Publicidade

Posts com a Tag Luiz Inácio Lula da Silva

quinta-feira, 29 de outubro de 2015 Partidos, Política | 12:53

Lula admite mudança de discurso de Dilma após a eleição

Compartilhe: Twitter
O ex-presidente Lula (Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

O ex-presidente Lula (Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

O ex-presidente, que nos bastidores tem orientado a presidente Dilma contra o aperto na economia, admitiu, durante a reunião do Diretório Nacional do PT, que a presidente teve que adotar uma prática na condução da economia após as eleições, diferente do que ela pregou durante a campanha.

“Nós tivemos problemas políticos sérios, que nós temos que encarar. Todo mundo sabe que nós temos. Depois que nós ganhamos a eleição mais difícil que nós participamos, uma eleição muito difícil, inclusive, pela agressividade da campanha contra nossa presidenta Dilma Rousseff, nós tivemos que mudar o nosso discurso e fazer aquilo que a gente dizia que não ia fazer. Este é um fato. Este é um fato conhecido de 204 milhões de habitantes e conhecido da nossa presidente Dilma Rousseff”, disse Lula.

O ex-presidente ainda defendeu que passa pela melhoria das condições da economia a solução para a crise de imagem do partido e do próprio governo. “A única condição para começar a recuperar o prestígio é recuperar a economia”, disse o ex-presidente. “Acontece que nem sempre quando a gente está no governo a gente consegue executar as coisas como  a gente pensa que tem que ser”, ponderou Lula que pediu empenho da bancada para aprovar as medidas do pacote.

“Qual é a prioridade zero do nosso partido no Congresso Nacional hoje? É a gente criar condições para aprovar as medidas que a presidenta Dilma mandou para o Congresso Nacional para que ela encerre definitivamente essa ideia do ajuste, para que a gente possa ver a economia voltar a crescer”, disse Lula. “Sem a conclusão desse ajuste, ficamos numa confusão política muito grande”.

 

 

Autor: Tags: , ,

Partidos, Política | 11:34

Lula enquadra Lindbergh por críticas a Levy

Compartilhe: Twitter
Lindbergh Farias é enquadrado durante reunião do diretório do PT devido às c´riticas ao pacote fiscal.

Lindbergh Farias é enquadrado por Lula, durante reunião do diretório do PT devido às críticas ao pacote fiscal.

Ao discursar durante a reunião do Diretório Nacional do PT, nesta quinta-feira (29), em Brasília, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tratou de enquadrar o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que liderou no Senado o grupo dos chamados “independentes”.

Este grupo de senadores se posicionou contra o ajuste fiscal e contra a condução da política econômica desempenhada pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

“Temos um problema, Lindbergh, um problema chamado confiança”, disse Lula se dirigindo ao senador, que preside a Comissão e Assuntos Econômicos  (CAE), do Senado.

“Fico vendo os companheiros gritar ‘fora Levy’ com a mesma facilidade que se gritava fora FMI”, protestou Lula.

“Tem que mudar? Tem que mudar. Tem que votar a crescer? Tem que votar a crescer. Mas eu sei que a Dilma também quer mudar”, defendeu o ex-presidente sobre a questão econômica.

 

 

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 24 de setembro de 2015 Governo, Política | 12:00

Reforma ministerial só será anunciada após retorno dos Estados Unidos

Compartilhe: Twitter
Dilma e Lula (Foto: Agência Brasil)

Dilma e Lula (Foto: Agência Brasil)

A presidente Dilma Rousseff só deverá anunciar a reforma ministerial depois que voltar da viagem que fará aos Estados Unidos, a partir deste fim de semana.

Dilma decidiu adiar o anúncio, seguindo os conselhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, depois de avaliar que não havia conversado o suficiente, nem com partidos aliados, como o PMDB, nem com representantes de movimentos sociais que podem ter as expectativas frustradas em relação a fusão de pastas consideradas simbólicas, como as de Direitos Humanos, Igualdade Racial e Mulheres.

Até o embarque, que pode ocorrer na noite desta quinta-feira (24) ou até mesmo na sexta-feira, Dilma se dedicará aos diálogos.

