Publicidade

Posts com a Tag Marcos Rogério

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015 Congresso | 17:12

Brito é sobrenome em alta no Conselho de Ética

Compartilhe: Twitter

Se existe um sobrenome em alta no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados ele é Brito.

Além de terem em comum filiação a partidos da base de apoio ao governo, os três selecionados na lista tríplice de onde sairá o nome do novo relator do processo que pode cassar o mandato de Eduardo Cunha, eles também partilham o mesmo sobrenome.

Os selecionados na lista tríplice são Marcos Rogério da Silva Brito (PDT-RO), Leonardo Cunha de Brito (PT-AP) e Sergio Luís Lacerda Brito (PSD-BA).

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015 Congresso | 10:30

Marcos Rogério busca consenso para disputa no Conselho de Ética

Compartilhe: Twitter
Deputado Marcos Rogério (PDT-RO)

Deputado Marcos Rogério (PDT-RO)

Com o apoio do atual presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados para disputar o cargo neste ano, Marcos Rogério (PDT-RO) tentará construir consenso com um correligionário de Ricardo Izar (PSD-SP).

Nesta semana, o deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), veterano do Conselho e eterno candidato à presidência do colegiado, já sinalizou interesse em concorrer mais uma vez. Diante disso, Rogério pretende conversar com o baiano, em busca de um acordo. Como já tem o apoio de Izar, o deputado trabalhista espera conseguir convencer Araújo sobre uma chapa conjunta dos dois.

O arranjo, entretanto, ainda depende das indicações do PSD para o Conselho. Além de Araújo e Izar, Sergio Brito (PSD-BA) também manifestou desejo de participar do espaço em 2015. Como o PSD indicará dois parlamentares, é necessário que o imbróglio interno do PSD seja resolvido antes que Rogério possa iniciar sua costura.

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015 Congresso | 18:56

Adversários em 2013, deputados cogitam articulação conjunta por Conselho de Ética

Compartilhe: Twitter

Adversários durante a disputa da presidência do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados em 2013, Ricardo Izar (PSD-SP) e Marcos Rogério (PDT-RO) não descartam atuação conjunta em 2015.

Izar tem dito a aliados que não descarta apoiar o nome de Rogério para substitui-lo este ano. Em 2013, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) viu seu acordo com o PDT virar fumaça depois de articulação feita por Izar para tirar do partido a presidência do conselho, cujo beneficiado seria Rogério.

O tempo passou e os dois adversários acabaram se aproximando de forma que já não descartam apoio mútuo na escolha deste ano.

Izar não descarta concorrer novamente, mas alguns de seus colegas acreditam que se Eduardo Cunha (PMDB-RJ) for eleito presidente da Casa, dificilmente o paulista conseguiria se reeleger. Daí o apoio a Rogério passou a ser alternativa.

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014 Congresso | 13:34

Marcos Rogério será o relator do caso Bolsonaro no Conselho de Ética

Compartilhe: Twitter
Deputado Marcos Rogério (PDT-RO)

Deputado Marcos Rogério (PDT-RO)

O presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados, Ricardo Izar (PSD-SP), anunciará em instantes o nome do relator responsável por conduzir o caso Bolsonaro naquela instância.

Jair Bolsonaro foi alvo de representação no Conselho de Ética depois de dizer à deputada Maria do Rosário (PT-RS) que não a estupraria porque a parlamentar não seria merecedora de tal agressão.

Izar selecionou o deputado Marcos Rogério (PDT-RO) para relatar a questão. Rogério saiu fortalecido depois do trabalho que realizou como relator do caso envolvendo o deputado baiano Luiz Argôlo (SDD) e as relações deste com o doleiro Alberto Youssef.

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014 Congresso | 19:15

Após adiamento, relator promete para amanhã parecer sobre Argôlo na CCJ

Compartilhe: Twitter
Deputado federal Valtenir Pereira (PROS-MT). Foto: Divulgação

Deputado federal Valtenir Pereira (PROS-MT). Foto: Divulgação

Depois de frustrar membros do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara ao adiar a entrega de seu relatório sobre o caso Luiz Argôlo (PSD-BA), Valtenir Pereira (PROS-MT) promete apresentar seu parecer amanhã.

Leia também: Presidente do Conselho de Ética teme que Argôlo seja primeira pizza da Lava-Jato

Pereira é relator na Comissão de Constituição e Justiça do recurso encaminhado por Argôlo após aprovação no Conselho de Ética do parecer de Marcos Rogério (PDT-RO) que pede a cassação do parlamentar baiano.

Mesmo no prazo normal, inicialmente programado para 2 de dezembro, a apresentação do relatório que analisará o recurso de Argôlo na Comissão de Constituição e Justiça já era tido como tardio e com risco de livrar Argôlo da cassação.

Com o adiamento, a pizza é praticamente garantida, já que não haverá tempo para o encaminhamento para o Plenário da votação do relatório que pediu a cassação de Argôlo em função de suas relações com o doleiro Alberto Youssef.

Autor: Tags: , , , , , , ,

terça-feira, 18 de novembro de 2014 Congresso | 20:24

‘É um estelionato político’, diz Marcos Rogério sobre mudança no superávit

Compartilhe: Twitter

O deputado federal Marcos Rogério (PDT-RO) classificou como “manobra” a proposta do governo de flexibilizar a meta do superávit primário, a partir de uma alteração na Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2014. Na opinião do pedetista, seria “uma espécie de estelionato político”.

