Publicidade

Posts com a Tag Márcio Thomaz Bastos

quinta-feira, 20 de novembro de 2014 Brasil | 19:09

Dilma promete retomar agenda com prefeitos na semana que vem

Compartilhe: Twitter

Com a notícia da morte do ex-ministro Márcio Thomaz Bastos, a presidente Dilma Rousseff decidiu convidar os prefeitos José Fortunati (Porto Alegre) e Luiz Marinho (São Bernardo do Campo), para viajarem junto com ela a São Paulo para o velório.

Os dois seriam recebidos em agenda nesta tarde, no Palácio do Planalto. Durante o voo, Dilma comprometeu-se a se reunir na próxima semana com a Frente Nacional de Prefeitos, que cobra do governo medidas como a desoneração do transporte público.

 

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 20 de novembro de 2013 Justiça | 15:00

Após prisões do mensalão, desconfiança ronda Márcio Thomaz Bastos

Compartilhe: Twitter

A expedição dos mandados de prisão do mensalão parece ter deixado o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos em clima de desconfiança total.

Bastos, que representa o ex-vice-presidente do Banco Rural José Roberto Salgado, estava no aeroporto de Brasília na última segunda-feira, tentando encontrar o “portão de desembarque B”.

Ele aguardava a chegada de José Luís de Oliveira Lima, advogado do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, quando foi abordado por outro advogado que passava pelo local: 

– Ministro Márcio Thomaz Bastos, o portão B não existe. Existe portão 1, 2, 3, disse o advogado.

– O senhor é federal (Policial Federal)?, retrucou o ex-ministro.

– Não, não… Apenas conheço o senhor de vista. O senhor está aguardando o que?, perguntou o advogado.

– Um voo de São Paulo. Estou esperando um colega, respondeu o ex-ministro

– Ah, é algum advogado do PT?, questionou o advogado

– O senhor é federal?, voltou a perguntar o ministro.

– Não, não… É que sou advogado e estou acompanhando.

– Ah bem! Sim, sim um colega advogado do PT, respirou aliviado o ministro.

– O senhor está esperando pelo Juca (apelido do advogado do Dirceu), não?, disse o advogado

– O senhor tem certeza de que não é federal?, questionou mais uma vez o ex-ministro.

– Não ministro, apenas deduzi porque vi no noticiário que ele vinha pra cá para Brasília agora pela manhã, informou o advogado.

 

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 19 de novembro de 2012 Justiça | 06:30

Bastos, Dirceu e a jabuticaba

Compartilhe: Twitter

Defensor do vice-presidente do Banco Rural, José Roberto Salgado, condenado a 16 anos e oito meses de prisão, o advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos se diz perplexo com o comportamento do Supremo Tribunal Federal.

“Esse julgamento não faz bem ao Brasil”, avalia Bastos, que foi o “padrinho” dos seis ministros do STF nomeados por Lula, entre eles o primeiro negro a assumir uma cadeira na mais alta Corte, Joaquim Barbosa.

O ex-ministro é consultor para assuntos jurídicos do ex-presidente e da cúpula do PT.

Bastos diz que a teoria do “domínio do fato”, importada do direito alemão para pegar o ex-ministro José Dirceu, é aplicada com muito cuidado nos tribunais internacionais porque não pode estar separada da responsabilidade objetiva do réu.

“Não advogo para o Zé Dirceu, mas sou amigo dele. Na minha avaliação, ele foi condenado pelo que é e não pelo que fez”, cutuca.

Bastos acha que ao flexibilizar as regras de interpretação do crime de lavagem de dinheiro, o Supremo alargou a jurisprudência sobre os crimes de corrupção e “endureceu muito” o direito penal.

Na sua opinião o crime virou um fenômeno jurídico tipicamente brasileiro.

“A lavagem ficou como jabuticaba: só tem no Brasil”.

O criminalista lembra que a lavagem se caracteriza pela ocultação, o dolo e a reinserção dos recursos desviados na economia legal, fase que, segundo ele, não foi caracterizada nos autos.

“Não se aplicou com muito cuidado. Tem de demonstrar a atuação, senão se condena pelo abstrato”.