Neste momento, a presidente se reúne no Palácio da Alvorada com o vice-presidente Michel Temer e ministros como Miguel Rossetto (Secretaria Geral), Kátia Abreu (Agricultura), Giles Azevedo (Gabinete), Eleonora Minecucci (Mulheres), além de Ricardo Berzoini (Comunicações), responsável pela articulação política do governo.

A presidente viaja para Nova Iorque, onde fará a abertura dos debates da 7ª Sessão da Assembléia Geral das Organizações das Nações Unidas (ONU), na segunda-feira (28).

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 18 de setembro de 2015 Congresso, Governo, Partidos, Política | 15:02

Governo conta com Cunha para barrar impeachment, mas teme articulação da oposição

Compartilhe: Twitter
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff. (Foto: Divulgação)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff. (Foto: Divulgação)

As devoluções, arquivamentos e postergações de decisão sobre os pedidos de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, por parte do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), são visto pelos auxiliares mais próximos da presidente como sinais de que ele não dará prosseguimento ao processo de impeachment, de forma monocrática, competência garantida ao presidente da Câmara, pela Constituição Federal.

No entanto, o governo teme que, diante de uma provável negação de Cunha, deputados de oposição, e até mesmo de partidos da base rebeldes ao governo, consigam aprovar recurso, dando início, em Plenário, à tramitação.

O assunto foi objeto de conversa da presidente Dilma com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na quinta-feira, no Palácio da Alvorada. Os dois se encontraram com o objetivo de traçar estratégia para enfrentar a deterioração do cenário político das últimas semanas, inclusive a eminência de um processo de impeachment a ser deflagrado na Câmara.

Na semana passada, a oposição levantou uma questão de ordem tratando deste assunto, que deve ser respondida por Cunha na próxima segunda-feira (21). Ao receber o principal pedido até agora, assinado pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior, Cunha disse que primeiro responderia a questão de ordem, depois decidiria sobre ele sem, no entanto, falar de prazos. Enquanto isso, a ordem no governo é negociação intensa no Congresso, principalmente na Câmara.

Dilma escalou seus ministros mais habilidosos para a função, entre eles o de Comunicação, Ricardo Berzoine, que também finaliza o novo desenho da Esplanada a ser anunciado na próxima quarta-feira (23); da Defesa, Jaques Wagner; além do chefe do Gabinete Pessoal da presidente, Giles Azevedo, que tem conseguido resultados importantes na negociação com a ala do PMDB mais rebelde da Câmara.

Autor: Tags: , , , , , , ,

terça-feira, 30 de junho de 2015 Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política, Sem categoria | 14:43

Sarney diz a Lula que ele tem que palpitar

Compartilhe: Twitter
Sarney: "Lula tem que palpitar"

Sarney: “Lula tem que palpitar”

Em uma postura mais conciliadora, bem distante das críticas que vinha fazendo à política econômica, e em meio a “ressaca” após o vazamento das críticas que comparavam a presidente Dilma Rousseff ao “volume morto” do Sistema Cantareira,  o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva confidenciou aos peemedebistas que iria parar de dar palpite no governo.

Prontamente, o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP), que participou do café da manhã na casa do presidente do Senado, Renan Calheiros (PDMB-AL) reagiu, pedindo a palavra. Sarney olhou nos olhos de Lula e defendeu que ele tem que palpitar.

“Você é a maior liderança política deste país na atualidade. Tem que palpitar sim”, defendeu Sarney.

Do café da manhã com Lula participaram, além de Sarney e o anfitrião, os senadores, Romero Jucá (PMDB-RR), Eunício Oliveira (PMDB-CE), Jorge Viana (PT-AC) e Delcídio Amaral (PT-MS).

Autor: Tags: , ,

Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 13:19

Lula diz a Renan que Lava Jato não pode ser agenda do país

Compartilhe: Twitter

lula-visita-renan-004Em café da manhã com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou a impressão de ter vindo a Brasília em “missão de paz”. Ele pediu que o alagoano relevasse qualquer desconforto em relação à presidente Dilma Rousseff ou com o governo.

Consciente da crise de imagem que atinge o PT e o governo, Lula propôs a Renan um pacto de união, dizendo que a Operação Lava Jato não pode ser a única agenda do país.

