Publicidade

Posts com a Tag marketing político

segunda-feira, 30 de junho de 2014 Eleições | 14:22

Pastor Everaldo traz marketeiro argentino para campanha presidencial

Compartilhe: Twitter
Pastor Everaldo, candidato do PSC à presidência. (Foto: Alan Sampaio / IG Brasília)

Pastor Everaldo, candidato do PSC à presidência. (Foto: Alan Sampaio / IG Brasília)

O candidato à presidência pelo PSC, Pastor Everaldo, convidou o marketeiro argentino Jorge Gerez para elaborar sua campanha.

Gerez também foi responsável pelo marketing político da campanha que levou Ratinho Jr. (PSC-PR) ao segundo turno na disputa pela prefeitura de Curitiba.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 23 de agosto de 2012 Eleições | 11:11

Uma lição do Boni sobre marketing político na TV

Compartilhe: Twitter

Vai aí uma lição de marketing político em televisão que o ex-prefeito do Rio de Janeiro Cesar Maia recebeu de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, quando este era o todo-poderoso da TV Globo, em 1998.

Quem conta é o próprio Cesar Maia em sua news letter eletrônica, “O Ex-Blog”:

Na campanha de 1998, o prefeito Cesar Maia, que havia elegido seu sucessor e deixado o governo com aprovação recorde em todos os tempos, mostrava na TV as suas realizações e projetava um presente e um futuro iluminados. Era um Rio perfeito. Um dia, ele recebeu um telefonema do Boni, que pediu que ele enviasse 3 vídeos de seus programas e que fosse ao escritório dele. Assim foi feito.

Boni passou os vídeos e fazia pausas seguidas: Cesar, esse hospital brilhando não tem nem em corredor de hotel de cinco estrelas na Suíça. Esses funcionários parecem que são manequins Armani, desfilando seus uniformes. Esses testemunhais populares parecem ter saído de uma aula de português machadiano. Parece que essa casa foi dada a uma secretária bilíngue. E as mães elogiando devem ter gravado em teleprompter. E esse clima de euforia…, nem com o Brasil campeão do mundo.

Cesar, caia na real e mostre as coisas como são, a vida como ela é. O que você consegue é frustrar a grande maioria das pessoas, que em casa, na frente da TV, diz uma de duas coisas: “Mas que mentirada…!” ou “É, esse cara só pensa em outros bairros, o nosso está abandonado. Vê lá se o posto de saúde aqui é assim”.

Cesar, essa cidade que você estra mostrando, ninguém que está assistindo vive nela. E quem está vendo seu programa é quem assiste à novela das 8. Esse seu programa será derrota eleitoral certa. Mostre o que você fez, mas dentro da realidade das pessoas.

Cesar Maia, é claro, mudou o programa. E elegeu-se.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 19 de outubro de 2010 Eleições | 16:37

PT: “Cuidado com os telefonemas da turma do Serra”

Compartilhe: Twitter

O PT iniciou uma estratégia para neutralizar o telemarketing tucano, que foi intensificado pelo PSDB nos últimos dias. Um dos coordenadores da campanha de Dilma Rousseff, o deputado estadual Rui Falcão (PT-SP) acaba de twittar:

– Cuidado com os telefonemas da turma do Serra. No meio das ligações, pode ter gente capturando seu nome para usar criminosamente….podem clonar seu número, pode ser ligação de dentro dos presídios, trote, ameaça de sequestro e assim por diante. Identifique quem liga!

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 29 de setembro de 2010 Eleições | 10:02

Santa Rita, de collorido a verde

Compartilhe: Twitter

Sem muito alarde, o marketeiro Chico Santa Rita toca a campanha à reeleição de André Puccinelli em Mato Grosso do Sul e a sua própria a deputado federal pelo PV em São Paulo.

Santa Rita foi o responsável pela famosa participação de Miriam Cordeiro, a mãe de Lurian, filha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na propaganda eleitoral do então candidato do PRN, Fernando Collor, na eleição de 1989.

Autor: Tags: ,

sábado, 28 de agosto de 2010 Eleições | 06:32

Quatro horas de espera para falar com Gonzalez

Compartilhe: Twitter

Para ter uma audiência com Luiz Gonzalez, marqueteiro da campanha de José Serra (PSDB), alguns políticos precisam esperar muito. Muito mesmo.

Um deles tomou chá de cadeira de 4 horas.

