Publicidade

Posts com a Tag MG

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015 Congresso | 16:30

Júlio Delgado cobra fatura de Paulinho da Força

Compartilhe: Twitter
Deputado Federal Júlio Delgado (PSB-MG). Foto: Divulgação

Deputado Federal Júlio Delgado (PSB-MG). Foto: Divulgação

Nos últimos dias, o ex-candidato à presidência da Câmara pelo PSB, Júlio Delgado (MG), reclamou de sobra do desfecho da eleição para a presidência da Câmara. Queixou-se, sobretudo, da conduta do presidente do Solidariedade, Paulinho da Força (SP).

Aliado de Eduardo Cunha, Paulinho comandou boa parte do esforço para alimentar a traição a Delgado, sob o argumento de que a candidatura do PSB favoreceria ao petista Arlindo Chinaglia (SP).

O azedume tem ajudado a alimentar o discurso dos que torcem faz tempo pelo fim do bloco que reúne Solidariedade, PSB, PPS e PV.

Leia também: ‘Vou cuidar da minha vida’, diz Delgado após ser preterido na liderança do PSB

 

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014 Congresso | 07:30

Patrus avança no PT como alternativa para presidência da Câmara

Compartilhe: Twitter
O ex-ministro e prefeito de Belo Horizonte Patrus Ananias (MG).

O ex-ministro e prefeito de Belo Horizonte Patrus Ananias (MG).

O PT voltou a falar com mais ânimo no nome de Patrus Ananias para a disputa da presidência da Câmara.

O ex-ministro já vinha sendo citado como opção faz algum tempo, mas passou a ser apontado com mais frequência pelos colegas de partido, diante da dificuldade de articulação em torno do nome de Arlindo Chinaglia frente ao líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ).

Leia também: Colegas jogam água na candidatura de Arlindo Chinaglia

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 11 de novembro de 2014 Eleições | 07:30

Secretariado de Pimentel deve ditar o rumo de Nilmário Miranda

Compartilhe: Twitter
O deputado federal Nilmário Miranda (PT-MG). Foto: Divulgação

O deputado federal Nilmário Miranda (PT-MG). Foto: Divulgação

O deputado federal Nilmário Miranda (PT-MG) tem dito a seus colegas parlamentares que ainda não sabe o que será de seu futuro político.

Apesar de só ter conseguido uma vaga de suplente nestas eleições, o petista ainda alimenta planos de voltar para Brasília, a depender da composição do futuro secretariado do governador eleito Fernando Pimentel (PT-MG) – que poderia abrir vagas na Câmara.

Outra possibilidade seria o próprio Nilmário assumir uma das secretarias do governo petista – em especial a de Direitos Humanos, área em que é reconhecido por sua atuação. Parlamentares  próximos ao petista também citam o nome como uma boa possibilidade para ocupar o cargo de ministro da Secretaria de Direitos Humanos, no governo federal.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 11 de setembro de 2014 Congresso | 12:52

Entidades comemoram escolha de Fux para relatar ação sobre Código da Mineração

Compartilhe: Twitter
Ministro do STF Luiz Fux (Foto: STF Notícias)

Ministro do STF Luiz Fux (Foto: STF Notícias)

Os autores do mandado de segurança que pede o afastamento do relator do Código da Mineração na Câmara dos Deputados, Leonardo Quintão (PMDB-MG), ficaram animados com a notícia de que o ministro Luiz Fux relatará a ação no Supremo Tribunal Federal. A decisão foi tomada por sorteio.

Na avaliação das entidades, o fato de Fux também ter relatado a Ação Direta de Inconstitucionalidade da OAB pelo fim do financiamento privado de campanha pode contribuir positivamente para a decisão, uma vez que o ministro está mais familiarizado com o tema.

Ao relatar a Adin, Fux votou contra a doação de empresas nas campanhas eleitorais, alegando que a permissão de doações de campanha propicia a interferência do poder econômico sobre o poder político.

O mandado apresentado por organizações do Comitê Nacional em Defesa dos Territórios frente à Mineração – como Ibase, Inesc e o Instituto Socioambiental – questiona o arquivamento da representação por quebra de decoro parlamentar contra Quintão baseada no artigo 5º, inciso VIII, do Código de Ética da Câmara.