Leia também: Jucá troca termo ‘superávit’ por ‘resultado’ em projeto de meta fiscal

“Essa medida é uma forma de você maquiar as metas do superávit. Você tá dizendo que nós não vamos descumprir as metas a partir de uma manobra, de uma mudança. Você só tem uma maneira de cumprir as metas do superávit: é cumprindo”, criticou Rogério.

Apesar das críticas à presidente Dilma Rousseff, o deputado reconheceu que a alteração deve ser aprovada pelo Congresso Nacional, para “não inviabilizar as contas do país”.

Assista:

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 8 de outubro de 2014 Congresso | 13:30

Derrotado nas urnas, Argôlo se prepara para encarar o Conselho de Ética

Compartilhe: Twitter
Deputado Federal Luiz Argôlo (SDD-BA) responde a processo no Conselho de Ética. (Foto: Agência Câmara)

Deputado Federal Luiz Argôlo (SDD-BA) responde a processo no Conselho de Ética. (Foto: Agência Câmara)

Sem votos suficientes para voltar a Brasília no próximo ano, o deputado federal Luiz Argôlo (SDD-BA) já se prepara para encarar novamente o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. Adiado na véspera, o julgamento do deputado foi remarcado para a quarta-feira da semana que vem e a expectativa é de que o parecer do relator Marcos Rogério (PDT-RO) seja pela cassação.

Leia também: Na mira do Conselho de Ética, Argôlo arrecada mais que em 2010

Até lá, porém, Argôlo ainda aposta na colaboração de seus colegas. Entre alguns integrantes do Conselho, há uma sensação de que o deputado baiano já foi punido nas urnas. Outros acreditam que o fato de Argôlo não ter sido reeleito facilita a condenação pela Casa. Resta saber se a derrota eleitoral será considerada suficiente ou se os deputados ainda assim votarão contra o deputado, que ficaria inelegível pelos próximos oito anos.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 11 de junho de 2014 Congresso | 18:38

Deputado evangélico barra projeto de Jean Wyllys pedindo ‘cuidado com propostas de certos deputados’

Compartilhe: Twitter

O deputado Marcos Rogério (PDT-RO) travou a tramitação de um projeto apresentado pelo deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), tendo por justificativa o simples fato de o texto ser de autoria do parlamentar, que é homossexual e é ativista de questões ligadas à comunidade LGBT. A tese do pedetista, que integra a bancada evangélica, é a de que “é preciso ter cuidado com as propostas apresentadas por certos deputados”.

Na sessão de ontem da CCJ da Câmara, Rogério pediu vista da proposta de Wyllys, que institui o dia “Dia Nacional do Teatro Acessível: Arte, Prazer e Direitos”, com o objetivo de promover atividades cênicas que usem práticas de acessibilidade física e cognitiva. Ao microfone, disse ver a necessidade de explicar o termo “acessível”. E, ao ser abordado em seguida com explicações de que não se tratava da gratuidade, engatou: “É que é preciso tomar cuidado com os projetos de certos deputados”.

Um dia depois, Rogério até tentou negar que tenha dado a declaração, feita logo depois da sessão e confirmada pelos colegas de comissão. E agora jura que vai votar a favor da constitucionalidade do projeto. “Quando eu li direito o projeto, vi que não se tratava de gratuidade. Depois da sessão, me procuraram para explicar e eu vi que não havia nada de extraordinário”, afirmou.

“Talvez caiba uma emenda de redação. Porque esse texto me confundiu, diz que é acessível, fala sobre prazer”, disse ele. E, sobre Jean Wyllys, tentou amenizar: “De fato, ele é ativista nesse meio e nós acompanhamos. Mas ele não faz só projetos sobre isso (homossexualidade)”.

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 9 de junho de 2014 Congresso | 19:00

Relator promete divulgar cronograma de trabalho do caso Argôlo

Compartilhe: Twitter
Deputado Marcos Rogério (PDT-RO)

Deputado Marcos Rogério (PDT-RO)

O deputado Marcos Rogério (PDT-RO), relator do processo que investiga suposta quebra de decoro de Luiz Argôlo (SDD-BA) no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, promete divulgar seu esquema de trabalho nesta semana.

A partir da aprovação do relatório preliminar e passado o prazo para defesa de Argôlo, Rogério já pode começar efetivamente a investigar as relações do deputado baiano com o doleiro Alberto Youssef.

Rogério deverá divulgar o cronograma de trabalho e as testemunhas que pretende convocar.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 6 de junho de 2014 Congresso | 07:30

‘Meu desejo é encerrar o quanto antes’, afirma relator do caso Argôlo

Compartilhe: Twitter

O relator da investigação contra o deputado federal Luiz Argôlo (SDD-BA) no Conselho de Ética da Câmara, Marcos Rogério (PDT-RO), afirmou que irá conduzir o processo com a maior rapidez possível – de preferência antes das eleições deste ano.

“O prazo limite é 40 dias, mas eu vou adotar todas as providências necessárias para que isso corra de forma célere. Obviamente, sem atropelar direitos e garantias, porque aqui cabe o direito à ampla defesa. Mas vou fazer um esforço para dar uma resposta rápida à Casa e à opinião pública”, garantiu Marcos Rogério.

Argôlo é alvo de duas representações, uma por parte da Mesa Diretora da Casa – na qual já corre o prazo para defesa – e outra apresentada pelo PSOL, cujo relatório preliminar que dá continuidade à investigação foi aprovado na última terça-feira.

Assista:

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última