Publicidade

Posts com a Tag Manoel Dias

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 Congresso | 17:39

Cunha reúne centrais sindicais para tentar barrar ajuste fiscal no Congresso

Compartilhe: Twitter
O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). (foto: divulgação)

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). (foto: divulgação)

Enquanto o governo federal tenta convencer os deputados da base aliada a defenderem o pacote de medidas que mexem nos benefícios previdenciários e trabalhistas, o presidente de Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se reunirá com centrais sindicais para traçar a melhor estratégia pra derrubar as medidas provisórias 664 e 665.

Num café da manhã realizado na próxima quarta-feira, Cunha receberá dirigentes da CTB, UGT, NCST e Força Sindical para discutir o assunto. Tradicionalmente aliada ao PT, a CUT não foi convidada para a reunião, embora tenha se posicionado contra o pacote fiscal. Além das centrais, também participarão do encontro deputados de partidos como PMDB, Solidariedade, PP, PTB, PSC, PHS, PEN, DEM e PSDB.

No mesmo horário, os ministros Pepe Vargas (Relações Institucionais), Manoel Dias (Trabalho), Nelson Barbosa (Planejamento), Carlos Gabas (Previdência) e Miguel Rossetto (Secretaria-Geral da Presidência) farão um café da manhã com líderes da base aliada para tentar costurar uma estratégia favorável à aprovação das medidas. Na sequência, os ministros receberão as centrais para uma nova rodada de negociações.

Leia também: ‘É pra fechar contas, não para o trabalhador’, diz dirigente da CUT sobre mudança previdenciária

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 Governo | 17:25

Pepe Vargas prepara ofensiva para tentar vencer resistência a pacote fiscal

Compartilhe: Twitter
O ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Pepe Vargas. (Foto: Agência Brasil)

O ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Pepe Vargas. (Foto: Agência Brasil)

Na tentativa de reverter no Congresso o clima contrário ao pacote de medidas do governo que mexe nos benefícios previdenciários e trabalhistas, o ministro de Relações Institucionais, Pepe Vargas, tratou de agendar uma série de encontros com líderes da Câmara e do Senado.

Saiba mais: Governo espera cortar R$ 18 bi com alteração de regras trabalhistas

Já na próxima terça-feira, logo após o carnaval, Pepe fará um café da manhã com líderes dos partidos no Senado e um almoço com os líderes da Câmara, incluindo a oposição. No dia seguinte, em outro café da manhã, o ministro reunirá os líderes da base aliada para tentar costurar uma estratégia favorável à aprovação das medidas.

O objetivo é convencer e municiar os líderes da base de argumentos para defesa do pacote considerado impopular. Para isso, também foram escalados para os três encontros os ministros Manoel Dias (Trabalho), Carlos Eduardo Gabas (Previdência), Nelson Barbosa (Planejamento) e Miguel Rossetto (Secretária-Geral da Presidência).

Leia também: ‘É pra fechar contas, não para o trabalhador’, diz dirigente da CUT sobre mudança previdenciária

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015 Governo | 07:30

Ideli tenta destravar divulgação da lista suja do trabalho escravo

Compartilhe: Twitter
A ministra de Direitos Humanos, Ideli Salvatti. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom /Agência Brasil)

A ministra de Direitos Humanos, Ideli Salvatti. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom /Agência Brasil)

Em homenagem ao Dia Nacional de Combate a Trabalho Escravo, nesta quarta-feira, a ministra dos Direitos Humanos, Ideli Salvatti, pretende iniciar uma articulação junto ao Judiciário para que volte a ser autorizada a divulgação da lista suja do trabalho escravo, publicada desde 2004 pelo Ministério do Trabalho.

A ministra levará o tema para a reunião de hoje da Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo, que também conta com a participação do ministro do Trabalho, Manoel Dias. A ideia é montar uma força-tarefa para tentar reverter uma decisão tomada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski, a pedido da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias.

A última versão da lista suja do trabalho escravo, de julho de 2014, contava com 609 empresas. Dessas, 32 eram construtoras, o que colocava o setor como o 4º colocado. A lista reúne os donos de terras ou empresas flagrados com mão de obra escrava que tiveram a oportunidade de se defender em primeira e segunda instância administrativas. A partir de então, esses empregadores eram impedidos de receber empréstimos em bancos públicos como a Caixa Econômica Federal, que é a principal operadora do crédito imobiliário no País.

Leia também: Governo age para barrar retrocesso na lei contra trabalho escravo

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 Governo | 06:00

Avanço da reforma ministerial acalma ansiedade em parte da equipe de Dilma

Compartilhe: Twitter

O avanço das conversas para a reforma ministerial ajudou a baixar um pouco a ansiedade em algumas pastas do governo da presidente Dilma Rousseff. Em vários ministérios onde se cogitou uma mudança de comando cresce a expectativa de que tudo pode ficar como está.

É o caso da Secretaria de Relações Institucionais, comandada por Ricardo Berzoini (PT-SP). Nos últimos dias, clima semelhante ganhou o Ministério do Trabalho, liderado pelo pedetista Manoel Dias, e na Advocacia-Geral da União, que está com o petista Luís Inácio Adams.

