Compartilhe: Twitter

Recém-declarado pré-candidato ao governo do Rio, o ex-deputado Indio da Costa (PSD-RJ) diz ver a oportunidade de montar uma candidatura capaz de chegar ao segundo turno numa aliança envolvendo PSD, PSDB, PSB, PPS, PV, Solidariedade e PROS.

Relator do projeto que deu origem à Lei da Ficha Limpa e ex-candidato a vice-presidente na chapa encabeçada por José Serra em 2010, ele afirma que a escolha por seu nome poderia agregar esses atributos à disputa. Mas diz que tudo está sob negociação. Segundo ele, esses partidos decidirão juntos qual será a melhor cabeça de chapa para a corrida estadual, considerando também alternativas como Bernardinho, recém-filiado ao PSDB, e Miro Teixeira, que se apresenta para a disputa pelo PROS.

A aliança, segundo ele, dará espaço às candidaturas presidenciais de Aécio Neves (PSDB-MG) e Eduardo Campos (PSB-PE). “A nossa lógica será a de fortalecer o segundo turno, para quem chegar ao segundo turno”, diz o ex-deputado, ao reforçar que não há chance de o PSD caminhar com Dilma Rousseff no Rio, independentemente da posição da sigla na esfera nacional.

Confira os principais trechos da entrevista ao Poder Online:

Índio da Costa (Foto: Flávio Torres/Fotomídia)

Índio da Costa (Foto: Flávio Torres/Fotomídia)

Qual é a base do projeto eleitoral do senhor para o ano que vem? 
O PSD é um partido novo, recém-formado. Tem que crescer, eleger vereadores, deputados, senadores, governadores. Na prática, é um partido que se unifica de fato nesta eleição, pois muitos dos seus quadros se elegeram por outros partidos, em outros projetos. Agora, passarão a ser eleitos pelo PSD. E, diante desse quadro, campanhas majoritárias são fundamentais para cristalizar esse processo.

Mas o senhor vê viabilidade eleitoral?
Aqui no Rio de Janeiro, há uma possibilidade muito concreta de viabilizar uma campanha vitoriosa. Os nomes colocados estão aí faz muito tempo. Não há nada realmente novo. E há uma demanda por uma novidade. O mundo mudou e a classe política não acompanhou. Se os políticos não conseguem se adaptar à sociedade, a sociedade muda os políticos.

O senhor fala em montar uma aliança de vários partidos.
A tese que eu defendo é que, se tivermos três candidaturas dentro desse campo que busca uma alternativa ao que está colocado, vamos dividir o eleitorado e temos pouca chance de chegar ao segundo turno. Se estivermos juntos, não há dúvida de que temos chance de chegar ao segundo turno. Até porque a ideia é reunir quadros como o Bernardinho (recém-filiado ao PSDB), o Miro Teixeira (pré-candidato pelo PROS). Meu nome está colocado, mas não haverá imposição a ninguém. Não será uma decisão acima do todo. Vamos articular juntos a melhor opção para um projeto que reúna esses quadros e apresente uma alternativa viável para a sociedade. Uma chapa conjunta tem várias posições a serem preenchidas, Senado, vice…Não haverá engarrafamento. Tem espaço para todo mundo.

O senhor deixou a secretaria de Esporte, que é estratégica neste momento de grandes competições. Não é prova de que o senhor está confiante de que levará a cabeça de chapa?
O que me leva a essa decisão é a perspectiva de que pode haver uma volta ao passado. Tem candidato defendendo o fim das UPPs. Mas as UPPs hoje são do Rio. Têm que ser tratadas como uma política de Estado, não de governo.

Como fica essa postura do PSD no Rio diante do alinhamento do partido com Dilma na esfera nacional?
No Rio, essa chance de apoio a Dilma não existe. Temos uma realidade local. Isso já está conversado (com Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD). Mas nosso projeto não será contra A ou B. Será a favor do Rio.

Será então um palanque duplo para Aécio Neves e Eduardo Campos?
Quem vai decidir se é Aécio ou Eduardo Campos quem vai para o segundo turno não é o Rio. A chave estará nos estados governados pelo PSDB e pelo PSB. Vamos garantir que quem for para o segundo turno terá palanque. A nossa lógica será a de fortalecer o segundo turno, para quem chegar ao segundo turno.