Peemedebistas saíram do encontro com a impressão de que Lula retornou  à posição de ajudar o governo a sair da crise e apostar novamente na parceria com o PMDB, postura diferente da que o ex-presidente teria expressado, há algumas semanas, quando destilou críticas à Dilma.

O comentário de um peemedebista deu o clima da conversa: “Ele nem falou mal da Dilma, nem do Mercadante”,disse, referindo-se à presidente e ao chefe da Casa Civil.

 

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 6 de abril de 2015 Governo | 15:45

Governo segue sob pressão por troca na articulação

Compartilhe: Twitter
Dilma e Lula (Foto: Agência Brasil)

Dilma e Lula (Foto: Agência Brasil)

As pressões comandadas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por uma troca no comando da articulação política do governo seguem em alta e a presidente Dilma Rousseff, embora resista, não enterrou a ideia.

Um que segue na berlinda é Pepe Vargas, atual ministro da Secretaria de Relações Institucionais do governo.

 

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015 Justiça | 07:00

Lewandowski sinaliza disposição para retomar julgamento sobre quilombolas

Compartilhe: Twitter
Ricardo Lewandowski (Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF)

Ricardo Lewandowski (Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF)

Após conversas com a ministra da Igualdade Racial, Nilma Gomes, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, sinalizou ao governo federal que pretende retomar o julgamento sobre a demarcação de terras quilombolas.

Apresentada pelo DEM, a Ação Direta de Inconstitucionalidade questiona o decreto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que regulamenta a demarcação de terras. Com o voto pela inconstitucionalidade do ex-ministro e relator Cezar Peluso, o julgamento estava suspenso desde 2012 por um pedido de vistas da ministra Rosa Weber, que devolveu o processo em agosto do ano passado.

Definido como uma das prioridades da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial neste ano, o tema depende do presidente do STF para voltar à pauta da Corte.

Leia também: Ministra da Igualdade Racial busca apoio do STF sobre quilombolas

 

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015 Governo | 09:00

Ministra da Igualdade Racial busca apoio do STF sobre quilombolas

Compartilhe: Twitter
A ministra da Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes. (Foto: Agência Brasil)

A ministra da Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes. (Foto: Agência Brasil)

Nas últimas semanas, a ministra da Igualdade Racial, Nilma Gomes, tem visitado, um a um, os ministros do Supremo Tribunal Federal. O objetivo é convencê-los a derrubar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade contra o decreto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que regulamenta a demarcação de terras quilombolas.

Movida pelo DEM, a Adin afirma que o decreto seria uma interferência do Executivo e questiona o princípio do autorreconhecimento para identificação de quilombolas, bem como a possibilidade de a comunidade apontar os limites de seu território. A legenda também questiona a previsão de pagamento de indenizações a ocupantes não quilombolas.

Com o voto pela inconstitucionalidade do ex-ministro e relator Cezar Peluso, o julgamento estava suspenso desde 2012 por um pedido de vistas da ministra Rosa Weber, que devolveu o processo em agosto do ano passado.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015 Congresso | 10:30

Conhecido como ‘Hélio Gambiarra’, senador tenta recuperar imagem no DF

Compartilhe: Twitter
O senador Hélio José (PSD-DF). Foto: Divulgação

O senador Hélio José (PSD-DF). Foto: Divulgação

Mais conhecido pelo apelido de “Hélio Gambiarra”, o senador Hélio José (PSD-DF) tem recorrido a publicitários para tentar reverter a imagem cunhada por opositores.

Ao assumir a vaga deixada pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) no Senado Federal, Hélio escolheu o slogan “Hélio José, o senador do povo”. Sindicalista, o ex-petista pretende explorar a proximidade com movimentos populares para tentar se diferenciar dos colegas de bancada Antonio Reguffe (PDT-DF) e Cristovam Buarque (PDT-DF), ao longo do mandato.

O apelido de “Hélio Gambiarra” vem desde 1995, quando Hélio, à época filiado ao Partido dos Trabalhadores, desviou energia da Companhia Energética de Brasília para fazer um churrasco em sua casa, na presença do então governador Cristovam e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Leia também: Professores torcem o nariz para calendário letivo de Rollemberg

Autor: Tags: , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. Última