 

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 8 de maio de 2014 Partidos | 07:00

PSDB pega carona na crise dos haitianos

Compartilhe: Twitter

O PSDB resolveu explorar o problema de acolhimento a haitianos que abriu uma crise entre os petistas governador do Acre, Tião Viana, e o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e que tem o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, como mediador.

A intenção é levar o debate para a Brasília. O ministro do Trabalho, Manoel Dias, e membros da Missão de Paz da Onu serão chamados para prestarem esclarecimentos na Câmara de Deputados.

Leia tambémPrefeitura de São Paulo cria abrigo para receber haitianos

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 14 de setembro de 2013 Governo | 19:10

Ministério do Trabalho decide suspender convênios por 30 dias

Compartilhe: Twitter

O ministro do Trabalho, Manoel Dias, anuncia ainda neste sábado a decisão de suspender os convênios da pasta por 30 dias, até que seja concluído o pente fino encomendado nas operações da pasta.

A decisão foi tomada como parte das respostas às operações da Polícia Federal que desmantelaram um esquema de desvios de recursos públicos, envolvendo ONGs beneficiadas por convênios. As denúncias resultaram na demissão de vários integrantes do ministério, entre eles o secretário-executivo Paulo Pinto.

 

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 12 de setembro de 2013 Governo | 17:37

Manoel Dias está reunido com Dilma no Planalto

Compartilhe: Twitter

O Ministro do Trabalho, Manoel Dias, está reunido neste momento com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto. Pessoas próximas afirmam que o encontro tem por único objetivo discutir a apresentação de projetos de urgência para a pasta.

A conversa ocorre em meio à instalação de uma comissão, por ordem do ministro, para analisar todos os convênios, após a demissão do secretário-executivo Paulo Pinto, nesta semana.

Leia mais: Após denúncias, secretário-executivo do Ministério do Trabalho deixa o cargo

 

 

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 10 de setembro de 2013 Governo | 16:31

Após denúncias, secretário-executivo do Ministério do Trabalho deixa o cargo

Compartilhe: Twitter

Será anunciada ainda nesta tarde a saída do secretário-executivo do Ministério do Trabalho, Paulo Pinto. Auxiliares diretos do número dois do ministério foram presos em duas operações da Polícia Federal realizadas nesta semana e na semana passada, que desmantelaram esquemas de desvio de recursos na pasta.

O anúncio deveser feito pelo ministro Manoel Dias. A carta de demissão de Pinto, segundo informaram ao Poder Online fontes do ministério, já está pronta.

 Leia também: Assessor do Trabalho preso pela PF levava dinheiro espalhado por bolsos e carteira

 

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 29 de março de 2013 Partidos | 10:00

Fundadora do PDT é exonerada pelo novo ministro do Trabalho

Compartilhe: Twitter

Fundadora e militante histórica do PDT, a brizolista Tânia Fayal soube pelo “Diário Oficial da União” de sua demissão como assessora especial do gabinete do Ministério do Trabalho e Emprego na última terça-feira.

Foi até agora a única exonerada pelo novo ministro, Manoel Dias (PDT-SC), que sucedeu Brizola Neto (PDT-RJ), a quem a ex-guerrilheira Fayal é ligada.

A exoneração é uma demonstração de força do ex-ministro Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, que venceu a queda de braços os herdeiros do espólio de Leonel Brizola, onde se encontram, entre outros, o ex-marido da presidente Dilma Rousseff, o advogado gaúcho Carlos Araújo (PDT).

Dilma, que pertenceu a esse grupo antes de migrar para o PT, entregou a cabeça de Brizola Neto para manter a coalização e, assim, evitar que o PDT abrisse a debandada na base aliada.

O grupo que ampara Manoel Dias já vinha flertando com o governador pernambucano Eduardo Campos (PSB).

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 25 de março de 2013 Partidos | 18:35

Lupi ganha ministério, mas libera documento com críticas a Dilma

Compartilhe: Twitter

Embora a presidenta Dilma Rousseff considere o PDT totalmente pacificado após a nomeação de Manoel Dias para a pasta do Trabalho, os senadores Cristovam Buarque (DF) e Pedro Taques (MS), além do deputado Paulo Rubem Santiago (PE) conseguiram o compromisso do presidente da legenda, Carlos Lupi, de fazer circular pelos diretórios regionais um documento crítico ao governo.

Antes da convenção do partido, na semana passada, quando Lupi foi reconduzido ao cargo de presidente, Buarque e Taques mantiveram conversas preliminares com o governador de Pernambuco Eduardo Campos, possível adversário de Dilma em 2014, na busca de alianças.

O manifesto assinado por eles, no entanto, não significa um rompimento com Dilma.

A ideia, de acordo com Santiago, é que o documento sirva de base para as discussões locais que se juntarão em agosto na convenção nacional do partido.

O manifesto apresenta críticas ao modelo econômico adotado por Dilma, considerado esgotado.

“Os dados estão mostrando que o Brasil voltou ao período de instabilidade nos preços e o governo não parece estar consciente da gravidade do problema”, diz um trecho do documento.

Autor: Tags: , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última