O Comitê afirma que haveria um conflito de interesses na relatoria do peemedebista, pois nas eleições de 2010 Quintão recebeu R$ 379.710 de empresas ligadas aos setores de mineração e metalurgia – equivalentes a 20% de sua arrecadação. Este ano, o deputado já recebeu R$ 75 mil de seu irmão Rodrigo Quintão, ligado às empresas Itazul Mineração e Minero-Metalurgia Sabinopollis.

Leia mais: ONGs querem afastar relator do marco da mineração

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 7 de outubro de 2012 Eleições | 13:38

Vitórias em São Paulo, Recide e Belo Horizonte pouco influirão em 2014, diz Marcos Coimbra

Compartilhe: Twitter

Artigo do presidente do Instituto Vox Populi de pesquisas eleitorais, o sociólogo Marcos Coimbra, publicado hoje no jornal Correio Braziliense:

Três destaques

Sem desmerecer nenhuma, nestas eleições, o interesse nacional se concentrou em apenas três cidades.

Hoje à noite, saberemos o que nelas aconteceu – bem como em todas.

As eleições dos prefeitos de São Paulo, Belo Horizonte e do Recife motivaram mais discussões, receberam maior cobertura jornalística e foram mais atentamente acompanhadas que as outras. Mas não por ser as mais importantes.

É bom para qualquer partido, grupo político ou pretendente a candidato presidencial terminar a eleição como “vitorioso” nessas cidades. O que não quer dizer que seja inequívoco o significado da expressão “vitória”.

Tampouco é óbvio o impacto que sair-se bem nas três tem na política nacional ou estadual. Já tivemos tantas combinações de resultados que não faz sentido imaginar que só uma hipótese exista.

Em Belo Horizonte, por exemplo, o PT venceu a eleição de prefeito em 1992 com Patrus Ananias e o PSDB elegeu Eduardo Azeredo para o governo mineiro dois anos depois. O mesmo se repetiu em 2004 e 2006, com Fernando Pimentel e Aécio. O fato de o PT ter o prefeito da capital não foi garantia de sucesso na disputa seguinte para o governo do estado.

Assim como ocupar o Palácio da Liberdade não levou o PSDB à prefeitura da cidade.

Quanto às eleições presidenciais, a pouca vinculação entre escolhas locais, estaduais e nacionais fica evidente se lembrarmos que, em 2010, Marina Silva venceu o primeiro turno em Belo Horizonte, apesar do tamanho que PT e PSDB têm na cidade e em Minas.

A força de Eduardo Campos em Pernambuco não aumenta se o candidato que indicou, Geraldo Julio, vencer a eleição no Recife – hoje ou no segundo turno. Nem diminui se não.

Se vier a sofrer uma derrota (o que não parece provável), o governador continuará a principal liderança do estado. Se ganhar, apenas confirmará algo que ninguém discute.

E ele, mais que qualquer pessoa, sabe que não será o resultado do Recife que o tornará um presidenciável viável.

E São Paulo?

Não há exemplo maior da desconexão entre as eleições de prefeito e as outras que a vitória de Celso Pitta em 1996. O PSDB estava no governo do estado e na presidência da República, mas foi derrotado pelo herdeiro de Paulo Maluf.

Permanece no Palácio dos Bandeirantes desde 1994, apesar das mudanças na administração da capital.

Lula perdeu e ganhou eleições presidenciais com o PT na prefeitura. E as derrotas tucanas desde 2006 nada tiveram a ver com quem lá estava.

O que as eleições nas três cidades têm é importância política e simbólica. Nas sucessões estaduais e nacionais, não são decisivas.

O “grande duelo” deste ano, que ocorreria em São Paulo, tendo Lula de um lado e o PSDB do outro, não aconteceu – pelo menos por enquanto, pois não se pode excluir um segundo turno entre os dois. Celso Russomano alterou o jogo.

Qualquer que seja o resultado final, PT e PSDB sofreram com isso. Se um dos dois não estiver no segundo turno, mais que o outro. Mas nenhum terá a vitória que desejava.

