Publicidade

Posts com a Tag Jorge Bornhausen

segunda-feira, 9 de maio de 2011 Partidos | 13:24

Depois da saída de Bornhausen e Hugo Napoleão, a expectativa agora no DEM é quanto a Marco Maciel

Compartilhe: Twitter

Na quinta-feira o deputado Hugo Napolão (DEM-PI) — ex-presidente nacional do PFL —  declarou ao Poder Online que ainda não sabia se iria se filiar ao PSD, embora estivesse esperando para o sábado a visita ao Piauí do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

No sábado, Napoleão decidiu: vai mesmo para o PSD. E, segundo Kassab declarou no Estado, o deputado deve sair candidato a prefeito da capital, Teresina, em 2012.

Com a filiação de Napoleão e de outro ex-presidente do PFL, Jorge Bornhausen, a grande expectativa agora nas hostes do Partido Democratas é quanto ao ex-senador pernambucano Marco Maciel. Ele seria o último grande cacique do DEM a decidir se vai ou não para o PSD.

Maciel, diga-se de passagem, sempre foi muito ligado a Bornhausen. Dois políticos ligadíssimos a ele também já deixaram o DEM rumo ao PSD: o ex-governador de São Paulo Cláudio Lembro e o ex-deputado pernambucano André de Paula.

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 7 de maio de 2011 Partidos | 06:01

Jorge Bornhausen diz que Mensalão do DEM é que acabou com o partido

Compartilhe: Twitter

Foto: Agência Estado

O ex-senador Jorge Bornhausen já teria entrado para a história da política brasileira como um dos articuladores da Frente Liberal.

Durante a ditadura militar, graças a essa dissidência do velho PDS — o partido no qual se transformou a Arena — nasceu o PFL, cuja aliança com o PMDB culminou na eleição indireta de Tancredo Neves para presidente da República.

Bornhausen tornou-se o principal presidente da história do PFL. E entrou para a história novamente como articulador da aliança com o PSDB que elegeu presidente da República o tucano Fernando Henrique Cardoso.

Mas o ocaso do governo FHC trouxe uma história de insucessos: Bornhausen manteve o partido atrelado aos tucanos. E o petista Luiz Inácio Lula da Silva elegeu-se presidente contra José Serra e o PFL; depois, reelegeu-se derrotando Geraldo Alckmin e o PFL novamente.

Jorge Bornhausen tentou, então, fazer novamente história ao transformar o PFL no Partido Democratas, do qual se tornou presidente de honra.

Mas o DEM continuou atrelado ao PSDB e sem conseguir lançar qualquer nome ao Palácio do Planalto, nem eleger José Serra na disputa contra Dilma Rousseff (PT) em 2010.

Fracassado seu último sonho, o próprio Bornhausen anunciou nesta sexta-feira sua desfiliação da legenda que criou.

Procurado pelo Poder Online, o velho político até aceita falar sobre o passado. Mas acaba mostrando evidente desconforto:

Poder Online — Por que o sr. está se desfiliando?

Jorge Bornhausen — Porque o governador do meu Estado (SC), Raimundo Colombo, está deixando o partido. Ele é o nosso chefe político e decidiu ingressar no PSD, sendo acompanhado por meu filho, Paulo Bornhausen, que é o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico Sustentável. Então não fazia mais sentido na minha permanência no Partido Democratas.

Poder Online — Mas é o partido que o sr. criou. Não dá certa tristeza?

Jorge Bornhausen — Olha, eu já deixei de lado a parte eleitoral de minha vivência política. Então agora só estou deixando de lado a vida partidária. Quanto ao passado, o passado é história…

Poder Online — Pois, é. Do ponto de vista histórico, o que houve com o Partido Democratas?

Jorge Bornhausen — Houve um desgaste muito grande com aquele episódio de Brasília [ a cassação do então governador José Roberto Arruda, do DEM, flagrado em vídeo revelado pelo iG pegando dinheiro, supostamente de propina, de seu secretário Durval Barbosa ] .

