Publicidade

Posts com a Tag PSDB

segunda-feira, 30 de março de 2015 Congresso | 09:00

FHC reforça articulação tucana na Câmara

Compartilhe: Twitter
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) foi convidado a falar sobre descriminalização das drogas no Senado. (Foto: Divulgação)

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) foi convidado a falar sobre descriminalização das drogas no Senado. (Foto: Divulgação)

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso marcou para o próximo dia 10 de abril uma reunião com deputados do PSDB.

Vai discutir com a bancada uma estratégia de atuação diante da crise que atinge a presidente Dilma Rousseff.

Autor: Tags: ,

domingo, 29 de março de 2015 Congresso | 09:00

‘Não aceitamos uma reforma fiscal de um governo que não corta na própria carne’, diz Bruno Araújo

Compartilhe: Twitter

Líder da minoria na Câmara, o deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) minimiza as mudanças ocorridas nos últimos dias no primeiro escalão do governo federal e diz que as trocas feitas até agora pela presidente Dilma Rousseff mostram uma falta de empenho em fazer o “reordenamento político” necessário.

Ao Poder Online, o tucano fala sobre a relação do PSDB com o PMDB e com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Para ele, a aproximação entre oposição e peemedebistas, por enquanto, é circunstancial, embora a convergência de fato exista em alguns pontos. E elogia a gestão de Cunha à frente da Casa, que, segundo ele, ganhou outra relevância.

Diante da crise vivida por Dilma, ele avisa que a oposição está decidida em não aceitar o ajuste fiscal proposto pelo governo, diante da ausência de cortes na própria máquina. “Nós já avisamos que não vamos aceitar uma reforma fiscal de um governo que não corta a própria gordura.  Que não corta na própria carne, principalmente a carne gordurosa”, diz o tucano.

O deputado Bruno Araújo (foto: Divulgação)

O deputado Bruno Araújo (foto: Divulgação)

A presidente Dilma Rousseff anunciou a troca de alguns ministros e parece tentar achar uma receita para se acertar com o PMDB. O senhor acha que essa recomposição vai acontecer? 
A presidente teve sua segunda posse em 1º de janeiro de 2015. Depois teve uma espécie de terceira posse, que ocorreu quando ela teve que anunciar o novo comando da Petrobras. O grande marco do segundo governo, até então, era a possibilidade de recomeçar. Mas a presidente acabou buscando a receita do mesmo, continuou se apoiando na política do PT para escolher nomes que a cercam. Agora, indicar um ministro da Secretaria de Comunicação Social e da Educação, e indicar Henrique (Eduardo Alves) para o Turismo é algo que simplesmente não tem a relevância de um reordenamento político que se faz necessário. Vale lembrar que para a Comunicação ela escolheu o tesoureiro. Ser tesoureiro no PT não é um bom cartão de visitas. O Renato Janine (novo ministro da Educação) parece ser um quadro muito respeitado do ponto de vista acadêmico. Mas resta saber se será também no Executivo.

O PMDB tem falado com o DEM sobre fusão, tem conversado com a oposição no Congresso…Isso pode avançar, na sua opinião?
Acho que o que estamos vendo, por enquanto, é circunstancial. O que existe é menos o PMDB flertando com a oposição e mais o PMDB cansado da Dilma. É fato que as derrotas da presidente no Congresso vão muito além dos dedos das mãos. Mas não há nenhuma clareza, até o momento, de uma opção do PMDB por um diálogo real com a oposição. O que tem mesmo é o PMDB cansado de ser o patinho feio da relação com o governo, quando se trata do partido aliado que tem o maior ativo a oferecer.

Há uma expectativa grande em relação ao contingenciamento planejado pelo ministro Joaquim Levy. É uma oportunidade para a oposição se colocar? 
Nós já avisamos que não vamos aceitar uma reforma fiscal de um governo que não corta a própria gordura. Que não corta na própria carne, principalmente a carne gordurosa. Aí sim existe uma convergência entre o PMDB e o PSDB em algumas matérias. É o caso da proposta que reduz para 20 o número de ministérios. Nós temos governadores pelo Brasil que não ocuparam nem metade dos cargos comissionados aprovados, por terem consciência do momento que o Brasil vive. Mas este governo não dá nenhuma indicação de que aceita cortar sua gordura, numa máquina pública que não se mostra eficiente como está.

