Publicidade

Posts com a Tag Luiza Bairros

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015 Governo | 09:00

Luiza Bairros tentará cargo no exterior

Compartilhe: Twitter
Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros. (Foto: Alan Sampaio/ IG Brasília)

Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros. (Foto: Alan Sampaio/ IG Brasília)

De saída da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Barros é cotada para representar o Brasil em algum organismo internacional.

Entre as possibilidades, estão posições no Banco Interamericano de Desenvolvimento ou na própria Organização das Nações Unidas.

Neste mês, aliás, Luiza já segue para os Estados Unidos, onde passará uma temporada.

Leia também: Governo busca diálogo mais plural com movimento negro

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 30 de dezembro de 2014 Governo | 07:00

Governo busca diálogo mais plural com movimento negro

Compartilhe: Twitter

A decisão da presidente Dilma Rousseff de trocar o comando da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial, com a indicação de Nilma Lino Gomes, foi motivada, em parte, pela avaliação de que há uma falha estratégica na política atual voltada ao movimento negro.

O governo entende que a ministra Luiza Bairros ficou muito isolada, por ter uma atuação excessivamente dirigida ao movimento negro tradicional. Com isso, acabou arranhando a relação com outras vertentes do movimento.

Tudo o que o governo não quer, dado o atual empenho em amenizar o desgaste na relação com os movimentos sociais.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 6 de novembro de 2014 Governo | 10:30

Ministério tentará aprovar auto de resistência e políticas para povos tradicionais até janeiro

Compartilhe: Twitter
Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros. (Foto: Alan Sampaio/ IG Brasília)

Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros. (Foto: Alan Sampaio/ IG Brasília)

A Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial selecionou dois projetos prioritários para serem aprovados até o fim de janeiro, quando termina a atual legislatura do Congresso Nacional.

O primeiro é o PL 4471/2012, de autoria do deputado federal reeleito Paulo Teixeira (PT-SP), que busca acabar com o uso da “resistência seguida de morte” por agentes policiais – mais conhecido como PL do Auto de Resistência. Atualmente, o governo busca um acordo com representantes da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal para aprová-lo no plenário da Câmara.

Leia também: Autor de projeto sobre violência policial critica tentativas de amenizar proposta

O segundo, com mais chances de aprovação, é o PL 7447/2010, apresentado pelo deputado federal Luiz Alberto. O texto estabelece diretrizes e objetivos para políticas públicas de desenvolvimento sustentável dos povos e comunidades tradicionais e aguarda parecer do relator na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Neste ano, a Seppir comemorou a aprovação da lei que reserva 20% das vagas de concursos da União para pessoas negras, mas não obteve sucesso na regulamentação da PEC das Domésticas – que só deve voltar no ano que vem.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 17 de outubro de 2014 Eleições | 10:30

Ministros de Dilma se revezam para animar militância

Compartilhe: Twitter
Gilberto Carvalho (foto Antônio Cruz/ABr)

Gilberto Carvalho (foto Antônio Cruz/ABr)

Na reta final da campanha, ministros e ex-ministros de Dilma têm se revezado para participar de plenárias setoriais. A intenção é garantir a animação da militância, que a campanha considera ser fundamental para alcançar uma vantagem sobre o presidenciável tucano, Aécio Neves.

Leia também: Sem Dilma, campanha no Mato Grosso ganha reforço de ministro da Agricultura

Nesta semana, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, se reuniu com lideranças de movimentos sociais no Rio de Janeiro. Hoje mesmo, o ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, está em São Luis, onde participará de uma caminhada com sindicatos, estudantes e movimentos sociais maranhenses.

De Brasília, as ministras de Políticas para Mulheres, Eleonora Menicucci, e da Igualdade Racial, Luiza Bairros, têm, por sua vez, mobilizado lideranças mulheres, na companhia da ex-ministra Iriny Lopes.

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 8 de setembro de 2014 Governo | 18:00

Governo recebe denúncia de racismo contra série ‘Sexo e as negas’

Compartilhe: Twitter
Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros. (Foto: Alan Sampaio/ IG Brasília)

Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros. (Foto: Alan Sampaio/ IG Brasília)

A ouvidoria da Secretaria Especial da Promoção da Igualdade Racial já recebeu três denúncias de racismo por conta da minissérie “Sexo e as negas”, transmitida pela Rede Globo.

Nos últimos dias, diversas organizações do movimento negro e de mulheres iniciaram, na internet, uma campanha de boicote ao programa, que seria uma adaptação de Miguel Falabella para o seriado americano “Sex and the City”.