Poder Online — O líder do Partido Democratas na Câmara, ACM Neto (BA), diz que boa parte do problema com o partido foi causado pelo senhor. Que teria errado na decisão de transformar o PFL em DEM numa tentativa de modernização da legenda.

Jorge Bornhausen — Eu não vou bater boca com o deputado. O problema, repito, foi aquele episódio de Brasília que desgastou muito a imagem do partido. Especialmente porque acabou carimbado como “O Mensalão do DEM”. Injustamente, erradamente, mas nos prejudicou muito.

Poder Online — Mas o deputado ACM Neto insiste que foi a decisão do senhor, de transformar o PFL em DEM.

Jorge Bornhausen — Eu insisto em não bater boca. Só o que digo é que a mudança de nome foi uma decisão tomada por unanimidade nas reuniões da Executiva do PFL, no Diretório Nacional e na Convenção partidária. Por unanimidade e com a presença do deputado.

Poder Online — Outra coisa. ACM Neto diz que vai expulsar da legenda o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, antes que ele consiga fundar o PSD, porque foi usado o CNPJ do DEM num site desse novo partido. Mas o prefeito argumenta que o fez com sua autorização.

Jorge Bornhausen — Isso é uma questão menor. Já disse que não vou bater boca com o deputado.

Poder Online — Tudo bem. Então falemos da aliança com o PSDB. O senhor acha que foi acertada a estratégia de atrelar o partido aos PSDB?

Jorge Bornhausen — Prefiro não falar mais. Não me cabe mais fazer este tipo de apreciação. O passado é passado…

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 2 de maio de 2011 Partidos | 17:13

Bornhausen segue governador de Santa Catarina rumo ao PSD

Compartilhe: Twitter

Paulo Bornhausen

O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, distribuiu hoje uma nota informando que deixa o Partido Democratas e que se juntará ao prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, no novo PSD.

Junto com Raimundo Colombo, vai para o PSD seu secretário estadual de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Paulo Bornhausen, ex-líder do DEM na Câmara e filho do presidente de honra do Democratas, Jorge Bornhausen.

Poder Online — Secretário, o senhor havia dito à coluna que seguiria o governador Colombo se ele optasse por sair ou ficar no DEM. E agora?

Paulo Bornhausen — Agora? Já estou lá no PSD. Foi uma decisão conjunta de nosso grupo.

Poder Online — E seu pai, o ex-senador Jorge Bornhausen?

Paulo Bornhausen — Ele se desfiliará do DEM, mas não se filia ao PSD.

Poder Online — Por quê?

Paulo Bornhausen — Porque ele acha que já está muito velho para ficar mudando de partido.  Não pretende ser candidato a nada, então não tem que se filiar. Mas vai estar torcendo para que tudo dê certo no nosso novo caminho.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 25 de abril de 2011 Partidos | 17:54

Paulo Bornhausen insiste na fusão do DEM com o PSDB. Mas mantém a porta aberta para o PSD de Kassab

Compartilhe: Twitter

Paulo Bornhausen

Diante das notícias de que a o ex-senador e ex-presidente do Partido Democratas Jorge Bornhausen e seu filho, Paulo Bornhausen — atual secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Santa Catarina — podem deixar o DEM e se filiar ao PSD, a coluna procurou Paulo Bornhausen.

O ex-deputado explicou ao Poder Online que seguirá “o comando do governador” de seu Estado, ou seja, de Raimundo Colombo, também filiado ao DEM. E que o grupo ainda insistirá na fusão com o PSDB.

Paulo Bornhausen revelou ter discutido o assunto com os tucanos no encontro de lideranças empresarias de Comandatuba, na Bahia, neste final de semana.

E que na próxima quarta-feira o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso discutirá a fusão PSDB-DEM com caciques do tucanato, como o próprio Alckmin e o ex-governador José Serra.

