Publicidade

Posts com a Tag Luiz Inácio Lula da Silva

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013 Política | 13:05

Jornal inglês diz que Bolsa Família é sucesso de exportação

Compartilhe: Twitter

O jornal inglês The Guardian publicou uma reportagem sobre os dez anos do programa Bolsa Família, implantado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No texto, o texto diz que o programa brasileiro, “pilar central da estratégia de bem-estar social do país” de Lula, é pioneiro e sucesso de exportação, embora os prós e contras do modelo continuem sendo debatidos “ferozmente”.

Leia também: Não se consertam 500 anos em 10 anos’, diz Tereza Campello ao iG

“A renda é um incentivo que podemos usar para resolver outros programas sociais. Uma vez que as pessoas estão em nosso banco de dados , podemos oferecer-lhes outros benefícios a eles. Desta forma , o Bolsa Família é um instrumento para os programas mais amplos. É uma plataforma”, explica a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello à publicação.

O jornal também entrevistou a professora de economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Lena Levinas, que diz que o governo exagera a importância do programa e suas realizações ao não explicar adequadamente a inflação em suas estatísticas.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013 Congresso | 07:30

Romário convida Papa Francisco para audiência sobre dívidas dos clubes

Compartilhe: Twitter

O deputado federal Romário (PSB-RJ) teve seu convite ao Papa Francisco para participar da audiência da comissão do Programa de Fortalecimento dos Esportes Olímpicos (Proforte) aprovado para debater as dívidas dos clubes brasileiros. A medida foi uma retaliação após outros parlamentares aprovarem convites para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-governador José Serra (PSDB).

Deputado Romário (Foto: AE)

Deputado Romário (Foto: AE)

“É natural chamar quem goste e quem entende o futebol. Já que vem o Lula, se tem uma coisa que também o ex-ministro e ex-governador entende é futebol, entende muito da mecânica dos clubes, da saúde financeira dos clubes e etc. Queria esclarecer isso, que fundamentou em chamar essas duas personalidades. Pode chamar quem quiser, mas nós não podemos diminuir nosso papel nessa comissão. Essa comissão é séria”, afirmou o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ), durante reunião da comissão.

Leia também: Ministro do Esporte descarta anistia a clubes de futebol

“Eu era contra (os requerimentos), mas depois do raciocínio do deputado Otávio Leite, eu vou fazer diferente. Partindo dessa premissa, acho que a gente pode incluir mais alguns nomes. Um deles é o do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que participou da CPI da Nike e é um esportista nato. E muitos acharão que é ironia, mas acho que o Papa Francisco também pode participar dessa comissão, porque ele é sócio do San Lorenzo”, respondeu o deputado, que referendou também o convite a Campos.

 

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

terça-feira, 10 de dezembro de 2013 Eleições | 19:00

Suplicy diz a Lula e Dilma que está com a saúde em ordem para campanha

Compartilhe: Twitter
Ex-presidente Lula e o senador Eduardo Suplicy (foto: Divulgação)

Ex-presidente Lula e o senador Eduardo Suplicy (foto: Divulgação)

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) vem repetindo aos quatro ventos que está com a saúde em dia para encarar a campanha eleitoral do ano que vem. O recado foi dado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à presidente Dilma Rousseff, durante o encontro de vereadores do PT.

Suplicy avisou que os médicos do Instituto do Coração (Incor) afirmaram que eele pode  concorrer a qualquer cargo nos próximos 24 anos, pelos bons resultados dos exames.

Ao ministro Alexandre Padilha (Saúde), a mensagem foi repassada durante a posse no novo presidente do diretório estadual do PT-SP, Emidio de Souza, e do municipal, vereador Paulo Fiorilo.

“Lula me disse que eu estava tão animado que parece que iria concorrer pela primeira vez. E o Padilha já falou para eu acompanhá-lo nos eventos”, afirmou Suplicy.

Leia também: ‘Não estou preocupado. Sempre enfrentei candidatos fortes’, diz Suplicy

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013 Política | 13:15

Agronegócio vira estrela do Orçamento paulista

Compartilhe: Twitter

Alvo certo do assédio em véspera de eleição, o agronegócio e o setor agrícola como um todo foram assunto recorrente nas audiências  públicas realizadas para discutir o Orçamento do ano que vem para São Paulo.

Os pedidos vão desde maior crédito até mais infraestrutura para o setor. Reclamações sobre falta de políticas públicas da Secretaria do Estado de Agricultura também foram ouvidas.

Leia também: Tucanos participam de encontro entre ruralistas e Eduardo Campos

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 3 de dezembro de 2013 Eleições | 10:00

Decisão sobre saída do PT-RJ de governo de Cabral fica para semana que vem

Compartilhe: Twitter

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que tenta viabilizar sua candidatura ao governo do Rio de Janeiro, foi até São Paulo encontrar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente nacional do PT, Rui Falcão, mas ainda não teve uma resposta definitiva sobre a saída do partido do governo de Sérgio Cabral (PMDB).

