Publicidade

Posts com a Tag Marina Silva

quinta-feira, 2 de outubro de 2014 Eleições | 14:17

Jean Wyllys oferece aula de inglês a Marina após polêmica com ator

Compartilhe: Twitter
Publicação do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ). Foto: Divulgação

Publicação do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ). Foto: Divulgação

Diante das explicações contraditórias da campanha da presidenciável Marina Silva (PSB) sobre casamento igualitário ao ator hollywoodiano Mark Ruffalo, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) ofereceu “aulas de inglês grátis” à candidata, para explicar a diferença entre casamento e união civil.

Leia mais: Mark Ruffalo retira apoio a Marina ao saber que ela é contra casamento gay

“Vamos lá, candidata. ‘I support gay civil marriage’, em inglês, quer dizer ‘Eu apoio o casamento civil igualitário'”, traduz Jean. “Na entrevista do Jornal da Globo, a senhora disse claramente que era contra o casamento igualitário (‘gay marriage’, em inglês) e que apoiaria uma lei de ‘união civil’ (‘civil union’, em inglês)”, completa o deputado.

Jean Wyllys diz ainda que a proposta de união civil é “defendida em vários países por políticos de ultra-direita e reacionários e que, aqui no Brasil, depois da decisão do Conselho Nacional de Justiça que regulamentou o casamento igualitário, seria um retrocesso em termos de direitos civis”.

“Talvez você não saiba, candidata, mas Mark Ruffalo e todos os americanos esclarecidos e progressistas sabem a diferença entre ‘civil union’ e ‘gay marriage'”, alfineta ainda o candidato à reeleição pelo Rio de Janeiro.

Autor: Tags: , , , , ,

Eleições | 09:14

Clima de ‘bem que eu avisei’ ganha o PSB

Compartilhe: Twitter

No PSB, o que não falta é gente encampando o velho discurso do “eu bem que avisei”. Diante dos resultados das últimas pesquisas, quem já não era muito fã da ex-verde Marina Silva joga a culpa em dois fatores primordiais: a entrega do comando da campanha a integrantes da Rede Sustentabilidade e a resistência de Marina em selar alianças nos estados.

Parte do partido avalia que, se ela ficar fora do segundo turno, a primeira medida será a retomada imediata da articulação da Rede.

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 1 de outubro de 2014 Eleições | 16:30

No Facebook, Aécio e Marina repetem tendência de pesquisas eleitorais

Compartilhe: Twitter
Aécio Neves (foto: Agência Senado)

O senador Aécio Neves (PSDB-SP). (foto: Agência Senado)

Desde que as pesquisas eleitorais passaram a indicar uma recuperação do presidenciável tucano Aécio Neves frente a Marina Silva (PSB), o mesmo tem sido observado na internet.

Atualmente, Aécio é o candidato que mais cresce no Facebook, com uma taxa de crescimento de 18,9% em número de curtidas. Desde a semana passada o número de seguidores do tucano subiu 6,1%, alcançando um total de 1,5 milhões.

Já Marina Silva teve uma queda de 16,4% no ritmo de seu crescimento. Apesar disso, a ex-senadora ainda lidera as curtidas, com 2,1 milhões de seguidores. O perfil oficial da presidente Dilma Rousseff tem atualmente 1,2 milhões de curtidas, o menor número entre os três principais presidenciáveis.

Autor: Tags: , , , , ,

Eleições | 09:00

Queda em São Paulo superou expectativas da campanha de Marina

Compartilhe: Twitter
Marina e Campos (Foto: Alice Vergueiro/Futura Press)

Marina e Eduardo Campos (Foto: Alice Vergueiro/Futura Press)

A campanha de Marina Silva já estava preparada para o que descreve como uma “acomodação” do desempenho da candidata do PSB nas pesquisas. Mas um indicador superou todas as expectativas da equipe: a rapidez com que ela perdeu votos em São Paulo.

O maior colégio eleitoral do país é justamente alvo preferencial da campanha da presidente Dilma Rousseff nesta reta final da eleição.