Se nada andar, ficou claro que o PSD é, de fato, uma opção para os Bornhausen. Veja:

Poder Online — Afinal, o senhor e seu pai vão para o PSD do prefeito Gilberto Kassab?

Paulo Bornhausen — Estamos aguardando a orientação do governador Raimundo Colombo. Sou um liderado do governador. E ele tem discutido com os tucanos a possibilidade de fusão entre o DEM e o PSDB. Na quarta-feira, haverá uma conversa entre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador Alckmin e o ex-governador José Serra, no sentido de se tentar uma decisão mais rápida sobre se haverá ou não a fusão.

Poder Online — Pelo que se vê no noticiário, tudo indica que não haverá esta fusão…

Paulo Bornhausen — Não vejo assim. Ainda há possibilidade. Tudo depende de se convencer o ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves. Creio que se o Aécio concordar, seus aliados no DEM acabam concordando com a fusão.

Poder Online — Mas e se o PSDB não decidir?

Paulo Bornhausen — O PSDB tem de tomar uma decisão rápida, porque senão corre o risco de perder o protagonismo que exerce nas oposições. Afinal, são eles que têm, até agora, os principais nomes para as eleições presidenciais de 2014. Se não tomarem uma decisão, correm o risco de ficar com aliados apenas entre aqueles que não têm votos e, portanto, não têm para onde ir.

Poder Online — O senhor disse isto ao governador Geraldo Alckmin em Comandatuda?

Paulo Bornhausen — Disse sim. Ele se mostrou simpático. Pareceu concordar. Mas não transpareceu estar decidido.

Poder Online — E a ida de vocês para o PSD, do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab?

Paulo Bornhausen — Pois é. Nossa opção principal é ficar no partido e fundir com o PSDB. Mas o prefeito Kassab de fato tem sido muito simpático. Ele também procurou o governador Raimundo Colombo. É como eu disse: somos liderados pelo governador aqui em Santa Catarina.

Poder Online — Então?

Paulo Bornhausen — Então vamos acompanhar a decisão do governador. É o que posso dizer por enquanto.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quarta-feira, 13 de abril de 2011 Partidos | 16:07

Kassab e Bornhausen: dois pra lá, dois pra cá

Compartilhe: Twitter

Kassab com Kátia Abreu no lançamento do PSD (Foto:AE)

O PSD já ganhou a adesão de mais de 30 deputados. Sucesso absoluto. Afinal, nem programa tem.

Outro fato curioso é o bolero político que o prefeito Gilberto Kassab decidiu dançar com o cardeal Jorge Bornhausen.

O primeiro manteve no DEM o seu fiel seguidor deputado Rodrigo Garcia (SP) e o segundo assistiu passivo ir lá pro PSD a senadora Kátia Abreu (TO).

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 Partidos | 17:05

DEM fecha acordo de chapa única em torno de Agripino

Compartilhe: Twitter

Agripino Maia (Foto: Sérgio Dutti/AE)

Depois de uma semana intensa de negociações, o grupo ligado ao cacique do DEM Jorge Bornhausen acaba de fechar acordo de chapa única, como adiantou Poder Online, em torno do senador José Agripino Maia nas eleições a presidente nacional da sigla.

Agripino, como se sabe, é o candidato do atual presidente do DEM, Rodrigo Maia.

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011 Partidos | 08:02

DEM debate chapa única para presidente

Compartilhe: Twitter

Os caciques do DEM Jorge Bornhausen (SC), Marco Maciel (PE) e José Agripino Maia (RN) almoçam hoje na Associação Comercial de São Paulo para discutir a chapa única – com Agripino na cabeça – para presidente da legenda.

Autor: Tags: , , ,

domingo, 13 de fevereiro de 2011 Partidos | 06:01

Agripino Maia propõe acordo a Bornhausen para pacificar o DEM

Compartilhe: Twitter

Foto: Elza Fiúza/ABr

O senador José Agripino Maia (RN) está candidatíssimo a presidente do Partido Democratas.