O senhor foi companheiro de chapa de Serra, mas agora vai trabalhar por Aécio. Essa associação da sua imagem com a do Serra preocupa?
Serra é meu amigo. Temos uma relação muito boa. Agora, a decisão sobre quem será o candidato do PSDB à Presidência cabe somente ao PSDB. E é absolutamente natural que quem disputou ao lado do PSDB na última eleição repita esse apoio.

 

 

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014 Eleições | 16:00

Indio da Costa deixa secretaria no Rio para disputar eleição

Compartilhe: Twitter

O presidente do PSD-RJ, Indio da Costa, deixou o comando da secretaria municipal de Esportes e Lazer do Rio para disputar a eleição do ano que vem. A exoneração foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (2).

A candidatura de Indio vai contra a torcida que vinha sendo feita pelo PMDB carioca, que esperava apoio do PSD para tentar amarrar a candidatura do vice-governador Luiz Fernando Pezão.

Indio -que foi vice de José Serra na corrida presidencial de 2010 e relatou o projeto de lei da Ficha Limpa- agora diz que vai se debruçar na construção de alianças para a corrida estadual.

 

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013 Eleições | 11:57

Aliados de Pezão sonham com apoio do PSD

Compartilhe: Twitter

O PMDB fluminense acredita que pode atrair o PSD para o seu lado na eleição estadual do próximo ano e assim dar mais força para a chapa do vice-governador, Luiz Fernando Pezão.

Reservadamente, líderes do PMDB do Rio de Janeiro enxergam como algo improvável de se sustentar a pré-candidatura do presidente do PSD no estado, Índio da Costa.

Para aliados de Pezão, Índio não consegue nem mesmo convencer o próprio partido sobre a viabilidade de sua candidatura e é tratado como candidato de si mesmo. Por isso, o PMDB ainda nutre grandes esperanças de conseguir o apoio do PSD.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 23 de outubro de 2012 Brasil | 23:00

Prisão de primo banqueiro atrapalha Indio da Costa

Compartilhe: Twitter

A prisão de Luís Octavio Indio da Costa, dono do Banco Cruzeiro do Sul, vai atrapalhar a vida de um de seus primos, o ex-deputado e ex-candidato a vice-presidente Indio da Costa (PSD). A ida do parente para a cadeia diminuiu suas chances de conseguir uma vaga no secretariado do novo governo do prefeito Eduardo Paes (PMDB).

Em 2010, quando integrou a chapa de José Serra (PSDB), Indio da Costa recebeu R$ 1,268 milhão de doação do banco; a campanha do governador do Rio, Sérgio Cabral, então candidato à reeleição, ficou com R$ 200 mil.

No total, o Cruzeiro do Sul doou R$ 3.172.485,12 para candidatos às eleições de 2010. Silval Barbosa (PMDB), que conseguiria a reeleição ao governo de Mato Grosso, recebeu R$ 500 mil. Entre os candidatos a deputado, Julio Lopes (PP-RJ) obteve doação de R$ 400 mil.

Autor: Tags: , ,

domingo, 24 de abril de 2011 Eleições | 06:02

Fernando Gabeira: “A oposição está em extinção no Rio”

Compartilhe: Twitter

Fernando Gabeira (Foto: Valéria Gonçalvez/AE)

O ex-deputado federal Fernando Gabeira foi candidato a prefeito do Rio de Janeiro pelo PV em 2008, quando obteve o apoio de 49,17% dos eleitores, e a governador em 2010, com 20,68% dos votos de todo o Estado.

Um bom patrimônio eleitoral. Mas ele agora não sabe se vai concorrer a prefeito em 2012. Por dois motivos: a) “saí muito duro da campanha”;  b) “o PV do Rio está sendo seduzido a apoiar a reeleição do Eduardo Paes”.

Em entrevista ao Poder Online, Gabeira detalhou melhor a situação:

Poder Online — O senhor será candidato a prefeito do Rio em 2012?

Fernando Gabeira — Não digo que não. Mas acho muito difícil. Saí da campanha muito duro, muito sem grana. Estou tendo que trabalhar muito, tocar a minha vida. Também não sei se pega bem no eleitorado essa coisa de sair candidato em todas as eleições. E, além do mais, o PV está flertando com o prefeito Eduardo Paes (PMDB).

