Publicidade

Posts com a Tag Marta Suplicy

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015 Partidos | 17:03

Tese da refundação parece ter voltado à moda no PT

Compartilhe: Twitter
O ministro da Cultura, Juca Ferreira.

O ministro da Cultura, Juca Ferreira.

A tese de refundação do PT, alardeada com muito tanto em 2005 por Tarso Genro, parece ter voltado à moda no partido. Aliás, até Marta Suplicy e Juca Ferreira, já declarados inimigos ferrenhos, parecem concordar.

Se Marta disse ao jornal O Estado de S. Paulo no último dia 10 que ‘Ou o PT muda ou acaba’, Juca hoje engatou, em bate-papo na internet organizado pelo próprio partido: “Quando a esquerda fica parecida com a direita quem ganha é a direita (…) O PT tem que se renovar. É incontornável essa renovação”.

Autor: Tags: , ,

Governo | 06:00

Aliados enchem a bola de Marta Suplicy

Compartilhe: Twitter
Marta em caravana do PT (Foto: Divulgação/Elisabete Alves)

Marta em caravana do PT (Foto: Divulgação/Elisabete Alves)

Os mais empenhados em incentivar a recente campanha de Marta Suplicy faz uma previsão para lá de otimista sobre o potencial eleitoral da ex-ministra. Numa conversa recente, Marta ouviu que a candidatura à prefeitura de São Paulo poderia ser só o começo da nova empreitada.

Dali em diante, prossegue a teoria, ela poderia tentar repetir os passos de Marina Silva. Uma ideia é trabalhar para aglutinar legendas menores em um novo partido.

Marta ouviu a sugestão, mas não fez que sim, nem que não. Já o PT diz simplesmente não ver na ex-ministra a estatura necessária para tocar uma empreitada como essa.

Leia também: Marta Suplicy não deu bola aos acenos do PT

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015 Partidos | 09:00

Marta Suplicy não deu bola aos acenos do PT

Compartilhe: Twitter
Marta Suplicy (Foto: Agência Senado)

Marta Suplicy (Foto: Agência Senado)

Marta Suplicy está fazendo jogo duro para conversar com o PT. O partido mandou recados e até alguns emails. Ficou sem resposta. Quem apoia a movimentação de Marta explica com a alegação de que “ninguém com estatura” procurou a ex-ministra para uma conversa. Leia-se: Lula não a procurou até agora.

Ontem, petistas se diziam surpresos com a publicação de mais críticas públicas da ex-prefeita ao partido e à presidente Dilma Rousseff, em artigo no jornal Folha de S. Paulo.  Mas seguiam defendendo uma negociação com Marta, para tentar impedir sua saída do partido.

Autor: Tags: ,

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015 Partidos | 09:00

Paulo Vannuchi verbalizou, mas não agradou

Compartilhe: Twitter
Marta Suplicy (Foto: Agência Senado)

Marta Suplicy (Foto: Agência Senado)

O comando petista não gostou das críticas feitas nesta semana pelo ex-ministro Paulo Vannuchi à Rede Brasil Atual sobre Marta Suplicy. Não que alguém ali discorde das declarações. Elas, aliás, verbaliza exatamente o que muitos petistas dizem por aí.

Mas é que a orientação dada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva era justamente a de não jogar lenha na fogueira quando o assunto é a ex-prefeita de São Paulo. Até porque tudo o que o PT não quer no momento é vitimizar Marta.

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015 Partidos | 09:00

PT aceita tratar 2018 com Marta, mas prefeitura está fora de cogitação

Compartilhe: Twitter

O PT começou a mandar os primeiros recados à ex-prefeita Marta Suplicy, na tentativa de abrir um diálogo que permita sua permanência no partido. Mas as mensagens iniciais não casam com o que o próprio partido acredita que ela quer. Em tese, o comando petista até aceita manter Marta como uma possível alternativa para o governo de São Paulo em 2018, desde que ela aceite disputar internamente com outros postulantes. Mas, se a condição para a permanência for a disputa pela prefeitura paulistana em 2016, a resposta é: nem pensar.

Marta em caravana do PT (Foto: Divulgação/Elisabete Alves)

Marta em caravana do PT (Foto: Divulgação/Elisabete Alves)

O assunto foi discutido nos últimos dias pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo menos dois líderes petistas. Uma possibilidade seria o partido se comprometer a não tirar Marta de cena na eleição para governador. Leia-se, Lula não repetiria o que fez na última eleição municipal, por exemplo, quando pediu expressamente que ela desistisse de reivindicar uma prévia com o hoje prefeito Fernando Haddad.

Isso não significaria garantir a ela a cabeça de chapa. Até porque o PT entende que é cedo demais para assumir qualquer compromisso para daqui a quatro anos. Mas Marta teria a chance de colocar seu nome para aprovação da militância, junto com o de outros candidatos. Só que, se depender da avaliação do próprio partido, a petista hoje teria chance quase zero de levar uma prévia, dada a falta de apoio interno ao seu nome.

Todos os envolvidos nas conversas concordaram que a hipótese de permitir uma prévia está absolutamente fora de cogitação na disputa da prefeitura. Para começar, porque Haddad já está no exercício do cargo. Sem contar que o partido avalia que a recuperação de imagem do prefeito vai se intensificar a partir deste ano. Ou seja, a vaga só não será dele se ele não quiser.