Autor: Tags: ,

terça-feira, 30 de setembro de 2014 Eleições | 06:00

PSB pressiona Marina a fazer aceno a governadores tucanos

Compartilhe: Twitter
Marina Silva (Foto: Divulgação)

Marina Silva (Foto: Divulgação)

Integrantes do PSB já começam a intensificar a pressão para que a ex-senadora Marina Silva faça um aceno a governadores com os quais não quis muita conversa até agora.

A avaliação é que, se não conseguir um apoio, mesmo que informal, de nomes como Geraldo Alckmin (SP), Beto Richa (PR) e Marconi Perillo (GO), ela dificilmente vai se sair bem no segundo turno da eleição.

Autor: Tags: , ,

domingo, 28 de setembro de 2014 Eleições | 08:00

‘As pessoas ainda têm dificuldade de falar o nome do Aécio’, diz Alberto Goldman

Compartilhe: Twitter
O ex-governador de São Paulo e coordenador local da campanha presidencial de Aécio Neves, Alberto Goldman (PSDB-SP). Foto: Divulgação

O ex-governador de São Paulo e coordenador local da campanha presidencial de Aécio Neves, Alberto Goldman (PSDB-SP). Foto: Divulgação

A uma semana do primeiro turno da eleição, o coordenador de campanha do tucano Aécio Neves em São Paulo, Alberto Goldman, diz que o presidenciável ainda é “o candidato menos conhecido” no estado, entre os três principais nomes da disputa.

“As pessoas têm dificuldade de falar o nome de Aécio, até porque Aécio não é um nome fácil, ainda não foi suficientemente popularizado”, explica Goldman ao Poder Online. Diante disso, a estratégia é tentar “convencer os eleitores anti-Dilma de que Aécio é o candidato em melhores condições de administrar o país”, com o argumento de que Marina Silva (PSB) não teria a mesma capacidade de gestão.

Na reta final, porém, vale também correr para eleitores da candidata petista à reeleição Dilma Rousseff, diz Goldman.

Leia abaixo os principais trechos da conversa:

Poder Online: Parece ter surgido uma luz no fim do túnel para a campanha do Aécio Neves, com essa recente queda da Marina Silva, não é mesmo? Qual a estratégia, nesta última semana, para obter superá-la na briga pelo segundo turno?
Alberto Goldman: Nós estamos apostando basicamente nisso, na continuidade da queda da Marina, que foi muito forte e vai continuar, além de uma subida do Aécio para chegar no segundo turno. Ganhar agora significa convencer o eleitor anti-Dilma de que Aécio é o candidato em melhores condições de administrar o país.

O que significa se definir como “voto útil” contra o PT, nesta estratégia?
É em cima da análise sobre o eleitor que não quer votar na Dilma, mas que está preocupado em olhar a história e capacidade não só eleitoral de cada candidato, mas de gerenciar o país. A mudança mais consciente e responsável somos nós, mas vai depender da análise dos eleitores. Agora parece estar dando certo, na última semana um contingente enorme de pessoas não definidas se uniu à gente. Estamos trabalhando com aqueles eleitores que têm uma tendência de voto na Marina, mas não estão seguros de que ela seria capaz de conduzir um país. Tem até mesmo alguns que momentaneamente foram para a Dilma, porque não veem na Marina nada de consistente, mas ao mesmo tempo estão insatisfeitos e poderiam votar no Aécio.

Em São Paulo, apesar da grande chance do PSDB se reeleger ao governo estadual, Aécio ainda está atrás tanto de Marina Silva como Dilma Rousseff. O que explica esse panorama?
No nosso tracking local, ele já está na frente da Dilma, com mais ou menos a diferença que nós já temos no plano nacional. Achamos que isso deve acontecer nas eleições de São Paulo também. Temos confiança especialmente pelo apoio histórico ao PSDB e pela estrutura partidária que nós temos. Mas ele continua sendo o candidato menos conhecido, as pessoas têm dificuldade de falar o nome do Aécio, até porque Aécio não é um nome fácil, ainda não foi suficientemente popularizado. Mas isso está mudando.

Qual será a estratégia do discurso, nesta reta final? A campanha pretende focar em temas mais conservadores, como a questão da redução da maioridade penal e da criminalização do aborto, que Aécio têm comentado ultimamente?
Não, essas não são pautas importantes para a Presidência da República. Nós precisamos trabalhar com desenvolvimento econômico, falar na diminuição da capacidade de consumo, na incapacidade do governo de tirar o país de onde está. Cada dia é um escândalo maior e nada é feito para mudar isso. Vamos manter nosso papel, que é de ser a oposição que pode ganhar a eleição.