Poder Online — O PV também? O PPS do Rio já está em plena negociação com o PMDB para aderir. Isso não é fruto do racha nacional do PV? O racha não espantou possíveis aliados em 2012?

Fernando Gabeira — Acho que não é isso. O problema aqui no Rio é o Eduardo Paes. Ele está querendo sair candidato à reeleição sem oposição. Está tentando cooptar todo mundo. Não é só o PV ou o PPS, também está atrás do Índio da Costa, do PSD. O Paes quer tudo.

Poder Online — Quem no PV do Rio está indo apoiar o prefeito?

Fernando Gabeira — Não sei se dá para dizer que tem alguém que já está indo. Mas o Alfredo Sirkis (deputado federal e presidente regional do partido) está discutindo o assunto com o Eduardo Paes. Aliás, o prefeito também me procurou. Ofereceu um cargo na organização das  Olimpíadas do Rio. Um trabalho mais internacional… Mas eu não aceitei. Não tenho nada contra o Eduardo pessoalmente, mas sou oposição. A oposição aqui no Rio está em extinção e alguém tem que segurar a onda.

Poder Online — Voltamos à questão do racha nacional. Isso não atrapalhou?

Fernando Gabeira — Acho que não teve nada a ver. Foi uma questão local. E, quanto ao racha, já está mais ou menos resolvido.

Poder Online — Como assim?

Fernando Gabeira — Está-se acomodando. Eu sempre achei que essa coisa de racha era desnecessária, e agora estamos começando a nos acertar. É consenso dentro do PV que o partido tem que se democratizar e que tem que haver rodízio no comando, arejar. O problema era apenas uma questão de prazos. A discórdia era sobre quando devemos fazer nova convenção. E já está ficando mais ou menos claro para todas as correntes que isto deve ocorrer até o final de 2011. Então não chega a ser um racha.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

terça-feira, 12 de abril de 2011 Partidos | 10:17

Índio da Costa diz que sociedade será ouvida pelo PSD

Compartilhe: Twitter

Índio da Costa (Foto: Tasso Marcelo/AE)

O ex-deputado Índio da Costa, que deixou o DEM para ir para este partido do prefeito Gilberto Kassab, o PSD, disse, agora há pouco, no twitter, que o próximo passo da legenda é ouvir a sociedade para redigir um programa.

É sério.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 5 de abril de 2011 Partidos | 19:37

DEM diz que não perdeu “grandes coisas” com saídas de Kátia Abreu e Índio da Costa

Compartilhe: Twitter

O presidente do Partido Democratas, senador José Agripino Maia (RN), disse ao Poder Online que o partido não tentará ficar com a cadeira no Senado de Kátia Abreu (TO), que anunciou sua desfiliação da legenda rumo ao PSD do prefeito de S.Paulo,  Gilberto Kassab:

— Não pretendemos reivindicar a cadeira, nem há base legal para isso. Só se ela deixasse o DEM por um partido já existente, como o PMDB, por exemplo. Mas ao que consta, a senadora ficará sem partido até a criação desse PSD. Não há impedimento legal à desfiliação para fundar outro partido.

Mas e como fica o DEM com a saída de Kátia Abreu e do ex-deputado Índio da Costa (RJ), outro que está indo para o PSD?

Agripino responde secamente:

— Fica onde sempre esteve. Não perdemos grandes coisas.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 23 de março de 2011 Partidos | 06:01

Índio da Costa sobre sua possível filiação ao PSD: “Não dá mais para ser coordenado pelo Cesar Maia”

Compartilhe: Twitter

Índio da Costa (Foto: AE)

Candidato a vice-presidente da República na chapa do tucano José Serra, o ex-deputado federal Índio da Costa (DEM-RJ) está em São Paulo para uma série de conversas, especialmente com o PSD do prefeito Gilberto Kassab, com quem almoça hoje.

Ontem, Índio da Costa recebeu de Guilherme Afif Domigos o manifesto com as diretrizes do PSD e conversou com o ex-presidente do Partido Democratas Jorge Bornhausen, a quem relatou suas dificuldades de permanecer na mesma legenda do ex-prefeito do Rio Cesar Maia e seu filho, o deputado federal Rodrigo Maia.

