Publicidade

Posts com a Tag Miguel Rossetto

quinta-feira, 5 de novembro de 2015 Brasil, Governo, Partidos | 11:05

Ordem no Planalto é monitorar, sem alarde, protestos de caminhoneiros

Compartilhe: Twitter

A preocupação com uma possível aproximação entre caminhoneiros em greve e os movimentos que pedem o impeachment da presidente Dilma Rousseff exite, no entanto, as primeiras conversas de representantes de sindicatos que representam as categorias apontaram uma resistência dos líderes em aceitar uma “contaminação” do movimento pela pauta pró-impeachment.

Nesta semana, este foi um sinal considerado positivo pelo governo.

Diante disso, a ordem no Planalto é observar atentamente os protestos, convocados para a próxima segunda-feira (9), pelo Comando Nacional do Transporte, que se declara independente de sindicatos e flertam com o Movimento Brasil Livre, o Vem Pra Rua e o Revoltados Online.

Os caminhoneiros querem a redução no preço do diesel, subsídio de crédito, além da anulação de multas referentes à paralisação feita em fevereiro deste ano.

Dilma escalou seus principais auxiliares para tratar do assunto, entre eles, os ministro de Governo, Ricardo Berzoini,^e do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto.

 

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 25 de setembro de 2015 Brasil, Partidos, Política | 10:10

Ministros demissionários resistem ao comando de Rossetto para novo ministério

Compartilhe: Twitter
Miguel Rossetto. (Foto: Agência Brasil)

Miguel Rossetto. (Foto: Agência Brasil)

O clima de tensão da conversa entre a presidente Dilma Rousseff com os ministros das secretarias de Mulheres, Eleonora Menicucci; da Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes, e do Direitos Humanos, Pepe Vargas, foi agravado ainda mais pela exigência dos petistas de que o novo ministério a ser criado, seja, pelo menos, comandado por uma mulher.

A exigência foi colocada durante a reunião, no Palácio da Alvorada, da qual também estava presente, o atual ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto, cotado para comandar o Ministério da Cidadania, que será resultado da fusão das três pastas.

A ideia partiu da ministra Eleonora e foi apoiada por Nilma e por Pepe. Dilma não disse nem sim, nem não, mas recuou da ideia de apresentar Rossetto como titular da pasta durante a reunião.

O nome de Rossetto já enfrenta resistências dos principais grupos parceiros das políticas afirmativas desenvolvidas pelo governo: feministas e integrantes do movimento negro, que esperam desdobramentos da reclamação. A avaliação é de que ele não teria sensibilidade para questões complexas envolvendo a discriminação de grupos não hegemônicos, além da perda de toda simbologia adotada pelos governos petistas de empoderamento desses grupos sociais.

Entre críticas à postura da presidente, os três ministros ainda reclamaram do nome escolhido para a nova pasta. Ministério da Cidadania inclui, na opinião de integrantes dos movimentos sociais, conceitos chamados “de direita”, excludentes da população muitas vezes marginalizada.

A sugestão dada à Dilma é de que ela mantenha dos nomes das pastas, consideradas conquistas simbólicas do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Desta forma, a pasta se chamaria Ministério dos Direitos Humanos, Igualdade Racial e Políticas para Mulheres.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 Congresso | 17:39

Cunha reúne centrais sindicais para tentar barrar ajuste fiscal no Congresso

Compartilhe: Twitter
O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). (foto: divulgação)

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). (foto: divulgação)

Enquanto o governo federal tenta convencer os deputados da base aliada a defenderem o pacote de medidas que mexem nos benefícios previdenciários e trabalhistas, o presidente de Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se reunirá com centrais sindicais para traçar a melhor estratégia pra derrubar as medidas provisórias 664 e 665.

Num café da manhã realizado na próxima quarta-feira, Cunha receberá dirigentes da CTB, UGT, NCST e Força Sindical para discutir o assunto. Tradicionalmente aliada ao PT, a CUT não foi convidada para a reunião, embora tenha se posicionado contra o pacote fiscal. Além das centrais, também participarão do encontro deputados de partidos como PMDB, Solidariedade, PP, PTB, PSC, PHS, PEN, DEM e PSDB.

No mesmo horário, os ministros Pepe Vargas (Relações Institucionais), Manoel Dias (Trabalho), Nelson Barbosa (Planejamento), Carlos Gabas (Previdência) e Miguel Rossetto (Secretaria-Geral da Presidência) farão um café da manhã com líderes da base aliada para tentar costurar uma estratégia favorável à aprovação das medidas. Na sequência, os ministros receberão as centrais para uma nova rodada de negociações.

Leia também: ‘É pra fechar contas, não para o trabalhador’, diz dirigente da CUT sobre mudança previdenciária

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 Governo | 17:25

Pepe Vargas prepara ofensiva para tentar vencer resistência a pacote fiscal

Compartilhe: Twitter
O ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Pepe Vargas. (Foto: Agência Brasil)

O ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Pepe Vargas. (Foto: Agência Brasil)

Na tentativa de reverter no Congresso o clima contrário ao pacote de medidas do governo que mexe nos benefícios previdenciários e trabalhistas, o ministro de Relações Institucionais, Pepe Vargas, tratou de agendar uma série de encontros com líderes da Câmara e do Senado.