Caso Aécio não chegue ao segundo turno, isso deve acirrar a disputa interna no partido para a disputa presidencial de 2018 – entre José Serra, Geraldo Alckmin e o próprio Aécio?
Se eu estiver vivo até lá, em 2018 você me pergunta sobre isso.

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 27 de setembro de 2014 Eleições | 08:00

Marina tenta consolidar posição em Pernambuco

Compartilhe: Twitter
O candidato a governador Paulo Câmara (PSB-PE) e a presidenciável Marina Silva (PSB). Foto: Divulgação

O candidato a governador Paulo Câmara (PSB-PE) e a presidenciável Marina Silva (PSB). Foto: Divulgação

Um dos principais atos de encerramento da campanha da presidenciável Marina Silva (PSB) será um comício em Pernambuco, na próxima segunda-feira.

A atividade foi agendada em conjunto com o candidato à sucessão de Eduardo Campos no governo pernambuco, Paulo Câmara (PSB-PE), que recentemente ultrapassou o adversário Armando Monteiro (PTB-PE) nas pesquisas eleitorais.

De lá, Marina volta a São Paulo, onde dedicará boa parte da reta final para gravações do programa eleitoral e preparação para o debate entre os presidenciáveis realizado pela Rede Globo, na quinta-feira.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 25 de setembro de 2014 Eleições | 06:00

Destino de Marina só será discutido após a eleição

Compartilhe: Twitter

Nas conversas com alguns de seus interlocutores próximos, a ex-senadora Marina Silva tem dado sinais  mais claros de que não necessariamente migrará para a Rede Sustentabilidade se a nova sigla for criada.

Quem é próximo de Marina insiste que a criação da Rede não tem volta e que o partido vai sair do papel de uma forma ou de outra. Mas os mesmos interlocutores admitem que isso não significa que Marina acompanhará seus aliados. Tudo dependerá do resultado da eleição e da negociação que for feita com o PSB dali em diante.

O PSB conta com a demora. Acha que, no fim das contas, vai convencer Marina a desistir de vez do projeto.

 

Autor: Tags: ,

terça-feira, 23 de setembro de 2014 Eleições | 07:30

Em campanha contra financiamento privado, PSOL veste presidenciáveis com ‘patrocinadores’

Compartilhe: Twitter
Meme produzido pelo PSOL, sobre os presidenciáveis. (Foto: Reprodução / Facebook)

Meme produzido pelo PSOL, sobre os presidenciáveis. (Foto: Reprodução / Facebook)

Militantes do PSOL e apoiadores da presidenciável Luciana Genro (PSOL) começou a divulgar ontem, nas redes sociais, um meme em que os três principais presidenciáveis aparecem como pilotos de Fórmula 1, com o “patrocínio” de seus doadores de eleitorais.

Nas imagens, o partido compara a arrecadação de cada candidato com a de Luciana, que até o momento declarou ter recebido R$ 212,9 mil. O texto ainda afirma “Empresa não doa, faz investimento”, e orienta os eleitores a não votarem “em quem é financiado por empresas”.

A própria Luciana Genro, no entanto, já foi alvo de questionamentos próprio partido em 2008, quando aceitou R$ 100 mil em doações da multinacional brasileira Gerdau, ao disputar a prefeitura de Porto Alegre.

Leia também: Para se diferenciar, candidato do PSOL faz prestação de contas diária

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 22 de setembro de 2014 Eleições | 09:00

Campanha de Marina espera desempenho de Aécio de até 20%

Compartilhe: Twitter

A campanha da ex-senadora Marina Silva tem monitorado com cuidado a tendência de alta do tucano Aécio Neves nas pesquisas de opinião, mas jura que, por enquanto, o avanço está dentro do que esperava.

A estimativa feita pelo time da ex-senadora é de que Aécio dificilmente ficará muito abaixo dos 20% dos votos no primeiro turno da eleição.

Autor: Tags: ,

  1. Primeira
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6
  7. 10
  8. 20
  9. 30
  10. Última