Em entrevista ao Poder Online, ele diz que não precisa definir agora sua filiação ao partido de Kassab. Mas basta um dedo de prosa para ver que a decisão está praticamente tomada:

Poder Online: O senhor vai para o PSD do prefeito Gilberto Kassab?

Índio da Costa: Eu não preciso decidir agora. Estou sem mandato. Então, posso filiar-me ao partido que escolher até outubro.

Poder Online: Mas quais são as possibilidades?

Índio da Costa: Hoje almoço com o prefeito. Ontem o Afif mandou-me o programa do PSD. Posso dizer que não há nada ali diferente do que eu tenha defendido na campanha: democracia; igualdade de oportunidades; respeito aos contratos; respeito ao contribuinte; descentralização da arrecadação; desenvolvimento com sustentabilidade; privatização dos aeroportos; nada de inventar impostos, como a CPMF. Digamos que vejo o PSD com muito bons olhos.

Poder Online: Mas é um partido mais próximo do governo Dilma Rousseff, que o senhor tanto combateu na campanha.

Índio da Costa: Falou-se muito que seria um partido auxiliar do governo federal, mas não vi  nada disso.  Por tudo que tenho conversado, trata-se de um partido independente. Com um ideário liberal, de centro e forte preocupação social. Defende o Bolsa Família, sim. Mas — está lá no programa que eu li! — cobra que seja dada oportunidade às pessoas para superarem a pobreza, para não ficarem eternamente dependentes do Estado, ou seja, uma porta de saída. Exatamente o que defendi na campanha.

Poder Online: Além disso tudo, tem a dificuldade de relacionamento com o ex-prefeito Cesar Maia e seu filho, Rodrigo Maia, que dominam o DEM no Rio.

Índio da Costa: Digamos que o convívio com eles está muito difícil. O Cesar Maia quer assumir como presidente municipal do partido. Para isso, ele está tirando o atual presidente, que foi uma indicação dele próprio.

Poder Online: Agora fala-se numa aliança entre o Cesar Maia e o ex-governador Anthony Garotinho (PSC).

Índio da Costa: É. Trata-se de uma aliança catastrófica. Não dá nem para comentar. O esforço deles é fazer do Rodrigo Maia candidato a prefeito, mesmo sabendo que não ganha. Apenas para alavancá-lo eleitoralmente e tentar reelegê-lo deputado federal dois anos depois. Porque, com seus índices atuais de popularidade, o Rodrigo não se reelege.

Poder Online: E o PSDB do Rio, não seria uma opção para o senhor se filiar?

Índio da Costa: Até seria. Gosto muito do deputado Octavio Leite, por exemplo, que é um possível candidato a prefeito do Rio em 2012. Mas o PSDB está muito ligado ao Cesar Maia. Nacionalmente fala-se até em fusão do PSDB com o DEM. Não dá para ficar sob a coordenação dos Maia.

Poder Online: Então o senhor vai mesmo para o PSD.

Índio da Costa: Tenho muita simpatia. Mas é como disse antes, não preciso decidir agora.

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 22 de março de 2011 Partidos | 16:31

Índio da Costa acerta com Kassab seus passos rumo ao PSD

Compartilhe: Twitter

Índio da Costa, o ex-vice do presidenciável tucano José Serra, nega que esteja indo para o PSD.

Mas está, neste momento, em São Paulo, conversando com Gilberto Kassab exatamente sobre este assunto.

É que em seu Estado, o Rio de Janeiro, já não há espaço para ele no DEM. O ex-prefeito Cesar Maia tornou-se praticamente um interventor no partido.

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 Eleições | 15:05

Índio da Costa, o humorista

Compartilhe: Twitter

Índio da Costa (Foto: Flávio Torres/Fotomídia)

O deputado Índio da Costa (DEM-RJ) está entre os pré-indicados à 3º edição do Shorty Awards, o Oscar do twitter. Com 94 votos, o candidato a vice na chapa de José Serra é, por enquanto, o oitavo nome na lista de indicações da categoria Política.

Mas um gaiato acha que o deputado merece mesmo o prêmio de melhor twitter de humor. Por enquanto, nesta categoria Índio só tem uma indicação.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última