A Seppir ainda está analisando as queixas, para decidir que providências serão tomadas. Esta não é a primeira vez que denúncias de racismo e machismo na mídia chegam ao governo. Em 2011, uma campanha da cerveja Devassa que dizia “É pelo corpo que se reconhece a verdadeira negra” chegou a ser suspensa após solicitação da Seppir e do Ministério Público ao Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária.

 

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 18 de maio de 2014 Governo | 08:00

‘Não é tão fácil assim combater o racismo’, afirma ministra da Igualdade Racial

Compartilhe: Twitter
Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros. (Foto: Alan Sampaio/ IG Brasília)

Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros. (Foto: Alan Sampaio/ IG Brasília)

Direto da estrada, após uma visita às comunidades tradicionais do interior do Rio de Janeiro, a ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, conversou com o Poder Online sobre os desafios para o combate ao racismo no país.

“Ficou evidente que não é tão fácil assim combater o racismo”, afirmou Luiza com relação à campanha Somos Todos Macacos. “Esse slogan foi um tiro no pé”, completou a ministra.

Diante da movimentada agenda legislativa e prestes a aprovar o projeto de lei que institui cotas para os concursos públicos do Executivo, a ministra defendeu que “é preciso que os negros estejam em todos os ministérios, para que as políticas públicas reflitam a diversidade brasileira”.

Além disso, a ministra aproveitou para mandar um recado aos deputados e senadores: “espero que o Congresso, ao tomar suas decisões, opte por reafirmar estes direitos e não por retroceder.”

Poder Online: Ministra, qual a expectativa para a aprovação do PL das Cotas nos Concursos Públicos, no Senado?
Ministra Luiza Bairros: A votação está marcada para a próxima quarta-feira, dia 21 de maio. Mas, na minha opinião, mesmo antes de o projeto ter sido aprovado, nós já estamos percebendo o impacto no próprio processo de tramitação. O fato de o Senado estar instituindo cotas para o legislativo já é uma vitória parcial, por exemplo.

E o que a aprovação em si representará para a sociedade brasileira?
Na verdade, esta decisão importantíssima do governo federal de encaminhar o projeto foi tomada após mais de 40 municípios já terem adotado a reserva de vagas, sem contar com os estados do Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Paraná. Então, é uma iniciativa importante para estimular o restante do país adotar medidas semelhantes. Tem a ver também com a importância do setor público para a ocupação dos negros, no Brasil. Essa ocupação é maior no nível municipal, diminui no estadual e diminui mais ainda no âmbito federal.

As cotas nos concursos públicos representam, de certa forma, uma continuidade da política de cotas nas universidades federais?
Sim, com certeza. Mas não apenas pelo fato de corrigirem uma distorção histórica, mas também por trazerem para o serviço público a diversidade racial, que por sua vez tem um impacto na ação governamental – por meio da execução e do planejamento de políticas públicas. Essas pessoas vão trazer suas experiências e transformar o modo de atuação do governo. Aqui no interior do Rio de Janeiro, por exemplo, a gente observou que até muito pouco tempo os quilombolas estavam completamente fora das políticas públicas. É certo que a SEPPIR tem a missão de tratar dessas questões, mas é importante que os negros estejam em todos os ministérios, em todas as áreas, para que as políticas públicas reflitam de fato a diversidade brasileira.

Com relação a essa diversidade brasileira, como a senhora acredita que o debate racial deve ocorrer na Copa do Mundo? Os recentes casos de racismo no futebol podem manchar a imagem do país?
O governo federal, por meio da Secretaria de Comunicação, está organizando uma campanha condenando o racismo como tem aparecido no futebol – que nós estamos acompanhando. Na SEPPIR, estamos trabalhando também no número de telefone para ser discado em casos de racismo, especialmente nas cidades-sede. Mas esse número não é só para a Copa, é uma política mais ampla da Secretaria.

Olhando com um pouco mais de distanciamento, o que a senhora achou da repercussão da campanha “Somos Todos Macacos”?
Quando a campanha surgiu, o debate já estava colocado. O que ficou evidente é que não é tão fácil assim combater o racismo. Na minha opinião, discordo que esse tipo de discurso adotado possa ajudar a combater o racismo e o slogan se mostrou um tiro no pé. Nossa campanha histórica é para que sejamos muito bem definidos, sem exceção, como parte dessa humanidade.