Lindbergh Farias (Foto: José Cruz/ABr)

Lindbergh Farias (Foto: José Cruz/ABr)

Leia também: Lula pede esforço ao PT para reproduzir a aliança nacional nos Estados

Lindbergh participou da reunião de Lula e Falcão com os presidentes eleitos dos diretórios estaduais. Ele teve uma rápida conversa reservada com os dois e ficou acertado que uma reunião entre eles e presidente do PT-RJ, Washington Quaquá, será marcada na semana que vem para resolver a situação. Lula teve que sair cedo do encontro por conta da morte do governador de Sergipe, Marcelo Déda.

Tanto Falcão quanto Quaquá afirmaram que a candidatura de Lindbergh é certa e irreversível. No entanto, o apelo feito pelo PMDB durante reunião na Granja do Torto para que o partido não deixasse o governo de Cabral até março fez com que o partido adiasse o posicionamento oficial.

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 27 de novembro de 2013 Política | 10:00

Dilma confirma presença em festa de Natal dos catadores

Compartilhe: Twitter

A presidente Dilma Rousseff vai cumprir mais uma vez a tradição iniciada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de participar do evento de Natal de catadores de materiais recicláveis e população de rua, em São Paulo.

A presidente Dilma Rousseff, ao lado do ex-presidente Lula

A presidente Dilma Rousseff, ao lado do ex-presidente Lula

A data ainda não foi definida, mas os projetos vencedores do prêmio Cidade Pró-Catador, promovido pelo governo federal, já foram selecionados.

Dilma irá entregar o prêmio para Arroio Grande (RS), Bonito de Santa Fé (PB), Crateús (CE) e Ourinhos (SP) durante o evento que acontecerá em dezembro.

 

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 26 de novembro de 2013 Eleições | 16:00

PT marca encontro de Lula e Padilha com vereadores

Compartilhe: Twitter
Lula e Padilha em Santo André (foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

Lula e Padilha em Santo André (foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

O PT acertou a data do próximo compromisso da pré-campanha do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao governo de São Paulo. Para complementar o encontro com prefeitos realizado na semana passada, os dois se reunirão com vereadores do partido no próximo dia 6.

O encontro acontecerá em um parque aquático de Itupeva (região metropolitana de São Paulo).

O evento será o último sob o comando do atual presidente do PT-SP, deputado Edinho Silva. No dia 9, Emidio de Souza, assume a direção estadual do partido e o comando da campanha de Padilha.

Leia também: Aos poucos, Padilha ensaia voo solo em São Paulo

Autor: Tags: , , ,

Governo | 13:00

‘Minha base está muito calma. Nunca uma base foi tão ativa e proativa’, diz Dilma ao ‘El País’

Compartilhe: Twitter

O jornal espanhol El País estreou nesta terça-feira (26) seu portal brasileiro com uma entrevista com a presidente Dilma Rousseff  (PT) e um artigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A presidente Dilma Rousseff, ao lado do ex-presidente Lula

A presidente Dilma Rousseff, ao lado do ex-presidente Lula

Ao ser questionada sobre ter uma base tão ampla no governo, a presidente responde: “Minha base está muito calma. Acho que nunca uma base foi tão ativa e proativa”. O segredo, de acordo com ela, é ouvir e discutir.

Já Lula, em seu artigo, diz que é preciso um modelo econômico viável que “permita um acesso democrático à medicina avançada”.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 20 de novembro de 2013 Política | 07:30

No hospital, governador de Sergipe recebe visitas de Lula e Campos

Compartilhe: Twitter

Internado no Hospital Sírio-Libanês, o governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT), recebeu nesta semana as visitas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Lula, Déda e Marisa em visita do ex-presidente ao governador em outubro (foto: divulgação)

Lula, Déda e Marisa em visita do ex-presidente ao governador em outubro (foto: divulgação)

O governador sergipano luta contra um câncer gastrointestinal. O hospital não está divulgando boletim médico sobre seu estado de saúde, apenas confirma que Déda está internado no local. A mulher dele, Eliane Aquino, que costumava usar as redes sociais para falar sobre o governador, não posta nada desde o último dia 10.

Leia também: Déda rebate Eduardo Campos e diz que debate entre PT e PSDB é explícito

Na terça-feira (19), um boato de que Déda tinha tido falência múltipla dos órgãos e até de que ele teria morrido se espalhou pelas redes sociais, o que fez com que o governador de Sergipe em exercício, Jackson Barreto (PMDB), viesse para São Paulo para visitar Déda.

