Publicidade

Posts com a Tag Maurício Antônio Ribeiro Lopes

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011 Brasil | 17:23

Ministério Público propõe alternativa ao tombamento do Belas Artes

Compartilhe: Twitter

Fachada do Cine Belas Artes (Foto: Evelson de Freitas/AE)

Diante do impasse em relação ao fechamento do Cine Belas Artes, o promotor Maurício Antônio Ribeiro Lopes decidiu oferecer uma intermediação do Ministério Público ao proprietário do imóvel, Flávio Maluf, e a André Sturm, um dos sócios do cinema.

Apesar não dar detalhes de sua participação na negociação – por conta de um acordo entre as partes -, Lopes afirmou ao Poder Online que prôpos uma equação financeira que já está em negociação. Ontem, Sturm teve uma nova reunião com o advogado de Maluf, Fabio Luchesi.

– A ideia é que um acordo seja feito a partir dessa equação. Se isso acontecer, a questão do tombamento será deixada de lado. Mas, caso não se chegue a um acordo, o Ministério Público entrará com uma alternativa ao tombamento – afirmou Lopes.

De acordo com André Sturm, o resultado da negociação deve ser divulgado até o final da semana:

– É o nosso último lance. Estamos nos 47 do segundo tempo.

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 18 de setembro de 2010 Eleições | 19:16

A saga de um promotor para cassar Tiririca

Compartilhe: Twitter

Tiririca em campanha

O promotor Maurício Antônio Ribeiro Lopes está travando uma guerra para cassar a candidatura de Tiririca, candidato a deputado federal pelo PR paulista com o lema famoso “pior que está não fica” e, segundo o Ibope, batendo perto de 1 milhão de eleitores.

Lopes enfrentou, esta semana, a burocracia e também a precária investigação sobre as duas supostas irregularidades na campanha do palhaço.

A primeira, em relação à propaganda, digamos, excessivamente bem humorada, Lopes acredita ter contornado com um amplo material reunido por sua equipe. Ele enviou, de novo, para a Procuradoria  Regional Eleitoral (PRE) a denúncia, desta vez, com fitas, propaganda impressa e uma firme defesa da tese de que o slogan da campanha de Tiririca é um prejuízo para a democracia e para o processo eleitoral. Esta é a segunda tentativa de Lopes, já que a primeira foi negada pela PRE.

Quanto à outra suposta irregularidade, Lopes protocolou na Justiça, na tarde de quinta-feira, denúncia com base em nota publicada pela coluna Radar, da revista Veja, dando conta de que Tiririca declarou à Justiça Eleitoral não possuir nenhum bem e que seu patrimônio está em nome de terceiros. Logo, se eleito, será impossível comprovar, no futuro, qualquer variação de patrimônio. 

Lopes, no entanto, recebeu da PRE apenas uma ficha de registro da candidatura de Tiririca, sua declaração de bens (ou não-declaração) e uma cópia da revista.

Depois de uma conversa com o juiz, Lopes desconfia da aceitação da denúncia. Seria preciso uma investigação que cruzasse dados do Banco Central, da movimentação bancária do cidadão Francisco Everardo Oliveira Silva, para comprovar a falsidade da declaração. 

– Se o juiz aceitar, cabe recurso, se não aceitar ou pedir investigações, há grande chance de o caso cair para as calendas – decepciona-se Lopes.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 15 de setembro de 2010 Eleições | 05:06

Burocracia favorece o crime eleitoral em São Paulo

Compartilhe: Twitter

Enquanto os políticos ganham os votos em urnas eletrônicas e o resultado da eleição brasileira sai em tempo recorde, o crime eleitoral ainda é apurado como no século 19.

A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), em São Paulo, está localizada na Avenida Brigadeiro Luís Antônio nº 2020, e o Ministério Público Estadual fica na Rua Riachuelo, nº 115, também no centro da capital.

Qualquer motoqueiro paulistano percorre este trajeto de cerca de 2 km em cinco minutos.

Mas quando detecta alguma suspeita de irregularidade na campanha de um candidato, a PRE envia a representação ao MP pelo correio.

A correspondência demora, no mínimo, três dias para chegar ao destino e atrasa – ou até impede – a investigação de um ilícito eleitoral. A situação, claro, só beneficia os candidatos espertos.

Mas a PRE diz que este é o procedimento “de praxe”. Revoltado com a situação, o promotor Maurício Antônio Ribeiro Lopes desabafou ao Poder Online:

– Tudo em matéria eleitoral é para ontem. Não sei porque tanta burocracia. Como pode mandar pelo correio uma coisa que qualquer motoqueiro poderia trazer em minutos? E devem ter postado no correio de outro país porque as coisas demoram dias para chegar aqui.

Autor: Tags: , , ,