No Recife, o PSDB ganha, mesmo se Daniel Coelho não vencer. Fez a coisa certa apostando na renovação, o que, em política, costuma gerar dividendos, se não no curto, no longo prazo. E o PT errou, confundindo-se em conflitos internos que impediram a manutenção da aliança com Eduardo Campos. Só por isso não estão juntos e não por “estratégia do PSB”, como alguns, equivocadamente, interpretam.

Quanto a Belo Horizonte, em qualquer cenário, o PT sai fortalecido da eleição. Pela primeira vez em vários anos, está unificado.

Mas não é mais hora de imaginar o que pode acontecer.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 20 de setembro de 2012 Eleições | 16:12

Em sua cidade, José Dirceu apoia candidato tucano

Compartilhe: Twitter

Em Passa Quatro, estância hidromineral de Minas Gerais e berço natal do petista José Dirceu, é do PSDB o candidato a prefeito que conta com o apoio do PT.

Chama-se Paulinho Brito. E disputa contra a coligação PV-PMDB

Autor: Tags: ,

terça-feira, 3 de julho de 2012 Eleições | 10:49

PT briga com PSB e sobra para Aécio Neves

Compartilhe: Twitter

O Comando nacional do PSDB anda preocupadíssimo com a briga entre o PT e o PSB em Belo Horizonte.

É que a possibilidade de lançamento da candidatura do petista Patrus Ananias para prefeito coloca em risco a sucessão do tucano Antonio Anastasia em 2014, até agora considerada sob total controle do senador e ex-governador do Estado Aécio Neves.

O problema é que a eleição de 2014 em Minas, por sua vez, é também decisiva para a candidatura de Aécio a presidente da República pelo PSDB.

Seria como o general partir para a guerra em outras províncias num momento em que sua cidadela está sob ataque do inimigo.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012 Estados | 10:20

Na terra de Aécio Neves, PSDB imita Serra: prefere o PSD de Kassab ao DEM

Compartilhe: Twitter

Na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, DEM, PMN, PP, PSB, PSC, PTC e PV anunciaram a formação de um Bloco Parlamentar.

O DEM e o PTC abandoram o bloco liderado pelo PSDB, que passou a ficar com a seguinte composição: PSDB,PSD, PTB, PPS, PR, PHS, PRTB, PRP e PTdoB.

O novo bloco do DEM não fará oposição ao governador tucano Antônio Anastasia.

O partido no Estado apenas segue uma determinação de seu Diretório Nacional, que é a de não se aliar ao PSD em nenhum Estado.

Mas a nova formação mostra que, na terra de Aécio Neves, o PSDB segue o mesmo caminho de José Serra em São Paulo: entre o DEM e o PSD, a opção é pelo partido do prefeito de São Paulo,  Gilberto Kassab.

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012 Eleições | 18:03

Rui Falcão vai tentar buscar consenso no PT mineiro

Compartilhe: Twitter

O presidente do PT, Rui Falcão, desembarca nos próximos dias em Belo Horizonte para tentar encontrar um consenso no partido para as eleições deste ano.

O Diretório Nacional quer manter uma aliança com o atual prefeito da capital mineira, Mário Lacerda (PSB), mas uma parcela do PT de Minas Gerais resiste à parceria porque, neste ano, Lacerda decidiu oficializar a presença do PSDB na aliança.

Nas eleições passadas, a coligação oficial não incluiu o PSDB, embora o partido tenha apoiado a candidatura do prefeito e integre seu secretariado.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012 Congresso | 16:44

A ‘fórmula Clésio’ para o crescimento de Minas

Compartilhe: Twitter

O senador mineiro Clésio Andrade está no PR a caminho do PMDB e é oposição ao governador tucano de seu Estado.

Ele está distribuindo um livreto (foto acima) intitulado “Esvaziamento de Minas no cenário nacional”.

Até aí, tudo bem.

Mas chamam atenção as “ações para o fortalecimento” propostas no folheto.

A fórmula de Clésio para retomada do crescimento de seu Estado prioriza coisas como (itens 7 e 13 do livreto):

“Reivindicar para mineiros as próximas três vagas” de ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ), “passando a ter seis mnistros”;

E “mineiros devem ocupar 40 dos cargos de maior importância no governo federal, entre ministros, secretários executivos, presidentes de autarquias e fundações”.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última