E nas eleições, como a senhora acredita que o debate racial será pautado?
Eu não tenho dúvidas de que esse será um tema, especialmente porque tem a ver com mais da metade da população brasileira. Então, qualquer pessoa que postule um cargo eletivo terá que mostrar qual o seu projeto para a população negra no Brasil, para a inserção dessa população no mercado de trabalho, para a demarcação de terras das comunidades tradicionais… tudo isso terá que estar nos planos de governo.

Falando nisso, como anda a articulação da SEPPIR com relação às outras iniciativas do Congresso Nacional, diretamente ligadas à diversidade racial, como a PEC 215, que transfere para o legislativo a demarcação das terras indígenas e quilombolas e o PL dos Autos de Resistência?
A SEPPIR é totalmente contrária à PEC 215, que faz parte de um conjunto de propostas que infelizmente existem no Congresso e que visam tirar os direitos dessas comunidades. Espero que o Congresso, ao tomar suas decisões, opte por reafirmar estes direitos e não por retroceder. Já o PL 4471/2012, pelo fim dos Autos de Resistência, vai na outra direção que é a de defender os direitos da população negra, em especial o fim do genocídio contra a juventude negra. Queremos que esse projeto seja aprovado para evitar as mortes provocadas pelas forças policiais, que agem especialmente em comunidades de maioria negra. Queremos, simplesmente, que os abusos e as ilegalidades sejam investigados.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014 Congresso | 10:30

Presidente da Câmara reclama da pauta trancada

Compartilhe: Twitter
Henrique Eduardo Alves reclamou do governo

Henrique Eduardo Alves reclamou do governo para ministra Luiza Bairros

A ministra Luiza Bairros, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, teve encontro na semana passada com o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Depois de os dois discutirem pautas tidas como prioridade da secretaria, como a que estabelece conta para negros no funcionalismo público, Luiza ouviu as queixas de Alves.

O presidente reclamou que a Câmara sofre com trancamentos da pauta desde agosto, por causa dos sucessivos pedidos de urgência constitucional feitos pela presidente Dilma Rousseff (PT). Quando o pedido é feito, a proposta tem prazo de votação de 45 dias, depois do qual passa a trancar a pauta da Casa em que estiver tramitando.

Alves pediu que a ministra levasse recado ao Planalto e ao próprio PT para que haja um esforço no destrancamento da pauta, tanto na votação do Marco Civil da Internet quanto para que a presidente pare com os pedidos de urgência. “Esta Casa não pode ficar com a pauta trancada”, disse Alves à ministra.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 6 de novembro de 2013 Brasil | 12:00

Cota racial para deputados é parte da reforma política, diz ministra

Compartilhe: Twitter

A ministra Luiza Bairros (Igualdade Racial) comemorou a aprovação na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara da PEC que estabelece cotas para negros no conjunto de deputados federais e estaduais.

“Acho que foi um passo importante essa aprovação na CCJ”, afirmou a Ministra.

Luiza considerou a iniciativa como parte da reforma política. “Essa aprovação abre um espaço de debate a um tema que não vinha sendo discutido no âmbito da reforma político. É o início de um debate aberto nessa instância”, disse ela.

De acordo com a PEC, elaborada pelo deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), a cota para negros corresponderia a dois terços do percentual da população que se declarou negra no último censo do IBGE, em 2010.

O levantamento registrou 50,7% dos brasileiros autodeclarados negros e pardos. Isso significaria 173 das 513 vagas da Câmara Federal.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 4 de março de 2011 Brasil | 15:32

Ministras caem no samba na Lapa carioca

Compartilhe: Twitter

Maria do Rosário (Foto: André Dusek/AE)

Dilma Rousseff teve pouca sorte em seu primeiro ano de governo com o dia da Mulher. A data, como se sabe, cai bem na terça-feira de carnaval. A coincidência impediu uma comemoração a altura do fato de a primeira mulher ocupar a Presidência da República.

Mas não tem problema. A ala feminina do ministério – que é grande – arrumou um jeito de comemorar o dia. As ministras Maria do Rosário Nunes (Direitos Humanos), Iriny Lopes (Políticas para as Mulheres) e Luiza Bairros (Igualdade Racial) são esperadas para cair na folia no Rio Marchinhas, o carnaval da Lapa que homenageia a mulher.

Na terça, a homenageada será Tia Ciata, em cuja casa foi composto o samba “Pelo telefone”, o primeiro a ser gravado em disco, criado em 1916.

Autor: Tags: , , , , ,