Hoje, o PSDB se vê então seu maior aliado em Eduardo Cunha?
Nós não votamos em Eduardo Cunha para presidente da Câmara. Apoiamos o Júlio Delgado (PSB). Mas ele demonstrou ser absolutamente independente em relação ao Palácio do Planalto e deu outra dimensão à importância da Câmara. A oposição hoje vê o Eduardo Cunha como muito eficiente em melhorar a operação legislativa como um todo. Ele deslocou o centro do poder.

Mas o Júlio Delgado, seu candidato, critica a oposição e afirma que há uma proteção ao PMDB e ao Eduardo Cunha na CPI da Petrobras.
O PSB é um aliado importante para nós. Mas isso não quer dizer que tenhamos que ter pensamento igual em relação a tudo. Da nossa parte, não há nenhuma proteção ao Eduardo Cunha. Mas ninguém em sã consciência vai negar que a presidência dele está dando outra relevância para a Câmara dos Deputados.

 

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 26 de março de 2015 Congresso | 09:00

‘Vamos combater corrupção ou só o PT’, questiona petista sobre CPI da Petrobras

Compartilhe: Twitter

Integrante da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga denúncias de corrupção na Petrobras, o petista Afonso Florence (BA) tem dito que a oposição, com o apoio de parte significativa do PMDB, está tentando “espetacularizar” os trabalhos da CPI, “cerceando a investigação isenta”.

“Aceitamos a vinda do tesoureiro do PT, mas há delação contra o PMDB, o PSDB e o PP. Por que os tesoureiros deles não podem vir?”, questionou Florence. “Nós vamos combater a corrupção ou vamos combater somente o PT?”

Assista:

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 16 de março de 2015 Política | 13:14

‘Haja coxinha para encher as ruas desse jeito’, ironiza vice-presidente do PSDB

Compartilhe: Twitter
O ex-governador de São Paulo Alberto Goldman (Foto: Divulgação)

O ex-governador de São Paulo Alberto Goldman (Foto: Divulgação)

Um dia depois dos protestos que ganharam as ruas em oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente do PSDB, Alberto Goldman, diz que ficou claro que a insatisfação já se estendeu para muito além da elite. “Haja coxinha para encher as ruas desse jeito”, ironizou o tucano.

Goldman afirmou que o governo e o PT minimizaram o grau de insatisfação na classe média brasileira, que, segundo ele, encheu os protestos deste domingo.

“Eles se autoenganaram. E, o que vemos, é que nada mudou de fato. As falas dos ministros sobre as manifestações mostram que eles continuarão dizendo que ganharam as eleições e farão a mesma coisa que fizeram até agora.”

 

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 13 de março de 2015 Congresso | 11:00

Erundina recebe pedido de desculpas por votos contra PEC da participação feminina

Compartilhe: Twitter
A deputada Luiza Erundina ( (Foto: Agência Câmara)

A deputada Luiza Erundina ( (Foto: Agência Câmara)

Pouco após a aprovação em primeiro turno da PEC 590/2006, que garante pelo menos uma vaga para mulheres na Mesa Diretora da Câmara, do Senado e das comissões do Congresso Nacional, a deputada Luiza Erundina (PSB-SP) recebeu dois pedidos de desculpas.

É que a proposta foi aprovada por praticamente a unanimidade do Congresso, à exceção de dois deputados: Otávio Leite (PSDB-RJ) e Sinval Malheiros (PV-SP). Constrangidos, ambos fizeram questão de dizer a Erundina, no entanto, que o voto contrário havia sido uma confusão técnica e não uma discordância com o projeto.

Malheiros chegou a tirar uma foto com a deputada, para se retratar publicamente. Já Leite disse que teve de dar explicações a seu eleitorado, após receber telefonemas de amigas criticando a decisão. No segundo turno, os dois prometeram prestar mais atenção no momento da votação.

Leia também: Erundina defende construção de creche em novo anexo da Câmara

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 12 de março de 2015 Congresso | 18:00

Petistas entram com representação contra tucano que chamou MST de ‘quadrilha’

Compartilhe: Twitter

Os petistas Valmir Assunção (BA), Dionilso Marcon (RS) e João Daniel (SE), que fazem parte do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, decidiram entrar com uma representação junto ao Conselho de Ética da Câmara contra o deputado federal Nilson Leitão (PSDB-MT).

O motivo é um discurso feito pelo tucano no Plenário da Câmara, nesta semana, em que acusa o MST de ser “uma quadrilha bem montada” e diz que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, deveria tratar o movimento “como bandidos”.