“É hora de unir todos os pensamentos positivos em favor dele”, diz trecho de nota de Barreto sobre o encontro.

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 17 de novembro de 2013 Política | 13:00

‘Marina terá de flexibilizar sua posição’, diz ex-ministro sobre agronegócio

Compartilhe: Twitter

O presidente da Academia Nacional de Agricultura, Roberto Rodrigues, ministro da Agricultura do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), de 2003 a 2006, é o articulador dos encontros dos presidenciáveis com o setor do agronegócio.

Para ele, de forma inédita, a classe política “finalmente” voltou os olhos para a área, que ele considera como  “locomotiva” do país – e tem números decorados para reforçar sua tese.

“A classe política finalmente compreendeu  a importância do agro para a economia brasileira. De modo que uma composição com o agro tem valor político e econômico mas não tem voto porque o agro é pequeno”, afirmou.

Leia também: ‘Já passei da idade pra isso’, diz ex-ministro sondado para ser vice de Padilha

Ao Poder Online, o ex-ministro também diz que o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, pré-candidato do PSB à Presidência da República, tentará fazer com que a ex-senadora Marina Silva (PSB) flexibilize sua posição com relação ao setor. “Sustentabilidade, conservação, é um problema meu, não é da Marina. Se eu não fizer, eu perco meu negócio, minha fazenda”.

Poder Online – Qual é o panorama atual do agronegócio no Brasil?
Roberto Rodrigues –
A FAU (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura ) diz que até 2020 a oferta mundial de alimentos tem que crescer 20%. E, para que o mundo aumente a oferta em 20%, o Brasil terá que crescer 40% em dez anos. Temos vantagem, por isso FAU pede, porque temos terra disponível, tecnologia tropical e gente capaz. As exportações cresceram de 25 bilhões de dólares em 2002 para 96 bilhões em 2012, em 10 anos quase quatro vezes mais. Isso permitiu que o Brasil assumisse uma posição relevante  no comércio mundial e permitiu que o agro tivesse uma participação extraordinária. No ano passado, o saldo comercial do agronegócio foi de 79 bilhões de dólares, enquanto que o saldo do Brasil foi de 19 bilhões, incluindo o agro, portanto, os demais foram setores deficitários. Estamos sustentando a balança comercial, e isso se deu por causa de avanço tecnológico. Hoje, nós cultivamos 53 milhões de hectares com grãos no Brasil. Se nós tivéssemos hoje a produtividade por hectares de 20 anos atrás, seriam necessários mais 67 milhões de hectares, além dos 53 milhões hoje cultivados, para colher a safra que colhemos esse ano. Em outras palavras, nós preservamos 67 milhões de hectares de cerrado e floresta, isto mostra que nossa agricultura é muito sustentável, ao contrário do que pensa o vulgo e diz os nosso concorrente. Então, a agricultura é preservacionista, de regra geral. Tem gente que não preserva? Tem, mas a regra geral, os números não mentem.

Qual a avaliação da política atual para o setor?
Temos todas as vantagens necessárias, mas não vamos crescer porque temos alguns constrangimentos conhecidos: primeiro a logística, estamos crescendo produção e não fazemos investimento há 20 anos na logística, nenhum governo fez nada. É um absurdo. Tem milho apodrecendo em Mato Grosso porque não tem como escoar. Felizmente, o governo se mexeu, com as concessões das rodovias e a MP dos Portos.

O ex-ministro Roberto Rodrigues

O ex-ministro Roberto Rodrigues

É suficiente?
Será suficiente quando ficar pronto. Mas deve demorar uns sete, oito anos. Ainda vamos sofrer com logística dramaticamente uns três, quatro anos. Razão por isso, fiz muito esforço para que o governo colocasse dinheiro em armazenagem. E colocou. Cinco bilhões de reais por ano durante cinco anos. Segura a produção lá no armazém da zona de produção e alivia a logística, porque é mais rápido construir armazém do que estrada. O segundo ponto é politica de renda. Não temos politica de renda. Por exemplo, qualquer país sério tem seguro rural, o nosso hoje cobre 6%, o ideal seria 70%, 80%. É uma questão fundamental para estabilizar a renda da política de agricultura porque é uma atividade que tem os dois riscos, temperatura e mercado. Agora, não adianta ter seguro rural e não ter preço mínimo funcionando. Um preço mínimo e não politico. E a terceira questão é a reformulação do credito rural. Não é só botar dinheiro, é o custo, a forma de liberação, o zoneamento da agricultura. E tem também a questão do acordo bilateral, o mundo inteiro tem e nós não temos um acordo bilateral. O problema é que falta planejamento.