Detalhe: não interessa se o político é presidente de um partido aliado.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 27 de agosto de 2010 Eleições | 10:02

Kamura indicou Herchcovitch, o elo entre Dilma e os jovens

Compartilhe: Twitter

Alexandre Herchcovitch e Dilma Rousseff (Foto: Reprodução/Twitter)

De tanto o cabelereiro Celso Kamura falar no ouvido de Dilma Rousseff que ela tinha que cuidar do figurino e que o nome ideal era Alexandre Herchcovitch, a candidata do PT a presidente acabou pedindo ao marqueteiro João Santana para enviar uma equipe ao ateliê do estilista.

Feita a pesquisa descobriu-se que Herchcovitch seria o ideal para dar consultoria à candidata. Ele vai criar um estilo para Dilma. E Santana acha que foi uma boa ideia porque Herchcovitch pode ser o elo perdido entre Dilma e o eleitor jovem.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 23 de agosto de 2010 Eleições | 16:31

Índio inaugura fase mais agressiva da campanha do PSDB

Compartilhe: Twitter

Índio da Costa (Foto: Flávio Torres/Fotomídia)

Durante várias semanas, a campanha do PSDB discutiu qual seria o melhor momento para adotar um discurso mais agressivo em relação à candidata do PT a presidente, Dilma Rousseff.

Em pelo menos duas reuniões, ocorridas ontem, o comando tucano decidiu que a hora é essa. Embora exista certa controvérsia.

O candidato a vice-presidente, deputado Índio da Costa (DEM-RJ), será o primeiro a adotar um discurso mais pesado. Em entrevista ao IG, nesta manhã, ele inaugurou esse estilo, ao dizer que Dilma oferece uma “nova ditadura” para o país.

Nas próximas entrevistas e debates, Índio vai aumentar ainda mais o tom.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 19 de agosto de 2010 Eleições | 16:04

Jefferson sobre González: “Marqueteiro é garupa”

Compartilhe: Twitter

Roberto Jefferson

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, atacou, pelo twitter, o marqueteiro do PSDB, Luiz González:

– Curioso é o olhar enfarado e apressado do González quando vê um político. Mas não se faz política sem políticos. Se o González ouvisse um pouco os políticos, não poria no ar uma favela fake, nem o bobajol do Zé.

Mas a opinião de Jefferson sobre a estratégia de marketing era outra. Há dois meses, quando aliados começaram a criticar o trabalho de González, o ex-deputado defendeu o marqueteiro e atribuiu os supostos erros ao candidato José Serra.

No dia 25 de junho, às 4h48, em resposta a um tweet que comentava as críticas de aliados a González, Jefferson tuitou:

– Marqueteiro é garupa. Garupa não manda na rédea.

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 17 de agosto de 2010 Eleições | 18:02

Campanhas pagam por vídeos virais

Compartilhe: Twitter

Pelo menos duas produtoras paulistas foram contratadas por campanhas para produzir vídeos virais.

As ideias partem da cabeça dos próprios marqueteiros famosos, mas quem põe a mão na massa são essas produtoras.

É coisa tipo Dilmaboy, que fazem a voz de anônimos repercutir na grande imprensa e na internet.

Detalhe: paga-se até que disitintamente pelo serviço.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 3 de agosto de 2010 Eleições | 17:02

Campanha eletrônica obriga partidos a rever estratégias

Compartilhe: Twitter

Depois do debate de quinta-feira, dia 5, na Bandeirantes, o primeiro entre os candidatos a presidente, os partidos políticos enfrentarão um problema com as agendas dos principais concorrentes, Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV).

Ao contrário do que se poderia imaginar, os debates, as sabatinas e as entrevistas tomarão conta da maior parte do tempo dos candidatos, já que além da presença soma-se a preparação para os embates eletrônicos ou com a imprensa.

Nos próximos 15 dias, serão três dias de gravações só para os telejornais da Rede Globo, mais os debates na Record, Rede TV!, Gazeta e depois da própria Globo.

Ocorrerão ainda debates na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e as campanhas ainda têm pedidos de MTV, Associação Comercial de São Paulo, portais de internet entre outros.

Sobra pouquíssimo tempo para a campanha na rua, mas se não fizerem imagens de corpo a corpo prejudicam a exibição no Jornal Nacional.

Quem já fez as contas garante que a campanha, naquele velho conceito, terá apenas um mês de duração. E isso implica em redesenhar as estratégias.

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última