Autor: Tags: , ,

sábado, 4 de agosto de 2012 Justiça | 06:00

Para ex-ministro da Justiça, réus não serão presos imediatamente após fim do julgamento

Compartilhe: Twitter

O ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, que defende um dos réus na ação penal do mensalão no Supremo Tribunal Federal, acredita que em eventuais condenações os réus não serão presos imediatamente.

Os réus do processo não estão comparecendo no julgamento no STF, que começou na última quinta-feira.

Bastos afirma que a ausência dos réus nada tem a ver com a possibilidade de prisão em caso de eventual condenação no fim do processo.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 3 de agosto de 2012 Justiça | 15:30

Marcio Thomaz Bastos considera positivo para a defesa o primeiro dia de julgamento

Compartilhe: Twitter

O ex-ministro da Justiça e advogado do publicitário Duda Mendonça, Márcio Thomaz Bastos, afirmou que ainda é cedo para se apontar qualquer prognóstico sobre tendências do julgamento.

“Por enquanto, sobre mérito não se pode falar nada”, disse.

No entanto, o primeiro dia de exposições foi considerado positivo pelos advogados dos réus do mensalão.

Autor: Tags: ,

Justiça | 06:01

Para Thomaz Bastos, só ouvindo voto de Toffoli para saber se será bom para réus

Compartilhe: Twitter

O advogado Márcio Thomaz Bastos, que defende um dos 38 réus no mensalão, acredita que o ministro Dias Toffoli já está dentro do julgamento.

Contudo, ele evita dizer se a participação do ministro, que já foi advogado do PT, pode ser boa ou ruim para os réus do processo.

Segundo o ministro é preciso ouvir o voto de Toffoli para fazer esta avaliação.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 22 de maio de 2012 Congresso | 16:59

Em meio à bagunça, Márcio Thomaz Bastos afirma: “meu cliente não vai se prejudicar”

Compartilhe: Twitter

Em entrevista coletiva tumultuada, o advogado de Carlinhos Cachoeira, o ex-ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, declarou que seu cliente falará no momento oportuno do ponto de vista da defesa.

Bastos deixou claro que se Cachoeira não quiser não precisa falar nunca e que não vai se prejudicar e nem antecipar suas respostas.

O ex-ministro detalhou quais passos aguarda para que Cachoeira finalmente fale.

Assista:

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011 Justiça | 07:06

STF: o nome preferido de Lula

Compartilhe: Twitter

Asfor Rocha (Foto: Sérgio Dutti/AE)

No fim de dezembro, o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos telefonou para o ministro Cesar Asfor Rocha para perguntar se ele podia voltar atrás em sua desistência de concorrer à vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), como havia comunicado ao Palácio do Planalto, em novembro.

Ouviu um não.

O ex-presidente Lula, então, decidiu deixar a indicação do 11º ministro da Suprema Corte para a presidenta Dilma Rousseff.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011 Justiça | 18:08

Time da Satiagraha se reencontra na posse de De Sanctis

Compartilhe: Twitter

O evento que marca a promoção do juiz Fausto Martin De Sanctis, que toma posse agora como desembargador do TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região, promoveu o reencontro dos antigos parceiros da Operação Satiagraha, que investigou crimes financeiros envolvendo o banqueiro Daniel Dantas – que nega as acusações.

Estão presentes o ex-delegado da operação, Protógenes Queiroz, o procurador Rodrigo de Grandis, autor das acusações contra Dantas e Ricardo Saadi, delegadoque assumiu as investigações da operação no lugar de Protógenes.

Outro que prestigia o novo desembargador é o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 30 de setembro de 2010 Justiça | 06:01

O jeito Thomaz Bastos de fazer campanha

Compartilhe: Twitter

Márcio Thomaz Bastos

O ex-ministro Márcio Thomaz Bastos deixou muita gente publicar que seu candidato para a vaga aberta no Supremo Tribunal Federal (STF) era o advogado Arnaldo Malheiros. Mas Malheiros acabou fora do páreo.

Agora Bastos faz uma campanha quase aberta para o ministro Cesar Asfor Rocha, mas diz a interlocutores das bancas paulistas que não é ele que defende o nome do ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ):

– É o Lula que quer o Asfor.

No entanto, o nome do jurista Luis Roberto Barroso continua também fortíssimo ainda mais agora que a ministra Eliana Calmon, digamos assim, nada amiga de Asfor Rocha, assumiu a corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última