Até agora, Marta não respondeu aos primeiros acenos do PT. O partido, primeiro, quer sentir o terreno. E, só depois disso, levantar a possibilidade de procurar formalmente a ex-ministra. O que se espera, em tese, é que o próprio Lula tenha uma conversa com ela, caso ela sinalize que tem interesse em permanecer no partido. Se o sinal for negativo, Lula nem vai entrar em cena.

Leia também: Tudo certo para Alexandre Padilha assumir articulação de Haddad

 

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015 Partidos | 09:00

Críticos de Marta agora relembram o mensalão

Compartilhe: Twitter
Marta Suplicy (Foto: Agência Senado)

Marta Suplicy (Foto: Agência Senado)

Quem não gostou nada das recentes críticas de Marta Suplicy à presidente Dilma Rousseff e ao PT remonta ao escândalo do mensalão para dar o troco.

Marta, na época, era dirigente do PT. E, segundo colegas de partido, mal aparecia nas reuniões do diretório nacional no auge do escândalo. Era na porta do prédio da Rua Silveira Martins, no centro da capital paulista, que líderes petistas davam a cara para bater no auge das denúncias.

Ou seja, se Marta queria mesmo mudar o que havia de errado no partido, diz um petista, poderia ter começado por ali.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015 Congresso | 09:30

Vaccarezza cogita fala em voltar para a medicina

Compartilhe: Twitter
Cândido Vaccarezza

Cândido Vaccarezza

Enquanto é apontado como um dos principais articuladores de dissidências interessadas em deixar o PT na esteira da rebeldia da senadora Marta Suplicy (PT-SP), Cândido Vaccarezza (PT-SP) diz que está disponível para voltar a atuar na iniciativa privada.

Leia também: Possível saída de Marta atiça insatisfeitos e alimenta dissidências no PT

“Sou médico, sou funcionário da prefeitura de São Paulo e estou vendo algumas coisas na área da Saúde que vou fazer e na iniciativa privada”, diz Vaccarezza. Perguntado se isso significaria o fim de sua carreira na política, Vaccarezza foi enfático. “De jeito nenhum”.

Vaccarezza é médico ginecologista.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015 Política | 09:00

Marido de Marta virou porta-voz nas conversas com partidos

Compartilhe: Twitter
Marta Suplicy e Márcio Toledo (Claudio Augusto)

Marta Suplicy e Márcio Toledo (Claudio Augusto)

O marido da ex-ministra Marta Suplicy, Márcio Toledo, vem atuando como uma espécie de porta-voz da petista nas negociações sobre sua possível saída do PT. Em alguns casos, ele tem conversado sozinho com dirigentes partidários e repassado os recados à ex-prefeita paulistana.

Os petistas aproveitam para criticar. Dizem que não pega bem para uma pessoa com a estatura política dela ser representada pelo marido.  Mas o fato é que ninguém no atual partido de Marta é lá muito fã de Toledo.

Leia também: ‘Operação Marta’ passou pelo crivo de Geraldo Alckmin

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 13 de janeiro de 2015 Política | 06:00

‘Operação Marta’ passou pelo crivo de Geraldo Alckmin

Compartilhe: Twitter
O governador Geraldo Alckmin e a senadora Marta Suplicy (Foto: Elisabete Alves/Divulgação)

O governador Geraldo Alckmin e a senadora Marta Suplicy (Foto: Elisabete Alves/Divulgação)

A operação para filiar a ex-ministra Marta Suplicy a um dos partidos que integram o bloco formado por SDD, PSB, PPS e PV foi submetida há algumas semanas ao crivo do governador Geraldo Alckmin. Em uma das conversas que teve sobre o assunto, Alckmin indicou que, dependendo dos termos da negociação, não vai impor resistência à filiação da petista.

A avaliação do time alckmista é que, embora Marta seja adversária antiga do tucano, uma candidatura ajudaria a enfraquecer de maneira significativa o prefeito Fernando Haddad. Abrindo, assim, espaço para um nome alinhado a Alckmin se cacifar na corrida municipal.

E, naturalmente, espera-se que Marta não crie nenhum tipo de problema para uma candidatura presidencial do tucano em 2018.

Leia também: PT evita vitimizar Marta, mas já ensaia resposta

 

 

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015 Governo | 14:22

‘Não posso ser punido pela minha popularidade’, diz Juca Ferreira sobre Marta Suplicy

Compartilhe: Twitter

Questionado sobre as recentes declarações da ex-ministra da Cultura Marta Suplicy contra sua atuação à frente da pasta, o atual ministro Juca Ferreira disse que se tratava de uma disputa por “popularidade”.

“É porque eu fui mais aplaudido do que ela em um evento cultural”, afirmou o ministro, após receber o cargo da Ministra interina, Ana Cristina Wanzeler. “Paciência. Eu não posso ser punido pela popularidade que vocês viram aqui”, completou Juca.

O ministro disse ainda que era “fã” de Marta pela defesa feita pela petista já nos anos 1980 do “direito à sexualidade feminina e ao orgasmo, coisas que eram tabu no Brasil”, além de sua gestão como prefeita de São Paulo – a qual, de acordo com Juca, teria sido melhor do que como ministra da Cultura.

Assista:

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. 20
  9. Última