Saiba mais: Governo espera cortar R$ 18 bi com alteração de regras trabalhistas

Já na próxima terça-feira, logo após o carnaval, Pepe fará um café da manhã com líderes dos partidos no Senado e um almoço com os líderes da Câmara, incluindo a oposição. No dia seguinte, em outro café da manhã, o ministro reunirá os líderes da base aliada para tentar costurar uma estratégia favorável à aprovação das medidas.

O objetivo é convencer e municiar os líderes da base de argumentos para defesa do pacote considerado impopular. Para isso, também foram escalados para os três encontros os ministros Manoel Dias (Trabalho), Carlos Eduardo Gabas (Previdência), Nelson Barbosa (Planejamento) e Miguel Rossetto (Secretária-Geral da Presidência).

Leia também: ‘É pra fechar contas, não para o trabalhador’, diz dirigente da CUT sobre mudança previdenciária

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014 Governo | 09:00

Transição cria saia-justa entre Rossetto e Gilberto Carvalho

Compartilhe: Twitter

O clima pesou entre o novo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, e o atual titular do posto, Gilberto Carvalho. O estopim do mal-estar é a transição na pasta.

Carvalho, segundo interlocutores, se ofereceu para dar início à troca de comando. Mas o sucessor teria avisado que não tem nenhuma ordem da presidente Dilma Rousseff para se sentar com ele e iniciar os trabalhos. E não quis nem falar mais no assunto.

Mas tem gente que conta a história pelo outro lado. Nessa versão, foi Rossetto quem telefonou ao antecessor, que então teria dado a resposta torta.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014 Governo | 13:30

‘Você sabe guardar um segredo? Eu também’, diz Rossetto

Compartilhe: Twitter
Miguel Rossetto. (Foto: Agência Brasil)

Miguel Rossetto. (Foto: Agência Brasil)

Prestes a assumir a Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto tem se empenhado em mostrar para a equipe que não tem a menor intenção de fazer o estilo espalhafatoso.

Questionado por um auxiliar sobre a perspectiva de sua posse no ministério, que pode sair nesta semana, Rossetto engatou: “Você sabe guardar um segredo?”. O auxiliar concordou, ansioso. O ministro rebateu: “Eu também”.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 24 de novembro de 2014 Governo | 21:17

Indicação de Rossetto já era esperada, mas escolha é bem recebida no PT

Compartilhe: Twitter

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto. (Foto: Agência Brasil)

A notícia de que Miguel Rossetto deve ser confirmado como ministro da Secretaria-Geral da Presidência deve ajudar o governo a amenizar ao menos em parte as tensões com o PT.

O partido já esperava a escolha de Rossetto para o cargo desde a época da campanha. Ele, aliás, foi incorporado ao primeiro time que cuidou da reeleição de Dilma já com a premissa de substituir o atual titular da pasta Gilberto Carvalho. Ainda assim, líderes petistas admitem que se trata de um quadro com ótima representação partidária e que tem estatura para justificar a escolha.

Dilma, segundo informações publicadas pelo jornal O Globo, deve confirmar Rossetto, além do novo titular do Desenvolvimento Agrário, Carlos Guedes, junto com os nomes escolhidos na semana passada.

Com isso, a presidente já tem definidos os novos titulares da Fazenda, Joaquim Levy; do Planejamento, Nelson Barbosa; do Banco Central, Alexandre Tombini; da Agricultura, Kátia Abreu; e do Desenvolvimento, Armando Monteiro; além da Secretaria-Geral e do Desenvolvimento Agrário.

 

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 11 de novembro de 2014 Congresso | 19:56

PCdoB busca reforço no Planalto contra Eduardo Cunha

Compartilhe: Twitter
O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto. (Foto: Agência Brasil)

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto. (Foto: Agência Brasil)

Nesta quarta-feira, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, almoçará com a bancada do PCdoB na Câmara, para conversar sobre as dificuldades que o governo tem enfrentado no Congresso Nacional, sobretudo no enfrentamento com a oposição e alguns rebeldes da base aliada.

Rossetto, que atualmente é um dos nomes mais próximos da presidente Dilma Rousseff, foi convidado diretamente pela líder do PCdoB na Casa, Jandira Feghali (PCdoB-RJ). A intenção é discutir sobretudo estratégias para evitar a eleição do peemedebista Eduardo Cunha (PMDB-RJ) à presidência da Casa.

Além da atual bancada, estarão presentes alguns parlamentares eleitos para a próxima legislatura e o presidente nacional do partido, Renato Rabelo.

Assista: ‘Financiamento empresarial estimula corrupção’, diz Miguel Rossetto

Autor: Tags: , , , , , , , ,

segunda-feira, 27 de outubro de 2014 Eleições | 19:30

‘Financiamento empresarial estimula corrupção’, diz Miguel Rossetto

Compartilhe: Twitter

Diante do anúncio da presidente reeleita Dilma Rousseff de que a realização de uma reforma política com consulta popular seria uma das prioridades de seu próximo governo, o fim do financiamento público de campanha volta como um dos pontos centrais defendidos pelo PT.

“A necessidade de uma reforma política tem como base o padrão de financiamento”, diz o ex-ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto. “O padrão de financiamento empresarial é insustentável, ele se articula e estimula um processo pouco claro, pouco transparente, para a democracia. Ele estimula um espaço e um ambiente de corrupção, que ninguém aceita mais.”

Assista:

Autor: Tags: , , , , ,