O Ministério da Agricultura não tem planejamento?
Se colocar Jesus Cristo lá de ministro, ele não faz nada. Se precisar de uma estrada, quem resolve é o Ministério dos Transportes, política agrária é com o MDA, etanol é com a Petrobrás, porto quem resolve é o Ministério dos Portos. É parte de uma engrenagem que só funciona se todas funcionarem. Aí entra o presidente da República, que tem que fazer tudo funcionar e aí aparecermos como uma potência de agronegócio e não de matéria-prima. A política está pronta, eu, quando fui ministro, criei 23 câmaras setoriais, todas presididas por iniciativa privada, mas também composta pelo governo, todas elas montaram uma politica de agricultura. O problema é que os instrumentos para a politica da agricultura estão dispersos em diversos ministérios e agências. Então, se não houver uma estratégia de estado – Executivo, Legislativo e Judiciário – nós não vamos sair do buraco e não vamos atender uma demanda mundial, inédita, para crescer 40%. Tem a estratégia e as vantagens para isso, falta funcionar. Precisa de um chefe de estado que queira, que execute a estratégia. Não estou defendendo o meu setor, estou defendendo o Brasil. Você tem um trem, que tem uma locomotiva, e essa locomotiva é o agro, com todos esses números que eu passei, não há nenhum demérito nisso, é uma vantagem, vamos aproveitá-la.

Qual importância do setor agro para essa composição que está sendo feita agora para as eleições do ano que vem?
Parece-me que todos esses números finalmente afloraram e a classe política finalmente compreendeu  a importância do agro para a economia brasileira. De modo que uma composição com o agro tem valor político e econômico, mas não tem voto porque o agro é pequeno. Acho que a classe política compreendeu a expressão política que terá um governo que se apoie no agro como uma das alavancas do desenvolvimento do país. A busca de entendimento de todos os candidatos está dentro dessa constatação. É o que estou ouvindo dos candidatos, inclusive.

Saiba mais: PT segue em busca de um ‘José Alencar’ para Padilha

Todos eles já procuraram o setor?
De uma forma ou de outra, sim. A Dilma não, ainda, acho, não sei se já procurou alguém. Mas a Dilma tem uma relação muito franca com a Kátia Abreu, que é a maior líder do Brasil, é a maior líder nossa, presidente da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), senadora, mudou de partido agora para se preparar até para assumir o Ministério da Agricultura mais para frente, no segundo mandato da Dilma. Nós imaginamos que ela tenha mudado de partido por causa disso, estamos apostando e confiando nisso. E como a Kátia é ótima, sabe tudo, uma liderança extraordinária, mesmo que a Dilma não tenha falado com o setor, tem a relação com a Kátia.

Mas o Lula falou com vocês, não?
O Lula fala sempre, busca sempre entendimento. O Campos já falou e o Aécio está procurando a gente também, ainda não está marcado, mas já disse que quer conversar. Nós estamos bem, a Dilma tem a Kátia, o Aécio tem o Alyson Paulinelli lá em Minas Gerais (ex-ministro da Agricultura e secretário de Agricultura de Minas Gerais por três vezes), o Eduardo conversou com 30 líderes aquele dia. Os três candidatos estão com um approach em relação à agricultura que é novo.

Marina Silva é um empecilho para o setor apoiar futuramente o Eduardo Campos? Depois da conversa entre os líderes e o governador, a relação mudou?
Mudou muito. A agricultura tinha desconfiança com o agronegócio porque ela se posicionou contra, não foi o setor que foi contra ela. Sustentabilidade, conservação, é um problema meu, não é da Marina. Se eu não fizer, perco meu negócio, minha fazenda. É um problema meu comercial, se eu não for sustentável, ninguém vai comprar meu produto, é meu problema de sobrevivência porque a tecnologia me permite fazer adequado sem destruir meus recursos, social porque senão vou para a justiça trabalhista. É a minha bandeira. O governador Eduardo Campos disse quer estabelecer uma ponte de compreensão, de acoplar nosso tema com a Marina. Penso que ela terá que flexibilizar a posição dela para que o agro flexibilize sua posição com ela. Que é o que o Eduardo Campos vai fazer, creio.

Já mudou a visão do setor em relação a Campos, então?
O setor tem uma boa visão de Eduardo Campos, como gestor público, como homem sério, como gosta do Aécio também. Mas a entrada da Marina deu uma brecada, por isso que ele procurou para fazer essa ponte. Foi o que ele me pediu quando me procurou. O que você quer? Perguntei. Quer que eu organize a reunião? Organizo, foi o que fiz. Você me ajudaria a fazer um programa de governo? Ajudo, mas vou deixar claro que se o Aécio pedir, se a Dilma pedir, se o Zé da Esquina pedir um programa de governo para a Agricultura, entregarei para todos o mesmo programa, o que não significa nem apoio político nem compromisso eleitoral porque o meu compromisso é com a agricultura.

Autor: Tags: , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6
  7. 10
  8. Última