Ele é apontado na imprensa como um representante da ala ligada ao atual presidente, deputado Rodrigo Maia (RJ), contra o histórico dirigente supremo da legenda, Jorge Bornhausen (SC).

Mas Agripino tentará convencer Bornhausen de que ele pode ser o nome de consenso do partido. Eles têm encontro marcado, amanhã, em São Paulo, com a presença do ex-senador Marco Maciel (PE) — o preferido de Bornhausen para comandar o DEM — e do prefeito Gilberto Kassab, que ameaça deixar a legenda.

Poder Online: Mas o senhor não acha que a imprensa já o identificou demais com o grupo do Rodrigo Maia?

José Agripino Maia: Olha, eu fui convidado a me candidatar pelo Bornhausen. Depois é que surgiu essa história de grupo A e grupo B. Acho que qualquer figura, neste momento, é menor do que a necessidade de unirmos o partido.

Poder Online: Mesmo o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que ameaça deixar o DEM?

Agripino: Tenho o maior respeito e admiração pelo Kassab. Mas a unidade dos que ficarem no partido é mais importante do que a entrada ou saída de qualquer um.  Eu vou trabalhar pelo consenso. Acredito que podemos conseguir isso.

Poder Online: O sr. viu o artigo do ex-prefeito do Rio Cesar Maia (DEM) em que ele diz que Bornhausen quer deixar o DEM para entrar no PMDB e aderir ao governo?

Agripino: Não li, e não pretendo ler. Tenho o maior respeito também pelo Cesar Maia, que é uma liderança muito importante do partido, mas não é hora de incentivar a discórdia.

Poder Online: Numa convenção, quem vence? O grupo dos Maia ou o dos Bornhausen (Jorge Bornhausen e o filho, Paulo Bornhausen)?

Agripino: Bem, você viu o resultado da eleição na bancada (nota da coluna: o candidato de Rodrigo Maia, ACM Neto (BA), derrotou Eduardo Sciarra (PR), que foi apoiado pelo ex-líder Paulo Bornhausen).  Mas não interessa neste momento falar quem é mais forte ou mais fraco. Interessa saber uma forma de compor os diversos grupos do partido, dando-lhes uma representação consensual na Executiva, capaz de manter o Democratas unido.

Poder Online: Mas parece que isso vai ser difícil…

Agripino: Na política é preciso habilidade e capacidade de negociação. Veja o ACM Neto: chamou o próprio Sciarra para seu vice-líder e outros dois nomes que votaram contra ele. É isso que tem que ser feito. Superar problemas do passado e unificar a legenda. A unidade é que nos trará força. É isto que vou propor na reunião de segunda-feira: que encontremos uma equação em que todos caibam no partido.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010 Partidos | 06:02

Pauderney Avelino teme que racha no DEM leve o partido à extinção

Compartilhe: Twitter

Presidente regional do DEM no Amazonas, o deputado Pauderney Avelino afirmou que muitos integrantes estão de malas prontas para deixar a legenda, dependendo do resultado da convenção no dia 15 de março.

Para Avelino, o racha entre o grupo do atual presidente, Rodrigo Maia (RJ), e do seu antecessor, Jorge Bornhausen (SC), pode acabar levando o partido à extinção:

— O que o presidente Lula não conseguiu fazer com o DEM, a gente está fazendo agora com toda essa divisão – disse ao Poder Online.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010 Partidos | 06:01

ACM Neto recebe convite para se filiar ao PDT

Compartilhe: Twitter

Deputado mais votado na Bahia, o ex-líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), anda irritado com as brigas entre o grupo do atual presidente da legenda, Rodrigo Maia (RJ), e do seu antecessor, Jorge Bornhausen (SC).

Nas suas conversas reservadas, tem admitido até mudar de legenda. E já recebeu convites. O PDT  mandou avisar que está braços abertos.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última