“Sou do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, sou deputado federal, não sou bandido, nem tampouco faço parte de quadrilha”, disse Valmir, ao explicar as razões da representação.

Assista:

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 11 de março de 2015 Partidos | 07:00

PSDB deve formalizar apoio aos protestos, sem endossar impeachment Dilma

Compartilhe: Twitter
O ex-governador de São Paulo e coordenador local da campanha presidencial de Aécio Neves, Alberto Goldman (PSDB-SP). Foto: Divulgação

O ex-governador de São Paulo  Alberto Goldman (PSDB-SP). Foto: Divulgação

O comando nacional do PSDB deve se reunir nesta quarta-feira, em Brasília. A expectativa é de que seja tirada da reunião uma posição formal de apoio aos protestos organizados contra o governo da presidente Dilma Rousseff em todo o país. O partido, entretanto, não vai endossar a ideia de pedir o impeachment da presidente e, provavelmente, evitará uma convocação formal da militância para reforçar as manifestações.

No início desta semana, o diretório paulista do PSDB, por exemplo, discutiu a ideia de propor que o comando nacional do partido faça uma convocação nacional dos militantes, para que saiam às ruas em protesto contra o governo petista.

“Nós apoiamos todos os movimentos de indignação e oposição social a este governo. Mas não temos a intenção de fazer uma convocação formal. Nós não articulamos e nem participamos formalmente da organização desses atos. Mas apoiamos sim este sentimento generalizado”, diz  vice-presidente do PSDB nacional, Alberto Goldman.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 10 de março de 2015 Partidos | 14:57

‘Pau que nasce torto morre torto. O governo é ruim e vai continuar ruim’, diz Goldman

Compartilhe: Twitter
Alberto Goldman (Foto: Divulgação/PSDB)

Alberto Goldman (Foto: Divulgação/PSDB)

O vice-presidente do PSDB, Alberto Goldman, diz que o governo da presidente Dilma Rousseff é “ruim em sua origem” e que de nada vai adiantar fazer mudanças na equipe e ajustes na articulação política, que estão sendo discutidos pelo primeiro time da petista.

“Este é um governo que nasce ruim na presidente, no partido dominante. Pau que nasce torto morre torto, como diz o ditado popular. O governo é ruim e vai continuar ruim”, emenda o dirigente.

 

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 9 de março de 2015 Política | 17:52

Tucanos alinham discurso para ato contra Dilma no dia 15

Compartilhe: Twitter

O diretório do PSDB em São Paulo tem reunião marcada para esta segunda-feira, para alinhar o discurso para as manifestações contra a presidente Dilma Rousseff, convocadas para o próximo domingo.

Em tese, a ordem é atiçar, mas sem encampar formalmente o discurso do impeachment.

Autor: Tags: , , , ,

Eleições | 09:00

Desgaste de Dilma eleva pressão por renovação no PSDB de São Paulo

Compartilhe: Twitter

O desgaste vivido pela presidente Dilma Rousseff no maior colégio eleitoral do país, ilustrado ontem pelos panelaços que ocorreram durante o pronunciamento que ela fez à nação, tem ajudado a alimentar no PSDB as pressões por uma renovação nas candidaturas majoritárias. O PSDB paulistano avalia que, se tivesse aberto espaço para novos nomes nas últimas eleições, teria grandes chances de recuperar a prefeitura paulistana na próxima eleição.

Setores do partido em São Paulo prometem defender junto ao comando nacional do partido que insista na apresentação de um novo nome para a corrida de 2016. Parte dessa pressão vem da avaliação de que o senador José Serra (PSDB-SP), embora diga abertamente que não tem interesse na vaga, possa vir a se apresentar internamente para a corrida.

A ideia de novidade não necessariamente significa apresentar um nome jovem para a disputa. Um dos principais cotados é o senador Aloysio Nunes Ferreira, um dos homens de confiança de Serra e que caiu nas graças do senador Aécio Neves (PSDB-MG) durante a corrida presidencial. Fala-se ainda nos nomes de Andrea Matarazzo e Bruno Covas, embora alguns tucanos avaliem que falta a ambos força interna para emplacar uma candidatura.

A ala tucana que defende a renovação fala em antecipar a apresentação do nome para este ano, para que haja tempo suficiente de construir sua imagem junto ao eleitorado.

Leia também: PSDB ainda vê interesse de Serra na Prefeitura de São Paulo

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. 20
  9. 30
  10. Última